Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Transtorno Afetivo Bipolar - RESUMO PSIQUIATRIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

Kamila Maragno Peruch - 192 
TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR
• Transtorno de humor relacionado a energia física e mental, e a sensibilidade a prazer e dor 
• Caracterizado por episódio maníaco ou hipomaníaco – não necessariamente oscilando com 
episódios depressivos 
 
❖ Episódio Depressivo seria uma diminuição da energia e do prazer – muitas vezes bem grave, 
psicótica, depressão pós-parto (questionar sobre mania) 
o Diminuição do nível de energia física e mental – lentificado 
o Diminuição da sensibilidade ao prazer e aumento da sensibilidade a dor (ou apatia) 
 
❖ Episódio Maníaco ou hipomaníaco, onde ocorrem: 
o Aumento do nível de energia física e mental 
▪ Dorme pouco e se sente bem e com energia no 
outro dia (consegue dar conta) 
▪ Aceleração de pensamento – pensa numa 
coisa, outra, volta, vai p outra dnv 
• Inquietação, se envolve com várias atividades 
o Aumento da sensibilidade ao prazer 
▪ Se envolve de forma mto intensa em coisas que dão prazer ou alívio imediato 
▪ Impulsão relacionada a álcool, drogas, comida, compras, jogos e sexo 
o Aumento da sensibilidade a dor e frustações – irritabilidade intensa 
 
 MANIA → sintomas devem durar mais do que 7 dias ou menos, caso tenha ocorrido internação 
ou prejuízos significativos (psicóticos, superioridade) 
 HIPOMANIA → sintomas devem durar mais que 4 dias e, geralmente, não trazem grandes 
prejuízos, sendo são mais leves 
 EPISÓDIO MISTO → sintomas de mania e depressão ao mesmo tempo 
o Quadro que mais está associado ao suicídio 
TIPOS DE TAB 
• TAB TIPO 1 → episódios de mania alternando com episódios de depressão 
• TAB TIPO 2 → episódios de hipomania alternando com episódios de depressão 
• CICLOTIMIA → alternância entre hipomania e distimia (oscilações ocorrem em pouco tempo) 
EPIDEMIOLOGIA E PATOGÊNESE 
• O fator hereditário é muito forte nessa doença 
• Pensamentos de morte e tentativas de suicídio são muito frequentes 
o Geralmente começam com episódios depressivos antes dos 25 anos 
• Alteração da amígdala, responsável pelas respostas emocionais e do comportamento social 
o Diminuição da atividade no córtex pré-frontal - modula o comportamento social 
o Desregulação de neurotransmissores – regulam o humor 
Kamila Maragno Peruch - 192 
TRATAMENTO 
• Tto medicamentoso é extremamente importante, na maioria sendo usado cronicamente 
 LÍTIO → primeira linha de tratamento 
• Indicado em todas as fases do TAB e na manutenção 
• Litemia deve ficar entre 0,8-1,2 mEq/L no episódio agudo e 0,6-0,8mEq/L na manutenção 
o Fazer exames periódicos e cuidar com a associação de diuréticos e Aines 
 ANTICONVULSIVANTES → ácido valproico, carbamazepina, lamotrigina 
 ANTIPSICÓTICOS → quetiapina, risperidona, olanzapina, aripiprazol e ziprasidona 
 
❖ Cuidar com os antidepressivos e estimulantes, SEMPRE usar com estabilizador de humor 
• Podem levar a uma resposta paradoxal → não fazer efeito nenhum, piorar sintomas 
o Levar a melhora rápida e depois piora dos sintomas, ou levar a um quadro misto 
TAB OCULTO??? 
• Antecedente familiar – TAB em parente de 1/2° grau, esquizofrenia, história de suicídio ou 
internações 
• Primeira depressão antes dos 25 
• Pensamentos de morte recorrente ou tentativas de suicídio prévias 
• Não houve melhora ou houve piora mesmo após o uso de 3 ou mais antidepressivos 
• História de perda de efeito do antidepressivo ou do estimulante 
 
RESUMO FEITO COM BASE EM AULA MINISTRADA NA DISCIPLINA DE PSIQUIATRIA