Buscar

Av2 Introdução à Lógica

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 6 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 6 páginas

Prévia do material em texto

Av2 – Introdução à Lógica
MATERIAL CORRIGIDO PELO AVA, SEM NENHUM ERRO.
SE ESSE MATERIAL FOR ÚTIL PARA VOCÊ >>>> SALVE, SIGA, CURTA, COMENTE. 
	1)
Há diversos tipos de argumentos para defender a existência de um ser superior, que poderia ser considerado como Deus. Alguns argumentos de baseiam na noção de causalidade, outros nos conceitos de beleza, de verdade e no próprio conceito de Deus. Tais argumentos foram apresentados por filósofos pertencentes às mais variadas tradições e em diversas épocas.
 
De acordo com as informações apresentadas na tabela a seguir, faça a associação entre os tipos de argumentos apresentados na Coluna A, com suas respectivas caracterizações, apresentadas na Coluna B.
 
	Coluna A
	Coluna B
	I. Cosmológica
	1. A mente reconhece a existência de algo superior a própria mente.
	II. Ontológica
	2. Cada ser do universo deve ter uma causa, então deve existir Deus, como causa última de todas as coisas.
	III. Psicológica
	3. A existência de seres naturalmente belos implica a existência da própria Beleza.
	IV. Estética
	4. A existência no ser humano de um senso instintivo do que é certo e do que é errado implica que tal senso deve ter vindo de algo ou alguém externo ao ser humano.
	V. Moral
	5. O conceito de Deus implica que Deus é um ser superior a todos os outros seres, então Deus deve existir, pois existir é uma perfeição.
Considerando as informações contidas na tabela, as associações corretas entre as Colunas A e B são dadas por:
Alternativas:
· a)
I - 2; II - 5; III - 1; IV - 3; V - 4.
Alternativa assinalada
· b)
I - 5; II - 2; III - 1; IV - 3; V - 4.
· c)
I - 2; II - 4; III - 3; IV - 1; V - 5.
· d)
I - 5; II - 2; III - 3; IV - 1; V - 4.
· e)
I - 1; II - 3; III - 4; IV - 5; V - 2.
2)
Considere o argumento a seguir:
 
Se existe algo superior à razão, então Deus existe.
A Verdade é superior à razão.
Logo, Deus existe.
 
Tal silogismo resume uma longa argumentação acerca da existência de um ser divino, baseada na premissa de que existe uma Verdade e que esta é superior à razão humana, limitada e falível.
Sobre o argumento considerado é correto afirmar que:
Alternativas:
· a)
É a síntese do argumento ontológico apresentado por Anselmo.
· b)
É a síntese do argumento psicológico apresentado por Agostinho.
Alternativa assinalada
· c)
É a síntese de uma argumento cosmológico apresentado por Tomás de Aquino.
· d)
É a síntese do argumento moral apresentado por C. S. Lewis.
· e)
É a síntese do argumento Kalam apresentado por William Craig.
3)
Considere o trecho a seguir, que trata da posição de Tomás de Aquino acerca das relações entre a Filosofia e a Teologia:
 
"Segundo Tomás de Aquino, portanto, a distinção entre filosofia e teologia não é primordialmente uma distinção entre verdades consideradas com relação a seu conteúdo. [...] O filósofo pode chegar a conclusões sobre, por exemplo, a correta análise de termos universais, os quais não formam parte da revelação cristã. O teólogo, por outro lado, se ocupa das verdades reveladas, tais como a doutrina da Trindade, as quais não poderiam ser conhecidas sem a revelação. [...] Por exemplo, tanto o teólogo quanto o filósofo afirmam que o mundo depende existencialmente de Deus. Mas, o primeiro afirma isso porque é um ensinamento das Escrituras, e o segundo o afirma como uma conclusão de um processo de reflexão racional, e não como uma proposição aceita baseada em autoridade e crida pela fé".
COPLESTON, F. C. Aquinas. Londres: Penguin Books, 1991, pp. 55-56.
Com base no texto acima, indique a alternativa correta:
Alternativas:
· a)
Um teólogo não pode ser um filósofo, porque suas práticas nada têm em comum. Não existe sequer uma proposição que seja afirmada por um teólogo e um filósofo.
· b)
Tanto o teólogo quanto o filósofo tratam exatamente dos mesmos problemas. A diferença entre Filosofia e Teologia é apenas uma convenção.
· c)
Os métodos e as fontes nas quais se baseiam o teólogo e o filósofo são os mesmos. Os dois se baseiam na revelação da Verdade e esta não é outra coisa senão Deus.
· d)
O teólogo e o filósofo podem se ignorar mutuamente. Nada que um considere em sua prática interessa ao outro. Eles nunca concordam sobre nenhum assunto.
· e)
Ainda que possam afirmar a mesma proposição, o teólogo considera tal afirmação no âmbito do discurso religioso e o filósofo no âmbito do puramente racional.
Alternativa assinalada
4)
A Teologia Trinitária trata de uma Doutrina cristã que afirma que existe um único Deus em três Pessoas, a saber, Pai, Filho, e Espírito Santo. Entre os cristãos trinitários, considera-se que tal doutrina é um exemplo de um conjunto de verdades que não seria acessível pela razão apenas, pois trata-se de uma revelação da própria intimidade de Deus.
 
Nesse contexto, analise as afirmativas a seguir:
 
I. Um dos principais desafios à Doutrina Trinitária é mostrar que ela não é contraditória.
II. Na Teologia Trinitária, o Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus.
III. Não são três deuses, mas um só Deus.
IV. As Pessoas divinas se distinguem entre si mediante as relações de processão.
Considerando o contexto apresentado, é correto o que se afirma em:
Alternativas:
· a)
I, II e III, apenas.
· b)
I, II e IV, apenas.
· c)
II, III e IV, apenas.
· d)
I, III, e IV, apenas.
· e)
I, II, III e IV.
Alternativa assinalada
5)
O trecho a seguir faz parte da reflexão do filósofo francês Étienne Gilson (1884 - 1978) a respeito das relações entre filosofia e teologia. Leia-o atentamente.
 
"Ao acompanhar o filósofo com uma vigilância simpática para saber até onde a razão natural é capaz de se aproximar, o próprio teólogo já terá chegado ao fim do percurso. De fato, ele teve como ponto de partida algo que jamais deixará de ser, nesta vida, um alvo incompletamente acessível à razão. Custe o que custar, a fé possui antecipadamente toda a substância daquilo que o filósofo jamais conhecerá a respeito de Deus e algo mais. Mas ela a possui de outro modo, como somente a pode possuir uma virtude teologal que é por si mesma, participação da vida divina e garantia da visão beatífica. Essa distinção das ordens permite que se compreenda como um mesmo intelecto pode saber, como filósofo, o que sabem de Deus os filósofos e crer, como cristão, o que crêem de Deus os cristãos; fazendo isso, o intelecto não sabe e não crê na mesma coisa, sob o mesmo ponto de vista, pois a filosofia nada sabe da existência do Deus da Sagrada Escritura. A filosofia sabe que existe um deus, mas nenhuma filosofia pode sugerir a existência daquele Deus específico."
 
Considerando o texto apresentado, avalie as seguintes asserções:
 
I. É possível que uma mesma pessoa possa saber filosoficamente que Deus existe e crer no Deus dos cristãos.
II. Saber e crer podem ser duas operações de um mesmo intelecto e, apesar de distintas, não são incompatíveis.
III. Um filósofo cristão pode provar filosoficamente que o Deus da Bíblia cristã é o verdadeiro Deus, sem apelo algum à fé.
IV. Um cristão não pode ser filósofo, pois crer em Deus e saber que Deus existe são operações muito diferentes.
Considerando o contexto apresentado, é correto o que se afirma em:
Alternativas:
· a)
I e II, apenas.
Alternativa assinalada
· b)
I e III, apenas.
· c)
II e III, apenas.
· d)
II e IV, apenas.
· e)
III e IV, apenas.