Buscar

REDES DE LONGA DISTÂNCIA - ATIV 1

Prévia do material em texto

REDES DE LONGA DISTÂNCIA – ATIV 1
________________________________________________________________________________________________
Em redes de dados, quando se escolhe o método de troca de informações, faz toda a diferença o desempenho e 
performance de rede. Pensando nisso, podemos compreender que o tipo transmissão e ajustes depende da espécie de 
informação que está sendo encaminhada e qual a natureza da rede de dados. O processo de comutação de circuito e 
comutação de pacote tem influência nessa questão; então, seria interessante pesquisar e entender a diferença entre 
eles para se elaborar um bom projeto de infraestrutura de redes de dados. Com base nessas informações, o que 
acontece com o dado, ao longo do caminho de rede, ao se usar o serviço de comutação de pacotes? 
Olá ALUNO.
Para responder a questão, envie um arquivo ou escreva sua resposta na caixa de texto abaixo.
Formato de arquivos aceitos: doc, docx, odt, pdf, rtf ou txt. Tamanho máximo: 5mb.
Importante: será aceito apenas uma submissão para essa atividade. 
________________________________________________________________________________________________
RES.: 
Ao utilizar o serviço de comutação de pacotes em uma rede de dados, o processo de transmissão ocorre da seguinte 
forma:
1. Segmentação dos Dados: Os dados a serem transmitidos são divididos em pacotes menores. Cada pacote 
contém uma parte dos dados, juntamente com informações de controle, como endereço de origem e destino, 
para orientar a rota correta na rede.
2. Roteamento Dinâmico: Os pacotes são enviados para a rede e podem seguir caminhos diferentes até o 
destino. O roteamento é dinâmico, o que significa que os pacotes podem ser direcionados por diferentes 
caminhos com base nas condições da rede. Isso é gerenciado pelos roteadores, que tomam decisões em 
tempo real sobre o melhor caminho para cada pacote.
3. Possíveis Desvios e Roteamento Redundante: Devido à natureza dinâmica da comutação de pacotes, pode 
haver desvios ou rotas alternativas para evitar congestionamentos ou falhas na rede. Isso contribui para a 
robustez e confiabilidade da comunicação, uma vez que os pacotes podem encontrar caminhos alternativos 
em caso de problemas na rede.
4. Comutação de Pacotes em Nós Intermediários: Nos nós intermediários da rede, como roteadores, os pacotes 
são recebidos, temporariamente armazenados e encaminhados para o próximo salto na rota. Isso permite 
uma gestão mais eficiente dos recursos de rede, já que os pacotes podem ser processados conforme a 
disponibilidade de largura de banda.
5. Atrasos Variáveis: Como os pacotes podem seguir caminhos diferentes, podem experimentar atrasos variáveis 
ao longo do caminho. Isso contrasta com a comutação de circuito, onde um caminho dedicado é estabelecido, 
resultando em atrasos mais previsíveis.
6. Reordenamento e Reagrupamento: No destino, os pacotes são reagrupados e reordenados para reconstruir 
os dados originais. Esse processo ocorre devido à natureza independente dos pacotes durante a transmissão.
Assim, a comutação de pacotes oferece flexibilidade, eficiência na utilização de recursos e robustez na comunicação, 
mas pode resultar em atrasos variáveis devido à natureza dinâmica do roteamento. Esses fatores devem ser 
considerados ao elaborar um projeto de infraestrutura de redes de dados, especialmente levando em conta a natureza 
da informação a ser transmitida e os requisitos de desempenho da aplicação.

Continue navegando