Buscar

Simulado oab 1 fase

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 66 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 66 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 66 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

•	 Verifique	 se	 seu	 caderno	 está	 completo,	 sem	
repetição	de	questões	ou	falhas.	Caso	contrário,	
notifique	 imediatamente	 o	 Fiscal	 da	 Sala,	 para	
que	sejam	tomadas	as	devidas	providências;
•	 Confira	 seus	 dados	 pessoais,	 especialmente	
nome,	 número	 de	 inscrição	 e	 documento	 de	
identidade	e	leia	atentamente	as	instruções	para	
preencher	o	cartão-resposta;
•	 Use	somente	caneta	esferográfica,	fabricada	em	
material	transparente,	com	tinta	preta	ou	azul;
•	 Assine	 seu	 nome	 apenas	 no(s)	 espaço(s)	
reservado(s);
•	 Confira	sua	cor	e	tipo	do	caderno	de	questões.	
Caso	 tenha	 recebido	 caderno	 de	 cor	 ou	 tipo	
diferente	do	impresso	em	seu	cartão-resposta,	
o	fiscal	deve	ser	obrigatoriamente	informado	
para	o	devido	registro	na	Ata	da	Sala;
•	 Reserve	tempo	suficiente	para	o	preenchimento	
do	seu	material.	O	preenchimento	é	de	sua	res-
ponsabilidade	 e	 não	 será	 permitida	 a	 troca	 do	
cartão-resposta	ou	folha	de	texto	definitivo	em	
caso	de	erro;
•	 Para	fins	de	avaliação,	serão	levadas	em	consi-
deração	apenas	as	marcações	realizadas	no	car-
tão-resposta	e	na	folha	de	texto	definitivo;
•	 Os	 candidatos	 serão	 submetidos	 ao	 sistema	
de	 detecção	 de	 metais	 quando	 do	 ingresso	
e	 da	 saída	 de	 sanitários	 durante	 a	 realização	
das	provas.
• Boa sorte!
FOLHA DE ROSTO ORIENTATIVA PARA PROVA OBJETIVA
LEIA AS ORIENTAÇÕES COM CALMA E ATENÇÃO!
INSTRUÇÕES GERAIS
● Atenção ao tempo de duração da prova, que já inclui o preenchimento da folha de respostas. 
● Cada uma das questões da prova objetiva está vinculada ao comando que imediatamente 
a antecede e contém orientação necessária para resposta. Para cada questão, existe 
apenas UMA resposta válida e de acordo com o gabarito. 
● Faltando uma hora para o término do simulado, você receberá um e-mail para preencher 
o cartão-resposta, a fim de avaliar sua posição no ranking. Basta clicar no botão vermelho 
de PREENCHER GABARITO, que estará no e-mail, ou acessar a página de download da 
prova. Você deve fazer o cadastro em nossa plataforma para participar do ranking. Não se 
preocupe: o cadastro é grátis e muito simples de ser realizado.
– Se a sua prova for estilo Certo ou Errado (CESPE/CEBRASPE): 
marque o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo 
designado com o código E, caso julgue o item ERRADO. Se optar por não responder 
a uma determinada questão, marque o campo “EM BRANCO”. Lembrando que, neste 
estilo de banca, uma resposta errada anula uma resposta certa. 
Obs.: Se não houver sinalização quanto à prova ser estilo Cespe/Cebraspe, apesar de 
ser no estilo CERTO e ERRADO, você não terá questões anuladas no cartão-resposta 
em caso de respostas erradas.
– Se a sua prova for estilo Múltipla Escolha: 
marque o campo designado com a letra da alternativa escolhida (A, B, C, D ou E). É 
preciso responder a todas as questões, pois o sistema não permite o envio do cartão 
com respostas em branco.
● Uma hora após o encerramento do prazo para preencher o cartão-resposta, você receberá um 
e-mail com o gabarito para conferir seus acertos e erros. Caso você seja aluno da Assinatura 
Ilimitada, você receberá, com o gabarito, a prova completa comentada – uma vantagem 
exclusiva para assinantes, com acesso apenas pelo e-mail e pelo ambiente do aluno.
● Não serão realizadas correções individuais das provas discursivas.
Em caso de solicitação de recurso para alguma questão, envie para o e-mail:
treinodificil_jogofacil@grancursosonline.com.br. 
Nossa ouvidoria terá até dois dias úteis para responder à solicitação.
Desejamos uma excelente prova!
GRAN CURSOS ONLINE
DIRETORIA DE PRODUÇÃO EDUCACIONAL
PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIVERSOS
FICHA TÉCNICA DO MATERIAL
GRANCURSOSONLINE.COM.BR
CÓDIGO:
1212023220
TIPO DE MATERIAL:
Simulado Preparatório
NUMERAÇÃO:
2º Simulado
NOME DO ÓRGÃO:
Ordem dos Advogados do Brasil
OAB
MODELO/BANCA:
FGV
EDITAL:
Pós-Edital
ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO:
01/2023
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
Ética Profissional
Maria Christina
1 
João, recém-aprovado no Exame de Ordem, celebrou 
contrato verbal de consultoria jurídica com um cliente. 
Questionado sobre as regras jurídicas, assinale a op-
ção correta.
(A) O contrato de consultoria deverá ser necessariamen-
te celebrado por escrito.
(B) O contrato de consultoria poderá ser celebrado por 
escrito ou verbalmente.
(C) O contrato de consultoria deve ser celebrado junta-
mente com a outorga de mandato.
(D) O contrato de consultoria deve ser celebrado junta-
mente com a outorga de mandato e deverá estipular 
por escrito o valor dos honorários advocatícios.
2 
Maria, recém aprovada no Exame de Ordem, requereu 
sua inscrição nos quadros da OAB e em algumas comis-
sões dentro de sua seccional. Sobre as comissões, é cor-
reto afirmar que:
(A) são comissões obrigatórias as de estágio e exame de 
ordem, finanças e orçamentos e direitos humanos.
(B) são comissões obrigatórias as de estágio e exame de 
ordem, direito constitucional e processo civil.
(C) são comissões obrigatórias as de estágio e exame 
de ordem, prerrogativas dos advogados e direito 
humanos.
(D) são comissões obrigatórias as de estágio e exame de 
ordem, prerrogativas dos advogados e processo civil.
3 
João ingressou na faculdade de direito e atingiu o pe-
ríodo de estágio obrigatório. Sobre o tema, assinale a 
opção correta.
(A) João, como estagiário, caso cometa uma infração dis-
ciplinar, poderá ser censurado, suspenso, excluído e 
multado.
(B) João, como estagiário, caso cometa uma infração dis-
ciplinar, poderá ser censurado, suspenso ou excluído.
(C) João, como estagiário, caso cometa uma infração dis-
ciplinar, poderá ser censurado ou suspenso.
(D) João, como estagiário, caso cometa uma infração dis-
ciplinar, somente poderá ser censurado.
4 
Sobre o direito à sustentação oral do advogado, assinale 
a opção correta.
(A) O advogado poderá realizar a sustentação oral dos 
recursos de apelação, agravo de instrumento, recur-
so ordinário, recurso especial e extraordinário, em-
bargos de divergência.
(B) O advogado poderá realizar a sustentação oral dos 
recursos de apelação, agravo de instrumento e agra-
vo interno, recurso ordinário, recurso especial e ex-
traordinário, embargos de divergência.
(C) O advogado poderá realizar a sustentação oral da 
ação rescisória, mandado de segurança, habeas cor-
pus, habeas data, mandado de injunção e ações de 
competência originária.
(D) O advogado poderá realizar a sustentação oral da 
ação rescisória, mandado de segurança, habeas cor-
pus e ações de competência originária.
5 
Sobre os direitos dos advogados, assinale a alternati-
va correta.
(A) A medida judicial cautelar que importe na violação 
do escritório ou do local de trabalho do advogado 
será determinada em hipótese excepcional, desde 
que exista certeza da prática de crime.
(B) A medida cautelar para apreensão de bens no escri-
tório do advogado será permitida se fundada exclusi-
vamente em elementos produzidos em declarações 
do colaborador mesmo que sem confirmação por 
outros meios de prova.
(C) O ingresso no escritório do advogado deve ser acom-
panhado por membro da OAB que terá direito a ser 
respeitado pelos agentes responsáveis pelo cumpri-
mento do mandado de busca e apreensão, sob pena 
de abuso de autoridade.
(D) A autoridade responsável por ingressar no escritório 
do advogado deverá informar, com antecedência mí-
nima de 48 horas, à seccional da OAB a data, o horá-
rio e o local em que serão analisados os documentos 
e os equipamentos apreendidos, garantido o direito 
de acompanhamento, em todos os atos, pelo repre-
sentante da OAB e pelo profissional investigado.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
6 
Sobre as penalidades aplicadas aos advogados, assinale 
a opção correta.
(A) Os advogados serão excluídos por apropriação inde-
vida de valores devidos ao cliente do advogado.
(B) Os advogados podem ser excluídos da OAB por cola-
boraçãopremiada realizada contra o seu cliente.
(C) Os advogados serão excluídos da OAB por retenção 
abusiva dos autos.
(D) Os advogados serão excluídos da OAB por patrocínio 
infiel realizado contra o seu cliente.
7 
(Anulado) Sobre as normas de relação com o cliente, as-
sinale a opção correta segundo as regras do Código de 
Ética e Disciplina da AOB.
(A) O advogado deve informar o cliente, de modo claro 
e inequívoco, quanto a eventuais riscos da sua pre-
tensão, e das consequências que poderão advir da 
demanda, devendo, igualmente, denunciar, desde 
logo, a quem lhe solicite parecer ou patrocínio, qual-
quer circunstância que possa influir na resolução de 
submetê-lo à consulta ou confiar-lhe a causa.
(B) As relações entre advogado e cliente baseiam-se 
na confiança recíproca. Sentindo o advogado que 
essa confiança lhe falta, deve renunciar a causa de 
imediato.
(C) O advogado, no exercício do mandato, atua como 
patrono da parte, cumprindo-lhe, por isso, imprimir 
à causa orientação que lhe pareça mais adequada, 
subordinando-se às intenções contrárias do cliente.
(D) A conclusão ou desistência da causa, tenha havido, 
ou não, extinção do mandato, obriga o advogado a 
devolver ao cliente bens, valores e documentos que 
lhe hajam sido confiados e ainda estejam em seu 
poder, bem como a prestar-lhe contas, pormenoriza-
damente, sem prejuízo de esclarecimentos comple-
mentares que se mostrem pertinentes e necessários, 
inclusive, com relação a parcela dos honorários paga 
pelos serviços até então prestados não se inclui en-
tre os valores a ser devolvidos.
8 
Sobre as normas de relação com o cliente, assinale a 
opção correta segundo as regras do Código de Ética e 
Disciplina da OAB.
(A) O advogado não deve aceitar procuração de quem já 
tenha patrono constituído, sem prévio conhecimen-
to deste, em nenhuma circunstância.
(B) O advogado não deve deixar ao abandono ou ao de-
samparo as causas sob seu patrocínio, sendo reco-
mendável que, em face de dificuldades insuperáveis 
ou inércia do cliente quanto a providências que lhe 
tenham sido solicitadas, renuncie ao mandato.
(C) A renúncia ao patrocínio deve ser feita sem menção 
do motivo que a determinou, fazendo cessar a res-
ponsabilidade profissional pelo acompanhamento 
da causa, uma vez decorrido o prazo de 15 dias.
(D) A revogação do mandato judicial por vontade do 
cliente o desobriga do pagamento das verbas hono-
rárias contratadas, assim como não retira o direito 
do advogado de receber o quanto lhe seja devido em 
eventual verba honorária de sucumbência, calculada 
proporcionalmente em face do serviço efetivamente 
prestado.
 
Filosofia do Direito
Odair José
9 
Aristóteles, em sua obra “Ética a Nicômacos”, apresenta 
duas acepções de justiça, (1) distributiva e (2) corretiva, 
sendo a justiça corretiva subdividida em comutativa e 
reparativa.
Assinale a alternativa, nos termos da obra citada, que faz 
correta referência à justiça reparativa.
(A) É a necessária medida de restituição das condições 
anteriores em que se encontravam as partes antes 
que se fizesse entre elas uma desigualdade invo-
luntária.
(B) É a necessária equivalência entre os produtos quan-
do das relações de troca, a fim de nos contratos em 
que envolvam a troca de mercadorias, haja reciproci-
dade entre os valores atribuídos às mercadorias per-
mutadas.
(C) Caracteriza-se pela relação entre particulares e entre 
iguais, cuja origem voluntária das relações implica a 
necessária correção quando do não cumprimento da 
obrigação por uma das partes.
(D) Refere-se à distribuição equitativa e proporcional 
dos bens disponíveis ao governo, que realiza a distri-
buição aos seus súditos conforme o merecimento de 
cada um, por isso alguns poderão receber quinhão 
maior do outros.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
10 
“Existem duas espécies de interpretação que devem ser 
distinguidas claramente uma da outa: a interpretação do 
Direito pelo órgão que o aplica, e a interpretação do Di-
reito que não é realizada por um órgão jurídico, mas por 
uma pessoa privada e, especialmente, pela ciência jurí-
dica”. (KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. São Paulo: 
WMF Martins Fontes, 2020, p. 388).
Acerca das duas espécies de interpretação do direito a 
que se refere Hans Kelsen, assinale a alternativa correta.
(A) A interpretação realizada pelo órgão aplicador do di-
reito é autêntica e não pode fazer outra coisa senão 
estabelecer as possíveis significações de uma norma 
jurídica.
(B) A interpretação autêntica é uma tarefa criadora da 
norma, por isso essa atividade é realizada exclusiva-
mente pelo legislador democrático.
(C) A interpretação feita pelo órgão aplicador do Direito 
é sempre autêntica, ela cria o Direito.
(D) O ato de vontade exarado pelo órgão aplicador do 
direito não é um ato cognoscitivo, porque este órgão 
realiza tão somente uma operação técnica e não um 
ato de conhecimento.
Direito Constitucional
Ana Paula Blazute
11 
Mais de cem mulheres foram torturadas e assassinadas 
no Estado Y por um grupo de criminosos armados. Al-
guns meses após o fato, restou demonstrada a incapa-
cidade das autoridades locais em oferecer respostas aos 
acontecimentos, não restando dúvidas da grave violação 
aos direitos humanos, sendo evidente o descumprimen-
to das obrigações internacionais assumidas pela Repú-
blica Federativa do Brasil. Assinale a alternativa correta 
de acordo com o caso em análise:
(A) Nas hipóteses de grave violação de direitos humanos, 
o Procurador-Geral da República, com a finalidade de 
assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes 
de tratados internacionais de direitos humanos dos 
quais o Brasil seja parte, poderá suscitar, perante o 
Supremo Tribunal Federal, em qualquer fase do in-
quérito ou processo, incidente de deslocamento de 
competência para a Justiça Federal.
(B) Nas hipóteses de grave violação de direitos humanos, 
o Procurador-Geral da República, com a finalidade de 
assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes 
de tratados internacionais de direitos humanos dos 
quais o Brasil seja parte, poderá suscitar, apenas na 
fase processual, após a denúncia, incidente de deslo-
camento de competência para a Justiça Federal.
(C) Nas hipóteses de grave violação de direitos humanos, 
o Advogado-Geral da União, com a finalidade de as-
segurar o cumprimento de obrigações decorrentes de 
tratados internacionais de direitos humanos dos quais 
o Brasil seja parte, poderá suscitar, em qualquer fase 
do inquérito ou processo, após a denúncia, incidente de 
deslocamento de competência para a Justiça Federal.
(D) Nas hipóteses de grave violação de direitos humanos, 
o Procurador-Geral da República, com a finalidade de 
assegurar o cumprimento de obrigações decorrentes 
de tratados internacionais de direitos humanos dos 
quais o Brasil seja parte, poderá suscitar, perante o 
Superior Tribunal de Justiça, em qualquer fase do in-
quérito ou processo, incidente de deslocamento de 
competência para a Justiça Federal.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
12 
Roberta, Rogério, Alice e Patrícia estudam para concur-
sos de carreiras jurídicas. Certo dia, resolveram estudar 
juntos direito constitucional, e escolheram como tema 
Poder Legislativo. Cada um escolheu um artigo da Cons-
tituição para ler, e um deles alterou, na sua leitura, o 
que estava escrito na Constituição de 1988. Consideran-
do que dentre os quatro, três leram “ipsis litteris” e um 
modificou a redação do que está escrito na Constituição, 
assinale a alternativa correta.
(A) Quem modificou o que está escrito na Constituição 
foi Roberta, pois afirmou que compete privativamen-
te à Câmara dos Deputados autorizar, por dois terços 
de seus membros, a instauração de processo contra 
o Presidente e o Vice-Presidente da República e os 
Ministros de Estado.
(B) Quem modificou o que está escrito na Constituição 
foi Rogério, pois afirmou ser da competência exclu-
siva do Congresso Nacional autorizaro Presidente e 
o Vice-Presidente da República a se ausentarem do 
País, quando a ausência exceder a quinze dias.
(C) Quem modificou o que está escrito na Constituição 
foi Alice, pois afirmou ser da competência do Senado 
Federal sustar os atos normativos do Poder Executivo 
que exorbitem do poder regulamentar ou dos limites 
de delegação legislativa.
(D) Quem modificou o que está escrito na Constituição 
foi Patrícia, pois afirmou ser da competência da Câ-
mara dos Deputados proceder à tomada de contas do 
Presidente da República, quando não apresentadas 
ao Congresso Nacional dentro de sessenta dias após 
a abertura da sessão legislativa.
13 
O Presidente da República editou a Medida provisória 
XXX em 2019, um dos temas disciplinados era a compe-
tência para demarcação das terras indígenas. O art. 21 da 
MP XXX, transferia da FUNAI para o Ministério da Agri-
cultura a competência para demarcação das terras indí-
genas. Essa MP foi parcialmente aprovada pelo Congres-
so Nacional e se tornou a Lei n. 1.234, publicada no dia 
18/06/2019. Ocorre que o Congresso Nacional rejeitou a 
transferência da competência da FUNAI para o Ministério 
da Agricultura para a demarcação das terras indígenas, 
portanto esse dispositivo (art. 21 da MP XXX) não virou 
lei. Após a publicação da Lei n. 1.234, o Presidente da 
República editou uma nova medida provisória, ainda em 
2019, trazendo novamente um dispositivo transferindo 
para o Ministério da Agricultura a competência para a 
demarcação das terras indígenas. Alguns partidos políti-
cos ajuizaram ADI no STF afirmando que esse dispositivo 
da MP que transfere a competência seria inconstitucio-
nal. De acordo com o caso concreto, marque a alterna-
tiva correta.
(A) Os partidos políticos têm razão em ajuizar a ADI, pois 
é vedada a reedição, na mesma sessão legislativa, de 
medida provisória que tenha sido rejeitada ou que te-
nha perdido sua eficácia por decurso de prazo.
(B) Os partidos políticos têm razão em ajuizar a ADI, pois 
a matéria constante de medida provisória rejeitada 
somente poderá constituir objeto de novo projeto, 
na mesma sessão legislativa, mediante proposta da 
maioria absoluta dos membros de qualquer das Casas 
do Congresso Nacional, o que não ocorreu no caso.
(C) Os partidos políticos não têm razão em ajuizar a ADI, 
pois é permitida a reedição, na mesma sessão legisla-
tiva, de medida provisória que tenha sido rejeitada ou 
que tenha perdido sua eficácia por decurso de prazo.
(D) Os partidos políticos não podem propor a ação direta 
de inconstitucionalidade, pois não são legitimados.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
14 
Paula, brasileira naturalizada, 28 anos, quer se candi-
datar ao cargo de prefeita do Município A. Por sua vez, 
José, brasileiro nato, 30 anos, pretende se candidatar ao 
cargo de Presidente da República. Já Felipe, brasileiro 
naturalizado, 30 anos, quer se candidatar ao cargo de 
deputado federal.
Considerando o caso em análise, marque a alternati-
va correta.
(A) Paula pode se candidatar ao cargo de prefeita, tendo 
em vista que atendeu as condições de idade mínima 
para o cargo, não sendo este privativo de brasilei-
ro nato.
(B) José pode se candidatar ao cargo de Presidente da 
República por ser privativo de brasileiro nato, e por 
atender as condições de idade mínima para o cargo.
(C) Felipe não poderia se candidatar ao cargo de deputa-
do federal, pois embora tenha atendido às condições 
de idade mínima para o cargo, este é privativo de 
brasileiro nato.
(D) Paula, José e Felipe atenderam as condições de idade 
mínima para os cargos.
15 
Em matéria de organização político-administrativa dos 
entes federativos, compete privativamente à União le-
gislar sobre:
(A) florestas, caça, pesca, fauna, conservação da nature-
za, defesa do solo e dos recursos naturais, proteção 
do meio ambiente e controle da poluição.
(B) custas dos serviços forenses.
(C) direito tributário, financeiro, penitenciário, econômi-
co e urbanístico.
(D) águas, energia, informática, telecomunicações e ra-
diodifusão.
16 
Maria, João, Pedro e Marcos estavam discutindo sobre 
o processo legislativo. Maria afirmou aos seus colegas 
que “a proposta de emenda à constituição é discutida 
e votada em cada Casa do Congresso Nacional, em dois 
turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, 
três quintos dos votos dos respectivos membros”. João 
afirmou que “não será objeto de deliberação a propos-
ta de emenda tendente a abolir o voto direto, secreto, 
universal, obrigatório e periódico. Por sua vez, Pedro 
afirmou que a “emenda à Constituição será promulgada 
pelo Presidente da República”, e por fim Marcos afirmou 
que “a Constituição poderá ser emendada mediante 
proposta de mais de 1/3 das Assembleias Legislativas 
das unidades da Federação, manifestando-se, cada uma 
delas, pela maioria relativa de seus membros”.
Considerando o caso concreto, marque a alternati-
va correta.
(A) Maria e Pedro estão corretos em suas afirmações.
(B) João e Marcos estão corretos em suas afirmações.
(C) Apenas Pedro está correto em sua afirmação.
(D) Apenas Maria está correta em sua afirmação.
17 
A Constituição da República Federativa do Brasil dedicou 
uma seção específica à saúde, tendo estabelecido, em 
seu art.196, que “é direito de todos e dever do Estado”. 
Considerando a funcionalidade da Constituição e a natu-
reza das normas constitucionais afetas a essa temática, 
assinale a afirmativa incorreta.
(A) As instituições privadas poderão participar de forma 
complementar do sistema único de saúde, segundo 
diretrizes deste, mediante contrato de direito públi-
co ou convênio, tendo preferência as entidades filan-
trópicas e as sem fins lucrativos.
(B) É permitida a participação direta ou indireta de em-
presas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde 
no País, salvo nos casos previstos em lei.
(C) A lei disporá sobre as condições e os requisitos que 
facilitem a remoção de órgãos, tecidos e substâncias 
humanas para fins de transplante, pesquisa e trata-
mento, bem como a coleta, processamento e trans-
fusão de sangue e seus derivados, sendo vedado 
todo tipo de comercialização.
(D) É vedada a destinação de recursos públicos para au-
xílios ou subvenções às instituições privadas com fins 
lucrativos.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
Direitos Humanos
Alice Rocha
18 
Arquimedes é um trabalhador transexual do setor de 
construção civil e decidiu voltar a estudar para buscar 
melhores oportunidades de trabalho. Todavia, mesmo 
após concluir seus estudos e assumir novas responsa-
bilidades, não obteve nenhum aumento salarial ou pro-
moção de cargo dentro da empresa. Ao questionar seu 
superior, ele afirmou que Arquimedes deveria exercer as 
atividades de cargo superior recebendo o salário equiva-
lente ao cargo inferior por ser um trabalhador transexual 
e por não terem vagas para o novo posto.
Com base no Pacto Internacional de Direitos Econômi-
cos, Sociais e Culturais (PIDESC), Arquimedes deve argu-
mentar que:
(A) seu salário deve ser equitativo e com remuneração 
igual por trabalho de igual valor, sem qualquer discri-
minação.
(B) seu salário deve ser equiparado ao oferecido a ou-
tros trabalhadores transexuais.
(C) seu salário deve ser aumentado em função de repre-
sentar categoria vulnerável.
(D) seu salário deve ser o equivalente ao de outros fun-
cionários que exercem a mesma atividade em em-
presas concorrentes.
19 
John nasceu nos Estados Unidos, mas, nos últimos anos, 
fixou residência no Brasil por sofrer perseguições polí-
ticas que começaram durante o período que dirigiu o 
Conselho Estudantil em importante faculdade america-
na. Todavia, John está sendo acusado de matar sua com-
panheira de agremiação estudantil e por isso procura 
você como advogado a fim de tomar a melhor decisão 
para seu caso.
Com base na Declaração Universal de Direitos Humanos, 
você deve orientar John a:
(A) pedir asilo ao Brasil, por ser vítima de perseguiçãoem seu Estado de origem.
(B) não pedir asilo ao Brasil, por estar sendo perseguido 
por crime de direito comum.
(C) não pedir asilo ao Brasil, tendo em vista a ausência 
de tratado entre os dois países.
(D) pedir asilo ao Brasil, que deve conceder independen-
temente do motivo da perseguição do indivíduo.
Direito Internacional
Alice Rocha
20 
Antônio e Clara são dois espanhóis de férias no Brasil 
e que decidiram aqui se casar antes de retornar à Es-
panha. Sem saber como proceder, eles contratam você 
como advogado para levantar toda a documentação ne-
cessária para a realização do ato.
Para prestar esse serviço e com base na Lei de Introdução 
às Normas do Direito Brasileiro, você deve informar que:
(A) o casal deve buscar os mesmos documentos exigidos 
pela legislação espanhola de sua nacionalidade.
(B) o casal deve observar as leis brasileiras quanto aos 
impedimentos dirimentes e às formalidades da cele-
bração do casamento.
(C) o casal não poderá se casar no Brasil sem fixar domi-
cílio no mesmo país da celebração do casamento.
(D) o casal poderá se casar no Brasil desde que cumpra 
as formalidades do país de nacionalidade dos nuben-
tes, juntamente com as formalidades exigidas pela 
lei brasileira.
21 
Juan, venezuelano, chegou ao Brasil em 2018 e nunca 
mais retornou à Venezuela devido às crises institucionais 
que o país atravessava. Juan casou-se com uma chilena 
que conheceu quando entrou com seu pedido de auto-
rização de residência. O pedido de Juan está pendente 
desde 2020, mas ele precisa voltar urgentemente para 
a Venezuela tendo em vista o falecimento de seu irmão 
mais velho. Juan tem receio que não possa retornar 
ao Brasil e contrata você como advogado especialista 
em migração.
Com base na Lei n. 13.445/2017 (Lei da Migração), você 
deve orientar Juan a:
(A) não deixar o Brasil sob pena de perder a demanda de 
autorização de residência.
(B) sair e retornar, desde que sua esposa chilena seja re-
sidente no Brasil.
(C) sair e reingressar em território nacional mesmo en-
quanto pendente seu pedido de autorização de re-
sidência.
(D) só deixar o Brasil se conseguir um visto temporário 
que facilite seu retorno.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
Direito Tributário
Maria Christina
22 
Diante da ausência da legislação tributária, esta deverá 
ser integrada na seguinte ordem:
(A) analogia, princípios de direito tributário, princípios 
de direito público e equidade.
(B) analogia, princípios de direito público, princípios de 
direito tributário e equidade.
(C) equidade, princípios de direito tributário, princípios 
de direito público e analogia.
(D) princípios de direito tributário, princípios de direito 
público, analogia e equidade.
 
23 
Sobre interpretação e integração da legislação tributá-
ria, assinale a opção correta.
(A) Os princípios gerais de direito privado utilizam-se 
para pesquisa da definição, do conteúdo e do alcan-
ce de seus institutos, conceitos e formas, mas não 
para definição dos respectivos efeitos tributários.
(B) A lei tributária pode alterar a definição, o conteúdo e 
o alcance de institutos, conceitos e formas de direito 
privado, utilizados, expressa ou implicitamente, pela 
Constituição Federal, pelas Constituições dos Estados, 
ou pelas Leis Orgânicas do Distrito Federal ou dos Muni-
cípios, para definir ou limitar competências tributárias.
(C) Interpreta-se literalmente a legislação tributária que dis-
ponha sobre suspensão, exclusão e extinção do crédito.
(D) A lei tributária que define infrações, ou lhe comina 
penalidades, interpreta-se da maneira mais favorá-
vel ao acusado sempre que disser respeito à autoria, 
imputabilidade ou punibilidade.
24 
Sobre a obrigação tributária e o fato gerador, assinale a 
alternativa correta.
(A) A obrigação principal surge com a ocorrência do fato ge-
rador, tem por objeto o pagamento apenas dos tributos 
e extingue-se juntamente com o crédito dela decorrente.
(B) A obrigação acessória decorre da lei e tem por objeto as 
prestações, positivas ou negativas, nela previstas no in-
teresse da arrecadação ou da fiscalização dos tributos.
(C) A autoridade administrativa poderá desconsiderar 
atos ou negócios jurídicos praticados com a finali-
dade de dissimular a ocorrência do fato gerador do 
tributo ou a natureza dos elementos constitutivos da 
obrigação tributária.
(D) Os atos ou negócios jurídicos condicionais reputam-
-se perfeitos e acabados sendo suspensiva a condi-
ção, desde o momento da prática do ato ou da cele-
bração do negócio.
25 
O contribuinte declarou e não pagou a COFINS, tributo 
lançado por homologação. Posteriormente, verificou o 
inadimplemento e, antes do início do procedimento do 
Fisco, efetuou o pagamento do tributo e dos juros e re-
quereu a exclusão da multa em decorrência do benefí-
cio da denúncia espontânea. Diante dos fatos, assinale 
a opção correta.
(A) O contribuinte terá direito ao benefício por ter efe-
tuado o pagamento antes do início de procedimento 
pelo Fisco.
(B) O contribuinte nunca terá direito ao benefício nos 
tributos lançados por homologação.
(C) O contribuinte não terá direito ao benefício por ter 
efetuado o pagamento após a declaração.
(D) O contribuinte não terá direito, pois o benefício so-
mente retira a obrigatoriedade com relação aos juros.
26 
Sobre as regras de lançamento, assinale a alternati-
va correta.
(A) Compete privativamente à autoridade administrativa 
constituir o crédito tributário pelo lançamento; as-
sim entendido, o processo administrativo tendente 
a verificar a ocorrência do fato gerador da obrigação 
correspondente, determinar a matéria tributável, 
calcular o montante do tributo devido, identificar o 
sujeito passivo e, sendo o caso, propor a aplicação da 
penalidade cabível.
(B) Quando o valor tributário esteja expresso em moeda 
estrangeira, no lançamento far-se-á sua conversão 
em moeda nacional ao câmbio do dia da ocorrência 
da constituição do crédito.
(C) O lançamento reporta-se à data da ocorrência do fato 
gerador da obrigação e rege-se pela lei então vigen-
te, salvo se posteriormente modificada ou revogada.
(D) O lançamento regularmente notificado ao sujeito 
passivo só pode ser alterado em virtude de impugna-
ção do sujeito passivo, recurso de ofício ou iniciativa 
de ofício da autoridade administrativa.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
Direito Administrativo
Gustavo Brígido
27 
João, servidor público do Estado do Ceará, teve seu pe-
dido de aposentadoria suspenso durante o período em 
que responde a processo administrativo disciplinar, mes-
mo sem haver qualquer previsão na respectiva legisla-
ção estadual, mas com base no disposto na legislação 
estatutária federal. João procurou você, na qualidade de 
advogado(a), para orientá-lo acerca dos seus direitos. 
Neste caso, segundo entendimento jurisprudencial re-
cente, deve-se afirmar corretamente que:
(A) foi correta a suspensão, pois a lacuna em Lei Esta-
dual acerca da possibilidade de suspender processo 
de concessão de aposentadoria enquanto tramita 
processo administrativo disciplinar deve ser suprida 
com a aplicação subsidiária da legislação estatutária 
federal.
(B) não foi correta a suspensão, pois a lacuna em Lei Es-
tadual acerca da possibilidade de suspender proces-
so de concessão de aposentadoria enquanto tramita 
processo administrativo disciplinar não deve ser su-
prida com a aplicação subsidiária da legislação esta-
tutária federal.
(C) não foi correta a suspensão, pois compete apenas à 
União legislar privativamente sobre o tema da apo-
sentadoria, não se aplicando, no entanto, tal previ-
são à legislação estadual.
(D) não foi correta a suspensão, pois a aposentadoria é 
exemplo de ato administrativo composto, o qual não 
admite suspensão em razão de processo administra-
tivo disciplinar.
28 
Eugênio, servidor público do Município de Aracati, está 
no gozo de licença para tratamento da saúde por perío-
do superior a dois meses. No mesmo ano,ao requerer 
o gozo das férias anuais remuneradas, teve seu pedido 
negado, nos termos da legislação municipal vigente, sob 
o fundamento de que o servidor público que solicite li-
cença para tratamento de saúde por período superior a 
dois meses perde o direito a férias. João procurou você, 
na qualidade de advogado(a), para orientá-lo acerca dos 
seus direitos. Neste caso, segundo entendimento juris-
prudencial recente, deve-se afirmar corretamente que:
(A) no exercício da autonomia legislativa municipal, pode o 
município, ao disciplinar o regime jurídico de seus servi-
dores, restringir o direito de férias a servidor em licença 
saúde de maneira a inviabilizar o gozo de férias anuais.
(B) no exercício da autonomia legislativa municipal, não 
pode o município, ao disciplinar o regime jurídico de 
seus servidores, restringir o direito de férias a servi-
dor em licença saúde de maneira a inviabilizar o gozo 
de férias anuais previsto no texto constitucional.
(C) a legislação municipal pode tratar desta forma o 
tema, na medida em que se trata de assunto de inte-
resse local.
(D) é competência legislativa concorrente tratar do tema 
das férias, de modo que é constitucional a legislação 
municipal sobre o tema.
29 
Maria Christina foi contratada pelo Município de Forta-
leza para exercer cargo em comissão regido pela CLT. Em 
face de controvérsia envolvendo o pagamento do Fundo 
de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, Maria Christi-
na o procura para, na qualidade de advogado(a), orien-
tar acerca do foro competente para tratar do tema. Sua 
orientação deve ser no sentido de que
(A) compete à Justiça Comum o julgamento de contro-
vérsia envolvendo direitos de servidor contratado 
para exercer cargo em comissão regido pela CLT.
(B) compete à Justiça do Trabalho o julgamento de con-
trovérsia envolvendo direitos de servidor contratado 
para exercer cargo em comissão regido pela CLT.
(C) compete à Justiça do Trabalho, por tratar de tema re-
lacionado ao FGTS.
(D) compete à Justiça do Trabalho, pois qualquer relação 
com vínculo celetista só pode ter como foro a justiça 
especializada trabalhista.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
30 
João e José são, respectivamente, servidores públicos 
do Estado do Ceará e do Governo Federal. Os dois são 
responsáveis por cuidar de pessoas com deficiência, que 
são seus dependentes, com Transtorno do Espectro Au-
tista. José, por ser servidor público federal, já tem direito 
à jornada reduzida, porém não há previsão qualquer na 
respectiva legislação estadual. João procurou você, na 
qualidade de advogado(a), para orientá-lo acerca dos 
seus direitos. Neste caso, segundo entendimento juris-
prudencial recente, deve-se afirmar corretamente que:
(A) apenas José terá direito a jornada reduzida, pois a 
lacuna na legislação estadual não pode ser suprida 
pelos termos expostos na legislação federal.
(B) é inconstitucional a legislação federal que trata do 
tema, de modo que não foi correta a redução da jor-
nada de trabalho para o servidor público José.
(C) aos servidores públicos estaduais e municipais é apli-
cado, para todos os efeitos, o disposto na legislação 
federal, de modo que os dois terão direito à jornada 
reduzida.
(D) nenhum deles faz jus a jornada reduzida de trabalho, 
ne medida em que só se aplicaria se eles mesmos 
fossem pessoas com deficiência.
31 
João estava em seu carro, com sua família, na fila de pe-
dágio, para aproveitar o feriado de Carnaval no litoral 
do Estado de São Paulo, quando teve a infelicidade de 
ser vítima do crime de roubo com emprego de arma de 
fogo. Sabendo que a rodovia era administrada por em-
presa concessionária de serviço público, João procurou 
você, na qualidade de advogado(a), para orientá-lo acer-
ca dos seus direitos. Neste caso, segundo entendimento 
jurisprudencial, deve-se afirmar corretamente que:
(A) a concessionária de rodovia não tem responsabilida-
de civil diante do crime de roubo com emprego de 
arma de fogo cometido na fila de pedágio, por au-
sência de nexo causal.
(B) a concessionária de rodovia tem responsabilidade ci-
vil diante do crime de roubo com emprego de arma 
de fogo cometido na fila de pedágio, pois se pode 
identificar o nexo causal.
(C) a concessionária de rodovia tem responsabilidade 
civil subjetiva, posto que se faz necessária a com-
provação de culpa ou de dolo na conduta da conces-
sionária. 
(D) a concessionária de rodovia tem responsabilidade 
civil objetiva, posto que não se faz necessária a com-
provação de culpa ou de dolo na conduta da conces-
sionária.
32 
João teve propriedade rural desapropriada pela União e 
procurou você para, na qualidade de advogado(a), orien-
tá-lo acerca da possibilidade de incluir a área de seringal 
diretamente afetada pela desapropriação, porque devi-
damente comprovado nos autos os lucros cessantes a 
ela correspondentes. Neste caso, segundo entendimen-
to jurisprudencial, deve-se afirmar corretamente que
(A) Há violação aos limites das matérias que podem ser 
discutidas em ação de desapropriação direta quando 
se admite o debate – e até mesmo indenização – de 
área diferente da verdadeiramente expropriada, ain-
da que vizinha.
(B) Não há violação aos limites das matérias que podem 
ser discutidas em ação de desapropriação direta 
quando se admite o debate – e até mesmo indeni-
zação – de área diferente da verdadeiramente expro-
priada, ainda que vizinha.
(C) Não há violação aos limites das matérias que podem ser 
discutidas em ação de desapropriação direta, pois não 
há vinculação ao parâmetro originalmente contemplado.
(D) Não há violação aos limites das matérias que podem 
ser discutidas em ação de desapropriação direta, na 
medida em que se configura forma de intervenção 
restritiva na propriedade privada.
Direito Ambiental
Nilton Coutinho
33 
A prefeitura do município BETA informou que, segundo 
estabelece a Lei Federal n. 12.305/2010, há a necessida-
de de se estruturar e implementar sistemas de logística 
reversa, mediante retorno dos produtos após o uso pelo 
consumidor, de forma independente do serviço público 
de limpeza urbana.
Preocupado com o tema, Antônio consulta um advoga-
do especialista na área, o qual lhe informa que:
(A) os consumidores deverão entrar em contato com co-
merciantes ou distribuidores para que estes venham 
retirar os resíduos sólidos sujeitos à logística reversa.
(B) os comerciantes e distribuidores deverão efetuar a 
devolução aos fabricantes ou aos importadores dos 
produtos e embalagens sujeitos à logística reversa.
(C) os comerciantes e distribuidores darão destinação 
ambientalmente adequada aos produtos e às emba-
lagens reunidos ou devolvidos. 
(D) com exceção dos consumidores, todos os participan-
tes dos sistemas de logística reversa manterão atua-
lizadas e disponíveis ao órgão federal competente e 
a outras autoridades informações completas sobre a 
realização das ações sob sua responsabilidade.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
34 
Pedro comprou uma fazenda no interior do Estado do 
Amazonas. Preocupado em não violar a legislação flo-
restal, consulta um advogado especialista na área, o qual 
lhe informa que:
(A) todo imóvel rural nesta região deve manter área com 
20% de cobertura de vegetação nativa, a título de 
Reserva Legal, sem prejuízo da aplicação das normas 
sobre as Áreas de Preservação Permanente.
(B) o Cadastro Ambiental Rural – CAR é um registro pú-
blico eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para 
todos os imóveis rurais, com a finalidade de integrar 
as informações ambientais das propriedades e pos-
ses rurais, compondo base de dados para controle, 
monitoramento, planejamento ambiental e econô-
mico e combate ao desmatamento.
(C) a inscrição do imóvel rural no CAR deverá ser feita, 
obrigatoriamente, no órgão ambiental municipal ou 
estadual.
(D) no parcelamento de imóveis rurais, a área de Reser-
va Legal não poderá ser agrupada em regime de con-
domínio entre os adquirentes.Direito Civil
Roberta Queiroz
35 
Maria Barrigudinha Seleida vivia uma união estável com 
Dalberty Malaquias. A união do casal durou 8 anos, até 
que, um dia, Dalberty amanheceu morto, por causas 
naturais, ao lado de sua amada. Os filhos de Dalberty 
sempre detestaram Maria e, agora, com a morte do pai, 
não a reconhecem como a companheira do falecido, jus-
tamente para não partilharem a herança com ela. Com 
isso, os filhos realizaram o inventário dos bens deixados 
pelo falecimento do pai, excluindo Maria. Considerando 
o caso narrado, marque alternativa correta.
(A) Não há possibilidade de reconhecimento de união 
estável post mortem.
(B) Maria poderá ajuizar ação de reconhecimento de 
união estável post mortem cumulada com petição de 
herança.
(C) Maria deverá obrigatoriamente, primeiro, reconhe-
cer a união estável e, após o trânsito em julgado da 
demanda, reclamar a herança do morto.
(D) Maria poderá reclamar a herança do falecido compa-
nheiro no prazo decadencial de 10 anos.
36 
Raquel tomou emprestado o valor de R$ 50.000,00 junto 
ao GRANBANK. O banco, por sua vez, exigiu de Raquel 
duas garantias – penhor de um relógio da marca rolex e 
um fiador, no qual Eugênio topou garantir o pagamento 
para a amiga. No contrato bancário, havia cláusula de vi-
gência por um ano, mas com cláusula de prorrogação au-
tomática de fiança no caso de prorrogação do contrato. 
Raquel, por sua vez, não conseguiu adimplir o contrato 
na data estipulada, o que ocasionou a prorrogação deste 
por mais 01 ano, sem a participação de Eugênio. Consi-
derando o caso narrado, marque alternativa correta.
(A) É ilícita a cláusula que prevê prorrogação da fiança 
no contrato.
(B) Em nenhuma hipótese a fiança poderá se estender 
para além do prazo do contrato principal.
(C) Embora o contrato possa ser prorrogado, a fiança 
não poderá ser prorrogada.
(D) É válida a cláusula de prorrogação automática de 
fiança na renovação do contrato principal.
37 
Jonas e Carlos viviam uma união estável que durou 12 
anos. No entanto, Jonas, um belo dia, disse para Carlos: 
“Não pense que lhe quero mal, apenas não te quero 
mais”. Carlos, então, ajuizou ação de dissolução de união 
estável contra Jonas, cumulada com pedido de alimen-
tos para si. Após tramitação do processo, o juiz proferiu 
sentença declarando ter havido a união estável e conde-
nando Jonas ao pagamento de alimentos compensató-
rios pelo prazo de 10 meses. Após dois meses, Jonas não 
mais adimpliu o pagamento dos alimentos. Consideran-
do o caso narrado, marque alternativa correta.
(A) Será possível a prisão do devedor de alimentos, pelo 
prazo de 60 dias.
(B) Somente será possível a prisão do devedor de alimen-
tos em caso de ajuizamento de ação de execução.
(C) No caso vertente, não será cabível a prisão do deve-
dor de alimentos.
(D) Agiu errado o magistrado, pois não é possível conde-
nar ex-companheiro ao pagamento de alimentos.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
38 
Denis, com 72 anos, sempre foi apaixonado por Marilda, 
de 71 anos. Os dois são velhos conhecidos e sempre gos-
taram um do outro, mas, pelos infortúnios da vida, con-
seguiram viver juntos somente agora. Desde o reencon-
tro, que já faz 1 ano, moram e vivem juntos. Pretendem, 
inclusive, adotar alguns animais abandonados. Conside-
rando o caso vertente, marque alternativa correta.
(A) A união estável de quem já alcançou 70 anos deve ser 
regida pelo regime da separação obrigatória de bens.
(B) O regime da separação obrigatória de bens não 
deve ser aplicado caso os dois conviventes possuam 
70 anos.
(C) O regime de bens a ser aplicado no caso de Denis e 
Marilda é a comunhão parcial de bens.
(D) A união estável de quem possui mais de 70 anos é 
inválida.
39 
Delinda e Marfeio foram casados sob o efeito patrimo-
nial do regime da comunhão parcial de bens. O casal re-
sidia em um sobrado na cidade do Rio de Janeiro, local 
da casa da família. Delinda não quis mais o relaciona-
mento e decidiu sair de casa. Após três meses da separa-
ção de fato, Delinda ajuizou ação de divórcio cumulada 
com partilha de bens. Marfeio, citado, apresentou defe-
sa alegando que não tem bens a partilhar com Delinda, 
pois a casa teria sido alienada para Godofredo que, por 
sua vez, promoveu ação de despejo contra Marfeio, sob 
o argumento do não pagamento dos aluguéis. Delinda, 
chocada, demonstra nos autos que o imóvel sempre foi 
residência do casal e do filho em comum; que existe pa-
rentesco e subordinação entre Godofredo e o ex-marido 
e que não há qualquer comprovação de transferência 
bancária para a aquisição da casa. Considerando o caso 
narrado, marque a alternativa correta.
(A) O juiz poderá, de ofício, conhecer do vício do negócio 
entre Marfeio e Godofredo.
(B) Trata-se de caso de simulação, que gera a anulabili-
dade do negócio jurídico.
(C) A ação declaratória de nulidade poderá ser promovi-
da no prazo decadencial de 4 anos.
(D) Trata-se de caso de anulação por meio do dolo pro-
movido por Marfeio.
40 
Waldisney dos Santos e Nyuiórquisson dos Santos são 
irmãos biológicos e, desde crianças, foram criados jun-
to com Maiami da Silva. Maiami fora criada pelos pais, 
recentemente falecidos, de Waldisney e Nyuiórquisson. 
Com isso, os três cresceram juntos, como se fossem três 
irmãos. Waldisney e Nyuiórquisson sempre apresenta-
vam Maiami como sendo irmã e sempre trataram os fi-
lhos dela como sobrinhos. Contudo, Maiami faleceu, em 
comoriência, com seus filhos em um acidente de carro. 
Considerando que Waldisney e Nyuiórquisson desejam 
ser reconhecidos como herdeiros de Maiami, marque 
alternativa correta.
(A) Podem os irmãos Waldisney e Nyuiórquisson reque-
rerem reconhecimento de vínculo parental socioafe-
tivo post mortem contra o espólio de Maiami pedin-
do para que fosse declarado o vínculo socioafetivo 
fraternal entre eles e a falecida.
(B) Podem os irmãos, independentemente de demanda 
judicial, habilitarem-se como legítimos herdeiros de 
Maiami.
(C) Não há amparo legal para o pleito de Waldisney e 
Nyuiórquisson.
(D) Somente poderia haver direito aos irmãos Waldisney 
e Nyuiórquisson se houvesse, por parte de Maiami, 
o reconhecimento da paternidade ou maternidade 
post mortem.
41 
Antônio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado reside, 
há 20 anos, em um apartamento alugado no Bairro de 
São José, em Recife. Para realizar o sonho da casa pró-
pria, passou a vida economizando dinheiro e conseguiu 
comprar um lote em Nossa Senhora do Ó, município de 
Pernambuco, e, ali, iniciou a construção de uma casa 
simples para morar com a família. No entanto, Antônio 
devia ao GRANBANK por um mútuo que havia realizado 
para pagar tratamento dentário. Tal empréstimo estava 
sendo executado pelo banco. O juiz da execução, a pedi-
do do banco, ordenou a penhora do terreno onde estava 
sendo edificada a casa. Antônio, desesperado, precisa 
alegar alguma defesa a seu favor. Marque a alternativa 
que corresponda a uma defesa adequada.
(A) Poderá alegar impenhorabilidade do imóvel, com 
fundamento no fato de que não está edificado.
(B) Poderá alegar que o imóvel é considerado bem de 
família.
(C) Não há defesa a ser apresentada por Antônio, posto 
que não reside no imóvel.
(D) Antônio somente poderá desfazer a penhora caso 
efetue o pagamento integral da dívida.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
ECA
Patrícia Dreyer
42 
Júnior, adolescente com 17 anos, foi apreendido em fla-
grante ao praticar ato infracional análogo a latrocínio, 
na cidade de Catolé do Rocha, Paraíba. Transcorrido o 
processo para apuração do ato infracional, o juízo da-
quela localidade entendeu que a medida cabível seria a 
medida socioeducativa de internação a ser cumprida em 
cidade próxima, já que em Catolé do Rocha não há uni-
dade de internação para menores infratores. A família 
de Júnior, indignada com a decisão judicial, procura você 
como advogado(a), para responder a vários questiona-
mentos, ao que você responde acertadamenteque:
(A) quando Júnior completar 18 anos, terá de ser libe-
rado, pois as medidas socioeducativas somente são 
aplicadas até que o indivíduo alcance a maioridade.
(B) a intimação da sentença que aplicar medida de inter-
nação será feita ao adolescente ou ao seu defensor.
(C) se Júnior ficar internado provisoriamente, o prazo 
máximo e improrrogável para a conclusão do proce-
dimento será de quarenta e cinco dias corridos.
(D) o adolescente apreendido em flagrante de ato infra-
cional será, desde logo, encaminhado ao Juízo da In-
fância e Juventude.
43 
Pedro, policial, vem investigando há meses crimes con-
tra a dignidade sexual de crianças e adolescentes. Para 
isso, percebeu que será necessário se infiltrar na inter-
net para descobrir e destruir uma organização criminosa 
que pratica tais ilícitos. Sobre a infiltração de agentes, 
assinale a alternativa correta.
(A) As informações da operação de infiltração serão encami-
nhadas diretamente ao Ministério Público e ao Delegado 
responsável pela operação, que zelará por seu sigilo.
(B) A infiltração não poderá exceder o prazo de 90 (no-
venta) dias, sem prejuízo de eventuais renovações, 
desde que o total não exceda a 365 (trezentos e ses-
senta e cinco) dias e seja demonstrada sua efetiva 
necessidade, a critério da autoridade judicial.
(C) A infiltração de agentes de polícia na internet com o 
fim de investigar os crimes contra a dignidade sexual 
de crianças e adolescentes será precedida de autori-
zação judicial devidamente circunstanciada e funda-
mentada, que estabelecerá os limites da infiltração 
para obtenção de prova, ouvido o Ministério Público.
(D) Concluída a investigação, todos os atos eletrônicos prati-
cados durante a operação deverão ser registrados, grava-
dos, armazenados e encaminhados ao Ministério Público 
que, por sua vez, encaminhará todos os documentos ao 
juiz, juntamente com relatório circunstanciado.
44 
Lorena fez uma compra de passagens com "pontos" pela 
internet de Brasília para Amstersdã para desfrutar de 
suas férias no verão europeu. Todavia, em razão de seu 
intenso ritmo de trabalho, terá de adiar a viagem por 
uns meses. Diante disso, tentou fazer o cancelamento 
da viagem diretamente pela internet e foi surpreendida 
com a notícia de que teria de comparecer a uma loja físi-
ca para pedir o cancelamento e o reembolso dos pontos 
ou a remarcação da viagem. Diante do fato, Lorena fica 
indignada e procura você como advogado(a) que, acer-
tadamente, responde que:
(A) a empresa aérea que disponibilizar a opção de resga-
te de passagens aéreas com "pontos" pela internet 
não é obrigada a assegurar que o cancelamento ou 
reembolso dessas seja solicitado pelo mesmo meio, 
mas por pelo menos um dos canais de atendimento.
(B) Se Lorena não aparecer na ida, mas quiser somente 
voltar pelo pacote de ida e volta contratado, é lícita a 
prática comercial consistente no cancelamento uni-
lateral e automático de um dos trechos da passagem 
aérea, sob a justificativa de não ter o passageiro se 
apresentado para embarque no voo antecedente.
(C) A empresa aérea que disponibilizar a opção de resga-
te de passagens aéreas com "pontos" pela internet é 
obrigada a assegurar que o cancelamento ou reem-
bolso dessas seja solicitado pelo mesmo meio.
(D) Se Lorena resolver viajar e a companhia aérea, além 
de atrasar desarrazoadamente, deixar de atender 
aos apelos desta, furtando-se a fornecer tanto infor-
mações claras acerca do prosseguimento da viagem 
(em especial, relativamente ao novo horário de em-
barque e ao motivo do atraso) quanto alimentação 
e hospedagem (obrigando-o a pernoitar no próprio 
aeroporto), tem-se por configurado dano moral in-
denizável que exige demonstração de prejuízo por 
parte da consumidora.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
CDC
Patrícia Dreyer
45 
Nestor, professor de Direito Civil, resolve contratar um 
pacote de viagens na Agência Viaje Feliz, na cidade onde 
mora, Varginha-MG, para conhecer o Rio Grande do Sul 
e, especialmente, o Vale dos Vinhedos. Nestor embarca, 
então, para Porto Alegre e, ao chegar ao aeroporto, é 
surpreendido com a notícia de que não há transfer con-
tratado para ir de Porto Alegre ao Vale dos Vinhedos, 
não há hotel reservado, nem passagem de volta para 
sua cidade. Nestor tem, então, que arcar com todos os 
custos da viagem para não perder o passeio com sua fa-
mília. Ao retornar, Nestor ajuíza ação de reparação civil 
contra a Agência, mas descobre que houve o encerra-
mento das atividades dela, vez que a empresa praticou 
vários golpes contra os consumidores. Nestor, então, 
tem a ideia de promover o incidente de desconsidera-
ção da personalidade jurídica para alcançar o patrimô-
nio dos sócios e administradores da empresa. Descobre 
que os sócios não têm patrimônio a ser alcançado, mas 
o administrador não sócio tem patrimônio considerável, 
capaz de indenizá-lo. O juiz, todavia, indefere o pedido 
de desconsideração da personalidade jurídica formula-
do por Nestor que pretendia alcançar o patrimônio do 
administrador não sócio. A decisão judicial está:
(A) incorreta, porque há provas do abuso da personali-
dade jurídica.
(B) incorreta, porque a desconsideração também será 
efetivada quando do encerramento ou inatividade 
da pessoa jurídica provocados por má administração.
(C) incorreta, pois o CDC diz que o mero obstáculo à in-
denização do consumidor permite a desconsidera-
ção da personalidade jurídica.
(D) correta, pois para fins de aplicação da Teoria Menor 
da desconsideração da personalidade jurídica, o CDC 
não dá margem para admitir a responsabilização 
pessoal de quem não integra o quadro societário da 
empresa (administrador não sócio).
Direito Empresarial
Renato Borelli
46 
Miss Robs (nome artístico de Roberta) é uma famosa ar-
tista em sua cidade, Caruaru/PE, e possui grandes habili-
dades com instrumentos musicais.
Pensando em compartilhar seu dom com outras pessoas, 
resolveu dar aulas particulares. O sucesso foi tamanho 
que alugou um estúdio, comprou diversos instrumentos 
e equipamentos, contratou professores para lecionarem 
com ela, passando o estúdio, assim, a ser chamado Nú-
cleo Caruaruense de Música Miss Robs. 
Com base em tais informações e nas disposições do Có-
digo Civil, é correto afirmar que:
(A) Roberta não é empresária, porque exerce atividade 
intelectual, de natureza artística.
(B) a atividade pode ser considerada como empresa, 
mas Roberta somente será empresária quando hou-
ver seu registro perante o Registro Público de Empre-
sas Mercantis de Caruaru/PE.
(C) Roberta é empresária, independentemente da sua 
falta de inscrição no Registro Público de Empresas 
Mercantis.
(D) Roberta precisa registrar o Núcleo Caruaruense 
de Música Miss Robs para que ela se torne uma 
empresa.
47 
Gustavo Brito e Nilton do Couto, sócios da Brito e Do 
Couto Ltda., sofreram um acidente de carro em que Bri-
to saiu gravemente ferido. Após várias intervenções mé-
dicas, Gustavo Brito encontra-se em coma, com grande 
probabilidade de morte ou danos cerebrais irreversíveis. 
À luz do Código Civil e em especial da legislação aplicável 
ao caso, é correto afirmar que:
(A) caso Gustavo Brito se torne incapaz permanente-
mente de exprimir sua vontade, a empresa será dis-
solvida.
(B) se Gustavo Brito vier a óbito, Nilton do Couto pode 
continuar com o nome do amigo na firma social da 
empresa.
(C) a sociedade limitada Brito e Do Couto Ltda. não pode 
ser constituída por uma pessoa.
(D) A quota de Brito não será liquidada em razão de sua 
morte, caso o contrato dispuser diferente.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
48 
A famosa advogada e socialite Rachel Buena Vista en-
controu sua casa dos sonhos, no famoso bairro Lago Sul, 
em Brasília.
Como já havia ingressado na sociedade Buena Vista e 
Queiroz Advogados, acabou empreendendo grande par-
te de seu patrimônio. Rachel, para comprar a sonhada 
casa, precisou realizar um contrato de alienação fiduciá-ria com a instituição financeira Brígido Bank. Sobre esse 
contrato, é correto afirmar que:
(A) Rachel Buena Vista somente poderá utilizar a casa 
quando o contrato de alienação estiver completa-
mente quitado.
(B) Na alienação fiduciária, a coisa (móvel ou imóvel) 
constitui-se na própria garantia do pagamento.
(C) Para a constituição de propriedade fiduciária da 
casa, é necessário o registro do contrato, celebrado 
por meio de instrumento público, no Cartório de Tí-
tulos e Documentos.
(D) Após a quitação da dívida e encargos, o banco deverá 
fornecer o termo de quitação a Rachel Buena Vista, 
em até 6 (seis) meses, sob pena de multa equivalen-
te a 10% o valor do contrato por mês de atraso.
49 
Eugênio, microempresário individual, atuante na área 
de produtos naturais e alimentícios, emitiu nota pro-
missória no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) com 
vencimento em 07/01/2023, que foi endossada por Pa-
trícia, em 19/01/2023. Em razão da falta de pagamento, 
Rubens procedeu no dia seguinte ao vencimento do pro-
testo do título. Nesse caso, levando-se em consideração 
as disposições relativas ao título de crédito em espécie, 
é correto afirmar que:
(A) somente Eugênio poderá ser responsável pelo paga-
mento da nota promissória, posto que ele é o seu 
emitente.
(B) eventual ação cambial do portador contra Patrícia 
deve ser ajuizada no prazo de 03 (três) anos conta-
dos da data do protesto.
(C) Patrícia tem 6 (seis) meses para ingressar com ação 
regressiva contra Eugênio, contados da data do pa-
gamento.
(D) todas as ações contra o aceitante relativas a letras 
prescrevem em cinco anos a contar do seu ven-
cimento.
50 
Maria Christina, advogada e contadora experiente, 
atuou como administradora judicial em ação falimentar 
de renomada rede de varejo e, depois de muito traba-
lho e dedicação, possui direito legal a sua remuneração. 
Carlos Silva possui um crédito trabalhista de 4 (quatro) 
salários mínimos, de natureza estritamente salarial, ven-
cidos nos 3 (três) meses anteriores à decretação da fa-
lência. Felipe Dalê tem direito à restituição em dinheiro 
de um bem seu que estava em poder do devedor na data 
da decretação da falência e foi vendido. Com relação 
à situação desses credores, e levando-se em conside-
ração as disposições da Lei n. 11.101/2005, é correto 
dizer que:
(A) Carlos Silva terá precedência na ordem de pagamen-
to, enquanto Felipe Dalê se enquadrará na situação 
de credor quirografário; e Maria Christina somente 
receberá ao final do pagamento de todos.
(B) todos se encontram na condição de créditos extra-
concursais e serão pagos com precedência; e entre 
eles a ordem de pagamento será: Carlos Silva, Felipe 
Dalê e Maria Christina.
(C) Maria Christina será a primeira a receber, seguida 
de Carlos Silva e, ao final, Felipe Dalê. Contudo, pri-
meiramente, deverão ser pagos os tributos relativos 
a fatos geradores ocorridos após a decretação da 
falência.
(D) todos possuem créditos com privilégios especiais e 
deverão ser pagos com precedência aos demais cre-
dores, mas sem haver preferência entre eles.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
Direito Processual Civil
Raquel Bueno
51 
Ana Luíza, após vinte anos casada com Edvaldo, resolve 
se divorciar após as festas de Natal, uma vez que, duran-
te a ceia em família, depois de ter ingerido grande quan-
tidade de bebida alcoólica, o marido se descontrolou e 
a agrediu, acusando-a de traição com um dos cunhados, 
afirmação esta que restou não comprovada. Ressalte-se 
que o casal não possui filhos e que Edvaldo, arrependi-
do, não concorda com o divórcio. Ana Luíza mudou-se 
do domicílio conjugal (Piracanjuba-GO) para Rio Verde-
-GO, tendo o marido permanecido no imóvel do casal. A 
partir destes fatos, assinale a opção correta.
(A) Ana Luíza poderá promover o divórcio em cartório, 
mediante escritura pública, desde que esteja acom-
panhada por advogado ou defensor público.
(B) O foro competente para o divórcio judicial é Rio 
Verde-GO.
(C) O foro competente para o divórcio judicial é Piracan-
juba-GO.
(D) Caso Ana Luíza tivesse permanecido no domicílio 
conjugal, com o consequente afastamento do mari-
do, seria devido aluguel proporcional do imóvel do 
casal para este último.
52 
Sarah, empresária de sucesso do ramo estético, teve 
um mal súbito, e ao ser atendida na emergência de um 
hospital particular, o médico recomendou imediata in-
tervenção cirúrgica, negada indevidamente pelo plano 
de saúde. Inconformada, entrou em contato com sua 
advogada Helena, requerendo que fosse tomada algu-
ma providência judicial rápida, a fim de resguardar sua 
vida. Helena então requereu uma tutela provisória de 
urgência antecipada antecedente, tendo o juiz compe-
tente condicionado a concessão da tutela provisória à 
prestação de caução. A partir deste cenário, assinale a 
opção correta.
(A) Pelo Princípio da Inafastabilidade da Jurisdição, o 
juiz não poderia condicionar a concessão da tutela 
jurisdicional provisória de urgência à prestação de 
caução.
(B) A tutela jurisdicional provisória de urgência requeri-
da exige apenas dois requisitos: probabilidade do di-
reito invocado e perigo de dano ou risco ao resultado 
útil do processo.
(C) Nesta situação, caso o juiz entendesse não se tratar 
de hipótese de tutela provisória de urgência anteci-
pada antecedente, seria concedido à autora o prazo 
de 15 dias para a emenda da petição inicial.
(D) Uma vez concedida a tutela provisória de urgência 
antecipada antecedente, a autora terá o prazo de 15 
dias ou mais para o aditamento de sua petição inicial, 
nos mesmos autos, sem incidência de novas custas 
processuais.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
53 
Madalena, ao receber R$ 200.000,00 (duzentos mil re-
ais) de herança, adquiriu os eventuais direitos e obriga-
ções sobre um lote situado em Cabo Frio-RJ, de Olavo, 
que os adquiriu de Pedro, que os adquiriu de Lúcio, que 
os adquiriu de Eliomar. Todavia, Madalena é demandada 
por Sofia, verdadeira titular de tais direitos. Desespera-
da, procura o Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade de 
Direito local para fazer sua defesa, bem como resguardar 
seus direitos em relação à Olavo, de quem adquiriu os 
tais direitos sobre o lote, a título oneroso. A partir deste 
cenário, assinale a resposta correta.
(A) Madalena terá 30 dias para contestar, podendo ale-
gar em preliminar sua ilegitimidade passiva.
(B) Madalena terá 30 dias para contestar, podendo pro-
mover a denunciação da lide em relação à Olavo, no 
corpo da contestação.
(C) Madalena terá 15 dias para contestar, podendo pro-
mover a denunciação da lide em relação à Olavo, no 
corpo da contestação.
(D) Madalena terá 30 dias para contestar, podendo pro-
mover a denunciação da lide em relação à Eliomar, 
no corpo da contestação.
54 
Cosme ajuizou uma ação de cobrança em face de Edgar. 
Após o devido processo legal, recebeu uma sentença 
totalmente favorável. Todavia, inconformado, Edgar re-
solveu recorrer, tendo o recurso sido admitido no duplo 
efeito. Entretanto, Cosme sabe da existência de um úni-
co imóvel penhorável do devedor, razão pela qual quer 
garantir o êxito da futura etapa de cumprimento de sen-
tença, por meio de uma posição privilegiada de credor. 
Neste contexto, assinale a opção correta.
(A) Cosme poderá requerer o cumprimento provisório 
da sentença.
(B) Cosme pode promover a hipoteca judiciária, desde 
que haja prévia autorização judicial.
(C) Cosme poderá pedir uma certidão premonitória, 
averbando-a no Cartório de Imóveis competente.
(D) Cosme pode promover a hipoteca judiciária, me-
diante simples apresentação da cópia da sentença 
perante o Cartório de Imóveis competente, indepen-
dentemente de prévia autorização judicial, com a 
consequente comunicação ao juízo da causa.
55 
Georgiana, residente e domiciliada em Brasília-DF, ajui-
zou uma ação indenizatória em face do Canadá, perante 
a 1ª Vara Federal da seção judiciária do Distrito Fede-
ral. Apóso devido processo legal, seus pedidos foram 
julgados integralmente improcedentes. Inconformada, 
a autora procura sua advogada Pâmela, a fim de tomar 
uma providência processual apta a modificar o resultado 
negativo. Considerando a realidade narrada, o caminho 
processual indicado é:
(A) Apelação a ser interposta perante o Tribunal Regio-
nal Federal da 1ª Região, no prazo de 15 dias.
(B) Apelação a ser interposta perante o juízo a quo, no 
prazo de 15 dias.
(C) Recurso ordinário constitucional, a ser interposto pe-
rante o juízo a quo, no prazo de 15 dias.
(D) Recurso ordinário constitucional, a ser interposto 
perante o Superior Tribunal de Justiça, no prazo de 
15 dias.
56 
Lívia foi citada em uma execução de título executivo ex-
trajudicial promovida por Dora. Considerando que não 
foi efetuado o pagamento da dívida de R$ 100.000,00 
no prazo legal, tendo escoado o prazo para apresentação 
de embargos à execução, foi requerida pela exequente a 
penhora on-line, que, todavia, restou infrutífera. Poste-
riormente, foi obtida a penhora de um veículo de titulari-
dade da devedora, quitado, e avaliado em R$ 80.000,00. 
A partir destas informações, marque a assertiva correta.
(A) Será dada preferência à adjudicação do bem em favor de 
Dora, respeitando-se o valor da avaliação, e consequente 
prosseguimento da execução pelo valor remanescente.
(B) O referido bem penhorado não poderá ser adjudica-
do pelo cônjuge, companheiro, ascendentes ou des-
cendentes da executada.
(C) Caso o bem não seja adjudicado pela exequente, Lívia 
terá direito de requerer o parcelamento do débito.
(D) Será dada preferência à alienação judicial por inicia-
tiva particular ao invés da adjudicação.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
57 
Marta promoveu uma ação em face de Elaine. Após de-
cisão final favorável à autora, diante da demora na sua 
publicação, Marta perguntou a seu advogado Leandro se 
este não poderia agilizar a ciência do advogado da parte 
contrária, a fim de que o prazo recursal já se iniciasse, 
no intuito de obter o trânsito em julgado de forma mais 
rápida, caso não houvesse interposição de recurso, com 
a consequente instauração da fase executiva. A partir 
destas informações, assinale a opção certa segundo o 
CPC vigente:
(A) O advogado Leandro pode intimar o advogado de 
Elaine por meio de mensagem via WhatsApp.
(B) O advogado Leandro pode intimar o advogado 
de Elaine pelo correio, com aviso de recebimen-
to, instruindo o ofício de intimação com a cópia da 
sentença.
(C) No caso apresentado, a intimação só poderá ocorrer 
judicialmente.
(D) Caso a intimação seja enviada pelo advogado Lean-
dro ao advogado de Elaine, via correio, ao endereço 
mencionado no processo, tal intimação não será vá-
lida se não recebida pessoalmente pelo causídico de 
Elaine, em virtude de mudança temporária de ende-
reço não informada nos autos.
Direito Penal
Michelle Tonon
58 
Tatiana foi condenada em janeiro de 2022 pela prática 
do crime de estelionato. Na dosimetria, o juiz, na pri-
meira fase, exasperou a pena-base, ao argumento de 
que Tatiana tinha plena consciência da ilicitude de sua 
conduta. Além disso, considerou ações penais em curso 
e inquéritos policiais como conduta social negativa. Na 
segunda fase, não considerou a atenuante da confissão 
espontânea, sob o fundamento de que Tatiana admitiu 
apenas parcialmente os fatos narrados na denúncia. In-
conformada e desejando recorrer da sentença, Tatiana 
procura você, advogado(a).
Considerando a jurisprudência e o entendimento sumu-
lado do STJ sobre a dosimetria da pena, assinale a alter-
nativa correta.
(A) A afirmação de que Tatiana possuía plena consci-
ência da ilicitude de sua conduta não é idônea para 
exasperação da pena-base, pois constitui elemento 
ínsito ao delito.
(B) Inquéritos policiais e ações penais em curso podem 
ser considerados para exasperar a pena-base.
(C) A dosimetria da pena está correta, em consonância 
com a jurisprudência dos Tribunais Superiores, não 
havendo argumento para um recurso de apelação.
(D) Somente a confissão espontânea e completa, sobre 
todos os fatos articulados na denúncia, autoriza a in-
cidência da atenuante genérica, na segunda fase da 
dosimetria.
59 
Maurício, 33 anos, subtraiu cerca de 3 mil reais em di-
nheiro de seu pai, Lucas, 64 anos, para adquirir uma 
moto seminova e trabalhar como entregador.
Considerando as disposições legais pertinentes, con-
sultado por Lucas acerca da responsabilidade penal de 
Maurício, você deverá explicar que:
(A) Maurício praticou conduta atípica, pois é herdeiro 
de Lucas.
(B) Maurício é isento de pena, visto que praticou crime 
de furto em prejuízo de seu ascendente. 
(C) Maurício praticou crime impossível, pois em prejuízo 
de seu pai.
(D) Maurício não é isento de pena.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
60 
Felipe, jovem de 24 anos, foi a um show na cidade de 
São Paulo no dia 18 de dezembro de 2022. Durante a 
apresentação da banda, Felipe percebeu que João esta-
va distraído, dançando e cantando e, aproveitando-se da 
circunstância, subtraiu o telefone celular que estava no 
bolso traseiro da calça de João. O aparelho custou a João 
cerca de 7 mil reais. No dia seguinte ao show, João foi 
até a delegacia e comunicou o fato. Passados três dias 
do ocorrido, em 21 de dezembro de 2022, Felipe foi con-
vencido por sua namorada, Bruna, a devolver o celular, 
o que de fato foi feito, na mesma delegacia onde João 
registrara a ocorrência.
Apesar disso, em 10 de janeiro de 2023, o Ministério Pú-
blico denunciou Felipe como incurso nas penas do art. 
155, § 4º, II, do CP (furto qualificado pela destreza).
Considerando apenas os fatos narrados, na orienta-
ção jurídica a Felipe, você, advogado/a, deverá es-
clarecer que:
(A) houve arrependimento eficaz, considerando que Fe-
lipe impediu a produção do resultado.
(B) houve desistência voluntária, visto que Felipe de-
sistiu voluntariamente de seguir com a execução 
do furto.
(C) houve arrependimento posterior, fazendo Felipe jus 
à causa de diminuição de pena.
(D) a conduta de Felipe é atípica, considerando o princí-
pio da insignificância e a devolução do celular a João.
61 
Carlos e Diana terminaram, em agosto de 2022, um rela-
cionamento amoroso de cerca de três anos. Entretanto, 
Diana não se conforma e, diariamente, espera Carlos na 
saída do trabalho, seguindo-o até em casa. Diana tam-
bém faz ligações telefônicas várias vezes ao dia e manda 
mensagens por aplicativos de conversas instantâneas 
e redes sociais. Tais comportamentos já se prolongam 
por um mês. Preocupado com a situação, Carlos procura 
você, advogado/a, para aconselhamento jurídico. Nessa 
situação, você deverá explicar a Carlos que:
(A) Diana pode ser penalmente responsabilizada pela 
contravenção penal de perturbação da tranquilidade.
(B) Diana pode ser penalmente responsabilizada pelo 
crime de perseguição, devendo Carlos comparecer à 
delegacia de polícia e representar pela apuração cri-
minal dos fatos.
(C) A conduta de Diana é atípica, representando mero 
dissabor a Carlos, que poderá pleitear uma indeniza-
ção na esfera cível.
(D) A conduta de Diana caracteriza o crime de violência 
psicológica, tipificado no Código Penal.
62 
Cleverson, completamente embriagado após passar a 
tarde assistindo jogo de futebol em um bar, foi ao ce-
mitério da cidade e se dirigiu à sepultura de Fábio, um 
antigo desafeto. Com um pedaço de madeira que encon-
trou, desferiu vários golpes contra a sepultura, quebran-
do quadros, vasos e vidros que ali haviam sido colocados 
pelos familiares de Fábio, em sua homenagem. Com o 
barulho dos objetos quebrados, seguranças acionaram 
a polícia, que prendeu Cleverson em flagrante. Conside-
rando o caso narrado, assinale a alternativa correta.
(A) A embriaguez completa de Cleverson caracteriza-se 
como excludente de culpabilidade.
(B) A conduta de Cleverson tipifica-se como crime de 
violação de sepultura, já que o respeitoaos mortos é 
bem jurídico tutelado pelo Código Penal.
(C) Tendo em vista que Cleverson estava completamente 
embriagado e que não tinha intenção de profanar a 
sepultura, configura-se apenas crime de dano ao pa-
trimônio.
(D) A conduta de Cleverson é atípica, gerando apenas 
indenização na esfera cível aos herdeiros de Fábio, 
pelos danos morais e materiais.
63 
Euclides, 45 anos, primário, porém com ação penal em 
curso pela suposta prática do crime de furto, foi preso 
em flagrante com 15 gramas de cocaína, divididos em 
cinco pequenas embalagens, e uma balança de precisão, 
além de R$ 550,00 (quinhentos e cinquenta reais), em 
notas trocadas. Considerando a situação hipotética, assi-
nale a opção correta com base na legislação e no enten-
dimento do Superior Tribunal de Justiça.
(A) A pequena quantidade de substância entorpecente 
apreendida permite a aplicação do princípio da in-
significância ao crime de tráfico de drogas, por ser 
delito de perigo abstrato.
(B) Considerando a existência de uma ação penal em 
curso, Euclides não poderá ser beneficiado pela cau-
sa de diminuição de pena do tráfico privilegiado.
(C) Euclides praticou o crime de associação para o trá-
fico de drogas, considerando as condições de acon-
dicionamento da substância, em diferentes porções, 
a apreensão de balança de precisão e de quantia de 
dinheiro trocado em espécie.
(D) Euclides poderá ser beneficiado pela incidência da 
causa de diminuição de pena do tráfico privilegiado, 
pois, segundo entendimento mais atual da jurispru-
dência, ações penais em curso não podem obstar a 
benesse.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
Direito Processual Penal
Lorena Ocampos
64 
Jônatas, morador do Rio de Janeiro, recebeu uma men-
sagem pelo celular que oferecia a ele um empréstimo. 
Imediatamente, diante das dificuldades financeiras, Jô-
natas entrou em contato para contratar um empréstimo 
no valor de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) 
e, para tanto, depositou, a título de “custas”, um valor 
de R$ 10.000,00 (dez mil reais) em uma conta corren-
te vinculada a uma agência bancária localizada em São 
Paulo. A conta pertencia a Bruno, morador do Goiânia. 
Somente depois da transferência percebeu se tratar de 
uma fraude e nunca recebeu os R$ 150.000,00 (cento e 
cinquenta mil reais). Jônatas, quando percebeu ser víti-
ma de um golpe, estava com a sua família a trabalho na 
cidade de Brasília e decidiu registrar a ocorrência nesta 
cidade. A competência para instruir e julgar o delito aci-
ma narrado será
(A) de Brasília.
(B) de São Paulo.
(C) de Goiânia.
(D) do Rio de Janeiro.
65 
Analise a seguinte situação hipotética: Gustavo cumpre 
pena há dois anos em Belo Horizonte/MG por condena-
ção definitiva por crime de roubo. Na comarca de Unaí/
MG foi oferecida e recebida denúncia contra Gustavo 
pela prática de crime de latrocínio consumado na cidade 
de Unaí/MG, na data de 12/4/2022. O juiz determinou 
a citação de Gustavo, mas o acusado não foi localizado 
nos endereços oferecidos pelo Ministério Público na de-
núncia. Não havia informação nos autos de que Gusta-
vo cumpria pena na cidade de Belo horizonte/MG. Foi 
determinada, então, a citação por edital de Gustavo. A 
respeito do caso acima, é correto afirmar que:
(A) a citação por edital é nula, devendo Gustavo ser cita-
do de forma pessoal.
(B) encontrando-se preso o réu, a sua requisição ao pre-
sídio de Belo Horizonte/MG supre a citação.
(C) a citação é válida porque cabe à defesa do réu in-
formar ao juízo sobre a sua localização, o que não 
foi feito.
(D) a citação é válida, em razão de encontrar-se preso 
em outra cidade.
66 
O procedimento comum é dividido em comum ordiná-
rio, sumário e sumaríssimo, nos termos do art. 394 do 
Código de Processo Penal. Suponha que Breno foi de-
nunciado pelo delito de roubo simples, que possui pena 
máxima em abstrato de 10 anos, e que, após o ofereci-
mento e recebimento da denúncia, o réu tenha sido ci-
tado e a defesa tenha apresentado resposta à acusação 
requerendo a absolvição sumária de Breno por diversos 
motivos. De acordo com o art. 397 do Código de Pro-
cesso Penal, aponte qual motivo abaixo pode conduzir à 
absolvição sumária de Breno.
(A) Não existir prova de que o réu concorreu para 
o roubo.
(B) Existência manifesta da semi-imputabilidade do 
agente.
(C) Existência manifesta de inimputabilidade do agente.
(D) Existência manifesta de causa de legítima defesa.
67 
Analise a seguinte situação hipotética: João é juiz de 
direito no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, tendo 
tomado posse no dia 4/5/2016. Em 19/3/2022, o magis-
trado, no exercício de suas funções, compareceu ao 2º 
ofício de notas da cidade do Rio de Janeiro para realizar 
diligência de correção extrajudicial. No local, foi recebi-
do pelo funcionário Ricardo. Durante a realização da di-
ligência, os dois vieram a se desentender e João desferiu 
diversos socos e chutes em Ricardo que veio a cair e ba-
ter com a cabeça na quina da bancada do cartório. Dias 
depois, em razão das lesões sofridas, sobretudo da bati-
da na cabeça, Ricardo veio a falecer. Recebidos os autos 
do inquérito policial pelo Ministério Público, foi ofereci-
da denúncia pelo crime de homicídio com dolo eventual 
em relação ao resultado morte. Aponte em qual órgão a 
denúncia foi oferecida.
(A) Superior Tribunal de Justiça.
(B) Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.
(C) Tribunal do Júri do Rio de Janeiro.
(D) Vara Criminal do Rio de Janeiro.
2º Simulado – OAB – 1ª Fase do Exame 37º – Cod. 1212023220 Pós-Edital
68 
Analise a seguinte situação hipotética: Consta dos autos 
que Marcos foi denunciado pela suposta prática de cri-
me de estupro de vulnerável de sua filha. O acusado foi 
denunciado, o juiz recebeu a denúncia, foi determina-
da a citação do réu e a defesa. Em resposta à acusação, 
arrolou a esposa de Marcos como testemunha para ser 
ouvida em audiência de instrução e julgamento. Consta 
dos autos que a esposa de Marcos foi a única que soube 
do caso, não havendo demais testemunhas para serem 
ouvidas ou demais provas para serem colhidas. Sobre o 
tema prova testemunhal no processo penal, é correto 
afirmar que nesse caso a esposa de Marcos:
(A) é proibida de depor em razão da função, ministério, 
ofício ou profissão, somente sendo autorizada sua 
oitiva se assim quiser e houver autorização do de-
nunciado, nos termos do art. 207 do Código de Pro-
cesso Penal.
(B) deverá ser ouvida na condição de informante, nos ter-
mos dos arts. 206 e 208 do Código de Processo Penal.
(C) será ouvida diretamente pelo juiz que formulará as 
perguntas primeiro à testemunha. Somente ao final 
as partes poderão complementar com perguntas que 
tiverem interesse.
(D) será ouvida no último momento da audiência de ins-
trução e julgamento, após a colheita do depoimen-
to da vítima e após a realização do interrogatório 
do réu.
69 
A prisão temporária está prevista na Lei n. 7.960/1989 e 
é aquela que visa assegurar uma eficaz investigação po-
licial, quando se tratar de apuração de infração penal de 
natureza grave. A respeito do tema, considere a seguinte 
situação: Pedro é investigado por crime de cárcere priva-
do de sua esposa, Júlia, e foi preso temporariamente na 
data de hoje. Sobre o tema, assinale a afirmativa correta.
(A) A prisão temporária pode ter sido decretada de ofí-
cio pelo juiz, independentemente de requerimento 
do Ministério Público ou de representação da autori-
dade policial.
(B) Se o crime investigado no inquérito policial for he-
diondo ou equiparado a hediondo, o prazo da prisão 
temporária será fixado em, no máximo, quinze dias, 
prorrogáveis uma vez por igual período.
(C) Decorrido o prazo da prisão temporária de Pedro, a 
autoridade responsável deverá pôr imediatamente 
Pedro em liberdade, salvo se já tiver sido comunica-
da da prorrogação da prisão temporária ou da decre-
tação da prisão preventiva.
(D) Pedro poderá permanecer junto aos presos preventi-
vos e aos condenados definitivos.
Direito do

Outros materiais