Buscar

CASO CLÍNICO - práticas médicas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

CASO CLÍNICO – PMIV
PROF.ª BARBRA AZEVEDO
Às 3:47h da manhã dá entrada no hospital uma vítima de ferimento por arma de fogo. A vítima, masculino, 23 anos, com orifício de entrada em região de hipocôndrio esquerdo, sem orifício de saída. Na admissão, ECG 14, hipocorado, hipotenso, taquicárdico e com abdome em tábua. Foi encaminhado imediatamente ao centro cirúrgico, onde foi submetido à laparotomia exploradora de emergência. No inventário da cavidade, presença de 1,5 litros de sangue livres, lesão esplênica grau IV, lesão de 3cm em cólon sigmoide, conferindo intensa contaminação da cavidade abdominal por fezes. Foi realizada esplenectomia e sigmoidectomia à Hartmann, com sutura manual.
1. Qual a paramentação adequada para a equipe cirúrgica, visando manter a assepsia do ambiente?
Roupa privativa, luvas, goro, mascara, propé, óculos.
2. Quais os locais obrigatórios para antissepsia nesse tipo de procedimento?
Todos os quadrantes do abdome e pelve. Na urgência, fazer antissepsia do tórax também. Lavagem das mãos (antissepsia – clorexidina).
3. Quais medidas deveriam ser aplicadas para a prevenção da infecção do sítio cirúrgico?
Assepsia do local, da equipe (escovação das mãos), manutenção do ambiente estéril como a paramentação correta de toda a equipe. Profilaxia antimicrobiana 1 hora antes.
4. A demarcação do sítio cirúrgico nesse caso é necessária?
Nesse caso não há necessidade. Sempre abre no meio do abdome.
5. Qual o melhor instrumento para a diérese nesse caso?
Bisturi de lâmina (23)
6. Qual pinça poderia ser usada para o clampeamento do hilo esplênico, antes da ligadura do mesmo?
Mixter
7. Quais pinças poderiam ser usadas para o manuseio das alças intestinais nesse caso?
Clamp intestinal, Collin, baby Cocker, angelita pinças atraumaticas
Evitar kelly, dente de rato causam trauma
8. Qual o tipo de agulha ideal para a rafia do coto retal?
agulha com ponta cilíndrica atraumática
*não pode usar agulha que causam trauma no intestino
9. Qual tipo de fio poderia ser usado para a maturação da colostomia?
Absorvivel (vicryl, pds)
10. Qual tipo de ponto poderia ser usado para a síntese da pele?
Ponto simples separado.
*ponto continuo pode fazer em peritônio, musculo
11. Quais deveriam ser as principais preocupações da equipe de cirurgia visando a segurança desse paciente?
Chance de sangramento, tempo cirúrgico, controle de danos, estimar risco de perda de sangue, relação dos materiais no começo da cirurgia e final.
12. Quais deveriam ser as principais preocupações da equipe de anestesiologia visando a segurança desse paciente?
Evitar com que esse paciente tenha uma descompensação durante a cirurgia, manter ele hemodinamicamente estável, via aérea, broncoaspiração, reação alérgica ao indutor anestésico 
13. Quais deveriam ser as principais preocupações da equipe de enfermagem visando a segurança desse paciente?
Tempo de cirurgia, fazer a contagem de instrumentos e compressas, identificação do paciente na porta, placa, sonda de demora

Continue navegando