Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
Aula 01 - Morfofisiologia do SNC (EmbriologiaTecido Nervoso)

Pré-visualização | Página 1 de 2

MORFOFISIOLOGIA DO SNC
PROFESSOR 
JOÃO RICARDO CRAY DA COSTA
joaoricardocray@prof.unipar.br
APRESENTAÇÃO
• João Ricardo Cray da Costa – CREFITO8 – 62762F
• Graduado em Fisioterapia pela UNIPAR – 2004.
• Pós Graduado em Fisioterapia Cardiorrespiratória pela TUIUTI 
– PR.
• Pós Graduado em Fisioterapia em Terapia Intensiva pela 
Santa Casa de Misericórdia de Maringá – Instituto NSG
• Docente dos cursos de Fisioterapia, Farmácia, Estética, 
Enfermagem, Psicologia e Medicina da UNIPAR.
• Atuação em Reabilitação Cardiorrespiratória, Terapia Intensiva 
e Home Care.
EMENTA DA DISCIPLINA
• Estudo anatomofisiológico dos sistemas sensorial e 
perceptivo. Neurônio e atividade bioelétrica do sistema 
nervoso central. Correlatos biológicos do comportamento. 
Estruturas e funções do sistema nervoso central. 
Elementos anatomoneurofisiológicos da emoção, 
motivação, aprendizagem, linguagem, pensamento e 
alterações mentais.
OBJETIVOS
• Transmitir ao acadêmico o conhecimento sobre Anatomia e fisiologia 
do sistema nervoso, enfatizando os seus aspectos mais importantes 
e suas correlações clínicas.
• Propiciar a integração da morfofisiologia, bem como suas inter-
relações e respectivas funções; 
• Reconhecer a análise multidisciplinar da anatomia e fisiologia do 
sistema nervoso.
• Reconhecer os conceitos de anatomia.
• Reconhecer os conceitos de fisiologia.
• Conhecer determinadas patologias relacionadas ao sistema nervoso 
e patologias relacionadas ao comportamento.
• Compreender o desenvolvimento embrionário do sistema nervoso.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
• Embriologia do sistema 
nervoso
• Célula-tronco
• Células nervosas
• Tecido nervoso 
• Sinapses e 
neurotransmissores
• Transmissão e condução do 
impulso nervoso
• Divisões e organização geral 
do sistema nervoso 
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
• Sistema nervoso central
• Encéfalo: cérebro, 
cerebelo, tronco encefálico
• Medula espinhal
• Meninges
• Ventrículos cerebrais e 
Líquor
• Áreas funcionais do córtex 
cerebral
• Diencéfalo
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
• Sistema nervoso 
periférico
• Nervos cranianos
• Nervos espinhais
• Sistema nervoso 
autônomo
Simpático
Parassimpático
• Órgãos dos sentidos
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
• Vascularização do encéfalo
• Patologias do sistema nervoso
Acidente vascular cerebral
Neoplasias
Transtornos compulsivos
Epilepsia
Doença de Parkinson
Doença de Alzheimer
Adrenoleucodistrofia
Esclerose múltipla 
BIBLIOGRAFIA
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
• MACHADO, Â. B. M. Neuroanatomia funcional.
• TORTORA, G. J. Corpo humano: fundamentos 
de anatomia e fisiologia. 
• MENESES, M. S. Neuroanatomia aplicada.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
• DORETTO, D. Fisiopatologia clinica do sistema 
nervoso: fundamentos de semiologia.
• GUYTON, A. C. Neurociência básica: anatomia 
e fisiologia.
• KANDEL, E. Princípios da neurociência. 
• KANDEL, E. R; SCHWARTZ, J. H; JESSELL, T. 
M. Fundamentos da neurociência e do 
comportamento. 
• LENT, R. Cem bilhões de neurônios: conceitos 
fundamentais da neurociência.
• NOBACK, C. R; STROMINGER, N. L; 
DEMAREST, R. J. Neuroanatomia: estrutura e 
função do sistema nervoso humano. 
• SANVITO, W. L. Síndromes neurológicas. 
• SPENCE, A. P. Anatomia humana básica.
• YOUNG, P. A. Bases da neuroanatomia clínica.
MODELOS DE AULAS
SISTEMA DE AVALIAÇÃO
• PROVA TEÓRICA
• OUTRAS ATIVIDADES
VAMOS ESTUDAR?
EMBRIOLOGIA DO SNC
• A formação do cérebro humano a partir de um 
pequeno grupo de células, é um processo 
extraordinário que leva muitos anos para atingir o 
potencial pleno em termos de habilidades 
sensoriais, motoras e intelectuais. Embora seu 
decurso não seja regular, segue uma sequência 
bastante previsível.
FASES EMBRIONÁRIAS
FOLHETOS EMBRIONÁRIOS
FOLHETOS E SUAS ORIGENS
NEURALIZAÇÃO
CÉLULAS DA CRISTA NEURAL
DA CONCEPÇÃO AO NASCIMENTO
• Nos dias seguintes à concepção o embrião é só um 
minúsculo aglomerado de células (mórula). 
• O desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso 
como um todo começa em 3 semanas, com a 
diferenciação celular que forma a placa neural ao longo 
do dorso do embrião; esta se amplia e sofre uma 
invaginação dando origem ao tubo neural, cujo a 
cavidade interna é cheia de liquido amniótico, que se 
tornará o encéfalo e a medula espinhal. 
DA CONCEPÇÃO AO NASCIMENTO
• O primeiro SN começa a se desenvolver em 4 semanas 
como um diminuto bulbo na extremidade superior do tubo 
neural; a segunda é formada pela parte inferior do tubo. 
• As principais partes cerebrais - córtex incluído - são 
visíveis em 7 semanas a partir de então o cérebro 
começará a crescer e se desenvolver.
3 SEMANAS
Nas primeiras semanas o 
tubo neural forma-se ao 
longo da parte posterior 
do embrião, a partir da 
qual três partes distintas 
serão criadas. Neste 
estagio olhos 
rudimentares e vesículas 
do ouvido começam a 
surgir.
7 SEMANAS
O embrião tem cerca de 
2cm de comprimento e as 
circunvoluções, se tornarão 
o tronco encefálico, o 
cerebelo e o cérebro agora 
estão claramente visíveis. 
Os nervos cranianos e 
sensoriais também 
começam a se desenvolver.
11 SEMANAS
O cérebro aumenta de 
tamanho, olhos e ouvidos 
amadurecem, movendo-se 
para as posições finais. A 
cabeça ainda é grande em 
relação ao restando do corpo, 
mas este em breve iniciará um 
surto de crescimento. O 
cérebro posterior 
(rombencéfalo) origina o 
cerebelo e o tronco encefálico.
NO NASCIMENTO
• O cérebro continua a se 
desenvolver e as fissuras 
(sulcos) e saliências (giros) 
aumento em complexidade 
no nascimento, o bebê tem 
tantos neurônios quanto um 
adulto (100 bilhões), a 
maioria tendo sido formada 
até o sexto mês gestacional, 
embora eles ainda não 
estejam amadurecidos.
ALTERAÇÃO NA FORMA E FUNÇÃO 
DE NEURÔNIOS
DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO
CÉLULAS TRONCO
• São tipos de células que podem se diferenciar em células 
com funções muito especializadas, constituindo 
diferentes tipos de tecidos do corpo.
• Em termos práticos, podemos afirmar que células-tronco 
são células que têm o potencial de recompor tecidos 
danificados e, assim, auxiliar no tratamento de doenças.
CÉLULAS TRONCO
• Basicamente existem dois tipos de células-tronco: as que 
são extraídas de tecidos maduros, como o cordão 
umbilical ou a medula óssea, são mais especializados e 
dão origem a apenas alguns tipos de tecidos do corpo. 
• As pesquisas realizadas com o uso dessas células têm 
demonstrado a sua eficácia no tratamento de diversas 
doenças, a exemplo da leucemia, doenças cardíacas e 
doenças hematológicas.
CÉLULAS TRONCO
• As células-tronco embrionárias, por sua vez, apresentam 
a capacidade de formar qualquer tecido do corpo. Está 
sendo pesquisado, em todo o mundo, o potencial dessas 
células para o tratamento de diversas doenças graves, 
como, câncer, diabetes, doenças genéticas, lesões de 
medula espinhal, demências, doenças autoimunes, 
dentre outras.
CÉCULAS TRONCO
CÉLULAS TRONCO
• Com a aprovação da Lei 
de Biossegurança, a 
realização de pesquisas 
com células-tronco 
embrionárias passa a 
ser permitida no Brasil, 
todavia, a lei estabelece 
algumas restrições para 
pesquisas com células-
tronco embrionárias.
SE LIGA NESSA DICA!!!
• https://www.youtube.co
m/watch?v=JJJHxgDw
CyQ
FILOGÊNESE DO SN
• Os seres vivos, mesmo os 
mais primitivos, devem 
continuamente se ajustar 
ao meio ambiente para 
sobreviver. Para isto, três 
propriedades do 
protoplasma são 
especialmente 
importantes: irritabilidade, 
condutibilidade e 
contratilidade.
PRIMEIROS NEURÔNIOS
• Estas células 
especializadas em 
irritabilidade (ou 
excitabilidade) e 
condutibilidade foram os 
primeiros neurônios que 
provavelmente surgiram 
nos celenterados.
PRIMEIROS NEURÔNIOS
• As características 
excitáveis do tecido 
nervoso permitem a 
geração de impulsos 
nervosos (potenciais de 
ação) que produzem 
regulação e 
comunicação com a 
maioria dos tecidos do 
corpo.
FUNÇÕES DO SN
• O sistema nervoso regula as
Página12