Buscar

Direito Penal

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 172 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 172 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 172 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

F
P
R
Agora
eu
NOÇÕES DE 
DIREITO PENAL
461
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
PARTE GERAL
INTRODUÇÃO AO DIREITO PENAL
1. (CESPE - 2016) O brasileiro nato, maior e capaz, que praticar vias de fato contra outro brasileiro 
nato:
a) Será considerado reincidente, caso tenha sido condenado, em território estrangeiro, 
por contravenção penal.
b) Poderá ser condenado a penas de reclusão, de detenção e de multa.
c) Responderá por contravenção penal no Brasil, ainda que a conduta tenha sido prati-
cada em território estrangeiro.
d) Responderá por contravenção, na forma tentada, se tiver deixado de praticar o ato 
por circunstâncias alheias a sua vontade.
e) Responderá por contravenção penal e, nesse caso, a ação penal é pública incondi-
cionada.
2. (FUNCAB - 2016) As contravenções penais:
a) Podem ser punidas com pena de detenção.
b) Não prescrevem.
c) Não são punidas na forma tentada.
d) Constituem meros ilícitos administrativos.
e) Estão inseridas na Parte Especial do Código Penal.
3. (CESPE - 2014) Quanto às penas, à tipicidade, à ilicitude e aos elementos e espécies da infração 
penal, julgue o item a seguir.
Na legislação pátria, adotou-se o critério bipartido na definição das infrações penais, 
ou seja, estas se subdividem em contravenções penais e crimes ou delitos, inexistindo 
diferença conceitual entre as duas últimas espécies.
( ) Certo ( ) Errado
4. (VUNESP - 2014) Com relação ao crime e à contravenção, assinale a alternativa correta:
a) A contravenção penal somente pode ser apenada com detenção.
b) O crime é infração penal menos grave do que a contravenção.
c) A contravenção poderá ser dolosa ou culposa.
d) A contravenção penal poderá ser apenada com prisão simples.
e) O crime é doloso e a contravenção, culposa.
5. (CESPE - 2011) Quanto às penas, à tipicidade, à ilicitude e aos elementos e espécies da infração 
penal, julgue o item a seguir.
Consideram-se infrações penais de menor potencial ofensivo as contravenções penais 
e os crimes a que a lei comine pena máxima não superior a dois anos, cumulada ou não 
com multa.
( ) Certo ( ) Errado
462 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
6. (CESPE - 2010) Em relação à aplicação da lei penal e aos diversos aspectos do crime, julgue o 
item seguinte.
No Código Penal brasileiro, adota-se, em relação ao conceito de crime, o sistema tricotômico, 
de acordo com o qual as infrações penais são separadas em crimes, delitos e contravenções.
( ) Certo ( ) Errado
7. (CESPE - 2009) Acerca dos institutos relativos à parte especial do Código Penal, julgue o item.
A tipicidade, elemento do fato típico, é a correspondência entre o fato praticado pelo 
agente e a descrição de cada espécie de infração contida na lei penal incriminadora, de 
modo que, sem tipicidade, não há antijuridicidade penal, pois, comportadas as exclu-
sões legais, todo fato típico é antijurídico.
( ) Certo ( ) Errado
8. (CESPE - 2009) Em relação à infração penal, assinale a opção correta.
a) Considera-se crime a infração penal a que a lei comina pena de reclusão, de detenção 
ou prisão simples, quer isoladamente, quer alternativa ou cumulativamente com a 
pena de multa.
b) Considera-se contravenção penal a infração penal a que a lei comina pena máxima 
não superior a dois anos de reclusão.
c) No ordenamento jurídico brasileiro, a diferença entre crime e delito está na gravidade 
do fato e na pena cominada à infração penal.
d) A infração penal é gênero que abrange como espécies as contravenções penais e os 
crimes, sendo estes últimos também identificados como delitos.
e) Os crimes apenados com reclusão se submetem aos regimes fechado e semiaberto, en-
quanto os apenados com detenção se submetem aos regimes aberto e prisão simples.
9. (CESPE - 2009) A respeito da infração penal no ordenamento jurídico brasileiro, assinale a op-
ção correta.
a) Crimes, delitos e contravenções são termos sinônimos.
b) Adotou-se o critério tripartido, existindo diferença entre crime, delito e contravenção.
c) Adotou-se o critério bipartido, segundo o qual as condutas puníveis dividem-se em 
crimes ou contravenções (como sinônimos) e delitos.
d) O critério distintivo entre crime e contravenção é dado pela natureza da pena priva-
tiva de liberdade cominada.
e) A expressão infração penal abrange apenas crimes e delitos.
10. (CESPE - 2009) Quanto a tipicidade, ilicitude, culpabilidade e punibilidade, julgue o item a 
seguir.
São elementos do fato típico: conduta, resultado, nexo de causalidade, tipicidade e 
culpabilidade, de forma que, ausente qualquer dos elementos, a conduta será atípica 
para o direito penal, mas poderá ser valorada pelos outros ramos do direito, podendo 
configurar, por exemplo, ilícito administrativo.
( ) Certo ( ) Errado
463
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
PRINCÍPIOS BÁSICOS DO DIREITO PENAL
11. (CESPE - 2016) A respeito dos princípios aplicáveis ao direito penal, tomando como base a 
doutrina majoritária e tribunais superiores, julgue o item subsecutivo.
Conforme o entendimento doutrinário dominante relativamente ao princípio da inter-
venção mínima, o Direito Penal somente deve ser aplicado quando as demais esferas de 
controle não se revelarem eficazes para garantir a paz social. Decorrem de tal princípio 
a fragmentariedade e o caráter subsidiário do Direito Penal.
( ) Certo ( ) Errado
12. (CESPE - 2016) Julgue o item, acerca dos princípios e fontes do direito penal.
Do princípio da individualização da pena decorre a exigência de que a dosimetria obe-
deça ao perfil do sentenciado, não havendo correlação do referido princípio com a ati-
vidade legislativa incriminadora, isto é, com a feitura de normas penais incriminadoras.
( ) Certo ( ) Errado
13. (CESPE - 2016) Julgue o item, a respeito dos princípios aplicáveis ao direito penal.
Dado o princípio da intranscendência da pena, o condenado não pode permanecer mais 
tempo preso do que aquele estipulado pela sentença transitada em julgado.
( ) Certo ( ) Errado
A respeito dos princípios aplicáveis ao direito penal, julgue os itens subsecutivos.
14. (CESPE - 2016) Em decorrência do princípio da confiança, há presunção de legitimidade e lega-
lidade dos atos dos órgãos oficiais de persecução penal, razão pela qual a coletividade deve 
guardar confiança em relação a eles.
( ) Certo ( ) Errado
15. (CESPE - 2016) Ao se referir ao princípio da lesividade ou ofensividade, a doutrina majoritária 
aponta que somente haverá infração penal se houver efetiva lesão ao bem jurídico tutelado.
( ) Certo ( ) Errado
16. (CESPE - 2015) Com base nos princípios e fontes do direito penal, julgue a assertiva.
Depreende-se da aplicação do princípio da insignificância a determinado caso que a 
conduta em questão é formal e materialmente atípica.
( ) Certo ( ) Errado
17. (CESPE - 2015) Julgue o item, acerca dos princípios e fontes do direito penal.
Depreende-se do princípio da lesividade que a autolesão, via de regra, não é punível.
( ) Certo ( ) Errado
18. (CESPE - 2015) Acerca do crime e da aplicação da lei penal no tempo e no espaço, julgue o item 
que se segue.
Sob o prisma formal, crime corresponde à concepção do direito acerca do delito, em 
uma visão legislativa do fenômeno; sob o prisma material, o conceito de crime é pré-ju-
rídico, ou seja, é a concepção da sociedade a respeito do que pode e deve ser proibido.
( ) Certo ( ) Errado
464 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
19. (CESPE - 2015) No que se refere aos princípios do direito penal e às causas de exclusão da 
ilicitude, julgue o próximo item.
Em consequência da fragmentariedade do Direito Penal, ainda que haja outras formas 
de sanção ou outros meios de controle social para a tutela de determinado bem jurídi-
co, a criminalização, pelo Direito Penal, de condutas que invistam contra esse bem será 
adequada erecomendável.
( ) Certo ( ) Errado
20. (CESPE - 2014) Acerca dos princípios do direito penal, julgue o item.
A prática constante de comportamentos contrários à lei penal, ainda que insignifican-
tes, implica a perda da característica de bagatela desses comportamentos, devendo o 
agente submeter-se ao Direito Penal, dada a reprovabilidade da conduta.
( ) Certo ( ) Errado
21. (CESPE - 2014) Com base na jurisprudência atual e acerca dos princípios e fontes do direito 
penal, julgue o item.
Conforme o STF, para que incida o princípio da insignificância e, consequentemente, 
seja afastada a recriminação penal, é indispensável que a conduta do agente seja mar-
cada por ofensividade mínima ao bem jurídico tutelado, reduzido g
rau de reprovabilidade, inexpressividade da lesão e nenhuma periculosidade social.
( ) Certo ( ) Errado
22. (CESPE - 2014) No tocante aos princípios constitucionais penais.
No que se refere à aplicação do princípio da insignificância, o STF tem afastado a ti-
picidade material dos fatos em que a lesão jurídica seja inexpressiva, sem levar em 
consideração os antecedentes penais do agente.
( ) Certo ( ) Errado
23. (CESPE - 2014) Quanto às penas, à tipicidade, à ilicitude e aos elementos e espécies da infração 
penal, julgue o item a seguir.
O princípio da insignificância, com previsão legal expressa na parte geral do Código Pe-
nal (CP), é causa excludente da ilicitude do crime e exige, nos termos da jurisprudência 
do STF, mínima ofensividade da conduta do agente, nenhuma periculosidade social da 
ação, reduzido grau de reprovabilidade do comportamento e inexpressividade da lesão 
jurídica provocada.
( ) Certo ( ) Errado
Acerca dos princípios constitucionais e infraconstitucionais do Direito Penal, julgue os itens sub-
secutivos.
24. (CESPE - 2013) Dado o princípio da fragmentariedade, o Direito Penal só deve ser utilizado 
quando insuficientes as outras formas de controle social.
( ) Certo ( ) Errado
25. (CESPE - 2013) Decorre do princípio da ofensividade a vedação ao legislador de criminalizar 
condutas que causem potencial lesão a bem jurídico relevante.
( ) Certo ( ) Errado
465
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
26. (CESPE - 2013) A respeito dos princípios aplicáveis ao direito penal, julgue o item que se segue.
De acordo com o entendimento pacificado no STJ e no STF, a venda de CDs e DVDs 
piratas é conduta atípica, devido à incidência do princípio da adequação social.
( ) Certo ( ) Errado
27. (CESPE - 2013) O Direito Penal só deve se preocupar com a proteção dos bens jurídicos mais 
essenciais à vida em sociedade, constituindo a sua intervenção a ultima ratio, ou seja, tal 
intervenção somente será exigida quando não se fizer suficiente a proteção proporcionada 
pelos demais ramos do direito.
Tal conceito tem relação com o princípio da:
a) Anterioridade.
b) Reserva legal.
c) Intervenção mínima.
d) Proporcionalidade.
e) Intranscendência.
28. (CESPE - 2013) À luz das fontes do direito penal e considerando os princípios a ele aplicáveis, 
julgue o item abaixo.
Segundo a jurisprudência do STF e do STJ, a aplicação do princípio da insignificância no 
Direito Penal está condicionada ao atendimento, concomitante, dos seguintes requisi-
tos: primariedade do agente, valor do objeto material da infração inferior a um salário 
mínimo, não contribuição da vítima para a deflagração da ação criminosa, ausência de 
violência ou grave ameaça à pessoa.
( ) Certo ( ) Errado
29. (CESPE - 2012) Julgue o item subsecutivo, a respeito dos efeitos da condenação criminal e de 
crimes contra a administração pública.
A jurisprudência do STF e do STJ é dissonante, para este é inaplicável o princípio da in-
significância aos crimes contra a administração pública, pois a punição do agente, nesse 
caso, tem o propósito de resguardar não apenas o aspecto patrimonial, mas, principal-
mente, a moral administrativa. Por outro lado, aquele tribunal tem admitido.
( ) Certo ( ) Errado
30. (CESPE - 2003) Acerca dos princípios constitucionais e infraconstitucionais do Direito Penal, 
julgue o item subsecutivo.
O indivíduo que, surpreendido por policiais, após consumir um cigarro de substância 
entorpecente, ainda se encontre sob influência do tóxico de forma a demonstrar a utili-
zação pretérita, responderá pela conduta típica de trazer consigo.
( ) Certo ( ) Errado
466 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
PRINCÍPIO DA LEGALIDADE PENAL E INTERPRETAÇÃO DA LEI PENAL (ART. 1º)
Julgue os itens a seguir com base no direito penal.
31. (CESPE - 2016) O princípio da legalidade pode ser desdobrado em três: princípio da reserva 
legal, princípio da taxatividade e princípio da retroatividade como regra, a fim de garantir 
justiça na aplicação de qualquer norma.
( ) Certo ( ) Errado
32. (CESPE - 2015) Dado o princípio da legalidade estrita, é proibido o uso de analogia em Direito Penal.
( ) Certo ( ) Errado
Em relação à aplicação, à interpretação e à integração da lei penal, julgue os itens seguintes.
33. (CESPE - 2015) No Código Penal, a exposição de motivos é exemplo de interpretação autêntica, 
pois é realizada no próprio texto legal.
( ) Certo ( ) Errado
34. (CESPE - 2015) Em se tratando de Direito Penal, admite-se a analogia quando existir efetiva 
lacuna a ser preenchida e sua aplicação for favorável ao réu. Constitui exemplo de analogia 
a aplicação ao companheiro em união estável da regra que isenta de pena o cônjuge que 
subtrai bem pertencente ao outro cônjuge, na constância da sociedade conjugal.
( ) Certo ( ) Errado
35. (CESPE - 2014) A respeito do princípio da legalidade, julgue o item.
É legítima a criação de tipos penais por meio de decreto.
( ) Certo ( ) Errado
36. (CESPE - 2014) Julgue o item a seguir com base no direito penal.
Em caso de omissão legal, o uso de analogia não é admitido em Direito Penal, ainda que 
seja para favorecer o réu.
( ) Certo ( ) Errado
37. (CESPE - 2014) No tocante aos princípios constitucionais penais, julgue o item a seguir.
Prevalece na doutrina o entendimento de que constitui ofensa ao princípio da legali-
dade a existência de leis penais em branco heterogêneas, ou seja, daquelas cujos com-
plementos provenham de fonte diversa da que tenha editado a norma que deva ser 
complementada.
( ) Certo ( ) Errado
38. (CESPE - 2014) Com referência a fundamentos e noções gerais aplicadas ao direito penal.
O princípio da reserva legal aplica-se, de forma absoluta, às normas penais incrimina-
doras, excluindo-se de sua incidência as normas penais não incriminadoras.
( ) Certo ( ) Errado
39. (CESPE - 2013) A respeito dos princípios do direito penal, julgue o item.
É permitida a criação de tipos penais por meio de medida provisória.
( ) Certo ( ) Errado
467
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
40. (CESPE - 2013) Julgue o item seguinte, referente à interpretação da lei penal.
Pela analogia, meio de interpretação extensiva, busca-se alcançar o sentido exato do 
texto de lei obscura ou incerta, admitindo-se, em matéria penal, apenas a analogia in 
bonam partem.
( ) Certo ( ) Errado
41. (CESPE - 2013) Com relação aos princípios, institutos e dispositivos da parte geral do Código 
Penal (CP), julgue o item seguinte.
O princípio da legalidade é parâmetro fixador do conteúdo das normas penais incrimi-
nadoras, ou seja, os tipos penais de tal natureza somente podem ser criados por meio 
de lei em sentido estrito.
( ) Certo ( ) Errado
42. (CESPE - 2012) Com base nas disposições constitucionais aplicáveis ao direito penal.
Dado o princípio da legalidade, o Poder Executivo não pode majorar as penas comina-
das aos crimes cometidos contraa administração pública por meio de decreto.
( ) Certo ( ) Errado
A respeito de princípios gerais do direito penal, julgue os itens seguintes.
43. CESPE - 2012) Em caso de urgência, a definição do que é crime pode ser realizada por meio de 
medida provisória.
( ) Certo ( ) Errado
44. (CESPE - 2012) As leis penais devem ser interpretadas sem ampliações por analogia, salvo para 
beneficiar o réu.
( ) Certo ( ) Errado
45. (CESPE - 2012) Julgue o item a seguir com base no direito penal.
O fato de determinada conduta ser considerada crime somente se estiver como tal ex-
pressamente prevista em lei não impede, em decorrência do princípio da anterioridade, 
que sejam sancionadas condutas praticadas antes da vigência de norma excepcional ou 
temporária que as caracterize como crime.
( ) Certo ( ) Errado
46. (CESPE - 2011) Com relação aos princípios de direito penal, à aplicação da lei penal e ao crime, 
julgue o item subsecutivo.
Uma das funções do princípio da legalidade refere-se à proibição de se realizar incrimi-
nações vagas e indeterminadas, visto que, no preceito primário do tipo penal incrimi-
nador, é obrigatória a existência de definição precisa da conduta proibida ou imposta, 
sendo vedada, com base em tal princípio, a criação de tipos que contenham conceitos 
vagos e imprecisos.
( ) Certo ( ) Errado
468 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
47. (CESPE - 2009) A respeito dos princípios constitucionais penais, julgue o item.
Fere o princípio da legalidade, também conhecido por princípio da reserva legal, a cria-
ção de crimes e penas por meio de medida provisória.
( ) Certo ( ) Errado
48. (CESPE - 2009) Julgue o item a seguir, a respeito da aplicação da lei penal, dos princípios da 
legalidade e da anterioridade.
O princípio da legalidade, que é desdobrado nos princípios da reserva legal e da ante-
rioridade, não se aplica às medidas de segurança, que não possuem natureza de pena, 
pois a parte geral do Código Penal apenas se refere aos crimes e contravenções penais.
( ) Certo ( ) Errado
49. (CESPE - 2008) Considere que tenha sido editada uma lei que descriminaliza um fato ante-
riormente descrito como infração penal, por não ser mais interessante, legítima e justa a 
punição dos autores de tal conduta.
Nessa situação, a lei de abolitio criminis é retroativa e extingue o jus puniendi do Estado.
( ) Certo ( ) Errado
50. (CESPE - 2008) Julgue o item a seguir, relativos à interpretação da lei penal.
Se o presidente do STF, em palestra proferida em seminário para magistrados de todo 
o Brasil, interpreta uma lei penal recém-publicada, essa interpretação é considerada 
interpretação judicial.
( ) Certo ( ) Errado
LEI PENAL NO TEMPO (ARTS. 2º AO 4º)
51. (CESPE - 2016) Com relação à aplicação da lei penal.
O direito penal, quanto ao tempo do crime, considera praticado o crime no momento 
do seu resultado.
( ) Certo ( ) Errado
52. (CESPE - 2016) Acerca dos princípios básicos do direito penal brasileiro.
É possível que uma lei penal mais benigna alcance condutas anteriores à sua vigência, 
seja para possibilitar a aplicação de pena menos severa, seja para contemplar situação 
em que a conduta tipificada passe a não mais ser crime.
( ) Certo ( ) Errado
53. (CESPE - 2015) No que concerne à lei penal no tempo, julgue o item a seguir.
A revogação expressa de um tipo penal incriminador conduz a abolitio criminis, ainda 
que seus elementos passem a integrar outro tipo penal, criado pela norma revogadora.
( ) Certo ( ) Errado
54. (CESPE - 2015) Em relação à aplicação, à interpretação e à integração da lei penal, julgue o 
item seguinte.
Não retroage a lei penal que alterou o prazo prescricional de dois anos para três anos 
dos crimes punidos com pena máxima inferior a um ano.
( ) Certo ( ) Errado
469
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
55. (CESPE - 2015) No que se refere à aplicação da lei penal, julgue o item seguinte.
O instituto da abolitio criminis refere-se à supressão da conduta criminosa nos aspec-
tos formal e material, enquanto o princípio da continuidade normativo-típica refere-se 
apenas à supressão formal.
( ) Certo ( ) Errado
56. (CESPE - 2014) Julgue o item subsecutivo, acerca de crime e aplicação de penas.
Na hipótese de crime continuado ou permanente, deve ser aplicada a lei penal mais 
grave se esta tiver entrado em vigor antes da cessação da continuidade ou da perma-
nência.
( ) Certo ( ) Errado
57. (CESPE - 2014) No que se refere à aplicação da lei penal o item abaixo apresenta uma situação 
hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Sob a vigência da lei X, Lauro cometeu um delito. Em seguida, passou a viger a lei Y, 
que, além de ser mais gravosa, revogou a lei X. Depois de tais fatos, Lauro foi levado a 
julgamento pelo cometimento do citado delito. Nessa situação, o magistrado terá de se 
fundamentar no instituto da retroatividade em benefício do réu para aplicar a lei X, por 
ser esta menos rigorosa que a lei Y.
( ) Certo ( ) Errado
58. (CESPE - 2014) Julgue o item subsequente, relativos ao direito penal.
Em relação à aplicação da lei penal no tempo e no espaço, no Código Penal adotaram-
se, respectivamente, as teorias da atividade e da ubiquidade.
( ) Certo ( ) Errado
59. (CESPE - 2013) Túlio sequestrou Caio com o intuito de obter vantagem pecuniária por meio da 
exigência de resgate. Durante o período em que a vítima permaneceu presa no cativeiro, 
entrou em vigor uma nova lei penal que agravou a pena referente ao crime de extorsão 
mediante sequestro. Alguns meses depois, a vítima foi solta em virtude do pagamento do 
resgate.
Com base nessa situação hipotética e na jurisprudência firmada pelos Tribunais Supe-
riores, assinale a opção correta.
a) Se Túlio for condenado por extorsão mediante sequestro, deve ser aplicada a nova lei 
penal mais gravosa.
b) Se Túlio for condenado por extorsão mediante sequestro, não se deve aplicar a nova 
lei penal mais gravosa, em razão do princípio da irretroatividade da lei penal mais 
severa.
c) Se Túlio for condenado por extorsão mediante sequestro, aplica-se uma combinação 
da lei antiga com a lei nova, para que sejam determinadas as disposições mais favo-
ráveis das duas leis.
d) O crime de extorsão mediante sequestro consumou-se com o pagamento do resgate.
e) O crime de extorsão mediante sequestro consumou-se com a exigência do resgate.
470 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
A respeito dos princípios do direito penal e da aplicação da lei penal no espaço e no tempo.
60. (CESPE - 2013) A lei penal, depois de revogada, não pode continuar a regular fatos ocorridos 
durante a sua vigência ou retroagir para alcançar os que tenham ocorrido anteriormente à 
sua entrada em vigor.
( ) Certo ( ) Errado
61. (CESPE - 2013) No Código Penal (CP), é adotada a teoria da ubiquidade, segundo a qual tanto 
o momento da ação quanto o do resultado são relevantes para a definição do momento do 
crime.
( ) Certo ( ) Errado
62. (CESPE - 2013) A respeito dos princípios do direito penal e da aplicação da lei penal no espaço 
e no tempo, julgue o item que se segue.
Em se tratando de crime continuado ou de crime permanente, será aplicada a lei penal 
mais benéfica caso surja lei penal mais grave antes da cessação da continuidade ou 
permanência da conduta criminosa.
( ) Certo ( ) Errado
63. (CESPE - 2013) Julgue o item seguinte, com relação ao tempo da lei penal.
De acordo com o Código Penal, considera-se praticado o crime no momento em que 
ocorreu seu resultado.
( ) Certo ( ) Errado
64. (CESPE - 2013) Julgue o item seguinte, relativo a aspectos diversos do direito penal.
De acordo com o CP, com relação à sucessãodas leis penais no tempo, não se aplicam 
as regras gerais da irretroatividade da lei mais severa, tampouco a retroatividade da 
norma mais benigna, bem como não se aplica o preceito da ultra-atividade à situação 
caracterizada pela chamada lei penal em branco.
( ) Certo ( ) Errado
65. (CESPE - 2013) Acerca dos princípios gerais que norteiam o direito penal, das teorias do crime 
e dos institutos da Parte Geral do Código Penal brasileiro, julgue o item a seguir.
Considere que Manoel, penalmente imputável, tenha sequestrado uma criança com o 
intuito de receber certa quantia como resgate. Um mês depois, estando a vítima ainda 
em cativeiro, nova lei entrou em vigor, prevendo pena mais severa para o delito. Nessa 
situação, a lei mais gravosa não incidirá sobre a conduta de Manoel.
( ) Certo ( ) Errado
66. (CESPE - 2013) Com relação à lei penal no tempo, julgue o item seguinte
Considere que uma pessoa tenha sido denunciada pela prática de determinado fato 
definido como crime, que, em seguida, foi descriminalizado pela lei A. Posteriormente, 
foi editada a lei B, que revogou a lei A e voltou a criminalizar aquela conduta. Nessa 
situação, a última lei deve ser aplicada ao caso.
( ) Certo ( ) Errado
471
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
67. (CESPE - 2013) Com relação aos princípios, institutos e dispositivos da parte geral do Código 
Penal (CP), julgue o item seguinte.
A extra-atividade da lei penal constitui exceção à regra geral de aplicação da lei vigente 
à época dos fatos.
( ) Certo ( ) Errado
68. (CESPE - 2013) Julgue o item seguinte, relativo à teoria da norma penal, sua aplicação temporal 
e espacial, ao conflito aparente de normas e à pena cumprida no estrangeiro.
A lei penal que, de qualquer modo, beneficia o agente tem, em regra, efeito extra-ativo, 
ou seja, pode retroagir ou avançar no tempo e, assim, aplicar-se ao fato praticado antes 
de sua entrada em vigor, como também seguir regulando, embora revogada, o fato 
praticado no período em que ainda estava vigente. A única exceção a essa regra é a lei 
penal excepcional ou temporária que, sendo favorável ao acusado, terá somente efeito 
retroativo.
( ) Certo ( ) Errado
69. (CESPE - 2013) Em relação a sucessão de leis penais no tempo, julgue o item.
A abolitio criminis faz cessar todos os efeitos penais, principais e secundários, subsis-
tindo os efeitos civis.
( ) Certo ( ) Errado
Julgue os itens seguintes, com relação ao tempo da lei penal.
70. (CESPE - 2013) No delito continuado, a lei penal posterior, ainda que mais gravosa, aplica-se 
aos fatos anteriores à vigência da nova norma, desde que a cessação da atividade delituosa 
tenha ocorrido em momento posterior à entrada em vigor da nova lei.
( ) Certo ( ) Errado
71. (CESPE - 2013) Suponha que Leôncio tenha praticado crime de estelionato na vigência de lei 
penal na qual fosse prevista, para esse crime, pena mínima de dois anos. Suponha, ainda, 
que, no transcorrer do processo, no momento da prolação da sentença, tenha entrado em 
vigor nova lei penal, mais gravosa, na qual fosse estabelecida a duplicação da pena mínima 
prevista para o referido crime. Nesse caso, é correto afirmar que ocorrerá a ultratividade 
da lei penal.
( ) Certo ( ) Errado
72. (CESPE - 2013) Julgue o item subsequente, relativo à aplicação da lei penal e seus princípios.
No que diz respeito ao tema lei penal no tempo, a regra é a aplicação da lei apenas 
durante o seu período de vigência; a exceção é a extra-atividade da lei penal mais be-
néfica, que comporta duas espécies: a retroatividade e a ultra-atividade.
( ) Certo ( ) Errado
No que se refere à aplicação da lei penal, julgue os itens seguintes.
73. (CESPE - 2012) A abolitio criminis, que possui natureza jurídica de causa de extinção da pu-
nibilidade, conduz à extinção dos efeitos penais e extrapenais da sentença condenatória.
( ) Certo ( ) Errado
472 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
74. (CESPE - 2012) Desde que em benefício do réu, a jurisprudência dos Tribunais Superiores ad-
mite a combinação de leis penais, a fim de atender aos princípios da ultratividade e da 
retroatividade in mellius.
( ) Certo ( ) Errado
75. (CESPE - 2012) Em relação ao tempo do crime, o legislador adotou, no CP, a teoria da atividade, 
considerando-o praticado no momento da ação ou omissão.
( ) Certo ( ) Errado
76. (CESPE - 2011) Julgue o item que se segue, à luz dos dispositivos do Código Penal (CP).
A lei penal que beneficia o agente não apenas retroage para alcançar o fato praticado 
antes de sua entrada em vigor, como também, embora revogada, continua a reger o 
fato ocorrido ao tempo de sua vigência
( ) Certo ( ) Errado
77. (CESPE - 2011) Acerca da parte geral do direito penal, julgue o item seguinte.
A lei penal que, de qualquer modo, beneficie o agente deve retroagir, desde que respei-
tado o trânsito em julgado da sentença penal condenatória.
( ) Certo ( ) Errado
78. (CESPE - 2008) Com base na parte geral do direito penal, julgue o item abaixo.
Com relação ao tempo do crime, o CP adotou a teoria da atividade, pela qual se con-
sidera praticado o crime no momento da ação ou da omissão, exceto se outro for o 
momento do resultado.
( ) Certo ( ) Errado
Acerca dos princípios constitucionais que norteiam o direito penal, da aplicação da lei penal, os 
itens seguintes.
79. (CESPE - 2008) Na hipótese de o agente iniciar a prática de um crime permanente sob a vi-
gência de uma lei, vindo o delito a se prolongar no tempo até a entrada em vigor de nova 
legislação, aplica-se a última lei, mesmo que seja a mais severa.
( ) Certo ( ) Errado
80. (CESPE - 2008) Considere que um indivíduo seja preso pela prática de determinado crime e, já 
na fase da execução penal, uma nova lei torne mais branda a pena para aquele delito. Nessa 
situação, o indivíduo cumprirá a pena imposta na legislação anterior, em face do princípio 
da irretroatividade da lei penal.
( ) Certo ( ) Errado
81. (CESPE - 2007) Acerca da parte geral do direito penal, julgue o item seguinte.
Em caso de abolitio criminis, a reincidência subsiste, como efeito secundário da infração 
penal.
( ) Certo ( ) Errado
473
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
LEI PENAL NO ESPAÇO (ARTS. 5º AO 7º)
Em relação ao direito penal, julgue o item a seguir.
82. (CESPE - 2016) No Código Penal brasileiro, adota-se a teoria da ubiquidade, conforme a qual o 
lugar do crime é o da ação ou da omissão, bem como o lugar onde se produziu ou deveria 
produzir-se o resultado.
( ) Certo ( ) Errado
83. (CESPE - 2016) De acordo com o princípio da representação, a lei penal brasileira poderá ser 
aplicada a delitos cometidos em aeronaves ou embarcações brasileiras privadas, quando 
estes delitos ocorrerem no estrangeiro e aí não forem julgados.
( ) Certo ( ) Errado
84. (CESPE - 2016) De acordo com o princípio da nacionalidade, é possível a aplicação da lei penal 
brasileira a fato criminoso lesivo a interesse nacional ocorrido no exterior.
( ) Certo ( ) Errado
85. (CESPE - 2016) A aplicação da lei penal brasileira a cidadão brasileiro que cometa crime no 
exterior é possível, de acordo com o princípio da defesa.
( ) Certo ( ) Errado
86. (CESPE - 2016) De acordo com o princípio da justiça penal universal, a aplicação da lei penal 
brasileira é possível independentemente da nacionalidade do delinquente e do local da 
prática do crime, se este estiver previsto em convenção ou tratado celebrado pelo Brasil.
( ) Certo ( ) Errado
87. (CESPE - 2016) Segundo o princípio da territorialidade, a lei penal brasileira poderá ser aplica-
da no exterior quando o sujeito ativo do crimepraticado for brasileiro.
( ) Certo ( ) Errado
88. (CESPE - 2015) Com relação às fontes e aos princípios de direito penal, bem como à aplicação 
e interpretação da lei penal no tempo e no espaço.
A lei penal brasileira aplica-se ao crime perpetrado no interior de navio de guerra de 
pavilhão pátrio, ainda que em mar territorial estrangeiro, dado o princípio da territo-
rialidade.
( ) Certo ( ) Errado
89. (CESPE - 2015) Acerca do crime e da aplicação da lei penal no tempo e no espaço, julgue o item 
que se segue.
Ainda que se trate de tentativa delituosa, considera-se lugar do crime não só aquele 
onde o agente tiver praticado atos executórios, mas também aquele onde deveria pro-
duzir-se o resultado.
( ) Certo ( ) Errado
474 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
90. (CESPE - 2015) Acerca da aplicação da lei penal, dos princípios de direito penal e do arrependi-
mento posterior, julgue o item a seguir.
O crime contra a fé pública de autarquia estadual brasileira cometido no território da 
República Argentina fica sujeito à lei do Brasil, ainda que o agente seja absolvido na-
quele país.
( ) Certo ( ) Errado
A respeito da aplicação da lei penal no espaço.
91. (CESPE - 2014) Caso, a bordo de embarcação privada, em alto-mar, de propriedade de uma or-
ganização não governamental que ostente bandeira de país onde o aborto seja legalizado, 
um médico brasileiro provoque aborto em uma gestante brasileira, com seu consentimen-
to, ambos responderão pelo crime de aborto previsto na lei penal brasileira.
( ) Certo ( ) Errado
92. (CESPE - 2014) Dado o princípio da extraterritorialidade incondicionada, estará sujeito à juris-
dição brasileira aquele que praticar, a bordo de navio a serviço do governo brasileiro em 
águas territoriais argentinas, crime contra o patrimônio da União.
( ) Certo ( ) Errado
93. (CESPE - 2013) Acerca de aplicação da lei penal, julgue o item que se segue.
Segundo o princípio da territorialidade, se uma pessoa comete latrocínio em embarca-
ção brasileira mercante em alto-mar, aplica-se a lei brasileira.
( ) Certo ( ) Errado
94. (CESPE - 2013) Julgue o item seguinte, com relação ao tempo, à territorialidade e à extraterri-
torialidade da lei penal.
A extraterritorialidade da lei penal condicionada e a da incondicionada têm como ele-
mento comum a necessidade de ingresso do agente no território nacional.
( ) Certo ( ) Errado
95. (CESPE - 2013) Acerca da parte geral do direito penal e seus Institutos, julgue o item seguinte.
Somente mediante expressa manifestação pode o agente diplomático renunciar à imu-
nidade diplomática, porquanto o instituto constitui causa pessoal de exclusão da pena.
( ) Certo ( ) Errado
Acerca dos institutos da territorialidade e extraterritorialidade da lei penal.
96. (CESPE - 2013) A lei penal brasileira será aplicada aos crimes cometidos no território nacional ainda 
que praticados a bordo de aeronaves estrangeiras de propriedade privada em voo no espaço 
aéreo correspondente, sem prejuízo de convenções, tratados e regras de direito internacional.
( ) Certo ( ) Errado
97. (CESPE - 2013) A lei penal brasileira será aplicada a crime cometido contra a administração 
pública por servidor público em serviço, ainda que seja praticado no estrangeiro.
( ) Certo ( ) Errado
475
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
98. (CESPE - 2012) No que se refere à aplicação da lei penal.
Em relação ao lugar do crime, o legislador adotou, no CP, a teoria do resultado, conside-
rando praticado o crime no lugar onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado.
( ) Certo ( ) Errado
Em relação à extraterritorialidade das normas previstas no CP.
99. (CESPE - 2011) Ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes con-
tra a administração pública praticados por quem esteja ao seu serviço, exceto se o agente 
for absolvido no estrangeiro.
( ) Certo ( ) Errado
100. (CESPE - 2011) Os crimes praticados no estrangeiro, em embarcações brasileiras mercantes, 
ficam sujeitos à lei brasileira, desde que, entre outras condições, não sejam julgados no 
estrangeiro.
( ) Certo ( ) Errado
101. (CESPE - 2011) Ficam sujeitos à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes de 
genocídio praticados por brasileiros natos, mas não os praticados por estrangeiros, ainda 
que residentes no Brasil.
( ) Certo ( ) Errado
102. (CESPE - 2011) Os crimes cometidos no exterior por agente estrangeiro contra o patrimônio 
de sociedade de economia mista instituída pelo poder público federal brasileiro não se 
sujeitam à lei brasileira.
( ) Certo ( ) Errado
103. (CESPE - 2007) Acerca dos institutos da territorialidade e extraterritorialidade da lei penal.
O embaixador de um país estrangeiro que praticar um crime contra a vida do presidente 
da República Federativa do Brasil, neste país, deverá ser processado e julgado segundo 
as leis brasileiras.
( ) Certo ( ) Errado
PENA E EFICÁCIA DE SENTEÇA ESTRANGEIRA; CONTAGEM DE PRAZO E FRAÇÕES NÃO COMPUTÁ-
VEIS (ARTS. 8º AO 11)
104. (CESPE - 2016) Acerca da pena cumprida no estrangeiro e da eficácia da sentença estrangeira, 
julgue o item seguinte.
Sentença penal estrangeira pode ter eficácia no Brasil, possibilitando, inclusive, a repa-
ração civil ex delicto. A sua eficácia depende de homologação pelo STJ, desde que haja 
comprovação da ocorrência do seu trânsito em julgado no país de origem.
( ) Certo ( ) Errado
105. (FCC - 2015) Para fins da contagem do prazo no Código Penal:
O dia do começo inclui-se no cômputo do prazo. Contam-se as horas, os dias, os meses 
e os anos do prazo no Código Penal.
( ) Certo ( ) Errado
476 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
106. (CESPE - 2013) Julgue o item seguinte, relativo à teoria da norma penal, sua aplicação temporal 
e espacial, ao conflito aparente de normas e à pena cumprida no estrangeiro.
Considere a seguinte situação hipotética. Jurandir, cidadão brasileiro, foi processado e 
condenado no exterior por ter praticado tráfico internacional de drogas, e ali cumpriu 
seis anos de pena privativa de liberdade. Pelo mesmo crime, também foi condenado, 
no Brasil, a pena privativa de liberdade igual a dez anos e dois meses. Nessa situação 
hipotética, de acordo com o Código Penal, a pena privativa de liberdade a ser cumprida 
por Jurandir, no Brasil, não poderá ser maior que quatro anos e dois meses.
( ) Certo ( ) Errado
107. (CESPE - 2013) Acerca do direito penal, julgue o item subsecutivo.
Na contagem dos prazos de prescrição e decadência, e assim também na contagem do 
prazo de cumprimento da pena privativa de liberdade, deve-se incluir o dia do começo.
( ) Certo ( ) Errado
108. (CESPE - 2013) Acerca da pena cumprida no estrangeiro e da eficácia da sentença estrangeira, 
julgue o item seguinte.
A homologação de sentença estrangeira no Brasil, nos casos em que a aplicação da lei 
brasileira produza na espécie as mesmas consequências, independe de pedido da parte 
interessada, a fim de obrigar o condenado a reparar o dano.
( ) Certo ( ) Errado
109. (CESPE - 2012) Com relação à aplicação da lei penal, julgue o item.
Na contagem do prazo penal, incluem-se o dia do início e o dia do final; por essa razão, 
incluem-se no cômputo das penas privativas de liberdade as frações de dia.
( ) Certo ( ) Errado
110. (CESPE - 2012) No que se refere à aplicação da lei penal, julgue o item seguinte.
Desprezam-se, nas penas privativas de liberdade e nas restritivas de direitos, as frações 
de dia, mas, nas de multa, não se desconsideram as frações da moeda.
( ) Certo ( ) Errado
111. (CESPE - 2012) Determinadocidadão brasileiro praticou delito de genocídio na Argentina, 
tendo matado membros de um grupo étnico daquele país, onde foi condenado definiti-
vamente à pena máxima de oito anos de reclusão, segundo a legislação argentina. Após 
ter cumprido integralmente a pena, esse cidadão retornou a Maceió, cidade onde sempre 
estabeleceu domicílio.
A partir dessa situação hipotética, assinale a opção correta em relação à extraterritoria-
lidade da lei penal, à pena cumprida no estrangeiro e à eficácia da sentença estrangeira.
a) A hipótese revela situação de extraterritorialidade da lei penal brasileira, que seria 
aplicada apenas se o brasileiro não tivesse sido condenado na Argentina.
b) Se tivesse sido absolvido pela justiça argentina, o brasileiro não deveria ser subme-
tido à aplicação da lei penal brasileira, sob pena de violação do princípio da anterio-
ridade.
477
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
c) Nesse caso, o brasileiro poderá ser condenado novamente pela justiça do Brasil e, se 
a pena aplicada no Brasil for superior àquela cumprida na Argentina, será atenuada.
d) A sentença estrangeira, quando a aplicação da lei brasileira produz na espécie as 
mesmas consequências, não pode ser homologada no Brasil para fins de reparação 
civil.
e) Por se tratar de delito de genocídio, a utilização da lei penal argentina afasta a apli-
cação da lei penal brasileira, que só seria aplicada caso as vítimas fossem brasileiras.
112. (CESPE - 2011) Julgue o item a seguir, a respeito das relações jurisdicionais com autoridades 
estrangeiras.
A sentença estrangeira não pode ser homologada apenas para obrigar o condenado à 
reparação do dano e a outros efeitos meramente civis.
( ) Certo ( ) Errado
CONFLITO APARENTE DE NORMAS PENAIS (ART. 12)
113. (MPE/RS - 2016) À luz do direito penal, julgue o item subsequente.
A polícia, no cumprimento de mandado judicial, apreendeu na casa de Antônio, guar-
dadas em lugares distintos, cem gramas de cocaína e uma balança de precisão para 
venda de cocaína, configurando-se, nessa hipótese, mais de um crime de tráfico de 
entorpecentes.
( ) Certo ( ) Errado
114. (CESPE - 2014) Com relação às fontes e aos princípios de direito penal, bem como às normas 
penais e seu conflito aparente, julgue o item seguinte.
De acordo com a atual jurisprudência do STJ, a aplicação do princípio da consunção 
pressupõe a existência de ilícitos penais que funcionem como fase normal de prepara-
ção ou de execução de outro crime com evidente vínculo de dependência ou subordi-
nação entre eles.
( ) Certo ( ) Errado
115. (CESPE - 2014) Julgue o item que se segue, referente aos diversos tipos penais.
Aquele que utilizar laudo médico falso para, sob a alegação de possuir doença de natu-
reza grave, furtar-se ao pagamento de tributo, deverá ser condenado apenas pela prá-
tica do delito de sonegação fiscal se a falsidade ideológica for cometida com o exclusivo 
objetivo de fraudar o fisco, em virtude da aplicação do princípio da subsidiariedade.
( ) Certo ( ) Errado
116. (CESPE - 2013) No que concerne ao tempo e ao lugar do crime e ao conflito aparente de nor-
mas penais.
O princípio da consunção enseja a absorção de um delito por outro, sendo aplicável 
aos casos que envolvam crime progressivo, crime complexo, progressão criminosa, fato 
posterior não punível e fato anterior não punível.
( ) Certo ( ) Errado
478 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
117. (CESPE - 2013) No que concerne ao conflito aparente de normas penais.
Aplica-se o princípio da especificidade aos tipos mistos alternativos, já que, mesmo ha-
vendo várias formas de conduta no mesmo tipo, somente um único delito será consu-
mado, independentemente da quantidade de condutas realizadas no mesmo contexto.
( ) Certo ( ) Errado
118. (CESPE - 2013) Considerando os princípios orientadores do direito penal.
Considera-se, em relação aos crimes de conteúdo múltiplo, que, se em um mesmo con-
texto, o agente realizar ação correspondente a mais de um dos verbos do núcleo do 
tipo penal, ele só deverá responder por um único delito, em virtude do princípio da 
alternatividade.
( ) Certo ( ) Errado
Com relação aos princípios, institutos e dispositivos da parte geral do Código Penal (CP), julgue os 
itens seguintes.
119. (CESPE - 2013) Havendo conflito aparente de normas, aplica-se o princípio da subsidiariedade, 
que incide no caso de a norma descrever várias formas de realização da figura típica, bas-
tando a realização de uma delas para que se configure o crime.
( ) Certo ( ) Errado
120. (CESPE - 2013) Considere que Alberto, querendo apoderar-se dos bens de Cícero, tenha apon-
tado uma arma de fogo em direção a ele, constrangendo-o a entregar-lhe a carteira e o 
aparelho celular. Nessa situação hipotética, da mera comparação entre os tipos descritos 
como crime de constrangimento ilegal e crime de roubo, aplica-se o princípio da especiali-
dade a fim de se tipificar a conduta de Alberto.
( ) Certo ( ) Errado
121. (CESPE - 2013) Com base nos princípios utilizados para a solução do conflito aparente de nor-
mas penais, julgue o item seguinte.
Considere que Adolfo, querendo apoderar-se de bens existentes no interior de uma 
casa habitada, tenha adentrado o local e subtraído telas de LCD e forno micro-ondas. 
Nessa situação, aplicando-se o princípio da consunção, Adolfo não responderá pelo 
crime de violação de domicílio, mas somente pelo crime de furto.
( ) Certo ( ) Errado
122. (CESPE - 2012) A respeito dos princípios aplicáveis ao direito penal.
Segundo Nelson Hungria, aplica-se o princípio da subsidiariedade aos crimes de ação 
múltipla ou de conteúdo variado, ou seja, aos crimes plurinucleares.
( ) Certo ( ) Errado
123. (CESPE - 2012) Julgue o seguinte item no que diz respeito à lei penal no tempo, à lei penal no 
espaço e ao conflito aparente de normas.
Para o princípio da consunção não é importante a relação entre meio e fim, mas o grau 
de violação do mesmo bem jurídico.
( ) Certo ( ) Errado
479
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
124. (CESPE - 2012) A respeito do concurso de pessoas, do concurso de crimes e do concurso apa-
rente de normas penais, julgue o item seguinte com base na doutrina e no entendimento 
dos tribunais superiores.
Na consunção, há indispensável diferença de bens jurídicos tutelados, e a pena comina-
da na norma consunta deve ser maior e abranger a da norma consuntiva.
( ) Certo ( ) Errado
125. (CESPE - 2012) Em relação ao conflito aparente de normas penais, julgue o item seguinte.
O princípio da consunção, consoante posicionamento doutrinário e jurisprudencial, 
resolve o conflito aparente de normas penais quando um crime menos grave é meio 
necessário, fase de preparação ou de execução de outro mais nocivo, respondendo o 
agente somente pelo último. Há incidência desse princípio no caso de porte de arma 
utilizada unicamente para a prática do homicídio.
( ) Certo ( ) Errado
126. (CESPE - 2012) Julgue o item a seguir com base no direito penal.
Conflitos aparentes de normas penais podem ser solucionados com base no princípio 
da consunção, ou absorção. De acordo com esse princípio, quando um crime constitui 
meio necessário ou fase normal de preparação ou execução de outro crime, aplica-se a 
norma mais abrangente. Por exemplo, no caso de cometimento do crime de falsificação 
de documento para a prática do crime de estelionato, sem mais potencialidade lesiva, 
este absorve aquele.
( ) Certo ( ) Errado
127. (CESPE - 2012) No que concerne ao conflito aparente de normas penais.
O princípio da especialidade, aplicado na solução do conflito aparente de normas pe-
nais, tem a finalidade específica de evitar o bis in idem e determina a prevalência da 
norma especial em comparação com a geral, ocorrendo apenas noconfronto in concre-
to das leis que definem o mesmo fato.
( ) Certo ( ) Errado
128. (CESPE - 2010) Com relação às normas penal e processual penal, julgue o item subsecutivo.
Caso haja antinomia entre duas leis penais, devem ser observados os seguintes crité-
rios: especialidade, subsidiariedade, consunção, alternatividade e exclusão.
( ) Certo ( ) Errado
RELAÇÃO DE CAUSALIDADE (ART. 13)
129. (CESPE - 2016) A relação de causalidade, estudada no conceito estratificado de crime, consiste 
no elo entre a conduta e o resultado típico. Acerca dessa relação, julgue o item seguinte.
O estudo do nexo causal nos crimes de mera conduta é relevante, uma vez que se ob-
serva o elo entre a conduta humana propulsora do crime e o resultado naturalístico.
( ) Certo ( ) Errado
480 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
130. (CESPE - 2015) Acerca da aplicação da lei penal, do conceito analítico de crime, da exclusão de 
ilicitude e da imputabilidade penal, julgue o item que se segue.
Como a relação de causalidade constitui elemento do tipo penal no direito brasileiro, 
foi adotada como regra, no CP, a teoria da causalidade adequada, também conhecida 
como teoria da equivalência dos antecedentes causais.
( ) Certo ( ) Errado
131. (CESPE - 2009) Com relação a direito penal, julgue o seguinte item.
Considere a seguinte situação hipotética. Alberto, pretendendo matar Bruno, desferiu 
contra este um disparo de arma de fogo, atingindo-o em região letal. Bruno foi imedia-
tamente socorrido e levado ao hospital. No segundo dia de internação, Bruno morreu 
queimado em decorrência de um incêndio que assolou o nosocômio.
Nessa situação, ocorreu uma causa relativamente independente, de forma que Alber-
to deve responder somente pelos atos praticados antes do desastre ocorrido, ou seja, 
lesão corporal.
( ) Certo ( ) Errado
132. (CESPE - 2010) Em relação à aplicação da lei penal e aos diversos aspectos do crime, julgue o 
item seguinte.
Nos crimes omissivos próprios e impróprios, não há nexo causal, visto que inexiste re-
sultado naturalístico atribuído ao omissor, que responde apenas por sua omissão se 
houver crime previsto no caso concreto.
( ) Certo ( ) Errado
133. (CESPE - 2016) A relação de causalidade, estudada no conceito estratificado de crime, consiste 
no elo entre a conduta e o resultado típico. Acerca dessa relação, julgue o item seguinte.
Para os crimes omissivos impróprios, o estudo do nexo causal é relevante, porquanto o 
CP adotou a teoria naturalística da omissão, ao equiparar a inação do agente garantidor 
a uma ação.
( ) Certo ( ) Errado
134. (CESPE - 2016) Considerando os aspectos legais, doutrinários e jurisprudenciais sobre a in-
fração penal quanto aos elementos constitutivos, às espécies e aos sujeitos, bem como à 
ilicitude, às excludentes e ao excesso punível, à consumação e tentativa e ao concurso de 
pessoas, julgue o item seguinte.
Nos crimes materiais, a consumação só ocorre ante a produção do resultado naturalís-
tico, enquanto que, nos crimes formais, este resultado é dispensável.
( ) Certo ( ) Errado
135. (CESPE - 2011) A respeito da relação de causalidade, julgue o item seguinte.
O nexo causal consiste em mera constatação acerca da existência de relação entre con-
duta e resultado, tendendo a sua verificação apenas às leis da física, mais especifica-
mente, da causa e do efeito, razão pela qual a sua aferição independe de qualquer apre-
ciação jurídica, como a verificação da existência de dolo ou culpa por parte do agente.
( ) Certo ( ) Errado
481
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
136. (CESPE - 2016) A relação de causalidade, estudada no conceito estratificado de crime, consiste 
no elo entre a conduta e o resultado típico. Acerca dessa relação, julgue o item seguinte.
O CP adota, como regra, a teoria da causalidade adequada, dada a afirmação nele cons-
tante de que “o resultado, de que depende a existência do crime, somente é imputável 
a quem lhe deu causa; causa é a ação ou omissão sem a qual o resultado não teria 
ocorrido”.
( ) Certo ( ) Errado
137. (CESPE - 2008) Denis desferiu cinco facadas em Henrique com intenção de matar. Socorrido 
imediatamente e encaminhado ao hospital mais próximo, Henrique foi submetido a cirur-
gia de emergência, em razão da qual contraiu infecção e, finalmente, faleceu.
Acerca dessa situação hipotética, julgue o item, com base no entendimento majoritário 
dos Tribunais Superiores.
a) Trata-se de causa absolutamente independente superveniente, que rompeu o nexo 
causal, devendo Denis responder por tentativa de homicídio.
b) Trata-se de causa relativamente independente e superveniente que rompeu o nexo 
causal, devendo Denis responder por tentativa de homicídio.
c) Não houve rompimento do nexo de causalidade, devendo Denis responder por homi-
cídio doloso consumado.
d) Trata-se de causa relativamente independente e superveniente que rompeu o nexo 
causal, devendo Denis responder por lesão corporal seguida de morte.
e) Não houve rompimento do nexo causal, mas Denis deve responder apenas por ten-
tativa de homicídio.
138. (CESPE - 2016) Considerando a relação de causalidade prevista no Código Penal, assinale a 
opção correta.
a) As causas supervenientes relativamente independentes possuem relação de causali-
dade com conduta do sujeito e não excluem a imputação do resultado.
b) As causas preexistentes relativamente independentes não possuem relação de cau-
salidade com a conduta do sujeito e excluem a imputação do resultado.
c) As causas preexistentes absolutamente independentes possuem relação de causali-
dade com a conduta do sujeito e não excluem o nexo causal.
d) As causas concomitantes relativamente independentes não possuem relação de cau-
salidade com a conduta do sujeito e não excluem a imputação do resultado.
e) As causas concomitantes absolutamente independentes não possuem relação de 
causalidade com a conduta do sujeito e excluem o nexo causal.
CRIME CONSUMADO E TENTADO (ART. 14)
139. (CESPE - 2016) Configura-se tentativa imperfeita ou crime falho se o agente esgota todos os 
atos executórios e, por circunstâncias alheias a sua vontade, o crime não se consuma.
( ) Certo ( ) Errado
482 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
140. (CESPE - 2016) Admite-se a tentativa nos crimes:
a) Unissubsistentes.
b) Culposos.
c) Preterdolosos.
d) Complexos.
e) Omissivos próprios.
141. (CESPE - 2016) Não se admite a tentativa aos crimes preterdolosos, unissubsistentes, culposos, 
complexos, de atentado, condicionados, habituais e omissivos próprios.
( ) Certo ( ) Errado
142. (MPE/RS - 2016) À luz do direito penal, julgue o item subsequente.
Não configura início da conduta de matar alguém, e, portanto, não há tentativa de ho-
micídio, na ação da empregada doméstica que, desejando matar o patrão, coloca ve-
neno no alimento que deixa guardado na geladeira, para consumo a noite, tendo ela o 
dever de permanecer no emprego para servir-lhe o jantar.
( ) Certo ( ) Errado
143. (CESPE - 2015) Um agente alvejou vítima com disparo e, embora tenha iniciado a execução do 
ilícito, não exauriu toda a sua potencialidade lesiva ante a falha da arma de fogo emprega-
da, fugindo do local do crime em seguida. Nessa situação hipotética, a atitude do agente 
configura.
Tentativa imperfeita, pois ele não conseguiu praticar todos os atos executórios necessá-
rios à consumação, por interferência externa.
( ) Certo ( ) Errado
144. (CESPE - 2015) No que concerne à tentativa, crimes omissivos, arrependimento posterior e 
crime impossível, julgue o item a seguir.
Configura-se tentativa incruenta no caso de o agente não conseguir atingir a pessoa ou 
a coisa contra a qual deveria recair sua conduta.
( ) Certo ( ) Errado
145. (CESPE - 2015) Relativamente à classificaçãodoutrinária de crimes, julgue o item seguinte.
O crime falho, também chamado de tentativa imperfeita, ocorre quando o agente vo-
luntariamente desiste de prosseguir na execução ou impede que o resultado se produza.
( ) Certo ( ) Errado
146. (CESPE - 2015) Com referência ao crime tentado, à desistência voluntária e ao crime culposo, 
julgue o próximo item.
Em relação à tentativa, adota-se, no Código Penal, a teoria subjetiva, salvo na hipótese 
de crime de evasão mediante violência contra a pessoa.
( ) Certo ( ) Errado
483
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
147. (CESPE - 2014) Em relação a tentativa, desistência voluntária, arrependimento eficaz, arrepen-
dimento posterior e crime impossível, julgue o item seguinte.
Admite-se a tentativa nos delitos de imprudência.
( ) Certo ( ) Errado
148. (CESPE - 2013) Considerando a classificação dos delitos e as normas atinentes à tentativa, jul-
gue o item subsecutivo.
É admissível a tentativa tanto nos crimes plurissubsistentes quanto nos crimes unissub-
sistentes.
( ) Certo ( ) Errado
149. (CESPE - 2013) No que concerne a infração penal, fato típico e seus elementos, formas consu-
madas e tentadas do crime, culpabilidade, ilicitude e imputabilidade penal, julgue o item 
que se segue.
Considere que Aldo, penalmente capaz, após ser fisicamente agredido por Jeremias, te-
nha comprado um revólver e, após municiá-lo, tenha ido ao local de trabalho de seu de-
safeto, sem, no entanto, o encontrar. Considere, ainda, que, sem desistir de seu intento, 
Aldo tenha se posicionado no caminho habitualmente utilizado por Jeremias, que, sem 
nada saber, tomou direção diversa. Flagrado pela polícia no momento em que esperava 
por Jeremias, Aldo entregou a arma que portava e narrou que pretendia atirar em seu 
desafeto. Nessa situação, Aldo responderá por tentativa imperfeita de homicídio, com 
pena reduzida de um a dois terços.
( ) Certo ( ) Errado
150. (FCC - 2013) Há crime consumado quando o agente praticou todos os atos necessários à con-
sumação do delito, que não ocorreu por circunstâncias alheias à sua vontade.
( ) Certo ( ) Errado
151. (CESPE - 2012) A respeito do iter criminis e do momento de consumação do delito, julgue o 
item a seguir.
A tentativa, uma norma de extensão temporal, não se enquadra diretamente no tipo 
incriminador; faz-se necessária uma norma que amplie a figura típica até alcançar o 
fato material.
( ) Certo ( ) Errado
152. (CESPE - 2009) O direito penal não pune os atos meramente preparatórios do crime, razão pela 
qual é atípica a conduta de quem simplesmente guarda aparelho especialmente destinado 
à falsificação de moeda sem efetivamente praticar o delito.
( ) Certo ( ) Errado
153. (CESPE - 2002) À luz do direito penal, julgue o item subsequente.
Considere a seguinte situação hipotética.
Um indivíduo pretendia matar o seu desafeto, que se encontrava conversando com ou-
tra pessoa. Percebeu que, atirando na vítima, poderia também atingir a outra pessoa. 
484 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
Não obstante essa possibilidade, prevendo que poderia matar o terceiro e, sendo-lhe 
indiferente que este último resultado se produzisse, o indivíduo atirou contra o desafe-
to. Com o disparo, o desafeto e o terceiro vieram a falecer.
Nessa situação, o indivíduo agiu com dolo direto com relação ao desafeto, e dolo indi-
reto com relação ao terceiro.
( ) Certo ( ) Errado
DESISTÊNCIA VOLUNTÁRIA, ARREPENDIMENTO EFICAZ E POSTERIOR E CRIME IMPOSSÍVEL 
(ARTS. 15 AO 17)
154. (CESPE - 2015) Com relação à teoria do crime e culpabilidade penal, julgue o seguinte item.
Se a preparação de flagrante pela polícia impedir a consumação do crime, estará carac-
terizado crime impossível.
( ) Certo ( ) Errado
155. (CESPE - 2015) A respeito de arrependimento posterior, crime impossível, julgue o item se-
guinte:
O arrependimento posterior, por ser uma circunstância subjetiva, não se estende aos 
demais corréus, uma vez reparado o dano integralmente por um dos autores do delito 
até o recebimento da denúncia.
( ) Certo ( ) Errado
Em relação a tentativa, desistência voluntária, arrependimento eficaz, arrependimento posterior e 
crime impossível, julgue os itens seguintes.
156. (CESPE - 2014) A desistência da tentativa inacabada deve ser entendida como arrependimento 
eficaz.
( ) Certo ( ) Errado
157. (CESPE - 2014) Aquele que, por ato voluntário, porém não espontâneo, devolve a coisa furtada 
antes do recebimento da denúncia não pode beneficiar-se do arrependimento posterior.
( ) Certo ( ) Errado
158. (CESPE - 2014) A respeito do crime impossível, julgue o item seguinte.
Crime impossível e delito putativo são considerados pela doutrina como expressões 
sinônimas.
( ) Certo ( ) Errado
No que diz respeito aos estágios de realização do crime, é correto afirmar que:
159. (FCC - 2014) Há desistência voluntária quando o agente, embora já realizado todo o processo 
de execução, impede que o resultado ocorra.
( ) Certo ( ) Errado
485
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
160. (FCC - 2014) Há arrependimento eficaz quando o agente, por ato voluntário, nos crimes sem 
violência ou grave ameaça à pessoa, repara o dano ou restitui a coisa até o recebimento da 
denúncia ou da queixa.
( ) Certo ( ) Errado
161. (FCC - 2014) No que diz respeito aos estágios de realização do crime, é correto afirmar que:
Na desistência voluntária e no arrependimento eficaz o agente só responde pelos atos 
já praticados, se típicos.
( ) Certo ( ) Errado
162. (CESPE - 2013) Acerca da desistência voluntária, do arrependimento eficaz, do arrependimento 
posterior, do crime impossível e do crime preterdoloso, assinale a opção correta.
a) O denominado crime impossível ocorre apenas na hipótese de absoluta ineficácia, no 
que se refere à produção do resultado desejado, do meio de execução utilizado pelo 
agente.
b) Caracteriza-se crime preterdoloso ou preterintencional caso o agente cause um re-
sultado mais grave que o desejado, em virtude da inobservância do cuidado objetivo 
necessário, inclusive na modalidade tentada.
c) Em se tratando de crimes materiais, formais e de mera conduta, é possível a aplica-
ção dos institutos da desistência voluntária e do arrependimento posterior.
d) Para que fique caracterizado o arrependimento eficaz ou a desistência, a atitude do 
agente deve ser espontânea, ou seja, natural, sincera e verdadeira.
e) O arrependimento posterior só pode ser aplicado se crime tiver sido cometido sem 
violência ou grave ameaça a pessoa, se houver reparação do dano ou restituição do 
objeto material antes do recebimento da denúncia ou da queixa e se o ato do agente 
for voluntário.
163. (CESPE - 2013) Acerca da desistência voluntária, do arrependimento eficaz, do arrependimento 
posterior, do crime impossível e do crime preterdoloso, julgue o item seguinte.
O denominado crime impossível ocorre apenas na hipótese de absoluta ineficácia, no 
que se refere à produção do resultado desejado, do meio de execução utilizado pelo 
agente.
( ) Certo ( ) Errado
A respeito dos institutos da desistência voluntária, do arrependimento eficaz e do arrependimento 
posterior.
164. (CESPE - 2013) A aplicação do arrependimento posterior restringe-se aos crimes dolosos e aos 
crimes cometidos sem violência ou grave ameaça à vítima.
( ) Certo ( ) Errado
165. (CESPE - 2013) A desistência voluntária e o arrependimento eficaz constituem causas que ex-
cluem a antijuridicidade do fato típico.
( ) Certo ( ) Errado
486 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
Acerca dos institutos da desistência voluntária, do arrependimento eficaz, do arrependimento pos-
terior e do crime impossível.
166. (CESPE - 2013) Configura-sea desistência voluntária caso o agente seja induzido a desistir no 
prosseguimento da execução criminosa por circunstâncias externas, sem as quais teria ele 
consumado a infração penal.
( ) Certo ( ) Errado
167. (CESPE - 2013) Nos termos da lei, em se tratando do crime de furto qualificado pela destruição 
ou rompimento do obstáculo, não é possível a aplicação do instituto do arrependimento 
posterior.
( ) Certo ( ) Errado
168. (CESPE - 2013) Em relação ao crime impossível, julgue o item seguinte.
O Brasil adota, em relação ao crime impossível, a teoria objetiva temperada, segundo a 
qual os meios empregados e o objeto do crime devem ser absolutamente inidôneos a 
produzir o resultado idealizado pelo agente.
( ) Certo ( ) Errado
Em relação ao arrependimento posterior, julgue os itens seguintes.
169. (CESPE - 2013) Em se tratando de arrependimento posterior, a reparação parcial do dano ou a 
restituição implica uma redução na aplicação da pena, a ser aferida pelo juiz sentenciante.
( ) Certo ( ) Errado
170. (CESPE - 2013) No crime impossível, o erro do agente recai sobre a idoneidade do meio ou do 
objeto material, o que exclui a tipicidade; no putativo, o agente acredita realizar um indife-
rente penal, o que exclui a culpabilidade, já que se trata do inverso da falta de consciência 
do ilícito.
( ) Certo ( ) Errado
171. (CESPE - 2012) Julgue o item a seguir, que versa sobre a desistência voluntária, o arrependi-
mento eficaz e posterior e o crime impossível.
O crime impossível caracteriza-se pela ineficácia absoluta do meio ou por absoluta im-
propriedade do objeto, não ocorrendo a consumação do crime; nesse delito, conside-
rado putativo pela doutrina, o agente acredita estar agindo ilicitamente, quando, na 
verdade, não está.
( ) Certo ( ) Errado
172. (CESPE - 2009) Assinale a opção correta acerca da relação de causalidade, do crime impossível 
e da desistência voluntária.
A jurisprudência do STJ pacificou-se no sentido de que a presença de sistema eletrônico 
de vigilância no estabelecimento comercial torna o agente completamente incapaz de 
consumar o furto, a ponto de reconhecer configurado o crime impossível, pela absoluta 
ineficácia dos meios empregados.
( ) Certo ( ) Errado
487
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
173. (CESPE - 2009) Em relação à punição do fato que caracteriza crime impossível, o CP adotou a 
teoria subjetiva.
( ) Certo ( ) Errado
174. (TJ-DFT) No tocante ao crime impossível é correto afirmar:
a) No crime de concussão, configura-se o flagrante preparado, ainda que o crime já se 
tenha consumado anteriormente pela mera exigência da vantagem indevida.
b) O flagrante esperado equipara-se ao flagrante forjado, pois tanto quanto nesta últi-
ma situação, o agente da autoridade e a vítima deixam o sujeito agir, para surpreen-
dê-lo no cometimento do fato.
c) Não se pune a tentativa de crime quando, por qualquer ineficácia do meio ou impro-
priedade do objeto, é impossível consumar-se o crime.
d) Se a autoridade policial, sem ter sido artificialmente provocada, vem a conhecer pre-
viamente a iniciativa do agente, criando a partir de então, situação de precaução no 
sentido de surpreender o agente quando este intentar o ato criminoso, evitando, em 
função do aspecto surpresa, o resultado criminoso, não há se falar em crime putativo.
CRIME DOLOSO E CULPOSO E AGRAVAÇÃO PELO RESULTADO (ARTS. 18 E 19)
175. (CESPE - 2016) A conduta será culposa quando o agente der causa ao resultado por imprudên-
cia, negligência ou imperícia e só poderá ser considerada crime se houver previsão do tipo 
penal na modalidade culposa.
( ) Certo ( ) Errado
176. (CESPE - 2016) Júlio foi denunciado em razão de haver disparado tiros de revólver, dentro 
da própria casa, contra Laura, sua companheira, porque ela escondera a arma, adquirida 
dois meses atrás. Ele não tinha licença expedida por autoridade competente para possuir 
tal arma, e a mulher tratou de escondê--la porque viu Júlio discutindo asperamente com 
um vizinho e temia que ele pudesse usá-la contra esse desafeto. Raivoso, Júlio adentrou 
a casa, procurou em vão o revólver e, não o achando, ameaçou Laura, constrangendo-a a 
devolver-lhe a arma. Uma vez na sua posse, ele disparou vários tiros contra Laura, ferindo
-a gravemente e também atingindo o filho comum, com nove anos de idade, por erro de 
pontaria, matando-o instantaneamente. Laura só sobreviveu em razão de pronto e eficaz 
atendimento médico de urgência.
Júlio cometeu homicídio doloso contra Laura e culposo contra o filho, porque não teve 
intenção de matá-lo.
( ) Certo ( ) Errado
177. (CESPE - 2016) Em relação ao direito penal, julgue o item a seguir.
Caracteriza-se o dolo eventual no caso de um caçador que, confiando em sua habili-
dade de atirador, dispara contra a caça, mas atinge um companheiro que se encontra 
próximo ao animal que ele desejava abater.
( ) Certo ( ) Errado
488 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
178. (CESPE - 2015) Com referência ao crime tentado, à desistência voluntária e ao crime culposo, 
julgue o próximo item.
No direito penal brasileiro, admite-se a compensação de culpas no caso de duas ou 
mais pessoas concorrerem culposamente para a produção de um resultado naturalísti-
co, respondendo cada um, nesse caso, na medida de suas culpabilidades.
( ) Certo ( ) Errado
179. (CESPE - 2014) Todo crime qualificado pelo resultado é um crime preterdoloso.
( ) Certo ( ) Errado
180. (CESPE - 2014) Julgue o item seguinte, relativo a fundamentos do direito penal.
Considere a seguinte situação hipotética. Ricardo, com o objetivo de matar Maurício, 
detonou, por mecanismo remoto, uma bomba por ele instalada em um avião comercial 
a bordo do qual sabia que Maurício se encontrara, e, devido à explosão, todos os pas-
sageiros a bordo da aeronave morreram. Nessa situação hipotética, Ricardo agiu com 
dolo direto de primeiro grau no cometimento do delito contra Maurício e dolo direto de 
segundo grau no do delito contra todos os demais passageiros do avião.
( ) Certo ( ) Errado
181. (CESPE - 2014) Julgue o item subsequente, relativo ao direito penal.
Age com dolo eventual o agente que prevê possíveis resultados ilícitos decorrentes da 
sua conduta, mas acredita que, com suas habilidades, será capaz de evitá-los.
( ) Certo ( ) Errado
182. (CESPE - 2014) Quanto às penas, à tipicidade, à ilicitude e aos elementos e espécies da infração 
penal, julgue o item a seguir.
Ocorre crime preterdoloso quando o agente pratica dolosamente um fato do qual de-
corre um resultado posterior culposo. Para que o agente responda pelo resultado pos-
terior, é necessário que este seja previsível.
( ) Certo ( ) Errado
183. (CESPE - 2013) No que concerne às posições existentes na teoria do delito.
É possível a punição a título de culpa mesmo se o resultado não tenha sido previsto 
pelo agente.
( ) Certo ( ) Errado
184. (CESPE - 2013) No que se refere aos institutos e às teorias que embasam a parte geral do Có-
digo Penal, julgue o item seguinte.
No caso de, apesar de sua vontade não se dirigir à realização de determinado resulta-
do previsto, o agente aceitar e assumir o risco de causá-lo, restará configurado o dolo 
eventual, espécie de dolo indireto ou indeterminado.
( ) Certo ( ) Errado
185. (CESPE - 2013) Em relação ao direito penal, julgue o item.
A combinação entre o dolo, no crime precedente, e dolo eventual, no consequente, é 
fundamental para a caracterização dos crimes preterdolosos.
( ) Certo ( ) Errado
489
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
186. (CESPE - 2013) Em relação ao direito penal, julgue o item subsecutivo.
Em se tratando de culpa consciente, o agente prevê o resultado, mas não seimporta 
que ele venha a ocorrer.
( ) Certo ( ) Errado
187. (CESPE - 2013) No que concerne a infração penal, fato típico e seus elementos, formas consu-
madas e tentadas do crime, culpabilidade, ilicitude e imputabilidade penal, julgue o item 
que se segue.
A culpa inconsciente distingue-se da culpa consciente no que diz respeito à previsão 
do resultado: na culpa consciente, o agente, embora prevendo o resultado, acredita 
sinceramente que pode evitá-lo; na culpa inconsciente, o resultado, embora previsível, 
não foi previsto pelo agente.
( ) Certo ( ) Errado
188. (CESPE - 2013) Nos crimes culposos, é dispensável a produção do resultado naturalístico invo-
luntário.
( ) Certo ( ) Errado
189. (CESPE - 2011) Em relação aos crimes impossível, doloso, culposo e preterdoloso
O delito preterdoloso ocorre quando o agente quer praticar um crime e, por exces-
so, produz culposamente um resultado mais grave que o desejado inicialmente, como 
ocorre, invariavelmente, no delito de latrocínio.
( ) Certo ( ) Errado
Com referência aos delitos dolosos e culposos.
190. (CESPE - 2011) Caracteriza culpa imprópria por assimilação, extensão ou equiparação o fato de 
o agente responder por crime doloso embora tenha praticado a ação com culpa consciente, 
nos casos de erro vencível, nas descriminantes putativas.
( ) Certo ( ) Errado
191. (CESPE - 2011) A culpa inconsciente distingue-se da consciente no que diz respeito à previsão 
do resultado: naquela, este, embora previsível, não é previsto pelo agente; nesta, o resul-
tado é previsto, mas o agente acredita sinceramente que não será responsabilizado, por 
confiar em suas habilidades pessoais.
( ) Certo ( ) Errado
192. (CESPE - 2011) Com referência aos delitos dolosos e culposos, julgue o item seguinte.
O dolo direto classifica-se em alternativo e eventual: o primeiro ocorre quando o as-
pecto volitivo do agente se encontra direcionado de maneira alternativa em relação 
ao resultado ou à vítima; o segundo, quando o agente, embora não querendo praticar 
diretamente a infração penal, assume o risco de produzir o resultado que por ele já 
havia sido previsto e aceito.
( ) Certo ( ) Errado
490 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
193. (CESPE - 2011) Com referência aos delitos dolosos e culposos.
Caracteriza-se como imprudência a conduta positiva praticada pelo agente que, por 
não observar o dever de cuidado, causa o resultado lesivo que lhe era previsível; como 
negligência, o ato de deixar de fazer o que a diligência normal impõe; e como imperícia, 
a inaptidão permanente, ou seja, não momentânea, do agente para o exercício de arte, 
profissão ou ofício.
( ) Certo ( ) Errado
194. (TRT 3R - 2009) José, estudante de curso de pós-graduação em Direito, estava dirigindo um 
automóvel por uma estrada, quando percebeu, à sua direita, um ciclista. Apesar de ter 
verificado a possibilidade de ocorrência de atropelamento, José não reduziu a velocidade 
e pensou: “existe risco de atropelamento, mas sou muito hábil no volante e não haverá 
acidente”. Na hipótese de vir a matá-lo, responde por homicídio culposo, na modalidade 
culpa consciente.
( ) Certo ( ) Errado
195. (FCC - 2009) Se diante de um determinado fato delitivo, verificar-se que há dolo na conduta 
inicial e culpa no resultado final, pode-se dizer que se configurou crime: 
a) Doloso puro.
b) Preterdoloso.
c) Doloso misto.
d) Culposo misto.
e) Doloso alternativo.
196. (CESPE - 2004) No item seguinte, é apresentada uma situação hipotética, seguida de uma 
assertiva a ser julgada.
Fernando trabalhava em um circo como atirador de facas. Em uma de suas apresenta-
ções, deveria atirar uma faca em uma maçã localizada em cima da cabeça de Mércia. 
Acreditando sinceramente que não lesionaria Mércia, em face de sua habilidade profis-
sional, atirou a faca. Com tal conduta, lesionou levemente o rosto da vítima, errando o 
alvo inicial. 
Nessa situação, Fernando praticou lesão corporal dolosa de natureza leve, na modali-
dade dolo eventual.
( ) Certo ( ) Errado
197. (CESPE - 2002) A respeito do direito administrativo e do direito penal, julgue o item abaixo. 
Considere a seguinte situação hipotética. 
Márcia resolveu disputar corrida de automóveis no centro de uma cidade, em ruas com 
grande fluxo de veículos e pedestres. Ela anteviu que a corrida poderia causar acidente 
com consequências graves, mas, mesmo assim, assumiu o risco. De fato, Márcia, ao 
perder o controle do automóvel, acabou matando uma pessoa, em decorrência de atro-
pelamento.
Nessa situação, houve o elemento subjetivo que se conhece como dolo eventual, de 
modo que, se esses fatos fossem provados, Márcia deveria ser julgada pelo tribunal do júri.
( ) Certo ( ) Errado
491
NOÇÕES DE DIREITO PENAL
ERRO DE TIPO, DE PROIBIÇÃO E DESCRIMINANTES PUTATIVAS (ARTS. 20 E 21)
198. (CESPE - 2016) Em relação ao direito penal, julgue o item a seguir.
A culpa imprópria ocorre nas hipóteses de descriminantes putativas em que o agente, 
em virtude de erro evitável pelas circunstâncias, dá causa dolosamente a um resultado, 
mas responde como se tivesse praticado um delito culposo.
( ) Certo ( ) Errado
199. (CESPE - 2016) Com base no Código Penal e na jurisprudência dos tribunais superiores, julgue 
o item a seguir, a respeito dos crimes contra a administração pública.
O agente público que ordena despesa sem o conhecimento de que tal despesa não era 
autorizada por lei incide em erro de proibição.
( ) Certo ( ) Errado
200. (CESPE - 2016) Em relação ao fato típico e aos elementos do crime, julgue o item que se segue.
É considerado erro evitável, capaz de reduzir a pena, aquele em que o agente atue ou se 
omita sem a consciência da ilicitude do fato, quando lhe era possível, nas circunstâncias, 
ter ou atingir essa consciência.
( ) Certo ( ) Errado
Assustado pelo atual contexto da criminalidade, um pequeno empresário, no dia do pagamento do 
salário aos funcionários, estando em mãos com vinte mil reais, constata o ingresso de dois rapazes 
no escritório e supõe tratar-se de um iminente assalto, reagindo com três letais tiros de revólver 
em cada um deles. Comprova-se, depois, que os rapazes tinham ido ao escritório em busca de 
emprego e não para assaltar.
Tomando como base o excerto acima, julgue os itens subsequentes, acerca do erro em matéria penal.
201. (MPE/RS - 2016) Para a legislação penal brasileira, o erro sobre a existência de iminente agres-
são, no qual o empresário incorreu, excluiria a tipicidade dolosa dos dois homicídios.
( ) Certo ( ) Errado
202. (MPE/RS - 2016) A teoria limitada da culpabilidade trata como erro de proibição somente o erro 
que recai sobre os limites de uma causa de justificação penal.
( ) Certo ( ) Errado
203. (CESPE - 2015) A respeito do direito penal, julgue o item a seguir.
O erro de proibição pode ser direto — o autor erra sobre a existência ou os limites da 
proposição permissiva —, indireto — o erro do agente recai sobre o conteúdo proibitivo 
de uma norma penal — e mandamental — quando incide sobre o mandamento referen-
te aos crimes omissivos, próprios ou impróprios.
( ) Certo ( ) Errado
204. (CESPE - 2014) Julgue a seguinte assertiva no que se refere às hipóteses de aberratio ictus, erro 
e causas excludentes de ilicitude e de culpabilidade.
O erro de proibição pode incidir sobre a existência e a validade da lei penal, mas não 
sobre sua interpretação.
( ) Certo ( ) Errado
492 NOÇÕES DE DIREITO PENAL
205. (CESPE - 2014) Aquele que porta carteira nacional de habilitação falsa, acreditando ser ela um 
documento legítimo, não pratica o delito de uso de documento falso, uma vez que incide 
em erro de tipo acidental.
( ) Certo

Outros materiais