Buscar

Livro Digital de Legislação e Rotina Trabalhista e Previdenciária

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 119 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 119 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 119 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

LEGISLAÇÃO E ROTINA 
TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA
Legislação e Rotina Trabalhista e Previdenciária
Diego Muniz Pinto Diego Muniz Pinto 
GRUPO SER EDUCACIONAL
gente criando o futuro
As relações de trabalho e a previdência social são pilares da vida dos brasileiros. A 
disciplina de Legislação e Rotina Trabalhista e Previdenciária abrange os principais 
temas e aspectos relativos ao Direito, convidando o aluno a conhecer, compreender, 
analisar e identi� car, de forma crítica, os recursos fundamentais da normatização da 
lei aplicada no dia a dia, permitindo a re� exão sobre o papel e a importância dessas 
ciências para a organização da sociedade.
Serão explanados seus princípios e características fundamentais, esquadrinhando 
seus dispositivos legais e contextos históricos, além das reformas mais recentes e o 
impacto que tais mudanças � zeram na forma como esses ramos jurídicos são inter-
pretados, sempre tendo, como base, as teorias e doutrinas acadêmicas majoritárias, 
com exercícios e exemplos práticos. 
LEGISLAÇÃO E ROTINA 
TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA
Capa_SER_DIRE_LRTP.indd 1,3 19/01/2021 12:56:51
© Ser Educacional 2020
Rua Treze de Maio, nº 254, Santo Amaro 
Recife-PE – CEP 50100-160
*Todos os gráficos, tabelas e esquemas são creditados à autoria, salvo quando indicada a referência.
Informamos que é de inteira responsabilidade da autoria a emissão de conceitos. 
Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida por qualquer meio 
ou forma sem autorização. 
A violação dos direitos autorais é crime estabelecido pela Lei n.º 9.610/98 e punido pelo 
artigo 184 do Código Penal.
Imagens de ícones/capa: © Shutterstock
Presidente do Conselho de Administração 
Diretor-presidente
Diretoria Executiva de Ensino
Diretoria Executiva de Serviços Corporativos
Diretoria de Ensino a Distância
Autoria
Projeto Gráfico e Capa
Janguiê Diniz
Jânyo Diniz 
Adriano Azevedo
Joaldo Diniz
Enzo Moreira
Diego Muniz Pinto 
DP Content
DADOS DO FORNECEDOR
Análise de Qualidade, Edição de Texto, Design Instrucional, 
Edição de Arte, Diagramação, Design Gráfico e Revisão.
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 2 13/01/2021 13:37:08
Boxes
ASSISTA
Indicação de filmes, vídeos ou similares que trazem informações comple-
mentares ou aprofundadas sobre o conteúdo estudado.
CITANDO
Dados essenciais e pertinentes sobre a vida de uma determinada pessoa 
relevante para o estudo do conteúdo abordado.
CONTEXTUALIZANDO
Dados que retratam onde e quando aconteceu determinado fato;
demonstra-se a situação histórica do assunto.
CURIOSIDADE
Informação que revela algo desconhecido e interessante sobre o assunto 
tratado.
DICA
Um detalhe específico da informação, um breve conselho, um alerta, uma 
informação privilegiada sobre o conteúdo trabalhado.
EXEMPLIFICANDO
Informação que retrata de forma objetiva determinado assunto.
EXPLICANDO
Explicação, elucidação sobre uma palavra ou expressão específica da 
área de conhecimento trabalhada.
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 3 13/01/2021 13:37:08
Unidade 1 - Direito material do trabalho: apresentação, características e fundamentos 
Objetivos da unidade ........................................................................................................... 12
A norma trabalhista: CLT e reforma trabalhista .............................................................. 13
Fontes do Direito do Trabalho........................................................................................ 13
Reforma trabalhista ......................................................................................................... 17
Contrato individual de trabalho ......................................................................................... 19
Jornada de trabalho ........................................................................................................ 22
Remuneração e salário .................................................................................................. 25
Estabilidade no emprego, FGTS e sucessão ............................................................... 26
Noções de responsabilidade civil: danos materiais e danos morais ........................ 32
Sintetizando ........................................................................................................................... 36
Referências bibliográficas ................................................................................................. 37
Sumário
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 4 13/01/2021 13:37:08
Sumário
Unidade 2 - Direito Processual do Trabalho: organização, fundamentos e princípios
Objetivos da unidade ........................................................................................................... 39
Organização e funcionamento da Justiça do Trabalho no Brasil ............................... 40
Organização histórica da Justiça do Trabalho ........................................................... 41
Composição da Justiça do Trabalho ............................................................................ 43
Princípios gerais do Direito processual trabalhista ..................................................... 47
Princípios informativos ................................................................................................... 48
Princípio fundamentais ................................................................................................... 48
Princípios comuns ao Direito processual civil e trabalhista .................................... 54
Sintetizando ........................................................................................................................... 65
Referências bibliográficas ................................................................................................. 66
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 5 13/01/2021 13:37:08
Sumário
Unidade 3 - Regime geral de Previdência Social
Objetivos da unidade ........................................................................................................... 68
Regime geral de Previdência Social ................................................................................ 69
Princípios norteadores da previdência social ............................................................ 70
Regime próprio de Previdência Social ........................................................................ 73
Previdência privada ........................................................................................................ 74
Custeio da Previdência Social .......................................................................................... 77
Contribuintes obrigatórios ............................................................................................. 79
Contribuintes facultativos .............................................................................................. 84
Contribuições dos servidores públicos e inativos ..................................................... 84
Benefícios previdenciários ................................................................................................ 85
Aposentadoria por idade e a Reforma Previdenciária .............................................. 85
Benefícios previdenciários ............................................................................................ 86
As principais alterações nos benefícios previdenciários após a Emenda 
Constitucional nº 103/2019 ............................................................................................90
Sintetizando ........................................................................................................................... 91
Referências bibliográficas ................................................................................................. 92
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 6 13/01/2021 13:37:08
Sumário
Unidade 4 – Regime geral de Previdência Social
Objetivos da unidade .......................................................................................................95
Rotinas trabalhistas ......................................................................................................... 96
Admissão e registro de empregados ........................................................................... 97
Salário e remuneração ................................................................................................... 99
Medicina e segurança do trabalho ........................................................................... 103
Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) ............................................ 104
Exames médicos ocupacionais ................................................................................... 106
Acidentes de trabalho .................................................................................................. 107
Rotina previdenciária ...................................................................................................... 109
Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT)..................................................... 109
Salário-família ................................................................................................................ 111
Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) .............................. 112
Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ..................................................... 113
Sintetizando ....................................................................................................................... 116
Referências bibliográficas ............................................................................................. 117
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 7 13/01/2021 13:37:08
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 8 13/01/2021 13:37:08
As relações de trabalho e a previdência social são pilares da vida dos brasi-
leiros. A disciplina de Legislação e Rotina Trabalhista e Previdenciária abrange 
os principais temas e aspectos relativos ao Direito, convidando o aluno a co-
nhecer, compreender, analisar e identifi car, de forma crítica, os recursos fun-
damentais da normatização da lei aplicada no dia a dia, permitindo a refl exão 
sobre o papel e a importância dessas ciências para a organização da sociedade.
Serão explanados seus princípios e características fundamentais, esquadri-
nhando seus dispositivos legais e contextos históricos, além das reformas mais 
recentes e o impacto que tais mudanças fi zeram na forma como esses ramos 
jurídicos são interpretados, sempre tendo, como base, as teorias e doutrinas 
acadêmicas majoritárias, com exercícios e exemplos práticos. 
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 9
Apresentação
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 9 13/01/2021 13:37:08
Para Sara, minha companheira de sempre e para sempre. Este trabalho 
não seria possível sem seu apoio e amor. 
O professor Diego Muniz Pinto é Ba-
charel em Direito pela Universide Pau-
lista – UNIP desde novembro de 2017, 
e membro da Ordem dos Advogados 
do Brasil – OAB desde março de 2018. 
Atuou como advogado em escritórios 
de grande renome nacional no anos se-
guintes, além de ter escrito artigos jurí-
dicos para diversas revistas eletrônicas.
Currículo Lattes:
http://lattes.cnpq.br/6651922994475025
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 10
O autor
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 10 13/01/2021 13:37:09
DIREITO MATERIAL 
DO TRABALHO: 
APRESENTAÇÃO, 
CARACTERÍSTICAS E 
FUNDAMENTOS
1
UNIDADE
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 11 13/01/2021 13:37:27
Objetivos da unidade
Tópicos de estudo
 Apresentar a origem histórica do Direito do Trabalho;
 Compreender as definições, conteúdo e função do Direito do Trabalho;
 Desenvolver senso crítico na observação de exemplos de casos concretos.
 A norma trabalhista: CLT e refor-
ma trabalhista
 Fontes do Direito do Trabalho
 Reforma trabalhista
 Contrato individual de trabalho
 Jornada de trabalho
 Remuneração e salário
 Estabilidade no emprego, 
FGTS e sucessão
 Noções de responsabilidade 
civil: danos materiais e danos 
morais
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 12
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 12 13/01/2021 13:37:27
A norma trabalhista: CLT e reforma trabalhista
A norma trabalhista é um ramo jurídico especializado em regular as rela-
ções laborativas no dia a dia da sociedade. A CLT é a principal fonte positivada 
de normas trabalhistas, e vem sendo atualizada ano após ano, dado que novas 
relações de trabalho se compõem em decorrência dos avanços tecnológicos, 
razão pela qual a forma de interpretar tal ordenamento jurídico necessita de 
evolução. Dessa forma, é fundamental iniciar os estudos com a apresentação 
das características essenciais, panoramas históricos, princípios e o signifi cado 
que essas mudanças tiveram na sociedade.
Natureza jurídica do Direito do Trabalho
Para entender a norma trabalhista, é necessário, primeiro, compreender 
sua natureza jurídica. A divisão tradicionalista do direito supõe dois ramos; 
um voltado para a organização do Estado, conhecido como Direito Público, e 
um ramo dedicado à regulamentação dos interesses particulares, ou Direito 
Privado. Embora seja possível observar, no Direito do Trabalho, diversas ca-
racterísticas imprescindíveis, não é possível afi rmar que se trata de um ramo 
do Direito Público, visto que não regula os interesses do Estado. Portanto, há 
sim uma regulamentação do Estado para proteção das relações entre particu-
lares. Em suma, a norma trabalhista é um ramo do Direito Privado, cujo foco 
é o contrato de trabalho.
Fontes do Direito do Trabalho
As fontes do Direito são tema central das ciências jurídicas, por estudar a 
forma como as normas se exteriorizam, e discutir as induções que levam ao 
seu surgimento. No Direito do Trabalho isso não é diferente, já que suas fontes, 
além de explanarem os mecanismos que impulsionam o surgimento de suas 
leis, também são elementos diferenciadores de outras matérias jurídicas. 
• Fontes materiais: o momento pré-jurídico da norma, quando ela ainda 
não está positivada, tirar representa todos os elementos externos que infl uen-
ciam seu surgimento, tais como fatores sociais, econômicos, históricos, políti-
cos e fi losófi cos, como, por exemplo, a pressão exercida por trabalhadores em 
busca de melhores condições de trabalho;
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 13
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 13 13/01/2021 13:37:27
CURIOSIDADE
As fontes materiais do Direito do Trabalho estão intimamente ligadas à Revolução 
Industrial, no século XVIII, e à consolidação do sistema capitalista. As fontes mate-
riais econômicas surgem com o nascimento do modelo de produção em série em 
detrimento do modelo manufaturado anterior, enquanto as fontes materiais sociais 
dizem respeito à mudança de vida nas grandes cidades do período, com migra-
ções em massa do campo para as áreas urbanas, gerando superpopulação, o que 
está atrelado ao fato do modelo de trabalho ter mudado drasticamente. 
• Fontes formais: a norma jurídica já constituída, ou positivada, contida em leis 
escritas e vigentes. Em outras palavras, trata-se da exteriorização da norma, uma 
materialização que cria efeitos jurídicos no mundo e tem como objetivo estudar os 
mecanismos pelos quais o Direito se manifesta e se revela;
• Fontes supletivas: a norma positivada carece de suplementos, pois é incapaz 
de observar todas as situações sociais, o que leva à existência de lacunas na ordem 
jurídica, que precisam ser sanadas para que haja a conclusão das demandas envia-
das ao judiciário. Tais fontes são:
o A analogia, quando há aplicação de uma lei existente para a exata 
hipótese de um caso semelhante, não prevista de modo direto por uma 
norma jurídica;
o As jurisprudências, que consistem no conjunto de reiteradas decisões 
dos tribunais acerca de determinada matéria; 
o Os princípios gerais do Direito, cujos enunciados normativos genéricos 
condicionam e orientam a aplicação e a criação de novas normas jurídicas; 
o Oscostumes, que são práticas e/ou regras sociais reiteradas de forma 
prolongada, que criam uma convicção de obrigatoriedade de acordo com a 
cultura específica de determinada sociedade;
o Direito Comparado, que nada mais é do que o estudo de ordenamentos 
jurídicos de outros países, como base para a interpretação de uma norma.
Princípios do Direito do Trabalho
Princípios, na definição retirada da página 171 do livro Curso de Direito do Traba-
lho, de Maurício Godinho Delgado, são:
[...] proposições fundamentais que se formam na consciência das pes-
soas e grupos sociais, a partir de certa realidade, e que, após formadas, 
direcionam-se à compreensão, reprodução ou recriação da realidade.
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 14
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 14 13/01/2021 13:37:27
Logo, os princípios do Direito do Trabalho são ideias norteadoras de como 
interpretar e atuar nessa ciência jurídica específi ca. Os mais importantes, con-
forme a doutrina majoritária, estão descritos no Quadro 1.
Princípio Descrição
Princípio da proteção
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Princípio da norma mais favorável
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
Princípio da imperatividade das normas 
trabalhistas
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
Princípio da condição mais benéfi ca
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
ao obreiro. 
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
Princípio da proteçãoPrincípio da proteçãoPrincípio da proteçãoPrincípio da proteção
Princípio da norma mais favorável
Princípio da proteção
Princípio da norma mais favorável
Princípio da proteção
Princípio da norma mais favorável
Princípio da proteção
Princípio da norma mais favorávelPrincípio da norma mais favorávelPrincípio da norma mais favorável
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
Princípio da norma mais favorável
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
Princípio da norma mais favorável
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
Princípio da norma mais favorável
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
Princípio da norma mais favorável
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
Princípio da norma mais favorável
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
Tem como fundamento a proteção à parte 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
mais vulnerável e hipossufi ciente da relação 
empregatícia. As normas trabalhistas têm, 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
contratuais trabalhistas. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
como base, resguardar o obreiro, atenuando 
a desigualdade que existe nas relações 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhadorquando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
Dispõe que deve ser aplicada a norma mais 
favorável ao trabalhador quando estiverem 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de 
alguma norma jurídica. 
elaborando a norma, ou houver confronto 
entre duas normas e/ou na interpretação de entre duas normas e/ou na interpretação de 
Princípio da imperatividade das normas Princípio da imperatividade das normas Princípio da imperatividade das normas Princípio da imperatividade das normas Princípio da imperatividade das normas 
trabalhistas
Princípio da imperatividade das normas 
trabalhistas
Princípio da imperatividade das normas 
trabalhistas
Princípio da indisponibilidade dos
Princípio da imperatividade das normas 
trabalhistas
Princípio da indisponibilidade dos
Princípio da imperatividade das normas 
Princípio da indisponibilidade dos
Princípio da imperatividade das normas 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Princípio da imperatividade das normas 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Princípio da imperatividade das normas 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
Princípio da indisponibilidade dos
direitos trabalhistas
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
Princípio da indisponibilidade dos
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
Versa sobre a dominância das normas 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
jurídicas obrigatórias em face de normas 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
contratuais trabalhistas. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
apenas dispositivas. Ao contrário do disposto 
na área cível, há restrição de autonomia 
de vontade nos ajustes das condições 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
Os direitos trabalhistas são irrenunciáveis, e a 
norma trabalhista possui caráter imperativo, 
visto que são normas de ordem pública e 
não são modifi cadas pelo empregador nem 
dispostas pelo trabalhador. 
não são modifi cadas pelo empregador nem não são modifi cadas pelo empregador nem 
Princípio da condição mais benéfi caPrincípio da condição mais benéfi caPrincípio da condição mais benéfi caPrincípio da condição mais benéfi caPrincípio da condição mais benéfi caPrincípio da condição mais benéfi caPrincípio da condição mais benéfi ca
Princípio da inalterabilidade
Princípio da condição mais benéfi ca
Princípio da inalterabilidade
Princípio da condição mais benéfi ca
Princípio da inalterabilidade
Princípio da condição mais benéfi ca
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
Princípio da condição mais benéfi ca
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
contratual lesivaPrincípio da inalterabilidade
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
contratual lesiva
Princípio da inalterabilidade
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Princípio da inalterabilidade
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
ao obreiro. 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
ao obreiro. 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
ao obreiro. 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
As cláusulas contratuais mais vantajosas 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
para o trabalhador devem prevalecer, pois 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
são comparadas a direito adquirido, como no 
art. 5º, inciso XXXVI da Constituição Federal 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
de 1988. Quando houver dúvidas sobre qual 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveisao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
norma se aplicar, aplica-se a mais favorável 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
Tal princípio versa sobre a impossibilidade 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
de alterar contratos de trabalho que sejam 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
empregado são possíveis e bem vindas. 
alterações que sejam benéfi cas ao 
desfavoráveis ao trabalhador. Entretanto, 
empregado são possíveis e bem vindas. empregado são possíveis e bem vindas. 
QUADRO 1. PRINCÍPIOS DO DIREITO DO TRABALHO
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 15
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 15 13/01/2021 13:37:28
Princípio da intangibilidade salarial
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
Princípio da primazia da realidade sobre a 
forma
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
relação de trabalho. 
Princípio da continuidade da relação de 
emprego
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
Princípio da intangibilidade salarialPrincípio da intangibilidade salarialPrincípio da intangibilidade salarialPrincípio da intangibilidade salarialPrincípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da intangibilidade salarial
Princípio da primazia da realidade sobre a 
forma
Princípio da primazia da realidade sobre a 
forma
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da continuidade da relação de 
Princípio da primazia da realidade sobre a 
forma
Princípio da primazia da realidade sobre a 
forma
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da continuidade da relação de 
Princípio da primazia da realidade sobre a 
forma
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da continuidade da relação de 
emprego
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Princípio da primazia da realidade sobre a 
Princípio da continuidade da relação de 
emprego
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Princípio da continuidade da relação de 
emprego
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimentoefetivo da realidade dos fatos e não eventual 
forma construída que vá contra a verdade, na 
Princípio da continuidade da relação de 
emprego
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
Princípio da continuidade da relação de 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
Uma vez que o salário possui caráter 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
alimentar simbólico, é considerado essencial 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
garantias de preservação do valor e da 
à subsistência humana. Esse princípio dá 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantiasde preservação do valor e da 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
garantias de preservação do valor e da 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
disponibilidade salarial ao trabalhador.
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
relação de trabalho. 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
Versa sobre o dever de prevalecimento 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
relação de trabalho. 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
efetivo da realidade dos fatos e não eventual 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
qual se ignora a disposição contratual para 
forma construída que vá contra a verdade, na 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
examinar o que ocorreu efetivamente na 
qual se ignora a disposição contratual para 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
Tem como objetivo preservaro contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
da relação de emprego.
indeterminado, o que garante a continuidade 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
Tem como objetivo preservar o contrato de 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
trabalho, presumindo a contratação por prazo 
indeterminado, o que garante a continuidade 
Origem histórica da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT)
Estabelecida pelo Decreto-lei nº 
5452, de 1º de maio de 1943, a Conso-
lidação das Leis do Trabalho (CLT) tem 
sua origem no Estado Novo, período 
que durou de 1937 a 1945 no País. 
Durante seu governo, Getúlio Vargas 
instituiu mudanças modernizadoras 
no país, como a criação do Ministério do Trabalho, a lei da sindicalização e a 
fi xação de um salário mínimo. Seu objetivo era angariar apoio popular, razão 
pela qual houve tantos avanços na legislação trabalhista na época. 
Em virtude das modificações constitucionais ao longo dos anos, no Bra-
sil, muitas mudanças foram feitas no entendimento e aplicação da CLT. A 
atual Constituição, de 1988, por exemplo, já arrola os direitos sociais dos 
empregados urbanos e rurais, além de outros que visam à melhoria de 
suas condições sociais, reforçando a importância histórica da evolução de 
tal ordenamento jurídico no Brasil, posto que tais direitos não estão con-
tidos apenas em lei ordinária, e sim constituem uma cláusula pétrea da 
Carta Magna. Desse modo, os direitos trabalhistas não são abolidos nem 
reduzidos por emenda constitucional. 
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 16
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 16 13/01/2021 13:37:33
Reforma trabalhista
Sancionada por Michel Temer, a reforma trabalhista, ou lei 13467, de 13 de ju-
nho de 2017, teve, como objetivo, alterar a CLT de modo a adequar a legislação às 
novas relações de trabalho. Dessa forma, a CLT sofreu sua maior e mais signifi -
cativa alteração desde 1943, com um total de 106 modifi cações em seus artigos.
Muitas destas alterações, em especial a que consubstancia a prevalência 
do negociado sobre o legislado, têm refl exos signifi cativos na própria estrutura 
do Direito do Trabalho. Como visto no Quadro 1, o princípio da irrenunciabili-
dade foi mitigado pela Reforma, pois ela ampliou a autonomia individual do 
trabalhador ao lhe dar a chance de negociar com o empregador os termos de 
seu contrato de trabalho, em detrimento ao que está disposto nas normas tra-
balhistas, negociando condições de trabalho menos benéfi cas em comparação 
com os direitos trabalhistas vigentes.
Entretanto, vale ressaltar que tal mudança só se realiza em co-
mum acordo entre as partes, razão pela qual o princípio continua 
tendo sua importância, uma vez que o empregador não 
pode, unilateralmente, alterar o disposto na relação 
de trabalho prevista em lei. Tal alteração, defi nitiva-
mente, coloca o Direito do Trabalho como um ramo 
do Direito Privado, uma vez que o caráter imperativo 
já explicado agora fi ca em segundo plano. 
Contrato individual de trabalho
Contratos são acordos tácitos ou expressos entre duas ou mais partes, 
que ajustam uma série de obrigações a serem realizadas, e direitos a serem 
garantidos mutualmente. No Direito do Trabalho se notam certas particula-
ridades, que diferem da noção civilista de contrato, como no fato de que não 
há uma livre vontade, por parte do trabalhador, em negociar os termos de seu 
contrato de trabalho, sendo um exemplo de “contrato de adesão”.
Tendo isso em vista, a CLT criou uma série de parâmetros em seus arti-
gos, visando resguardar direitos dos trabalhadores e respeitar princípios, 
para que não haja uma extrapolação prejudicial por parte dos empregado-
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 17
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd 17 13/01/2021 13:37:33
res. Dessa maneira, há que se verificar os aspectos e definições dos con-
tratos individuais de trabalho, analisando os artigos mais relevantes para o 
entendimento da matéria. 
Definição de contrato individual de trabalho
Um contrato individual de trabalho é aquele que possui apenas um único 
empregado no polo ativo da relação contratual, sendo o termo individual se 
tratando apenas do trabalhador e não dos empregadores, conforme entendi-
mento, na Súmula 129, do Tribunal Superior do Trabalho.
A prestação de serviços a mais de uma empresa do mesmo gru-
po econômico, durante a mesma jornada de trabalho, não ca-
racteriza coexistência de mais de um contrato de trabalho, salvo 
ajuste em contrário.
Os contratos de trabalho são divididos em dois tipos: por tempo indetermina-
do e por tempo determinado, de acordo com o tempo estipulado ou não para o 
findar de seus termos. Os contratos por tempos indeterminado são aqueles que 
não possuem cláusula ou termo que determine período ou prazo que o extinga.
É importante ressaltar que todo contrato de trabalho, que não possuir ex-
pressamente cláusula de término, possui presunção jurídica de contratação 
trabalhista. Ou seja, se há uma relação de trabalho, ela é presumida como por 
tempo indeterminado, conforme o princípio da continuidade da relação de 
emprego e entendimento da Súmula 212 do TST.
O ônus de provar o término do contrato de trabalho, quando ne-
gados a prestação de serviço e o despendimento, é do empre-
gador, pois o princípio da continuidade da relação de emprego 
constitui presunção favorável ao empregado.
Já os contratos de trabalho por tempo determinado, ou contratos a termo, 
configuram a exceção no ordenamento jurídico trabalhista, só existindo em 
restritas hipóteses. Caso não sejam observadas essas hipóteses, são consi-
derados irregulares. Existem, ao todo, quatro hipóteses para a existência de 
contratos por tempo determinado, três delas estão no artigo 443, §2 da CLT: 
O contrato individual de trabalho poderá ser acordado táci-
ta ou expressamente, verbalmente ou por escrito, por prazo 
determinado ou indeterminado, ou para prestação de traba-
lho intermitente. [...]
LEGISLAÇÃO E ROTINA TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA 18
SER_DIRE_LRTP _UNID1.indd18 13/01/2021 13:37:33
§ 2º O contrato por prazo determinado só será válido em se 
tratando:
a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justif ique a 
predeterminação do prazo;
b) de atividades empresariais de caráter transitório;
c) de contrato de experiência.
Uma quarta hipótese está prevista na lei 9601/98, sobre os contratos provisórios.
Princípio Descrição
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
muro.
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Contratos de experiência
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
surgimento da relação. 
Contratos provisórios
Modalidade que foge do previsto na CLT, em 
que os empregadores podem contratar para 
atividades que não necessariamente são de 
natureza provisória, desde que respeitem o 
previsto em lei. É o caso de trabalhadores de 
fábricas de chocolate em tempos de Páscoa.
Contratos cuja natureza ou transitoriedade Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos de atividades empresariais
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos de atividades empresariais
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos de atividades empresariais
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Contratos cuja natureza ou transitoriedade 
justifi que a predeterminação do prazo
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Contratos de atividades empresariais
de caráter transitório
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Contratos de atividades empresariais
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Contratos de atividades empresariais
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre a atividade empresarial em si e não 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
muro.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
muro.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Sobre uma obra específi ca, como o caso de 
um pedreiro contratado para erguer um 
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
Sobre a atividade empresarial em si e não 
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais 
ou atividades circenses.
sobre o serviço prestado, como a atividade 
da empresa passageira, tais como as que 
funcionam por evento, como feiras industriais funcionam por evento, como feiras industriais funcionam por evento, como feiras industriais 
Contratos de experiênciaContratos de experiênciaContratos de experiênciaContratos de experiênciaContratos de experiênciaContratos de experiênciaContratos de experiência
Contratos provisórios
Contratos de experiência
Contratos provisóriosContratos provisóriosContratos provisóriosContratos provisórios
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
Contratos provisórios
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
Contratos provisórios
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
Modalidade que foge do previsto na CLT, em 
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
surgimento da relação. 
Modalidade que foge do previsto na CLT, em 
que os empregadores podem contratar para 
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
surgimento da relação. 
Modalidade que foge do previsto na CLT, em 
que os empregadores podem contratar para 
atividades que não necessariamente são de 
natureza provisória, desde que respeitem o 
Os mais comuns tipos de contrato a termo 
no cotidiano, podendo ser aplicados 
a praticamente qualquer emprego no 
surgimento da relação. 
Modalidade que foge do previsto na CLT, em 
que os empregadores podem

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes