Buscar

BIOQUIMICA APLICADA ATIVIDADE CONTEXTUALIZADA

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

ATIVIDADE CONTEXTUALIZADA
Rejane da Costa Genovês
01470196
Farmácia
São vários os fatores que a afetam o aumento da concentração de etanol (álcool) no sangue. O estomago vazio faz a taxa de elevação ser maior, uma vez que outros alimentos ajudariam a diluir e reter temporariamente o álcool, diminuindo seu ritmo de absorção pelo sangue.
Quando não nos alimentamos normalmente os níveis de glicogênio hepático diminuem ou até mesmo desaparecem, mas a glicose permanece sendo fabricada pelo fígado, a partir das proteínas dos músculos, razão pelo qual emagrecemos. Entretanto, até pode ser inibido pela ingestão exagerada de álcool e gerando um quadro de como hipoglicemia. A bebida alcoólica quando ingerida, aparte do álcool é absorvida pela mucosa estomacal, mas a maior parte entra na corrente sanguínea através do intestino delgado. Pelo fato de o álcool ser muito solúvel em água, distribui se rapidamente pelo sangue para toda parte do corpo.
Por meio da oxidação no fígado o álcool é removido do sangue uma mínima quantidade não é metabolizada e é expelida pela respiração e pelo suor ou pela urina. Os efeitos colaterais variam muito, de pessoa a pessoa. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas resulta em desidratação da atividade do fígado. Em resumo a ressaca acontece devido ao aumento da concentração de álcool no sangue e faz com que o fígado não seja capaz de metabolizar todo álcool consumido e que o rim seja incapaz de filtrar essa substância para que seja eliminada na urina. 
Sobre os riscos do consumo de álcool, a legislação brasileira estabelece que uma pessoa está incapacitada para dirigir com segurança se tiver uma concentração de álcool no sangue superior a 0,8g/L. Para ser verificado é feito o teste de bafômetro, onde é feito a detectação exatamente pelo ar, seu princípio de funcionamento baseia se em reações de oxidorredução. É usado por policiais um bafômetro baseado no princípio da pilha de combustível, porque haverá a combustão incompleta do etanol. A pessoa sopra através de um tubo descartável e o etanol expirado é oxidado em meio ácido sobre um disco plástico poroso coberto com pó de platina (catalisador) e umedecido com ácido sulfúrico, sendo um eletrodo conectado a cada lado desse disco poroso.
No eletrodo negativo (ânodo) ocorre a oxidação (catalisada pela platina):
CH3CH2OH(g) → CH3CHO(g) + 2H+ (aq) + 2e–
No eletrodo positivo (cátodo) ocorre a redução do oxigênio (contido no ar):
½O2(g) + 2H+(aq) + 2e- → H2O(l)
A equação completa da pilha será, então, a seguinte:
CH3CH2OH(g) + ½O2(g) → CH3CHO(g) + H2O(l)
REFERENCIAS 
https://mundoeducacao.uol.com.br/curiosidades/lei-seca.htm
http://vias-seguras.com/comportamentos/acoes_contra_o_alcool/lei_11_705_proibicao_do_alcool
BRAATHEN, P.C. Hálito. Culpado. O princípio químico do bafômetro. Química Nova na Escola, n. 5, p. 3-5, 1997
STRYER, L.; TYMOCZKO, J. L.; BERG, J. M. Bioquímica. 7° Edição – Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. Acesso em 28 de Fevereiro 2021.
VIERA, J. Metabolismo do etanol. Tese (Mestre em Ciências Farmacêuticas) – Universidade Fernando Pessoa, Faculdade Ciências da Saúde. Porto, p. 70. 2012. Acesso em 28 de Fevereiro 2021.