Buscar

APOSTILA IFSC

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 215 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 215 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 215 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

APOSTILA CONCURSO IFSC 
Sumário 
LÍNGUA PORTUGUESA .................................................................................................................... 4 
1. Leitura e compreensão de textos - Particularidades do gênero do discurso, suporte e esfera de 
circulação do texto .............................................................................................................................. 4 
1.2 Abordagem temática ..................................................................................................................... 5 
1.3 Estruturação do texto.................................................................................................................... 5 
1.4 Ideias principais e secundárias ...................................................................................................... 6 
1.5 Relação entre as ideias .................................................................................................................. 7 
1.6 Efeitos de sentido e Figuras de linguagem no texto ..................................................................... 8 
1.7 Intencionalidade .......................................................................................................................... 11 
1.8 Recursos de Argumentação ........................................................................................................ 12 
1.9 Informações implícitas: inferências, pressupostos e subentendidos ......................................... 14 
1.10 Coesão e coerência textuais ...................................................................................................... 16 
QUESTÕES GERAIS ............................................................................................................................. 19 
2.1 Significação de palavras e expressões no texto .......................................................................... 23 
2.2 Substituição de palavras e de expressões no texto .................................................................... 25 
2.3 Aspectos linguísticos ................................................................................................................... 26 
2.4 Relações morfossintáticas ........................................................................................................... 30 
2.5 Ortografia: emprego de letras e acentuação gráfica segundo sistema oficial vigente (inclusive o 
Acordo Ortográfico vigente, conforme Decreto 7.875/12) .............................................................. 33 
2.6 Variação linguística ...................................................................................................................... 34 
2.7 Colocação pronominal................................................................................................................. 34 
2.8 Vozes verbais e sua conversão .................................................................................................... 36 
2.9 Concordância nominal e verbal ................................................................................................... 37 
2.10 Regência nominal e verbal ........................................................................................................ 39 
2.11 Coordenação e subordinação: emprego das conjunções, das locuções conjuntivas e dos 
pronomes relativos ........................................................................................................................... 41 
2.12 Pontuação ................................................................................................................................. 43 
QUESTÕES GERAIS ............................................................................................................................. 44 
LEGISLAÇÃO E CONTEXTO HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL, 
CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA .................................................................................................... 46 
Lei nº 8.112/1990 (e alterações posteriores) – Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da 
União, das autarquias e das fundações públicas federais ................................................................ 46 
O Decreto nº 1.171/1994 (e alterações posteriores) – Código de Ética Profissional do Servidor 
Público Civil do Poder Executivo Federal .......................................................................................... 50 
Lei nº 12.711/2012 – Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais 
de ensino técnico de nível médio e dá outras providências ............................................................. 53 
Lei nº 12.772/2012 – Dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério 
Federal ............................................................................................................................................... 57 
Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, 
Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras 
providências ...................................................................................................................................... 58 
Plano de Desenvolvimento Institucional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de 
Santa Catarina 2020/2024 (PDI). ....................................................................................................... 62 
CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS............................................................................................ 68 
HISTÓRIA, FILOSOFIA E SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO........................................................................ 68 
Pesquisa e Prática Pedagógica .......................................................................................................... 71 
Psicologia da Educação ..................................................................................................................... 74 
Organização do Trabalho Docente .................................................................................................... 79 
Teoria e Prática de Currículo ............................................................................................................. 81 
Gestão Educacional e Escolar ............................................................................................................ 83 
Planejamento Educacional e ensino ........................................................................................ 84 
Avaliação Educacional e de Ensino.................................................................................................... 86 
Educação Inclusiva ............................................................................................................................ 89 
Democratização do acesso e garantia da permanência e êxito escolar ........................................... 90 
Relações Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) ............................................................................... 91 
Pedagogia Histórico-Critica ............................................................................................................... 91 
Educação de Jovens e Adultos (EJA) .................................................................................................. 92 
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS – ENGENHARIA QUÍMICA ............................................ 92 
PROCESSOS INDUSTRIAIS .................................................................................................................. 92 
ANÁLISE DE PROCESSOS .................................................................................................................... 95 
SISTEMA DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS ........................................................................................ 99 
REATORES INDUSTRIAIS ..................................................................................................................105 
PETROLEO E INDUSTRIA PETROQUIMICA ....................................................................................... 112 
POLÍMEROS ..................................................................................................................................... 118 
INDUSTRIA DE ÓLEOS ...................................................................................................................... 122 
BENEFICIAMENTO TÊXTIL ................................................................................................................ 126 
SISTEMAS DE UNIDADES E ANALISE DIMENSIONAL ........................................................................ 127 
REOLOGIA E VISCOSIDADE .............................................................................................................. 130 
BALANÇO DE MASSA E ENERGIA ..................................................................................................... 135 
MECANICA DOS FLUIDOS ................................................................................................................ 140 
INSTALAÇÕES DE BOMBEAMENTO E PERDA DE CARGA ................................................................. 151 
TERMODINÂMICA ........................................................................................................................... 157 
TRANSFERENCIA DE CALOR E MASSA ............................................................................................. 166 
GERAÇÃO DE VAPOR – CALDEIRAS ................................................................................................. 189 
FUNTAMENTOS DE CONTROLE DE PROCESSO E ESTRATÉGIAS DE CONTROLE .............................. 194 
SISTEMAS DE MALHAS DE CONTROLE ............................................................................................ 200 
INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO ........................................................................................................ 205 
CLASSIFICAÇÃO DE INSTRUMENTOS E TERMINOLOGIA ................................................................. 211 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LÍNGUA PORTUGUESA 
1. Leitura e compreensão de textos - Particularidades do 
gênero do discurso, suporte e esfera de circulação do texto 
A leitura e compreensão de textos é uma habilidade essencial em diversas áreas da vida, como 
na educação, trabalho e na comunicação cotidiana. No entanto, é importante entender que cada 
gênero do discurso possui suas particularidades, suporte e esfera de circulação, o que pode 
influenciar na forma como o texto é interpretado. 
O gênero do discurso é uma forma de classificar os textos de acordo com sua função 
comunicativa, estrutura e linguagem utilizada. Por exemplo, um artigo de opinião possui 
características diferentes de um manual de instruções ou de uma notícia. Cada gênero do 
discurso tem seu próprio propósito e expectativas em relação ao leitor. 
O suporte do texto se refere ao meio físico em que o texto é apresentado. Ele pode ser impresso 
em papel, apresentado em uma tela de computador, ou mesmo em um outdoor. O suporte 
também pode influenciar na forma como o texto é lido e interpretado, pois a disposição dos 
elementos gráficos pode ser diferente em cada suporte. 
A esfera de circulação do texto se refere ao contexto em que o texto é produzido e circula. Por 
exemplo, um texto acadêmico terá uma esfera de circulação diferente de um texto jornalístico 
ou publicitário. A esfera de circulação também pode influenciar na forma como o texto é escrito 
e interpretado, pois cada contexto pode ter suas próprias normas e convenções. 
Dessa forma, é importante levar em consideração as particularidades do gênero do discurso, 
suporte e esfera de circulação do texto ao realizar a leitura e compreensão. Alguns passos podem 
auxiliar nesse processo, como a identificação do gênero do discurso, a análise dos elementos 
gráficos e estruturais do texto, e a consideração do contexto em que o texto foi produzido e 
circula. 
Os gêneros do discurso são formas de classificar os textos de acordo com sua função 
comunicativa, estrutura e linguagem utilizada. Existem diversos gêneros do discurso, cada um 
com suas particularidades e expectativas em relação ao leitor. A seguir, falarei mais 
detalhadamente sobre alguns dos principais gêneros do discurso: 
1. Narração: A narração é um gênero do discurso em que há uma sequência de fatos ou 
eventos narrados em ordem cronológica. A linguagem utilizada é simples e objetiva, 
com predominância do modo indicativo e dos verbos no tempo passado. A narração 
pode ser utilizada em diversos contextos, como na literatura, na mídia e na comunicação 
cotidiana. 
2. Descrição: A descrição é um gênero do discurso em que se faz uma representação verbal 
de uma pessoa, objeto, lugar ou evento. A linguagem utilizada é rica em adjetivos e 
advérbios, com a finalidade de transmitir as características do que está sendo descrito. 
A descrição pode ser utilizada em diversos contextos, como na literatura, na publicidade 
e no jornalismo. 
3. Dissertação: A dissertação é um gênero do discurso em que se discute e argumenta sobre 
um tema específico. A linguagem utilizada é mais formal e objetiva, com predominância 
do modo indicativo e dos verbos no tempo presente. A dissertação é comumente 
utilizada na educação, na mídia e na vida acadêmica. 
4. Diálogo: O diálogo é um gênero do discurso em que duas ou mais pessoas trocam 
informações, opiniões e ideias. A linguagem utilizada é mais informal e cotidiana, com 
o uso de expressões coloquiais e gírias. O diálogo é um gênero muito utilizado na 
literatura, no teatro e no cinema. 
5. Poema: O poema é um gênero do discurso em que se utiliza a linguagem de forma 
criativa e artística. A estrutura do poema é caracterizada por versos e estrofes, e a 
linguagem utilizada é mais subjetiva e expressiva, com o uso de figuras de linguagem e 
metáforas. O poema é muito utilizado na literatura e na cultura popular. 
1.2 Abordagem temática 
A abordagem temática é uma das estratégias utilizadas para a leitura e compreensão de textos. 
Essa abordagem consiste em identificar o tema central do texto e, a partir disso, relacionar as 
informações apresentadas com esse tema. Dessa forma, é possível compreender o texto como 
um todo e perceber como as informações apresentadas se conectam e se relacionam entre si. 
Para utilizar a abordagem temática, é importante realizar uma leitura atenta e minuciosa do 
texto, identificando as palavras-chave e frases que indicam o tema central. Em seguida, é 
preciso fazer uma leitura mais detalhada, buscando entender como as informações apresentadas 
se relacionam com esse tema. 
Uma das vantagens da abordagem temática é que ela permite uma compreensão mais ampla e 
profunda do texto, já que se concentra no tema central e nas informações que estão diretamente 
relacionadas a ele. Além disso, essa estratégia pode ser utilizada em diferentes tipos de textos, 
como artigos de opinião, reportagens jornalísticas, textos literários, entre outros. 
No entanto, é importante lembrar que a abordagem temática não deve ser utilizada 
isoladamente, mas sim em conjunto com outras estratégias de leitura e compreensão de textos, 
como a identificação da estrutura do texto, a análise do vocabulário utilizado e a interpretação 
das ideias apresentadas. Somente dessa forma é possível compreender de forma completa e 
aprofundada o que o autor do texto deseja transmitir. 
1.3 Estruturação do texto 
A estruturação do texto é uma das estratégias utilizadas para a leitura e compreensão de textos. 
Essa estratégia consiste em identificar a organização das ideias e informações apresentadas no 
texto, para que se possa compreender de forma mais clara e objetiva o que o autor deseja 
transmitir. 
Para utilizar a estruturação do texto, é importante realizar uma leitura atenta e minuciosa, 
identificando aspartes que compõem o texto, como introdução, desenvolvimento e conclusão. 
Além disso, é importante identificar os tópicos e subtópicos, para que se possa compreender 
como as informações estão organizadas dentro do texto. 
Uma das vantagens da estruturação do texto é que ela permite uma compreensão mais clara e 
objetiva do que o autor deseja transmitir, já que se concentra na organização das informações e 
na relação entre elas. Além disso, essa estratégia pode ser utilizada em diferentes tipos de textos, 
como artigos de opinião, reportagens jornalísticas, textos literários, entre outros. 
Existem diferentes exemplos de estruturação de texto, que podem variar de acordo com o tipo 
de texto e a finalidade do autor. A seguir, estão alguns exemplos comuns de estruturação de 
texto: 
1. Estrutura em blocos: essa estrutura é comum em textos jornalísticos e científicos e 
consiste em dividir o texto em blocos ou parágrafos que apresentam informações 
específicas. Cada parágrafo pode apresentar uma ideia central e informações que a 
sustentam, com uma transição suave para o próximo bloco. 
2. Estrutura em pirâmide invertida: essa estrutura é comum em textos jornalísticos e 
consiste em apresentar as informações mais importantes logo no início do texto, 
seguidas de informações secundárias e menos relevantes. Essa estrutura permite que o 
leitor compreenda rapidamente o que é mais importante no texto. 
3. Estrutura narrativa: essa estrutura é comum em textos literários e consiste em apresentar 
uma história com início, meio e fim. A história é geralmente apresentada em ordem 
cronológica, com o desenvolvimento de personagens e uma trama que mantém o leitor 
interessado. 
4. Estrutura argumentativa: essa estrutura é comum em textos persuasivos, como artigos 
de opinião, e consiste em apresentar uma tese ou ponto de vista e argumentos que a 
sustentam. Os argumentos geralmente são apresentados em ordem de importância, para 
que o leitor possa compreender a força da argumentação. 
5. Estrutura explicativa: essa estrutura é comum em textos científicos e consiste em 
apresentar um conceito ou fenômeno de forma clara e objetiva. O texto geralmente 
apresenta uma introdução, seguida de uma explicação detalhada do conceito e, por fim, 
uma conclusão que resume as informações apresentadas. 
1.4 Ideias principais e secundárias 
A leitura e compreensão de textos envolve a identificação das ideias principais e secundárias 
presentes no texto. As ideias principais são as ideias mais importantes, que geralmente 
aparecem no início do texto e se relacionam com o tema central do texto. Já as ideias 
secundárias são ideias complementares às ideias principais, que são apresentadas ao longo do 
texto para ajudar a desenvolver o tema central. 
A identificação das ideias principais e secundárias é importante porque permite ao leitor 
compreender o que é mais relevante no texto e como as informações estão organizadas. Para 
identificar as ideias principais e secundárias, é importante realizar uma leitura atenta e 
minuciosa, prestando atenção nas palavras-chave e nas informações que mais se repetem ao 
longo do texto. 
Uma das estratégias para identificar as ideias principais e secundárias é utilizar a técnica de 
sublinhar ou destacar as informações mais importantes do texto. Dessa forma, é possível criar 
uma visão geral do texto e compreender como as ideias estão organizadas. 
Além disso, é importante lembrar que as ideias principais e secundárias podem variar de acordo 
com o tipo de texto e a finalidade do autor. Por exemplo, em um artigo de opinião, as ideias 
principais podem ser as opiniões do autor, enquanto as ideias secundárias são argumentos que 
sustentam essas opiniões. 
Em resumo, a identificação das ideias principais e secundárias é uma estratégia importante para 
a leitura e compreensão de textos, pois permite ao leitor compreender as informações mais 
importantes do texto e como elas estão organizadas. 
1.5 Relação entre as ideias 
A leitura e compreensão de textos envolve também a identificação das relações entre as ideias 
presentes no texto. Essas relações podem ser de diversos tipos, como causa e efeito, 
comparação, contraste, enumeração, entre outras. 
As relações entre as ideias em um texto podem ser de diversos tipos. A seguir, detalharemos 
quatro desses tipos: 
1. Causa e efeito: essa relação ocorre quando uma ideia é apresentada como a causa de 
outra ideia ou evento. Por exemplo: "A falta de exercícios físicos pode causar problemas 
de saúde, como obesidade e doenças cardíacas". Nesse caso, a falta de exercícios físicos 
é apresentada como a causa dos problemas de saúde mencionados. 
2. Comparação: essa relação ocorre quando duas ou mais ideias são comparadas para 
destacar suas semelhanças ou diferenças. Por exemplo: "A vida de um estudante é como 
uma maratona, que exige disciplina, perseverança e foco". Nesse caso, a vida de um 
estudante é comparada a uma maratona, destacando a necessidade de qualidades como 
disciplina, perseverança e foco para ter sucesso. 
3. Contraste: essa relação ocorre quando duas ou mais ideias são contrastadas para destacar 
suas diferenças. Por exemplo: "Enquanto alguns governos investem em educação e 
saúde, outros preferem gastar em armas e guerras". Nesse caso, os governos que 
investem em educação e saúde são contrastados com os governos que preferem gastar 
em armas e guerras. 
4. Enumeração: essa relação ocorre quando uma lista de ideias é apresentada para dar 
suporte a uma ideia central ou para destacar a variedade de elementos relacionados a 
um tema. Por exemplo: "Os benefícios de uma alimentação saudável incluem a 
prevenção de doenças, o aumento da disposição física, a melhora da aparência da pele, 
a redução do estresse e a melhora do sono". Nesse caso, uma lista de benefícios é 
apresentada para dar suporte à ideia central de que uma alimentação saudável é benéfica 
para a saúde e o bem-estar. 
A identificação das relações entre as ideias é importante porque ajuda a compreender como as 
informações estão conectadas e como elas contribuem para o desenvolvimento do tema central 
do texto. É possível identificar essas relações por meio da observação de palavras e expressões 
que indicam essas conexões, como palavras de transição (por exemplo, "portanto", "contudo", 
"além disso", "assim", entre outras). 
Para identificar as relações entre as ideias, é necessário realizar uma leitura atenta e cuidadosa 
do texto, prestando atenção nas informações que mais se repetem e nas palavras que indicam 
essas conexões. 
Além disso, é importante lembrar que a compreensão das relações entre as ideias pode variar 
de acordo com o tipo de texto e a finalidade do autor. Por exemplo, em um texto informativo, 
as relações podem ser mais explícitas, enquanto em um texto literário, as relações podem ser 
mais sutis e simbólicas. 
Em resumo, a identificação das relações entre as ideias é uma estratégia importante para a 
leitura e compreensão de textos, pois permite ao leitor compreender como as informações estão 
conectadas e como elas contribuem para o desenvolvimento do tema central do texto. 
1.6 Efeitos de sentido e Figuras de linguagem no texto 
A leitura e compreensão de textos envolvem a identificação e análise de diversos elementos 
linguísticos e literários que contribuem para a construção de significados e efeitos de sentido 
no texto. Entre esses elementos, destacam-se os efeitos de sentido e as figuras de linguagem. 
Os efeitos de sentido se referem às sensações, emoções, ideias ou interpretações que são 
provocados pela leitura de um texto. Esses efeitos são criados por meio de diversas estratégias 
linguísticas, como o uso de palavras com conotações específicas, a organização das frases e 
parágrafos, a escolha de elementos visuais e sonoros, entre outros. 
A escolha das palavras é uma das principais estratégias utilizadas pelos escritores para criarefeitos de sentido. As palavras podem ter diferentes conotações, ou seja, significados além do 
sentido literal, que são capazes de evocar emoções e sentimentos no leitor. Por exemplo, a 
palavra "saudade" não tem uma tradução exata em outras línguas, mas evoca uma sensação de 
nostalgia e melancolia naqueles que a compreendem. 
A organização do texto também é uma estratégia importante para a criação de efeitos de sentido. 
A disposição das frases e dos parágrafos, a escolha dos elementos a serem destacados e a 
utilização de recursos como a repetição ou a variação de palavras e expressões podem contribuir 
para criar um determinado efeito de sentido no leitor. 
Os recursos visuais e sonoros também são importantes para a criação de efeitos de sentido. A 
utilização de imagens, ilustrações, cores e fontes diferentes pode influenciar a forma como o 
leitor interpreta o texto. Da mesma forma, a escolha das palavras pode ter efeitos sonoros 
específicos, como a aliteração (repetição de sons consonantais) ou a assonância (repetição de 
sons vocálicos), que podem contribuir para a criação de efeitos de sentido. 
Os efeitos de sentido podem ser variados e dependerão das intenções do autor do texto. Alguns 
exemplos de efeitos de sentido que um texto pode criar são: suspense, humor, ironia, empatia, 
indignação, entre outros. É importante que o leitor esteja atento a esses efeitos de sentido para 
compreender adequadamente o texto e para apreciar a qualidade literária da obra. 
Já as figuras de linguagem são recursos utilizados pelos escritores para dar mais expressividade 
e criatividade ao texto. São recursos que subvertem o uso comum da linguagem e provocam 
efeitos diferentes do sentido literal das palavras. Alguns exemplos de figuras de linguagem são 
a metáfora, a comparação, a personificação, a aliteração, entre outras. 
As figuras de linguagem são recursos utilizados na linguagem para conferir maior 
expressividade, beleza e criatividade ao discurso, explorando diferentes aspectos semânticos, 
sintáticos e fonológicos da língua. Elas são utilizadas para que a mensagem transmitida seja 
mais clara, persuasiva ou emocionante. 
Existem diversos tipos de figuras de linguagem, entre elas: 
1. Metáfora: consiste em usar uma palavra ou expressão para designar algo com base em 
uma relação de semelhança ou analogia, sem fazer uso da palavra "como". Exemplo: 
"Seu sorriso é um sol que ilumina meu dia". 
2. Comparação: estabelece uma relação explícita de semelhança entre dois elementos, 
utilizando a palavra "como". Exemplo: "Ela é como uma rosa delicada". 
3. Metonímia: consiste em substituir uma palavra por outra que esteja relacionada a ela de 
alguma forma, geralmente pela proximidade ou pela frequência com que aparecem 
juntas. Exemplo: "Ele bebeu um copo de leite" (o copo é a metonímia para o conteúdo 
que está dentro dele). 
4. Sinestesia: consiste em misturar sensações de diferentes órgãos sensoriais em uma 
mesma expressão, gerando uma imagem mais rica e expressiva. Exemplo: "O som da 
guitarra é doce aos meus ouvidos". 
5. Antítese: consiste em colocar em oposição duas ideias, termos ou palavras de 
significado oposto para criar um efeito de contraste. Exemplo: "O amor é fogo que arde 
sem se ver, é ferida que dói e não se sente". 
6. Ironia: consiste em dizer o contrário do que se pensa, com o intuito de expressar uma 
crítica ou uma ideia de forma sutil e bem-humorada. Exemplo: "Que bonito esse dia 
chuvoso para ir à praia". 
7. Hipérbole: consiste em exagerar uma ideia ou expressão para dar maior ênfase ao que 
se quer dizer. Exemplo: "Estava morrendo de sede". 
8. Eufemismo: consiste em suavizar uma expressão considerada desagradável ou ofensiva, 
substituindo-a por outra mais amena ou menos direta. Exemplo: "Ele partiu para o outro 
lado" (em vez de dizer "ele morreu"). 
Essas são apenas algumas das muitas figuras de linguagem existentes na língua portuguesa. 
Elas são importantes para tornar a comunicação mais interessante, eficaz e expressiva, seja em 
textos literários, publicitários, jornalísticos ou cotidianos. 
A compreensão desses elementos é importante para a interpretação do texto, uma vez que eles 
contribuem para a construção de significados e para a identificação de elementos estilísticos e 
literários presentes na obra. É fundamental que o leitor esteja atento a esses elementos para 
compreender adequadamente o texto e para apreciar a qualidade literária da obra. 
QUESTÕES 
I. (CEBRASPE/UnB - 2018) Analise a figura de linguagem empregada no trecho 
abaixo: 
"Quem lê tanta notícia?/Eu vou logo avisando/Isso aqui tá muito bom/Eu vou ficar no ar." 
a) Aliteração. b) Assonância. c) Onomatopeia. d) Metonímia. e) Ironia. 
Resposta: A figura de linguagem empregada no trecho é a letra "e) Ironia". O autor usa a ironia 
ao questionar quem lê tanta notícia, quando na verdade ele mesmo está produzindo notícias e 
sendo lido pelo público. A ironia é um recurso que consiste em dizer o contrário do que se 
pensa, com o intuito de expressar uma crítica ou uma ideia de forma sutil e bem-humorada. 
II. (FUNCAB/IFPA - 2018) Identifique a figura de linguagem presente na seguinte 
frase: "A cidade amanheceu calada". 
a) Antítese. b) Ironia. c) Metonímia. d) Personificação. e) Hipérbole. 
Resposta: A figura de linguagem presente na frase é a letra "d) Personificação". A 
personificação é uma figura de linguagem que atribui características humanas a seres 
inanimados, animais ou ideias. Na frase em questão, a cidade é personificada, ou seja, é 
atribuída a ela a capacidade de amanhecer e ficar calada, como se fosse uma pessoa. 
III. (CESGRANRIO/Petrobras - 2017) Analise o trecho abaixo: 
"Não foi exatamente a maior das surpresas, mas foi sim, uma surpresa." 
A figura de linguagem presente no trecho é: 
a) Ironia. b) Eufemismo. c) Metáfora. d) Hipérbole. e) Antítese. 
Resposta: A figura de linguagem presente no trecho é a letra "a) Ironia". A ironia é um recurso 
que consiste em dizer o contrário do que se pensa, com o intuito de expressar uma crítica ou 
uma ideia de forma sutil e bem-humorada. No trecho em questão, o autor afirma que não foi a 
maior das surpresas, mas ao mesmo tempo diz que foi sim uma surpresa, criando uma 
contradição irônica. 
IV. (UEM/PR - 2017) Observe a seguinte expressão presente em um texto: 
"Os trabalhadores da indústria automobilística estavam de sobreaviso". 
A expressão em destaque é um exemplo de: 
a) Ironia. b) Metáfora. c) Antítese. d) Eufemismo. e) Hipérbole. 
Resposta: A expressão em destaque é um exemplo de letra "d) Eufemismo". O eufemismo é 
uma figura de linguagem que tem por objetivo suavizar ou atenuar uma expressão considerada 
desagradável, ofensiva ou constrangedora. No caso da expressão "de sobreaviso", ela é utilizada 
para indicar que os trabalhadores da indústria automobilística estavam preparados e alertas para 
uma possível situação, mas de forma suave e menos agressiva do que outras expressões que 
poderiam ser utilizadas. 
V. (IFSC - 2017) "O céu parecia uma imensa catedral de luz e sombra". Nessa frase, o 
efeito de sentido decorre da figura de linguagem denominada: 
a) Sinestesia. b) Anáfora. c) Elipse. d) Assíndeto. e) Antítese. 
Resposta: A figura de linguagem presente na frase é letra "a) Sinestesia". A sinestesia é uma 
figura de linguagem que ocorre quando há a combinação de diferentes sensações em um mesmo 
enunciado, criando um efeito de sentido peculiar e, muitas vezes, poético. Na frase apresentada, 
a combinação da sensação visual (céu) com a sensação tátil (catedral) cria uma imagem que 
sugere grandiosidade e espiritualidade, gerando um efeito poético de elevação e grandiosidade. 
1.7 Intencionalidade 
A intencionalidade é um aspecto fundamental da leitura e da compreensão de textos. Refere-se 
à intenção do autor ao produzir determinado texto, ou seja, o que ele pretende comunicar, quais 
são seus objetivos e propósitos. 
Aoler um texto, é importante ter em mente a intencionalidade do autor, pois isso permite 
compreender melhor as ideias que ele está apresentando e avaliar de forma mais crítica o que 
está sendo dito. A intencionalidade pode estar relacionada a diversos aspectos do texto, como 
o gênero, o tema, o estilo, a linguagem utilizada, entre outros. 
Por exemplo, em um texto jornalístico, a intenção do autor pode ser informar os leitores sobre 
determinado fato ou acontecimento de forma imparcial e objetiva, enquanto em um texto 
literário, a intenção pode ser criar uma história envolvente e cativante que desperte emoções no 
leitor. 
Para compreender a intencionalidade do autor, é preciso levar em conta não só o que está sendo 
dito, mas também como está sendo dito. Isso envolve observar os recursos linguísticos 
utilizados, como as figuras de linguagem, os argumentos apresentados, as informações omitidas 
ou destacadas, entre outros aspectos. 
Assim, ao ler um texto, é importante estar atento à intencionalidade do autor e buscar 
compreender o que ele pretende comunicar. Isso permite uma leitura mais crítica e reflexiva, 
contribuindo para uma compreensão mais aprofundada do texto e das ideias que ele apresenta. 
Existem diferentes tipos de intencionalidade que podem estar presentes em um texto, 
dependendo do propósito e do contexto em que ele foi produzido. Abaixo, apresentamos alguns 
exemplos de tipos de intencionalidade: 
1. Intencionalidade informativa: este tipo de intencionalidade está presente em textos que 
têm como objetivo transmitir informações de forma objetiva e clara, como em notícias, 
artigos de divulgação científica, manuais técnicos, entre outros. O autor busca 
apresentar fatos e dados de maneira precisa e fidedigna, sem fazer julgamentos de valor 
ou emitir opiniões. 
2. Intencionalidade persuasiva: neste tipo de intencionalidade, o autor busca convencer o 
leitor a adotar determinada posição ou ponto de vista, por meio de argumentos e 
estratégias retóricas. Este tipo de intencionalidade está presente em textos 
argumentativos, publicitários, discursos políticos, entre outros. 
3. Intencionalidade estética: este tipo de intencionalidade está presente em textos literários, 
onde o autor busca criar uma experiência estética para o leitor, por meio do uso da 
linguagem de forma expressiva e criativa. Neste tipo de texto, a intenção do autor é 
produzir efeitos estéticos, como a criação de imagens, a construção de atmosferas e o 
uso de figuras de linguagem. 
4. Intencionalidade expressiva: este tipo de intencionalidade está presente em textos 
autobiográficos, diários pessoais, poemas confessionais, entre outros. Neste tipo de 
texto, a intenção do autor é expressar seus sentimentos, emoções e experiências 
pessoais, sem necessariamente buscar persuadir ou informar o leitor. 
5. Intencionalidade crítica: este tipo de intencionalidade está presente em textos que 
buscam analisar e avaliar de forma crítica determinado fenômeno social, cultural, 
político ou artístico. Este tipo de intencionalidade está presente em resenhas, críticas 
literárias, ensaios críticos, entre outros. 
É importante ressaltar que estes tipos de intencionalidade não são excludentes entre si, e um 
texto pode ter mais de uma intencionalidade presente. Por exemplo, um artigo de opinião pode 
ter intenções informativas e persuasivas ao mesmo tempo. O importante é identificar qual é a 
intenção predominante do autor ao produzir determinado texto, para compreender melhor suas 
ideias e argumentos. 
1.8 Recursos de Argumentação 
A leitura e compreensão de textos também envolvem a identificação dos recursos de 
argumentação utilizados pelo autor para defender suas ideias e persuadir o leitor. Esses recursos 
podem incluir, por exemplo, a utilização de dados estatísticos, exemplos concretos, citações de 
autoridades, entre outros. 
Um dos recursos mais comuns de argumentação é a utilização de argumentos de autoridade, em 
que o autor cita especialistas ou fontes confiáveis para sustentar suas ideias. Além disso, a 
argumentação pode ser feita por meio da apresentação de fatos, que são informações 
comprovadas e verificáveis. A apresentação de exemplos concretos é outra forma de 
argumentação, já que exemplos podem ilustrar e reforçar a posição defendida pelo autor. 
A utilização de analogias também pode ser um recurso de argumentação eficaz. Analogias são 
comparações entre situações semelhantes, mas que apresentam diferenças importantes. Por 
meio dessas comparações, o autor pode ajudar o leitor a entender sua posição e persuadi-lo a 
adotar a mesma visão. 
Outro recurso de argumentação é a utilização de recursos emocionais, como a apelação ao 
medo, à compaixão ou à raiva, para persuadir o leitor. A utilização de um tom persuasivo, de 
linguagem figurativa e de metáforas também pode ser um recurso eficaz de argumentação. 
Em resumo, a identificação dos recursos de argumentação em um texto é fundamental para 
compreender a posição do autor e avaliar a validade de seus argumentos. 
Existem diversos tipos de recursos de argumentação que podem ser utilizados em um texto para 
persuadir o leitor. Abaixo estão alguns exemplos: 
1. Argumento de autoridade: É quando o autor utiliza a opinião de um especialista no 
assunto para reforçar seu argumento. 
2. Argumento de causa e consequência: O autor utiliza a relação entre um evento ou 
situação e suas possíveis consequências para persuadir o leitor. 
3. Argumento de comparação: É quando o autor compara dois ou mais objetos, conceitos 
ou situações para ilustrar ou reforçar seu argumento. 
4. Argumento de consequência: O autor utiliza a possibilidade de uma ação ou decisão 
gerar uma consequência negativa para persuadir o leitor a concordar com sua posição. 
5. Argumento de exemplo: É quando o autor apresenta um ou mais exemplos que ilustram 
sua posição ou argumento. 
6. Argumento de evidência: O autor utiliza evidências concretas, como dados estatísticos, 
fatos históricos ou resultados de pesquisas para reforçar seu argumento. 
7. Argumento de autoridade moral: É quando o autor utiliza sua posição ou credibilidade 
para persuadir o leitor. 
8. Argumento de emoção: O autor utiliza elementos emocionais para criar uma conexão 
emocional com o leitor e persuadi-lo. 
9. Argumento de senso comum: É quando o autor utiliza ideias ou crenças que são 
amplamente aceitas pela sociedade para reforçar seu argumento. 
10. Argumento de refutação: É quando o autor antecipa e refuta possíveis objeções ou 
argumentos contrários ao seu ponto de vista. 
É importante ressaltar que a utilização desses recursos de argumentação deve ser feita de 
maneira coerente e consistente, evitando contradições e manipulações que possam prejudicar a 
credibilidade do texto. 
QUESTÕES 
I. (Questão adaptada de TJ-PR - Técnico Judiciário - 2017) 
Analise o trecho do texto a seguir: 
"É importante destacar que a utilização de fontes confiáveis e atualizadas é imprescindível para 
uma argumentação sólida e bem fundamentada." 
O recurso de argumentação utilizado no trecho destacado é: 
a) exemplificação b) citação de autoridade c) comparação d) alusão histórica e) refutação 
Resposta: b) citação de autoridade. 
Explicação: No trecho destacado, a argumentação é reforçada com a citação de uma autoridade 
no assunto, ao dizer que "fontes confiáveis e atualizadas" são "imprescindíveis para uma 
argumentação sólida e bem fundamentada". Dessa forma, a argumentação ganha mais força e 
credibilidade ao ser apoiada em uma fonte de autoridade. 
II. (UFV-MG - Adaptada) Em um texto argumentativo, o autor utiliza diversos recursos 
para convencer o leitor de seu ponto de vista. Assinale a alternativa em que se 
identifica um desses recursos: 
a) “Para melhorar a educação em nosso país, é preciso investir em formação de professores, 
aumentar salários e oferecer melhores condições de trabalho.” 
b) “Muitos estudantes estãoinsatisfeitos com a qualidade do ensino oferecido nas escolas 
públicas. Por isso, é necessário realizar reformas profundas no sistema educacional.” 
c) “De acordo com especialistas, a falta de investimento em educação é uma das principais 
causas do baixo desempenho dos alunos.” 
d) “A educação é um direito de todos e deve ser garantida pelo Estado. Por isso, é inadmissível 
que tantos jovens sejam excluídos do sistema educacional.” 
Resposta: 
A alternativa que apresenta um recurso de argumentação é a letra C. Ao citar a opinião de 
especialistas, o autor busca embasar seu argumento em uma fonte confiável e autorizada no 
assunto, aumentando sua credibilidade e persuasão sobre o leitor. 
III. (Adaptado de Concurso Público - Prefeitura Municipal de Bragança Paulista/SP - 
2019) 
Leia a frase a seguir: 
"Não concordo com a afirmação de que devemos votar em candidatos que tenham muitos anos 
de experiência na política, pois nem sempre tempo é sinônimo de competência." 
O recurso de argumentação utilizado nessa frase é: 
a) Comparação b) Citação de autoridade c) Ironia d) Causa e efeito e) Generalização 
Resposta: 
A resposta correta é a letra c) Ironia. O autor utiliza a ironia para argumentar que o tempo de 
experiência na política nem sempre é garantia de competência, mesmo que muitas pessoas 
acreditem nisso. Ele apresenta a opinião contrária e, ao negá-la com um tom irônico, indica que 
há uma crítica implícita nessa afirmação. 
1.9 Informações implícitas: inferências, pressupostos e 
subentendidos 
A leitura e compreensão de textos requerem não só a identificação das informações explícitas 
presentes no texto, mas também a habilidade de inferir informações implícitas, ou seja, aquelas 
que não estão claramente expostas, mas que podem ser deduzidas a partir do contexto, do 
conhecimento prévio e das pistas deixadas pelo autor. 
As inferências são conclusões que o leitor tira a partir de pistas presentes no texto. Elas podem 
ser feitas de diversas formas, como a partir do significado de uma palavra desconhecida, da 
relação entre as ideias apresentadas, da análise de dados e informações apresentados, entre 
outros. 
Os pressupostos, por sua vez, são informações que o autor do texto considera como conhecidas 
ou aceitas pelo leitor. Eles são subjacentes ao texto e podem ser deduzidos a partir do que está 
escrito. Por exemplo, em uma notícia que menciona a cidade de São Paulo, o pressuposto é que 
o leitor sabe o que é São Paulo e onde ela está localizada. 
Já os subentendidos são informações que não estão explícitas no texto e que dependem da 
interpretação do leitor. Eles podem ser implícitos ou sutis, como ironias, sarcasmos e duplos 
sentidos. Para identificar um subentendido, é preciso atentar-se para o contexto, a entonação e 
as palavras utilizadas pelo autor. 
• Inferência: ao ler uma notícia que diz "O governo anunciou investimentos na área de 
saúde", podemos inferir que há problemas na área de saúde e que o governo está agindo 
para resolvê-los. 
• Pressuposto: ao ler a frase "Maria encontrou seu carro na garagem", pressupõe-se que 
Maria tem um carro. 
• Subentendido: ao ler a frase "Não é preciso dizer mais nada", subentende-se que há uma 
situação em que as palavras são dispensáveis ou que o que já foi dito é suficiente para 
se entender o assunto em questão. 
Dessa forma, é importante desenvolver habilidades de inferência, pressuposição e identificação 
de subentendidos para uma leitura mais eficiente e completa. 
QUESTÕES 
I. (Adaptado do concurso da Assembleia Legislativa de Minas Gerais - ALMG) 
Leia o texto abaixo e responda a questão: 
"A mãe das línguas é a língua mãe, a primeira que ouvimos, que pronunciamos. Ela vem das 
falas dos antepassados, que a transmitiram aos filhos, aos netos, aos bisnetos e assim por diante, 
ao longo das gerações. A língua materna é o patrimônio afetivo e cultural mais valioso que um 
indivíduo pode herdar." 
O texto acima apresenta uma afirmação que pressupõe outra anteriormente dada, estabelecendo 
uma relação de causa e efeito. A alternativa que apresenta essa relação é: 
a) A língua materna é o patrimônio afetivo e cultural mais valioso que um indivíduo pode 
herdar. 
b) A língua mãe é a primeira que ouvimos e pronunciamos. 
c) Ela vem das falas dos antepassados, que a transmitiram aos filhos, aos netos, aos bisnetos e 
assim por diante, ao longo das gerações. 
d) As línguas são as formas de comunicação mais importantes para o ser humano. 
Resposta: A alternativa correta é a letra c, pois a afirmação "A língua materna é o patrimônio 
afetivo e cultural mais valioso que um indivíduo pode herdar" pressupõe a ideia de que essa 
língua vem das falas dos antepassados, transmitida ao longo das gerações. 
II. (Adaptada de FGV/RJ - 2018) Considere o seguinte trecho: "A grande dica para não 
deixar a tristeza te dominar é se manter ativo. Pratique exercícios físicos, saia com 
amigos, aprenda algo novo, faça coisas que lhe tragam prazer." 
Qual das seguintes inferências pode ser feita a partir do trecho? 
a) Fazer coisas que tragam prazer é a única maneira de evitar a tristeza. b) Ficar ocioso aumenta 
a tristeza. c) Praticar exercícios físicos é a única maneira de evitar a tristeza. d) Não se pode 
evitar a tristeza através de atividades. e) Sair com amigos é a única maneira de evitar a tristeza. 
Resposta: 
A alternativa correta é a letra B. A partir do trecho, pode-se inferir que ficar ocioso aumenta a 
tristeza, pois a "grande dica" para não deixar a tristeza dominar é "se manter ativo", ou seja, 
ocupar a mente e o corpo com atividades diversas. As outras alternativas apresentam afirmações 
extremas ou incorretas, que não podem ser inferidas a partir do trecho. 
III. (UnB/CEBRASPE - ANTAQ/2014) Com relação à construção de sentido em textos, 
julgue os itens seguintes. O pressuposto é uma informação não expressa, mas 
implícita no texto, que o leitor pode inferir a partir de elementos linguísticos 
presentes no próprio texto ou do conhecimento que possui sobre o mundo. 
Resposta: 
Verdadeiro. O pressuposto é uma informação não expressa, mas que pode ser inferida pelo 
leitor a partir de elementos linguísticos ou do conhecimento que ele possui sobre o mundo. 
Dessa forma, o leitor precisa interpretar o que está implícito para compreender o sentido 
completo do texto. 
1.10 Coesão e coerência textuais 
A coesão e a coerência são aspectos fundamentais para a compreensão de um texto. A coesão 
está relacionada à conexão entre as palavras e frases que compõem o texto, enquanto a coerência 
se refere à organização das ideias e informações presentes no texto de forma lógica e clara. 
A coesão é obtida por meio de recursos linguísticos que estabelecem uma ligação entre as 
palavras e frases, tais como conectores (como "e", "mas", "porém"), pronomes, elipses, 
substituições, entre outros. Esses recursos permitem que as informações sejam transmitidas de 
forma clara e organizada, evitando ambiguidades e redundâncias. 
Coesão textual refere-se à maneira como os elementos linguísticos de um texto são conectados 
para torná-lo coeso e fluente, com a finalidade de que o leitor possa compreendê-lo de maneira 
clara e eficiente. A coesão está relacionada à forma como as palavras, frases e parágrafos são 
organizados e ligados, criando uma unidade textual. 
Existem diferentes tipos de mecanismos de coesão utilizados em um texto: 
1. Referenciação: refere-se à forma como se faz referência a algo que já foi mencionado 
anteriormente no texto. Isso pode ser feito por meio de pronomes, nomes, numerais ou 
expressões que retomam termos já apresentados. 
2. Substituição: ocorre quando se substitui um termo por outro de mesmo sentido. Pode 
ser feita por meio de pronomes, expressões sinonímicas ou antônimas, entre outros. 
3. Elipse: ocorre quando se omite um termo que já foi mencionado anteriormente no texto, 
mas que pode ser recuperado pelo contexto.4. Conjunção: refere-se ao uso de conectivos para estabelecer relações entre as frases, 
como conjunções coordenativas (e, mas, ou) e conjunções subordinativas (porque, 
quando, embora). 
5. Sequência textual: refere-se à organização das frases em uma sequência lógica e 
coerente, estabelecendo uma relação entre elas. 
A coesão é essencial para garantir a clareza e a compreensão de um texto, permitindo que o 
leitor faça as conexões necessárias entre as informações apresentadas. Um texto coeso é aquele 
em que os elementos estão bem conectados, não deixando dúvidas ao leitor quanto ao 
significado e à estrutura do texto. 
Já a coerência é alcançada pela organização das informações de forma lógica e coesa, criando 
uma estrutura que permita a compreensão do texto como um todo. Isso envolve a organização 
das ideias em parágrafos, a utilização de argumentos e exemplos que sustentem as informações 
apresentadas e a coerência entre a introdução, o desenvolvimento e a conclusão do texto. 
Coerência textual é a conexão lógica e semântica entre as ideias e informações apresentadas em 
um texto. Em outras palavras, é a qualidade do texto que faz com que as ideias sejam 
apresentadas de forma clara, organizada e lógica, de modo a permitir que o leitor compreenda 
facilmente o que está sendo dito. 
A coerência pode ser alcançada por meio de diferentes estratégias, como: 
1. Uso adequado da estrutura textual: para que um texto seja coerente, é importante que 
ele siga uma estrutura adequada, como a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. 
Essa estrutura permite que as ideias sejam apresentadas de forma organizada e 
sequencial, o que ajuda o leitor a acompanhar a argumentação do autor. 
2. Uso correto dos conectivos: os conectivos são palavras ou expressões que estabelecem 
uma relação de sentido entre as ideias apresentadas em um texto. Exemplos de 
conectivos são: portanto, contudo, além disso, por outro lado, entre outros. O uso 
adequado desses conectivos é essencial para que o texto apresente uma sequência lógica 
de ideias. 
3. Coesão textual: a coesão é a relação sintática e semântica entre as palavras e frases que 
compõem o texto. Ela é alcançada por meio do uso adequado de elementos coesivos, 
como pronomes, conjunções, advérbios, entre outros. Esses elementos ajudam a 
estabelecer a conexão entre as ideias apresentadas no texto, tornando-o mais coerente. 
4. Consistência temática: para que um texto seja coerente, é importante que ele mantenha 
uma unidade temática ao longo de sua extensão. Isso significa que todas as ideias 
apresentadas devem estar relacionadas ao tema central do texto e não devem apresentar 
contradições ou incoerências. 
5. Uso adequado da linguagem: a escolha das palavras, a estruturação das frases e o uso 
correto da gramática também são fundamentais para que o texto apresente coerência. 
Uma linguagem clara, precisa e adequada ao público-alvo contribui para a compreensão 
das ideias apresentadas e torna o texto mais coerente. 
É importante destacar que a coesão e a coerência estão interligadas, uma vez que a coesão 
contribui para a coerência do texto. Um texto coeso, mas sem coerência, pode causar confusão 
e dificultar a compreensão do leitor, enquanto um texto coerente, mas sem coesão, pode ser 
confuso e difícil de seguir. 
Coesão e coerência são dois conceitos fundamentais para a compreensão de um texto. Coesão 
refere-se à conexão entre as partes do texto, enquanto coerência se refere à relação entre essas 
partes em termos de significado. 
A coesão é obtida através de recursos linguísticos, como o uso de pronomes, conjunções, 
advérbios, repetições, sinônimos, antônimos, entre outros, que garantem a ligação entre as 
palavras, as frases e os parágrafos do texto. A coesão é essencial para a clareza e a organização 
do texto, facilitando a compreensão e a interpretação do leitor. 
Já a coerência diz respeito à lógica do texto, ou seja, à relação de sentido entre as ideias 
apresentadas. A coerência está relacionada à organização e à estruturação do texto, ao modo 
como as informações são apresentadas e relacionadas entre si. Um texto é considerado coerente 
quando as ideias apresentadas são logicamente encadeadas, formando um sentido completo e 
compreensível. 
A diferença fundamental entre coesão e coerência é que a coesão refere-se à ligação entre as 
partes do texto, enquanto a coerência se refere à relação de sentido entre essas partes. Ambas 
são importantes para a compreensão e a interpretação de um texto, mas enquanto a coesão é 
uma questão mais gramatical, a coerência está relacionada à estruturação e à organização das 
ideias do texto. 
Portanto, a compreensão do texto requer não apenas a habilidade de identificar as ideias 
principais e secundárias, mas também a capacidade de identificar a coesão e a coerência entre 
as informações presentes no texto. 
 QUESTÕES 
I. (TRT 18ª Região - Técnico Judiciário - 2013) O fragmento de texto “No fim das 
contas, não há mais família alguma. Há indivíduos que se relacionam” apresenta um 
exemplo de coesão textual que se baseia em: 
a) palavras ou expressões que se referem a termos mencionados anteriormente no texto. 
b) palavras ou expressões que criam relações de sentido entre as partes do texto. 
c) palavras ou expressões que conectam duas orações independentes. 
d) palavras ou expressões que resumem o que foi dito anteriormente. 
e) palavras ou expressões que contrastam com o que foi dito anteriormente. 
Resposta: A resposta correta para a questão é, de fato, a letra D: "palavras ou expressões que 
resumem o que foi dito anteriormente." A expressão "Há indivíduos que se relacionam" resume 
a ideia apresentada anteriormente de que não há mais família, indicando que agora existem 
apenas indivíduos que se relacionam entre si. Essa expressão tem a função de sintetizar e 
resumir o conteúdo mencionado anteriormente no texto 
II. (UnB/CESPE - ANS/2013) Julgue o item seguinte, acerca da coerência e da coesão 
textual. 
A coesão é uma propriedade textual que decorre do uso adequado dos recursos linguísticos, 
visando a garantir a integridade semântica do texto, enquanto a coerência é uma qualidade que 
se refere à unidade e à lógica do sentido construído ao longo do texto. 
Resposta: 
A afirmativa está correta. A coesão se refere aos elementos linguísticos que garantem a conexão 
e a continuidade do texto, como as conjunções, os pronomes, os advérbios, entre outros. Já a 
coerência está relacionada à lógica e à unidade de sentido do texto, ou seja, à sua capacidade 
de apresentar ideias e informações de forma clara, organizada e com sentido lógico. Portanto, 
a coesão é uma propriedade que se refere à forma como o texto é organizado, enquanto a 
coerência se refere à sua compreensibilidade e ao seu sentido global. 
QUESTÕES GERAIS 
I. (CEBRASPE/2019-SEPLAG-GO) O texto “A incrível tecnologia dos 
exoesqueletos robóticos” é uma reportagem científica, cujo objetivo é apresentar ao 
leitor os avanços na tecnologia dos exoesqueletos. O texto é estruturado em uma 
introdução, dois desenvolvimentos e uma conclusão, e a abordagem temática gira 
em torno da tecnologia dos exoesqueletos, com destaque para as suas aplicações em 
benefício da qualidade de vida dos seres humanos. A partir das informações 
apresentadas no texto, julgue o item a seguir: 
O trecho “É o caso, por exemplo, do soldado que precisava carregar um peso elevado por longas 
distâncias ou do operário que trabalha em linhas de produção em que precisa realizar 
movimentos repetitivos ao longo de todo o expediente” (l. 14-18) apresenta ideias secundárias 
que exemplificam as aplicações dos exoesqueletos. 
Resposta: Correta. 
Justificativa: No trecho indicado, o autor apresenta exemplos de situações em que os 
exoesqueletos podem ser aplicados, evidenciando uma ideia secundária que contribui para a 
argumentação principal do texto, que é a de que a tecnologiados exoesqueletos pode ser 
benéfica para a qualidade de vida dos seres humanos. 
II. Questão: (CESPE/UnB - Técnico Judiciário/TRT-8ª Região/2016) 
Considere o seguinte trecho de um texto: 
"Algumas pessoas têm uma visão romântica do trabalho artístico e acreditam que ele não pode 
ser limitado ou regulado de maneira alguma. Para essas pessoas, a arte é uma expressão livre 
da imaginação e das emoções, que não pode ser submetida a regras ou a qualquer tipo de 
controle externo. No entanto, a realidade é bem diferente: assim como qualquer outro tipo de 
trabalho, a produção artística envolve regras e limitações, muitas das quais são impostas pelo 
próprio mercado." 
Considerando a estruturação do texto, é correto afirmar que: 
a) O texto se divide em duas partes distintas: uma primeira em que se apresenta a opinião das 
pessoas que têm uma visão romântica da arte e uma segunda em que se mostra a realidade do 
trabalho artístico. 
b) O texto se divide em três partes, que apresentam a visão romântica das pessoas em relação 
ao trabalho artístico, a realidade desse tipo de trabalho e as regras impostas pelo mercado. 
c) O texto se divide em duas partes: uma primeira em que se apresenta a visão das pessoas que 
têm uma visão romântica do trabalho artístico e uma segunda em que se mostram as regras e 
limitações que envolvem a produção artística. 
d) O texto se divide em três partes, que apresentam a visão romântica das pessoas em relação 
ao trabalho artístico, as limitações da produção artística e a imposição de regras pelo mercado. 
Resposta: c) O texto se divide em duas partes: uma primeira em que se apresenta a visão das 
pessoas que têm uma visão romântica do trabalho artístico e uma segunda em que se mostram 
as regras e limitações que envolvem a produção artística. 
III. (UFSCar-SP) No seguinte trecho do texto "O sol e a peneira", de Mia Couto, 
identifica-se a presença de uma figura de linguagem: "Agora, sou eu quem vos 
pergunta: o que somos nós, este grão de poeira sobre o qual habitamos? Não somos 
acaso também umas peneiras que deixam passar, para além da sua própria 
transparência, a luz do universo?" A figura de linguagem presente no texto é: 
a) Metonímia. b) Antítese. c) Eufemismo. d) Comparação. e) Metáfora. 
Resposta: e) Metáfora. 
Explicação: A figura de linguagem presente no texto é a metáfora, que consiste em empregar 
uma palavra ou expressão em um sentido figurado, que não é seu sentido literal, criando uma 
relação de semelhança ou analogia entre dois elementos. No trecho, o autor compara os seres 
humanos a peneiras que permitem a passagem da luz do universo, assim como as peneiras 
permitem a passagem dos grãos de trigo, por exemplo. 
IV. Questão: (Adaptado do concurso MPU - Analista de Direito - 2010) O texto "Os 
inventores da revolução: estudo sobre a obra de Marx e Engels" apresenta como 
característica principal: 
a) Uma exposição cronológica das obras de Marx e Engels. 
b) Uma abordagem biográfica dos autores. 
c) Uma análise crítica da obra de Marx e Engels. 
d) Uma exposição dos conceitos fundamentais do marxismo. 
e) Uma interpretação dos ideais marxistas segundo a perspectiva dos autores. 
Resposta: A alternativa correta é a letra c) Uma análise crítica da obra de Marx e Engels. O 
texto apresenta uma análise aprofundada e crítica sobre as obras de Marx e Engels, abordando 
não só os aspectos positivos, mas também as limitações e críticas que podem ser feitas à teoria 
marxista. Não há uma exposição cronológica das obras, nem uma abordagem biográfica dos 
autores. Embora a exposição dos conceitos fundamentais do marxismo seja um elemento 
presente no texto, não é sua característica principal. Já a interpretação dos ideais marxistas 
segundo a perspectiva dos autores também não é a característica principal do texto, mas sim um 
aspecto que pode ser encontrado em determinados trechos. 
V. Leia o trecho abaixo: 
"O cenário econômico mundial é bastante desafiador e exige cada vez mais a atuação de 
profissionais qualificados e preparados para lidar com as constantes mudanças e inovações que 
ocorrem no mercado. Nesse contexto, a busca por formação acadêmica é essencial para que os 
profissionais possam se manter atualizados e competitivos." 
Com base no trecho acima, é correto afirmar que: 
a) A formação acadêmica não é importante para os profissionais se manterem competitivos. b) 
O cenário econômico mundial não é desafiador. c) Os profissionais não precisam estar 
preparados para lidar com as constantes mudanças e inovações do mercado. d) A busca por 
formação acadêmica é essencial para que os profissionais possam se manter atualizados e 
competitivos. 
Resposta: d) A busca por formação acadêmica é essencial para que os profissionais possam se 
manter atualizados e competitivos. 
VI. Leia o trecho a seguir: 
"Em um mundo onde cada vez mais as relações são superficiais e efêmeras, a amizade 
verdadeira é um tesouro raro, difícil de ser encontrado. Mas quando encontramos um amigo de 
verdade, sabemos que podemos contar com ele em qualquer situação, que ele estará ao nosso 
lado nos momentos bons e ruins, sem julgamentos ou interesses ocultos." 
Assinale a alternativa que apresenta uma ideia coerente com o trecho: 
a) As amizades verdadeiras são cada vez mais comuns em um mundo superficial e efêmero. 
b) É fácil encontrar amigos verdadeiros, basta procurar bem. 
c) As amizades verdadeiras são um tesouro raro porque as pessoas não estão mais interessadas 
em cultivar relações profundas. 
d) As amizades verdadeiras são superficiais e efêmeras porque as pessoas não têm mais tempo 
para investir nelas. 
Resposta: 
c) As amizades verdadeiras são um tesouro raro porque as pessoas não estão mais interessadas 
em cultivar relações profundas. 
Justificativa: 
O trecho apresenta a ideia de que a amizade verdadeira é um tesouro raro e difícil de ser 
encontrado em um mundo onde as relações são superficiais e efêmeras. Isso indica que as 
pessoas não estão mais interessadas em cultivar relações profundas e, portanto, as amizades 
verdadeiras são cada vez mais raras. A alternativa c apresenta essa mesma ideia de forma clara 
e objetiva, sendo a resposta correta. As alternativas a, b e d são contrárias ou não condizentes 
com o que o trecho apresenta. 
VII. Questão: (Banpará 2020) A coesão textual é a propriedade do texto que se refere às 
relações semânticas que existem entre as palavras, as frases e os parágrafos que o 
compõem. É um elemento fundamental para que o texto tenha sentido e transmita a 
mensagem que o autor deseja. A respeito dos recursos de coesão, assinale a 
alternativa correta: 
a) O uso de pronomes, conjunções e advérbios é um recurso que contribui para a coesão do 
texto, mas não é essencial para a sua compreensão. 
b) A repetição de palavras e expressões é um recurso de coesão que deve ser evitado, pois pode 
tornar o texto enfadonho e repetitivo. 
c) A coesão referencial ocorre quando uma palavra ou expressão é usada para retomar um termo 
já mencionado anteriormente no texto. 
d) A substituição de um termo por outro de sentido semelhante é uma técnica de coesão que 
deve ser utilizada com frequência, para enriquecer o vocabulário do texto. 
e) A coesão lexical diz respeito às relações semânticas estabelecidas entre as palavras de um 
texto, como a sinonímia e a antonímia. 
A alternativa correta é a letra c) A coesão referencial ocorre quando uma palavra ou expressão 
é usada para retomar um termo já mencionado anteriormente no texto. 
VIII. (TJMG 2018) Leia o texto a seguir para responder à questão. 
A ausência do diálogo entre pais e filhos 
Uma pesquisa recente do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) mostra 
que, no Brasil, 50% dos filhos acham que não conversam o suficiente com seus pais. As 
justificativas para isso são diversas, desde a falta de tempo dos adultos, passando pela falta de 
interesse dos jovensaté o cansaço depois de um dia exaustivo de trabalho. O resultado disso é 
que muitos pais acabam não sabendo quais são as preocupações e dificuldades dos filhos, o que 
pode prejudicar a relação familiar e o desenvolvimento emocional dos jovens. 
De acordo com os especialistas, a falta de diálogo entre pais e filhos é um problema que pode 
trazer consequências graves, como o isolamento emocional, a baixa autoestima, o aumento do 
risco de comportamentos de risco, como a violência e a dependência química, entre outras. 
Diante dessa realidade, é fundamental que os pais procurem estabelecer um diálogo aberto e 
constante com seus filhos, desde cedo, para que se sintam seguros para expressar suas ideias, 
sentimentos e medos. O diálogo deve ser uma via de mão dupla, ou seja, não é suficiente apenas 
que os pais falem, mas também que saibam ouvir o que os filhos têm a dizer. 
Com base no texto, é correto afirmar que: 
a) A falta de diálogo entre pais e filhos não é um problema que possa trazer consequências 
graves, pois cada pessoa deve cuidar de si mesmo. 
b) A pesquisa do Instituto de Psicologia da USP mostrou que, no Brasil, 50% dos filhos não se 
preocupam em conversar com seus pais. 
c) A falta de diálogo entre pais e filhos pode trazer consequências graves, como o isolamento 
emocional, a baixa autoestima, o aumento do risco de comportamentos de risco, como a 
violência e a dependência química, entre outras. 
d) Os pais devem estabelecer um diálogo aberto e constante com seus filhos apenas na 
adolescência, quando os jovens começam a enfrentar mais desafios. 
e) O diálogo entre pais e filhos deve ser apenas uma via de mão única, em que os pais falam e 
os filhos ouvem. 
A resposta correta é a alternativa c) A falta de diálogo entre pais e filhos pode trazer 
consequências graves, como o isolamento emocional, a baixa autoestima, o aumento do risco 
de comportamentos de risco, como a violência e a dependência química, entre outras. O texto 
destaca a importância do diálogo entre pais e filhos e os possíveis problemas decorrentes da 
falta dele, como apontado pela pesquisa do Instituto de Psicologia da USP. Portanto, a 
alternativa c) é a única que condiz com as informações apresentadas no texto. 
2. LÉXICO 
2.1 Significação de palavras e expressões no texto 
O léxico é o conjunto de palavras e expressões que fazem parte de uma língua. A sua 
compreensão é essencial para a compreensão de um texto, já que as palavras utilizadas são 
responsáveis por transmitir os significados e as intenções do autor. 
A significação das palavras e expressões é um aspecto fundamental do léxico. Cada palavra 
possui um significado que pode variar de acordo com o contexto em que é utilizada. Além disso, 
algumas palavras possuem mais de um significado, o que pode gerar ambiguidade e dificultar 
a compreensão do texto. 
Para compreender a significação das palavras e expressões, é preciso considerar alguns fatores, 
como o contexto em que elas são utilizadas, a relação entre as palavras e a intenção do autor. 
As palavras também podem ser classificadas de acordo com a sua função gramatical e com a 
sua origem. 
Além disso, existem as figuras de linguagem, que são recursos utilizados pelos autores para 
criar efeitos de sentido no texto. As figuras de linguagem podem ser classificadas em diversas 
categorias, como as figuras de som, as figuras de pensamento e as figuras de sintaxe. 
As figuras de linguagem são recursos utilizados pelos falantes para tornar a comunicação mais 
expressiva e persuasiva. Existem diferentes tipos de figuras de linguagem, entre elas as figuras 
de som, as figuras de pensamento e as figuras de sintaxe. 
As figuras de som referem-se a recursos que exploram as sonoridades das palavras, como a 
aliteração, que é a repetição de sons consonantais em palavras próximas, como "pássaro preto"; 
a assonância, que é a repetição de sons vocálicos em palavras próximas, como "meu sonho é 
voar tão longe"; e a rima, que é a repetição de sons no final das palavras, como "amor" e "dor". 
As figuras de pensamento, por sua vez, são recursos que exploram a forma como as ideias são 
apresentadas, como a metáfora, que é a comparação implícita entre duas coisas, como "ele é 
um leão"; a antítese, que é a aproximação de ideias opostas, como "amor e ódio"; e a ironia, 
que é a expressão de um significado oposto ao que se quer dizer, como "que belo dia para ficar 
preso em casa". 
As figuras de sintaxe referem-se a recursos que exploram a ordem e a disposição das palavras 
na frase, como a inversão, que é a mudança da ordem usual dos termos da frase, como "ao 
mestre eu venero"; a elipse, que é a omissão de termos que podem ser inferidos pelo contexto, 
como "quando saí daqui, estava chovendo"; e a hipérbato, que é a inversão da ordem lógica dos 
termos, como "de amor eu morro". 
Essas figuras de linguagem são importantes para enriquecer a expressividade do texto e podem 
ser utilizadas em diferentes tipos de gêneros textuais, desde a poesia até o discurso político ou 
publicitário 
Por fim, a compreensão das palavras e expressões no texto também envolve a identificação de 
sinônimos, antônimos e palavras cognatas, que são palavras que possuem uma relação de 
semelhança ou contraste com outras palavras presentes no texto. A compreensão dessas 
relações entre as palavras é fundamental para a interpretação correta do texto. 
Sinônimos são palavras que possuem o mesmo ou semelhante significado em um determinado 
contexto. Por exemplo, "feliz" e "contente" são sinônimos, assim como "casa" e "lar". É 
importante lembrar que nem sempre os sinônimos são completamente intercambiáveis, pois 
podem ter sutis diferenças de significado ou de uso. 
Antônimos, por outro lado, são palavras que possuem significados opostos. Por exemplo, 
"amor" e "ódio" são antônimos, assim como "bom" e "mau". O uso de antônimos pode ser uma 
estratégia interessante para enfatizar uma ideia, contrastar elementos ou criar um efeito de 
humor. 
Palavras cognatas são aquelas que possuem a mesma origem etimológica, ou seja, derivam de 
uma mesma palavra ancestral. Por exemplo, as palavras "casa" em português, "house" em inglês 
e "maison" em francês são cognatas, pois todas derivam da palavra latina "casa". A 
compreensão das palavras cognatas pode ser útil para aprender vocabulário em outras línguas, 
bem como para entender melhor a evolução histórica e a relação entre as línguas. 
QUESTÕES 
I. (CESPE/CEBRASPE - 2017) Em relação ao léxico, é correto afirmar que: 
a) A sinonímia é uma relação de sentido que ocorre entre palavras que têm significado oposto. 
b) A antonímia é uma relação de sentido que ocorre entre palavras que têm significado 
semelhante. 
c) As palavras cognatas são aquelas que apresentam a mesma grafia, mas têm significados 
diferentes. 
d) As palavras homônimas são aquelas que apresentam a mesma pronúncia ou grafia, mas têm 
significados diferentes. 
e) A polissemia é uma relação de sentido que ocorre entre palavras que têm significado único 
e invariável. 
RESPOSTA: 
d) As palavras homônimas são aquelas que apresentam a mesma pronúncia ou grafia, mas têm 
significados diferentes. 
II. (TJ-PR 2017) No trecho "De acordo com a equipe de pesquisadores, é fundamental 
que as pessoas estejam cientes das consequências do uso excessivo de aparelhos 
tecnológicos", a palavra "excessivo" pode ser substituída, sem prejuízo de sentido, 
por: 
a) indispensável. b) escasso. c) insuficiente. d) suficiente. e) moderado. 
Resposta: e) moderado. 
III. (UECE 2019) No trecho "Visto que, até aquele momento, a maior parte dos 
pensadores, artistas e cientistas europeus havia se voltado para o estudo da 
antiguidade clássica", a palavra "visto que" pode ser substituída por: 
a) porém. b) quando. c) uma vez que. d) embora. e) assim que. 
Resposta: c) uma vez que. 
IV. (ESAF - 2010) Considere as afirmativas a seguir: 
I. A ambiguidade podedecorrer da existência de palavras polissêmicas. 
II. O sinônimo é uma relação semântica em que duas palavras têm sentidos iguais ou 
semelhantes. 
III. O sentido de uma palavra é imutável e depende exclusivamente do contexto em que é 
empregada. 
IV. A antonímia pode ser de dois tipos: gradativa ou complementar. 
Está correto o que se afirma em: 
a) I e II, apenas. b) II e III, apenas. c) I, II e IV, apenas. d) I, II, III e IV. e) III e IV, apenas. 
Resposta: a) I e II, apenas. 
V. (Câmara Municipal de São Paulo - 2019) Assinale a alternativa em que os termos 
são antônimos. 
a) Complemento – suplemento 
b) Preciso – exato 
c) Advogado – médico 
d) Triste – alegre 
e) Prazo – limite 
Resposta: d) Triste – alegre. 
 
VI. (UEPB 2019) Observe o seguinte trecho: 
“É quase um manifesto de se opor ao tradicional, ao engessado, ao conservador, ao padrão”. 
No contexto em que se encontra, a palavra “opositor” pode ser substituída, sem prejuízo de 
sentido, por: 
a) Combatente. b) Seguidor. c) Apoiador. d) Divergente. e) Adversário. 
Resposta: E (Adversário). 
2.2 Substituição de palavras e de expressões no texto 
A substituição de palavras e expressões é importante porque ajuda a evitar a repetição excessiva 
de termos, o que pode tornar o texto monótono e pouco interessante para o leitor. Além disso, 
essa técnica permite ao autor expressar ideias com maior precisão e clareza, evitando 
ambiguidades e imprecisões. 
Ao substituir palavras ou expressões no texto, é importante observar o contexto em que elas 
estão inseridas, para que a substituição seja adequada e não comprometa o sentido geral do 
texto. É importante também não exagerar na utilização de sinônimos ou de palavras 
semelhantes, para que o texto não se torne artificial ou difícil de entender. 
Algumas palavras e expressões podem ser substituídas sem prejuízo do sentido, como por 
exemplo: 
• Grande: imenso, vasto, amplo, extenso, enorme, gigantesco, entre outros. 
• Bonito: belo, formoso, elegante, encantador, atraente, entre outros. 
• Feio: horrível, desagradável, desproporcional, desforme, descomposto, entre outros. 
• Dizer: afirmar, expressar, proferir, manifestar, enunciar, entre outros. 
• Fazer: executar, produzir, criar, realizar, efetuar, entre outros. 
• Ter: possuir, possuir consigo, dispor de, entre outros. 
Em resumo, a substituição de palavras e expressões no texto é uma técnica importante para 
diversificar o léxico e enriquecer a produção textual. É preciso observar o contexto e evitar 
exageros na utilização de sinônimos, para que o texto não perca clareza e naturalidade. 
QUESTÕES 
I. Em um texto sobre viagens, a palavra "aventura" é utilizada diversas vezes. Para 
evitar a repetição excessiva dessa palavra, qual das alternativas abaixo apresenta a 
melhor substituição? 
a) Emoção b) Perigo c) Risco d) Jornada 
Resposta correta: d) Jornada 
Justificativa: A palavra "aventura" pode ser substituída por sinônimos como "emoção" ou 
"risco", mas essas palavras não transmitem exatamente o mesmo sentido. Por outro lado, a 
palavra "jornada" pode ser utilizada para descrever uma viagem ou uma experiência de forma 
mais ampla, sem enfatizar o aspecto de perigo ou risco. Assim, a alternativa d) é a melhor 
escolha. 
II. No seguinte trecho de um texto jornalístico: "O empresário anunciou a inauguração 
da nova unidade em grande estilo", a expressão "em grande estilo" pode ser 
substituída sem alterar o sentido do texto por: 
a) com muito dinheiro b) com grande impacto c) com grande festa d) com muita pompa 
Resposta correta: d) com muita pompa 
Justificativa: A expressão "em grande estilo" indica que a inauguração da nova unidade foi feita 
de forma grandiosa e elegante. Entre as alternativas apresentadas, a expressão "com muita 
pompa" é a que mais se aproxima em termos de sentido, enquanto as outras alternativas, embora 
possam ter algum grau de semelhança, não transmitem exatamente o mesmo sentido. 
2.3 Aspectos linguísticos 
Dentro do léxico, existem alguns aspectos linguísticos importantes, que são: 
1. Significado: Cada palavra tem um significado próprio, que pode ser denotativo 
(referente ao mundo real, como "mesa" ou "casa") ou conotativo (associado a 
sentimentos, emoções ou ideias, como "amor" ou "liberdade"). 
2. Forma: As palavras podem ser classificadas quanto à sua forma em palavras simples 
(formadas por apenas um elemento, como "casa" ou "amigo"), compostas (formadas por 
mais de um elemento, como "guarda-chuva" ou "couve-flor") ou derivadas (formadas a 
partir de outras palavras, como "amizade", derivada de "amigo"). 
3. Classe gramatical: As palavras podem ser classificadas em diferentes classes 
gramaticais, como substantivos, adjetivos, verbos, advérbios, entre outros. Essa 
classificação é importante para a compreensão das regras de concordância, regência e 
colocação em uma frase. 
4. Variação linguística: As palavras podem sofrer variações de acordo com a região, a 
idade, o nível social, entre outros fatores. Essas variações podem ocorrer tanto no 
significado quanto na forma da palavra, e são importantes para o estudo da 
sociolinguística. 
5. Sinonímia e antonímia: As palavras podem ter significados semelhantes ou opostos. A 
sinonímia ocorre quando duas ou mais palavras têm o mesmo significado (como "casa" 
e "lar"), enquanto a antonímia ocorre quando duas ou mais palavras têm significados 
opostos (como "amor" e "ódio"). 
Em resumo, o léxico é um aspecto fundamental da linguagem, composto por palavras e 
expressões que possuem significados próprios e podem ser combinados para formar frases e 
enunciados. Dentre os aspectos linguísticos do léxico, destacam-se o significado, a forma, a 
classe gramatical, a variação linguística e a sinonímia e antonímia. O conhecimento desses 
aspectos é importante para a compreensão e produção adequada de textos em língua portuguesa. 
Classe gramatical é a categoria a qual uma palavra pertence em uma língua. Em português, as 
classes gramaticais são: substantivos, adjetivos, verbos, advérbios, preposições, artigos, 
conjunções e pronomes. A seguir, serão detalhadas cada uma dessas classes: 
1. Substantivos: são palavras que designam seres, coisas, lugares, conceitos, sentimentos, 
etc. Podem ser concretos (designam seres ou coisas reais, como "cachorro", "mesa" ou 
"praia") ou abstratos (designam conceitos ou sentimentos, como "amor", "felicidade" 
ou "esperança"). 
2. Adjetivos: são palavras que atribuem características ou qualidades a um substantivo. 
Podem ser classificados em qualificativos (atribuem uma qualidade a um substantivo, 
como "bela", "inteligente" ou "amargo") ou determinativos (determinam o substantivo, 
como "este", "aquele" ou "todo"). 
3. Verbos: são palavras que indicam ação, estado ou fenômeno da natureza. Podem ser 
classificados em regulares (seguem um modelo de conjugação, como "amar", "cantar" 
ou "correr") ou irregulares (não seguem um modelo de conjugação, como "ser", "ir" ou 
"ver"). 
4. Advérbios: são palavras que modificam um verbo, um adjetivo ou outro advérbio, 
indicando circunstâncias como tempo, lugar, modo, intensidade, afirmação, negação, 
dúvida, entre outras. Podem ser classificados em advérbios de tempo (como "hoje", 
"ontem" ou "sempre"), de lugar (como "aqui", "ali" ou "acima"), de modo (como "bem", 
"mal" ou "rapidamente"), de afirmação (como "sim", "certamente" ou "realmente"), de 
negação (como "não", "jamais" ou "nunca"), entre outros. 
5. Preposições: são palavras que estabelecem uma relação entre dois termos, indicando, 
por exemplo, tempo, lugar, causa, finalidade, etc. Podem ser classificadas em simples 
(como "a", "ante", "com" ou "para") ou compostas (como "acima de", "depois de" ou 
"por causa de"). 
6. Artigos: são palavras que acompanham os substantivos, determinando-os ou 
generalizando-os. Podem ser classificados em definidos (como "o", "a" ou "os") ou 
indefinidos (como "um", "uma" ou

Outros materiais