Buscar

Manual da Massoterapia

Prévia do material em texto

SumárioCapa
1Manual de Massoterapia
MANUAL DE
MASSOTERAPIA
M
AN
U
AL D
EM
ASSO
TER
APIA
R
ogério M
oreira
Rogério Moreira
ORGANIZADOR
ISBN: 978-85-237-1063-7
9 7 8 8 5 2 3 7 1 0 6 3 7
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
MANUAL DE MASSOTERAPIA
 
 UNIVERSIDADE 
 FEDERAL DA PARAÍBA
 
 Reitora MARGARETH DE FÁTIMA FORMIGA MELO DINIZ
 Vice-Reitor EDUARDO RAMALHO RABENHORST
 EDITORA DA UFPB
 Diretora IZABEL FRANÇA DE LIMA
 
 Supervisão de Editoração ALMIR CORREIA DE VASCONCELLOS JÚNIOR
 Supervisão de Produção JOSÉ AUGUSTO DOS SANTOS FILHO
CONSELHO EDITORIAL
Aluísio Costa Filho (UFPB)
Ricardo Targino Moreira (UFPB)
Esmeralda Paranhos dos Santos (UFPB)
Jean Pierre Veronese (UFPB)
Marcelo Cavalcanti Rodrigues (UFPB)
Vivian Stumpf Maderia (UFPB)
Vital De Sousa Queiroz (UFPB)
Juliano Elvis Oliveira (UFPB)
Tibério Andrade dos Passos (UFPB)
Maria Do Socorro Márcia Lopes Souto (UFPB)
Geovany Jessé Alexandre Silva (UFPB)
Tarciso Cabral da Silva (UFPB)
José Marcílio Filgueiras Cruz (UFPB)
Andréa Brasiliano Silva(UFPB)
Luciano Costa Santos (UFPB)
Rogério Moreira
(Organizador)
MANUAL DE MASSOTERAPIA
Editora da UFPB
João Pessoa
2016
Autores colaboradores
Alessandra Feitosa Gonçalves
Brenda Brasileiro Guedes
Diedja Cleide da Silva Souza
Luanalice dos Anjo Leite
Luanny Bernardo de Medeiros
Mabelly Araújo Pessoa de Lima
Maria Alessandra Sipriano da Silva
Melquisedek Monteiro de Oliveira
Raissa Fernandes Rodrigues de Mendonça
Tâmara Cristina Guerra Lins
Copyright © 2014 EDITORA UFPB 
Efetuado o Depósito Legal na Biblioteca Nacional, 
conforme a Lei nº 10.994, de 14 de dezembro de 2004.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À EDITORA DA UFPB
De acordo com a Lei n. 9.610, de 19/2/1998, nenhuma parte 
deste livro pode ser fotocopiada, gravada, reproduzida ou 
armazenada num sistema de recuperação de informações 
ou transmitida sob qualquer forma ou por qualquer meio 
eletrônico ou mecânico sem o prévio consentimento do detentor 
dos direitos autorais.
O conteúdo desta publicação é de inteira responsabilidade dos 
autores.
 Projeto Gráfico EDITORA DA UFPB
 Editoração Eletrônica AMANDA PONTES 
 Design de Capa AMANDA PONTES
 
 Catalogação na fonte: 
 Biblioteca Central da Universidade Federal da Paraíba
M294 Manual de massoterapia [recurso eletrônico] / Organizador: 
 Rogério Moreira.-- João Pessoa: Editora da UFPB, 2015.
 CD-ROM; 43/4pol. (15.977kb) 
 ISBN: 978-85-237-1063-7
 1. Massagens - manual. 2. Massoterapia. 3. Drenagem 
 linfática. I. Moreira, Rogério. 
 
 
 
 CDU: 615.82(035)
 
 
EDITORA DA UFPB Cidade Universitária, Campus I – s/n
 João Pessoa – PB 
 CEP 58.051-970
 editora.ufpb.br
 editora@ufpb.edu.br
 Fone: (83) 3216.7147
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO.........................................................................8
OBJETIVOS.............................................................................9
CAPÍTULO I - MASSAGEM SUECA............................................10
Effleurage............................................................................................11
Petrissage ...........................................................................................12
Amassamento Reptante.....................................................................13
Amassamento Rolante.......................................................................13
Amassamento Pinçante.....................................................................14
Tapotage.............................................................................................14
Bordo Cubital....................................................................................15
Palmar..............................................................................................15
Mão em concha.................................................................................16
Punho Fechado (na vertical ou na horizontal)....................................16
Cutiladas...........................................................................................17
Tamborilamento ...............................................................................17
Fricção ................................................................................................17
Vibração..............................................................................................18
Rolamento..........................................................................................19
CAPÍTULO II - MASSAGEM FACIAL..........................................20
Deslizamentos a partir do centro da “testa” para a periferia...........20
Deslizamento nas pálpebras..............................................................21
Deslizamentos no nariz......................................................................21
Deslizamentos e movimentos circulares nas bochechas.................21
Deslizamento acima dos lábios.........................................................22
Deslizamento no queixo.....................................................................22
Deslizamento do pescoço para o queixo (“tapinhas”)......................22
Massagem nas orelhas.......................................................................23
CAPÍTULO III - MASSAGEM ABDOMINAL.................................25
Effleurage............................................................................................25
Diamante............................................................................................26
Ondulante...........................................................................................27
Mão em cuia........................................................................................28
Fricções...............................................................................................29
CAPÍTULO IV - MASSAGEM DO TECIDO CONJUNTIVO.............30
Palpação diagnóstica ou fricção diagnóstica....................................31
Evidência na palpação diagnóstica...................................................31
de duas ondas cutâneas.....................................................................31
Rolamento para quebra de aderências.............................................32
CAPÍTULO V - DRENAGEM LINFÁTICA.....................................34
Deslizamento em quatro tempos.......................................................35
Bombeamento para safena................................................................36
Bombeamento na lateral....................................................................36
Deslizamento alternado.....................................................................37
Compressão e descompressão..........................................................38
CAPÍTULO VI - MASSAGENS ORIENTAIS .................................40
Shiatsu ...............................................................................................40
Sequência de Abertura.......................................................................41
Técnicas............................................................................................42
Shantala .............................................................................................49
Massagem Ayuvédica.........................................................................56
Decúbito ventral................................................................................57Sentado............................................................................................64
Em decúbito dorsal............................................................................66
REFERÊNCIAS.......................................................................71
Capa Sumário
8Manual de Massoterapia
INTRODUÇÃO
A prática da massagem é tão antiga quanto o surgimento da 
humanidade. Acredita-se que o homem da caverna ao ser atacado por 
um animal ou inseto ou até mesmo ao ser acidentado, institivamente, 
deslizou a mão sobre o local do edema, dando início a massagem.
De acordo com Mario-Paul Cassar, a prática da massagem vem 
desde os tempos pré-históricos, com origens na índia, China, Japão, 
Grécia e Roma. A massagem tem sido mencionada na literatura desde 
tempos remotos, sendo a referência mais antiga de Huang Di, o impe-
rador Amarelo (que morreu em 2599 a.C.) e no tratado médico chinês 
conhecido como Nei Chang (por volta de 2760 a.C.) que apresenta des-
crições detalhadas de procedimentos semelhantes à massagem. 
A massagem também está descrita no livro sagrado dos hindus, 
Os Vedas, escrito em 1800 a.C, nas Pirâmides de SAKKA’RA no Egito e 
na Odisseia de Homero, que descrevia como soldados “dilacerados 
pela guerra” eram massageados, o que lhes trazia de volta a saúde. 
Escritos posteriores sobre a massagem foram desenvolvidos por eru-
ditos e médicos, como Hipócrates (460-360 a.C.) no século V a.C. e Avi-
cena e Ambrose Pare nos séculos X e XVI, respectivamente. Um livro 
muito famoso sobre massagem, The Book of Cong-Fou, foi traduzido 
por dois missionários, Hue e Amiot, criando um grande interesse e in-
fluenciando o pensamento de muitos.
Segundo o Thomas Medical Dictionary (1886), a massagem é 
descrita da seguinte maneira: “Massagem, do grego, significa amas-
sar. Significando o ato de shampooing”. William Murrell (1853 – 1912) 
definiu a massagem como: “o meio científico de tratar certas formas 
de doenças através de manipulações sistemáticas”. Douglas Graham 
(1884) descreveu a massagem como: “um grupo de procedimentos 
que geralmente são feitos com as mãos, como fricção, amassamentos, 
manipulações, rolamento e percussão de tecidos externos do corpo 
em uma variedade de formas, com um objetivo curativo, paliativo ou 
higiênico”.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
9Manual de Massoterapia
OBJETIVOS
Este material foi desenvolvido pelos monitores da disciplina de 
Recursos Terapêuticos Manuais I com o objetivo de auxiliar os alunos 
na aprendizagem das técnicas de massagem sueca, facial e shiatsu 
ministradas em aula pelo professor Rogério Moreira de Almeida; Mas-
sagem do Tecido Conjuntivo ministrada pelo professor João Batista 
da Silva; Drenagem Linfática ministrada pelo fisioterapeuta Anderson 
Nunes de Queiroz; Massagem Shantala ministrada pelo fisioterapeuta 
Nuno Ricardo Tiene L. Moreira e Massagem Ayurveda ministrada pelo 
fisioterapeuta Valdi de Sousa Silva. Com este Manual espera-se que 
os universitários desta disciplina possam ter um referencial para uma 
melhor compreensão e como auxiliar na aplicação prática das técni-
cas lecionadas.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
10Manual de Massoterapia
Capítulo I
MASSAGEM SUECA
Este tipo de massagem é muito comum em todo o Ocidente. 
Ela foi desenvolvida nos anos 1800 por PER HENRIK LING (Suécia) 
(*1776- + 1862), considerado o pai da educação física moderna, 
e incorpora uma variedade de técnicas de massagem específicas 
para tratar dores musculares, tensão, stress e má circulação, que 
se difundiu pelo mundo sendo conhecida como a Massagem Sueca.
A Massagem Sueca usa seis movimentos básicos para me-
lhorar a circulação e remover toxinas dos músculos. Sempre traba-
lhando em direção ao coração, o massoterapeuta incorpora essas 
técnicas em uma sessão de massagem fluída que deixa o paciente 
relaxado físico e emocionalmente.
Uma vez que o terapeuta toca o paciente, suas mãos nunca 
devem deixá-lo. Na maca, onde o paciente se deita, deve perma-
necer apenas ele mesmo, não sendo permitido ao terapeuta usá-
-la como apoio para nenhum material ou parte do corpo. Lembrar-
-se também que o óleo de massagem nunca deve ser colocado no 
paciente diretamente de seu recipiente, o terapeuta deve colocá-
-lo em suas mãos e só então espalhar no paciente com uma leve 
effleurage.
Para maior comodidade do paciente, se este preferir, cobri-
-lo com lençol e descobrir apenas as partes que serão trabalhadas 
ao passo que a massagem for acontecendo e cobrindo-as nova-
mente quando finalizadas. Assim o paciente fica mais a vontade e 
relaxa mais facilmente. As técnicas da massagem sueca são:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
11Manual de Massoterapia
Effleurage
 
 “Effleurage” em francês significa “tocar de leve” e em portu-
guês recebe o nome de deslizamento. É a manobra, segundo a qual, 
a mão se aplica sobre a região a tratar para em seguida deslizar, da 
periferia para o centro, no sentido da circulação de retorno. São 
movimentos leves e suaves que iniciam e terminam a massagem. 
Esta técnica pode ser feita com intensidades diferentes: 
superficial, média e profunda. Diferenciando-as apenas na força 
impressa pelo terapeuta. Deve ser realizada de maneira centrípe-
ta, isto é, das extremidades para o centro, nos MMSS e MMII. Com 
exceção do tronco, onde pode ser realizada em qualquer direção. 
É importante lembrar que toda massagem deve iniciar e terminar 
com a effleurage superficial. Iniciar para espalhar o óleo e aquecer 
os músculos e terminar para um maior relaxamento.
O deslizamento também pode ser realizado com ambos os 
antebraços do terapeuta sobre as costas do paciente, podendo ser 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
12Manual de Massoterapia
realizado de duas maneiras: transversalmente, usando o peso do 
corpo do centro para as laterais, ou longitudinalmente, do centro 
para os sentidos cervical e lombar. É uma manobra completa, pois 
pode ser feita no início, no meio e no fim do tratamento.
Petrissage
Petrissagens ou amassamentos podem ser divididos em: 
reptante, realizado de forma que o terapeuta de fato agarra a mus-
culatura local com uma e com outra mão, alternando-as em um 
movimento de 8 constante e ritmado, similar a um réptil se mo-
vimentando; rolante, realizado de forma que, inicialmente com as 
mãos em paralelo, o terapeuta empurra a musculatura com a base 
da palma de uma mão e puxa a musculatura com os dedos da outra 
mão, ao mesmo tempo, de forma sincronizada e ritmada. E, ainda 
pode ser feito, com as mãos em forma de pinça fazendo movimen-
tos rápidos e alternados. É utilizado em regiões que possuem pouca 
massa muscular e pode ser chamada de pinçante ou pinçamento.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
13Manual de Massoterapia
Amassamento Reptante
Amassamento Rolante
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
14Manual de Massoterapia
Amassamento Pinçante
Tapotage
Conhecida em português como tapotagem, tapotamento ou 
percussão. “É uma série de técnicas caracterizadas por partes varia-
das das mãos golpeando os tecidos numa velocidade bastante rápi-
da” (Técnicas de massagem de Beard, Giovanni de Domenico, cap. 4, 
pág. 85). Seu objetivo é preparar um músculo relaxado para tensão e 
contração muscular. Quando aplicada na região do tórax auxilia a mo-
bilização do muco favorecendo a eliminação de secreção. As técnicas 
devem ser suaves, sem causar desconforto ao paciente, e possuem 6 
subtipos:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
15Manual de Massoterapia
Bordo Cubital
Palmar
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
16Manual de Massoterapia
Mão em concha
Punho Fechado (na vertical ou na horizontal)
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/indexSumárioCapa
17Manual de Massoterapia
Cutiladas
Tamborilamento
Fricção
É realizada através de movimentos circulares em diversas áre-
as do corpo com o objetivo de desobstruir os capilares e esvaziar os 
vasos linfáticos. Pode ser feita com as pontas dos dedos, com a palma 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
18Manual de Massoterapia
das mãos, com o bordo cubital ou com ambas às mãos dependendo 
da região.
Vibração
A tetanização dos músculos do antebraço irradia pelas mãos 
do terapeuta ao corpo do paciente fazendo os músculos vibrarem. 
A vibração pode ser realizada em todo o corpo do paciente com o 
objetivo de relaxamento ou estimulação, dependendo da energia 
aplicada pelo terapeuta, ou seja, aplicando-se pouca energia pro-
porcionará relaxamento e ao aplicar uma energia maior, a vibra-
ção será mais será mais estimulante. Também pode ser realizada 
localizada na região torácica, no momento que o paciente expirar, 
orientado pelo comando verbal do terapeuta. Compreende toda a 
região do tórax, em médias três vezes, sempre de baixo para cima 
com o objetivo de expulsar as secreções. Podem ser realizadas com 
o paciente em decúbito ventral e lateral com o objetivo de vibrar a 
musculatura. É uma manobra geralmente extenuante para o mas-
soterapeuta e, por esta razão, muitas vezes substituída por apare-
lhos, mas o efeito não é o mesmo que o realizado manualmente.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
19Manual de Massoterapia
Rolamento
Também é uma técnica estimulante que pode ser aplicada no 
membro superior e inferior. O terapeuta deve apoiar o membro, sem 
que haja esforço por parte do paciente, e com a palma das mãos, des-
lizar rapidamente da região distal para proximal do membro traba-
lhado. O rolamento também pode ser feito nas costas, onde recebe 
o nome de Rolfing. Consiste em segurar uma “prega” de músculo e ir 
deslizando de baixo para cima sem que se perca o contato das mãos 
com a musculatura.
ROLAMENTO ROLFING
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
20Manual de Massoterapia
Capítulo II
MASSAGEM FACIAL
A massagem facial trabalha a musculatura do rosto e suaviza 
as marcas de expressão. Além disso, é eficiente para dissolver pontos 
de tensão. É uma massagem extremamente relaxante e as recomen-
dações são as mesmas da massagem sueca. São as técnicas desta 
massagem (na ordem em que devem ser aplicadas): 
Deslizamentos a partir do centro 
da “testa” para a periferia
Com os polegares, o terapeuta desliza sobre a pele do paciente em 
linha reta, na direção do centro para periferia, em três faixas horizontais.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
21Manual de Massoterapia
Deslizamento nas pálpebras
Deslizamentos no nariz
Deslizamentos e movimentos circulares nas bochechas
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
22Manual de Massoterapia
Deslizamento acima dos lábios
Deslizamento no queixo
Deslizamento do pescoço para o queixo (“tapinhas”)
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
23Manual de Massoterapia
Massagem nas orelhas
Tração: é uma técnica de estiramento cutâneo, muscular e 
ligamentar, bem como afastamento de vértebras e articulações, di-
minuindo suas pressões internas, aliviando dores e promovendo o 
relaxamento. As trações cervicais são realizadas com o paciente em 
decúbito dorsal e podem ser feitas com:
1. A cabeça do paciente reta: com uma mão o terapeuta traciona 
a cabeça do paciente apoiando na base do occipto e com outra 
o mento.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
24Manual de Massoterapia
2. A cabeça do paciente inclinada: com uma mão o terapeuta tracio-
na a cabeça do paciente apoiando na base do occipto e com outra 
empurra o ombro para longe.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
25Manual de Massoterapia
Capítulo III
MASSAGEM ABDOMINAL
Tipo de massagem que alivia dores abdominais, prisão de ven-
tre e cólicas, além de promover relaxamento. Deve ser realizada sem-
pre no sentido horário e apenas na região do abdômen (limitada pelas 
costelas e pela região pélvica). As técnicas consistem em:
Effleurage
De formar circular, cruzando os braços e passando levemente 
as mãos uma sobre a outra. Esta técnica é utilizada para iniciar e fina-
lizar essa massagem.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
26Manual de Massoterapia
Diamante 
Com as mãos sobrepostas desliza-as sobre o abdome de forma 
que os movimentos simulem o contorno de um diamante.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
27Manual de Massoterapia
Ondulante 
Também com as mãos sobrepostas realiza pequenos movi-
mentos em forma de onda, desencostando a mão do paciente ao final 
de cada movimento.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
28Manual de Massoterapia
Mão em cuia
Com as mãos em forma de cuia, realiza movimentos simulando 
“pegar água” no abdome do paciente. A mão direita “vai” e à esquerda 
“volta”.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
29Manual de Massoterapia
Fricções 
Pequenos movimentos circulares realizados com as pontas dos 
dedos indicador, médio e anular, em volta do abdômen.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
30Manual de Massoterapia
Capítulo IV
MASSAGEM DO TECIDO CONJUNTIVO
A massagem do tecido conjuntivo (MTC) foi desenvolvida na 
Europa, e consiste em técnicas de massagem que produzem um 
“efeito local remoto”. Segundo Elizabeth Dicke -a desenvolvedora 
da técnica- e outros pesquisadores, a MTC corrige desequilíbrios 
nas funções vegetativas do corpo por reação reflexa, pois atinge 
o sistema nervoso autônomo. Produz um estímulo cutâneo que 
causa tensão do tecido conjuntivo na região aplicada e referida 
pelo paciente como sensação de “corte, arranhadura ou dor local”. 
caracteriza-se pela realização de movimentos manuais do fisiote-
rapeuta, também chamados traços de massagem profunda. Para 
isso, o terapeuta exerce, com os dedos, tração profunda do teci-
do massageado, em algumas regiões do dorso do paciente, com 
o objetivo de diminuir a aderência do tecido cutâneo. Os traços 
são realizados em uma sequência predeterminada, podendo ser 
aplicados em uma ou mais das três seções criadas por Dicke: Bási-
ca, Torácica ou Cervical. A seção a ser massageada é determinada 
pela disfunção que o paciente apresenta e pela avaliação física do 
mesmo. (EBNER, 1962).
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
31Manual de Massoterapia
Palpação diagnóstica ou fricção diagnóstica
Com a polpa dos dedos, move-se a pele sobre as estruturas 
subjacentes, criando uma tração com manobras curtas e firmes no te-
cido conjuntivo e nas inserções musculares.
Evidência na palpação diagnóstica 
de duas ondas cutâneas
Evidencia o possível ponto de dor ou alteração metabólica 
à distância.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
32Manual de Massoterapia
Rolamento para quebra de aderências
Consiste na elevação do tecido subcutâneo, com o polegar e o 
dedo médio movendo todo o tecido contra a fáscia.
A avaliação inicia-se com a palpação, quando há alterações, é 
identificável certa imobilidade entre as camadas do tecido conjunti-
vo. Algumas reações do sistema nervoso autônomo podem ocorrer, 
de acordo com a área estimulada pela MTC, sendo momentâneas ou 
perdurando por algumas horas após o tratamento. São elas: aumen-
to do peristaltismo intestinal, da micção, do sono, mudança da tem-
peratura em extremidades, aumento da atividade glandular e alívio 
dos sintomas viscerais (EBNER, 1962; BISCHOF E ELMINGER, 1973).
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/indexSumárioCapa
33Manual de Massoterapia
Apesar de poucas, existem algumas contraindicações, como 
distúrbios cardíacos, câncer ou tuberculose, excesso de pelos, le-
sões cutâneas e ferimentos em geral.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
34Manual de Massoterapia
Capítulo V
DRENAGEM LINFÁTICA
“A drenagem linfática é uma das inúmeras funções fisioló-
gicas, da mesma forma que as outras funções automáticas do or-
ganismo. A drenagem linfática manual faz parte das técnicas uti-
lizadas para favorecer a circulação dita “de retorno”.” (Drenagem 
linfática – teoria e prática, 2ª edição, Albert Leduc e Olivier Leduc).
Primeiramente, deve-se desobstruir os gânglios linfáticos 
que receberão a linfa a ser drenada: subclaviculares, axilares, cis-
terna do quilo (localizado apenas do lado esquerdo do abdômen), 
inguinais, poplíteos e no maléolo medial. 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
35Manual de Massoterapia
As técnicas utilizadas na drenagem de acordo com a ordem em 
que devem ser aplicadas são:
Deslizamento em quatro tempos 
Divide-se a região (coxa, perna, braço ou antebraço) em quatro 
partes distintas e desliza as duas mãos, quatro vezes em cada parte. 
Na quarta e última vez, em cada parte, segue conduzindo a linfa que 
está sendo drenada até próximo ao gânglio linfático acima e na última 
etapa finaliza estimulando-o novamente.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
36Manual de Massoterapia
Bombeamento para safena 
Com as duas mãos espalmadas e paralelas, partindo do centro, 
realizar movimentos de bombeamento na direção lateral ou externa 
da coxa.
Medial Lateral
Bombeamento na lateral 
Com uma mão na parte interna e outra na parte externa da re-
gião que está sendo drenada, faz-se movimentos de bombeamento 
para cima, levando a linfa para o gânglio acima e estimula-o.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
37Manual de Massoterapia
Deslizamento alternado
Inicia com as palmas das mãos encostadas uma na outra e vai 
separando-as o fazendo movimentos de “fatiamento” com o bordo 
cubital, de proximal para distal. Em seguida repete o bombeamento 
na lateral para levar a linfa ao gânglio acima e estimula-o novamente.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
38Manual de Massoterapia
Compressão e descompressão 
Com ambas as mãos em torno de toda área que está sendo 
drenada, o terapeuta faz movimentos de leve e rápida compressão e 
deslizamento ao longo da região. Quando na perna ou no antebraço, a 
compressão e descompressão conduz a linfa por todo o membro até o 
gânglio mais distal e estimula-o.
Variação: Pé (região pequena).
• Deslizamentos em quatro tempos -> Deslizamento único
• Bombeamento para safena -> Semicírculos
• Bombeamentos na lateral
• Compressão e descompressão
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
39Manual de Massoterapia
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
40Manual de Massoterapia
Capítulo VI
MASSAGENS ORIENTAIS
Shiatsu
Shiatsu é uma terapia manual desenvolvida no Japão, no iní-
cio do século XX, embora originária da China, a qual, hoje reconhecida 
pelo Ministério da Saúde é indicada para prevenir e tratar várias doen-
ças. A palavra é derivada do japonês SHI que significa “dedo” e ATSU 
“pressão”, ou seja, pressão dos dedos. Pode ser feita tanto em pessoas 
doentes em saudáveis com o efeito preventivo.
Na prática, o Shiatsu utiliza técnicas de pressão, percussão, fric-
ção, vibração, pinçamento e imposição de dedos e mãos em pontos e 
áreas específicas do corpo, além da movimentação de articulações e 
manipulação de estruturas músculo-esqueléticas com o objetivo de 
atuar na circulação “energética” através das técnicas de tonificar, se-
dar, regular, purificar e aquecer e, assim, promover a homeostase or-
gânica, psíquica e sobretudo energética.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
41Manual de Massoterapia
Sequência de Abertura
Primeiramente, realiza-se o “aquecimento” para captar a energia 
KI do universo. Terapeuta em posição de KATA: um pé a frente do corpo e 
outro atrás, terapeuta alinhado com a linha mediana do corpo do cliente 
e com as mãos sobre seus ombros. Uma vez iniciada a massagem, não se 
deve tirar as mãos do paciente, nem interromper a sequência. As técnicas 
devem ser realizadas bilateralmente (nos MMSS e escápulas).
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
42Manual de Massoterapia
Técnicas
1. Divide-se a coluna em três linhas (meridianos) e com as mãos al-
ternadas vai pressionando verticalmente; 
2. Técnica do cotovelo: Realizando movimentos circulares no trapé-
zio e nos meridianos; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
43Manual de Massoterapia
3. Massagem da borda medial da escápula (3x): Traz o braço do clien-
te para trás segurando-o pela mão e vai “contornando” a escápula 
com a borda medial da outra mão;
4. Fricções na borda medial da escápula: ainda na posição anterior 
fazendo movimentos circulares; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
44Manual de Massoterapia
5. Trações do braço (alongamentos); 
6. Técnica com as mãos em forma de “bico de pato” no braço; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
45Manual de Massoterapia
7. Fricções na mão e trações nos dedos; 
8. Traz o corpo do cliente para próximo do terapeuta e realiza os alon-
gamentos do pescoço sem retirar as mãos da cabeça do paciente; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
46Manual de Massoterapia
9. Deslizamentos alternados com o antebraço no ombro (vai com o 
antebraço em supino e volta em prono); 
10. Alongamento “Asas de Frango”: escorrega-se as mãos ao longo dos 
braços do cliente trazendo-os para trás do corpo, levando primei-
ramente os cotovelos do cliente retos para trás e em seguida er-
guendo-os até o ponto de resistência ou de bloqueio dos ombros 
(3 vezes); 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
47Manual de Massoterapia
11. Alongamento “Asas de Anjo”: Posiciona as mãos do cliente um so-
bre outra na NUCA, usa a quadril ou o joelho para estabilizar sua 
coluna enquanto trás seus cotovelos para trás (vai e volta 3 vezes); 
12. “Patas de aranha”: Os dedos movimentando o couro cabeludo, ou 
seja, a pele do paciente escorrega sobre o crânio, porém seus de-
dos não escorregam sobre a pele do paciente; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
48Manual de Massoterapia
13. “Patas de caranguejo”: movimentos rápidos em forma de pinça al-
ternando as duas mãos na cabeça do cliente; 
 
14. Mãos em taça na cabeça; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
49Manual de Massoterapia
15. “Devolve o paciente a cadeira”, posição inicial e faz as técnicas das 
mãos em taça (cotovelos formando um ângulo reto com o ante-
braço) e em prece (com os dedos entreabertos) nas costas; Finaliza 
com uma effleurage superficial nas costas e agradece ao paciente: 
“Muito obrigada!”.
Shantala
O método de massagem Shantala aplicado em bebês originou-
-se na Índia, em uma região chamada Calcutá ou com mais exatidão, em 
Pilkhana, considerada uma das favelas sórdidas que nos últimos anos 
se multiplicaram com o afluxo de refugiados. Este método foi transmi-
tido para a população da Índia, primeiro nos mosteiros pelos monges 
e posteriormente tornou-se uma tradição transmitida de uma forma 
natural e progressiva de mães para filhas, quando estas iniciavam seu 
período de gravidez. À medida que a gestante sentia o crescimento da 
nova vida intra-uterina, ia recebendo da mãe as instruçõesnecessárias 
para os cuidados que deveriam ter com o seu futuro filho.
A massagem Shantala é indicada para: aumentar o vínculo pais/
filho; relaxar e acalmar a criança; melhorar o sono do bebê; eliminar 
gases; diminuir/eliminar cólicas; melhorar o funcionamento digestivo; 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
50Manual de Massoterapia
ativar a circulação sanguínea e linfática; melhorar o alongamento.
A massagem Shantala é contraindicada quando: o bebê está gri-
pado, com febre, com a pele sensível ou esteja dormindo; aplicada logo 
após o bebê ter sido amamentado; caso o bebê esteja com algum tipo 
de mal estar, o melhor é procurar respeitar e aguardar sua melhora.
 Passo 1: Sente-se em uma superfície confortável, tanto para si, 
assim como para o bebê, mantendo as costas apoiadas ou mantendo 
uma postura ergonomicamente correta. Aqueça suas mãos em água 
morna ou friccionando-as com o óleo vegetal puro. Cada movimento 
deve ser repetido de três a oito vezes. Deslize as mãos espalmadas da 
cabeça do bebê até os pés, de modo que o bebê possa sentir a tempe-
ratura da sua mão.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
51Manual de Massoterapia
 Passo 2: Sempre comunicando com o bebê, comece pelo cen-
tro da testa realizando movimentos até a sobrancelha. Em seguida 
faça pequenos deslizamentos de forma bem delicado acima das pál-
pebras. No final massageia as bochecha de forma circular terminando 
com leves alongamentos da musculatura do pescoço. 
 Passo 3: Com as mãos acima do peito, massageia do centro do 
peito para fora. Sempre respeitando a resistência da pele do bebê.
 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
52Manual de Massoterapia
 Passo 4: Envolva o braço do bebê com a mão, formando uma 
espécie de bracelete, e vá do ombro em direção ao punho.
 Passo 5: Abra a mãozinha do bebê, respeitando sempre a re-
sistência imposta e vai da palma da mão até os dedinhos.
 Passo 6: Inicialmente com as mãos em concha, escorregue a la-
teral externa das mãos desde a base das costelas até a região inguinal.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
53Manual de Massoterapia
 Passo 7: Com as duas mãos, faça um movimento sem-
pre no sentido giratório, de vai-e-vem, desde da região inguinal até o 
tornozelo, de forma a estimular a circulação.
 Passo 8: Faça movimentos com os polegares do calcanhar até 
os dedinhos. Quando chegar nos dedinhos dê leves puxões.
 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
54Manual de Massoterapia
 Passo 9: Com a mão direita apoiada no bumbum, faça movi-
mento com a mão esquerda em formato de concha no sentido da nuca 
para o bumbum do bebê.
 Passo 10: Faça pequenos movimentos de fricção ao lado da 
coluna vertebral. E no final não se esqueça de massagear a região la-
teral do tórax.
 
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
55Manual de Massoterapia
 Passo 11: Após massagear o seu bebê, faça movimento alter-
nativos tanto com o membro superior e o inferior.
Passo 12: No final dê um banho de água morna ao seu bebê, com a 
finalidade de proporciona-lo um ótimo descanso, assim como retirar 
o excesso de óleo caso tenha usado.
 Observação: Lembre-se que esse momento deve ser tanto pra-
zeroso para si, assim como para o seu bebê.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
56Manual de Massoterapia
Massagem Ayuvédica
Ayurveda significa, em sânscrito, Ciência (veda) da vida 
(ayur). É o nome dado ao conhecimento médico desenvolvido na 
Índia há cerca de oito mil anos, o que a torna um dos mais anti-
gos sistemas medicinais da humanidade. Mas, só foi introduzido 
no Brasil há pouco mais de uma década pela mestra Kusum Modak.
Se baseia na teoria dos cinco elementos da natureza (fogo, 
água, terra, ar e éter) e dos doshas (vata, pitta e kapha) que são três 
biótipos responsáveis pelo equilíbrio do corpo, mente e percepção es-
piritual. O dosha Vata controla o movimento, o dosha Pitta controla 
o metabolismo e a digestão e o dosha Kapha é responsável pela es-
trutura física e o equilíbrio dos fluidos. Através do conhecimento de 
seu dosha é definido um tratamento e mudanças na rotina diária, que 
aborda aspectos como alimentação, o sono e as relações.
A massagem Ayurvédica é uma técnica de massagem holísti-
ca que favorece a integração, o equilíbrio e o intercâmbio dinâmico 
entre a mente e o corpo. Seu diferencial está no fato de não utili-
zar apenas as mãos, mas também os pés e o peso do corpo a fim 
de facilitar os movimentos de alongamento e tração. Tendo como 
objetivo centralizar e dinamizar os chackas maiores e menores do 
corpo físico, concentrar a energia no canal sutil da coluna vertebral 
ativando os sete principais chackras.
É uma forma de tratamento corporal que utiliza técnicas 
de deslizamentos sempre de baixo para cima assim estimulando 
a circulação sanguínea e energética em direção ao coração. Alon-
gamentos que possibilitam uma maior flexibilidade e mobilidade 
das articulações, associados sempre à respiração e ao uso de óleos 
vegetais e essências.
É aplicada por meio de toques profundos com mãos, cotove-
los e pés. Essa técnica propicia um realinhamento postural, alívio 
de tensões no corpo físico, fortalece o sistema imunológico ajudan-
do na prevenção de doenças, além da cura de doenças de origem 
respiratória e circulatória, dores musculares e reumáticas, altera-
ções posturas, combate o estresse, harmoniza funções gastrointes-
tinais, entre outras.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
57Manual de Massoterapia
 Pode-se iniciar a massagem com alguns segundos de silên-
cio, rezar ou fazer algum ritual para iniciar o trabalho em paz, bem 
como no final para abençoá-lo.
Decúbito ventral
• Deslizamento ao lado da coluna:
• Deslizamento no meio das costas:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
58Manual de Massoterapia
• Dedos entre as vértebras:
• Abertura da coluna:
• Asas:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
59Manual de Massoterapia
• Cervical:
• Alongamento do pescoço:
• Alongamentos:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
60Manual de Massoterapia
• Alongamento dos braços:
• Mãos, antebraço e braço:
• Pés:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
61Manual de Massoterapia
• Torções nos pés:
• Pernas:
• Coxa:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
62Manual de Massoterapia
• Glúteos:
• Alongamentos:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
63Manual de Massoterapia
• Drenagem na lateral do corpo com os pés:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
64Manual de Massoterapia
Sentado
• Alongamentos:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
65Manual de Massoterapia
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
66Manual de Massoterapia
Em decúbito dorsal
• Pés:
• Pernas:
• Drenagem na coxa com as mãos fechadas:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
67Manual de Massoterapia
• Alongamentos:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
68Manual de Massoterapia
• Massagem na barriga no sentido horário:
• Peito:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
69Manual de Massoterapia
• Face, pescoço e couro cabeludo:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
Capa Sumário
70Manual de Massoterapia
• Piso:
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
SumárioCapa
71Manual de Massoterapia
REFERÊNCIAS
ABRA - Associação Brasileirade Ayurveda. O que é Ayurveda. Disponível em 
http://www.ayurveda.org.br/ Acesso em 19 nov. 2014.
DOMENICO, Giovanni de. TÉCNICAS DE MASSAGEM DE BEARD: princípios 
e práticas de manipulação de tecidos moles. 5ª Edição. Rio de Janeiro: 
Elsevier, 2008.
ESPAÇO HARMÔNICO. Shiatsu. Espaço harmônico. 2007. Disponível em: 
http://www.espacoharmonico.com.br/. Acesso em: 13 Abr. 2014.
LEDUC, Olivier; LEDUC, Albert. DRENAGEM LINFÁTICA: Teoria e prática, 2ª 
Edição. Rio de Janeiro: Manole, 2001.
TUDO POR UMA MASSAGEM. Massagem sueca. Tudo por uma massagem. 
2006. Disponível em: http://www.tudoporumamassagem.com.br/. Acesso 
em 13 Abr. 2014.
VIVER AYURVEDA. Ayurveda. Disponível em https://ayurviver.wordpress.
com/ayurveda/ Acesso em 19 nov. 2014.
http://www.editora.ufpb.br/sistema/press/index.php/press/index
http://www.ayurveda.org.br/
https://ayurviver.wordpress.com/ayurveda/
https://ayurviver.wordpress.com/ayurveda/
MANUAL DE
MASSOTERAPIA
M
AN
U
AL D
EM
ASSO
TER
APIA
R
ogério M
oreira
Rogério Moreira
ORGANIZADOR
ISBN: 978-85-237-1063-7
9 7 8 8 5 2 3 7 1 0 6 3 7
	INTRODUÇÃO
	OBJETIVOS
	MASSAGEM SUECA
	Effleurage
	Petrissage
	Amassamento Reptante
	Amassamento Rolante
	Amassamento Pinçante
	Tapotage
	Bordo Cubital
	Palmar
	Mão em concha
	Punho Fechado (na vertical ou na horizontal)
	Cutiladas
	Tamborilamento
	Fricção
	Vibração
	Rolamento
	MASSAGEM FACIAL
	Deslizamentos a partir do centro 
	da “testa” para a periferia
	Deslizamento nas pálpebras
	Deslizamentos no nariz
	Deslizamentos e movimentos circulares nas bochechas
	Deslizamento acima dos lábios
	Deslizamento no queixo
	Deslizamento do pescoço para o queixo (“tapinhas”)
	Massagem nas orelhas
	MASSAGEM ABDOMINAL
	Effleurage
	Diamante 
	Ondulante 
	Mão em cuia
	Fricções 
	MASSAGEM DO TECIDO CONJUNTIVO
	Palpação diagnóstica ou fricção diagnóstica
	Evidência na palpação diagnóstica 
	de duas ondas cutâneas
	Rolamento para quebra de aderências
	DRENAGEM LINFÁTICA
	Deslizamento em quatro tempos 
	Bombeamento para safena 
	Bombeamento na lateral 
	Deslizamento alternado
	Compressão e descompressão 
	MASSAGENS ORIENTAIS
	Shiatsu
	Sequência de Abertura
	Técnicas
	Shantala
	Massagem Ayuvédica
	Decúbito ventral
	Sentado
	Em decúbito dorsal
	REFERÊNCIAS

Outros materiais

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes