Buscar

TCC bibliográfico - Licenciatura em pedagogia

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 30 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 30 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 30 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Continue navegando


Prévia do material em texto

FACULDADE EDUCACIONAL DA LAPA- FAEL 
LICENCIATURA EM PEDAGOGIA 
 
 
 
 
 
BEATRIZ CRISTINE GOMES DE LIMA SOUZA 
 
 
 
 
 
 
A APLICAÇÃO DA PRÁTICA DA LUDOTERAPIA QUE CONTRIBUI NAS 
TERAPIAS COMPORTAMENTAIS APLICADAS EM CRIANÇAS COM TDAH. 
ESTUDO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS E APLICAÇÃO DA 
LUDOTERAPIA. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
BEATRIZ CRISTINE GOMES DE LIMA SOUZA 
 
 
 
 
 
 
A APLICAÇÃO DA PRÁTICA DA LUDOTERAPIA QUE CONTRIBUI NAS 
TERAPIAS COMPORTAMENTAIS APLICADAS EM CRIANÇAS COM TDAH. 
ESTUDO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS E APLICAÇÃO DA 
LUDOTERAPIA. 
 
 
 
Trabalho de Conclusão de Curso 
apresentado ao Curso Licenciatura em 
Pedagogia da Faculdade Educacional 
da Lapa, como requisito parcial para 
obtenção do grau Licenciada em 
Pedagogia. 
 Orientador: Flávio Miranda Marteleto 
 
 
 Macaé 
 
 2020 
 
 
 
 
 
 
BEATRIZ CRISTINE GOMES DE LIMA SOUZA 
 
 
 
A APLICAÇÃO DA PRÁTICA DA LUDOTERAPIA QUE CONTRIBUI NAS 
TERAPIAS COMPORTAMENTAIS APLICADAS EM CRIANÇAS COM TDAH. 
ESTUDO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS E APLICAÇÃO DA 
LUDOTERAPIA. 
 
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Licenciatura em 
Pedagogia da Faculdade Educacional da Lapa, como requisito parcial para 
obtenção do grau de Licenciada em Pedagogia. 
 Aprovado em de junho de 2020 
 BANCA EXAMINADORA 
 FACULDADE EDUCACIONAL DA LAPA 
 __________________________________ 
Prof / Orientador: Flávio Miranda 
Marteleto , Biólogo, Mestre em 
Zoologia e Doutor em Ecologia e 
Conservação pela Universidade 
Federal do Paraná. Professor das 
disciplinas de Fundamentos e 
Metodologia do ensino de Ciências e 
Metodologia da Pesquisa Científica na 
Faculdade Educacional da Lapa. 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
1. INTRODUÇÃO ..................................................................................................... 7 
JUSTIFICATIVA ........................................................................................................ 11 
DELIMITAÇÃO DO TEMA ........................................................................................ 11 
FORMULAÇÃO DO PROBLEMA............................................................................. 12 
HIPÓTESE ................................................................................................................ 12 
OBJETIVO GERAL................................................................................................... 12 
OBJETIVOS ESPECÍFICOS ..................................................................................... 13 
EMBASAMENTO TEÓRICO..................................................................................... 13 
1. VISÃO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS..................................... 13 
2. CONHECENDO A PRÁTICA DA LUDOTERAPIA COMO INTERVENÇÃO 
APLICADA A CRIANÇAS COM TDAH .................................................................... 16 
3. TIPOS DE LUDOTERAPIA COMO INTERVENÇÃO APLICADA A CRIANÇAS E 
NO TDAH .................................................................................................................. 20 
METODOLOGIA ....................................................................................................... 22 
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS .................................................................................. 27 
 
 
 
 
 
A APLICAÇÃO DA PRÁTICA DA LUDOTERAPIA QUE CONTRIBUI NAS 
TERAPIAS COMPORTAMENTAIS APLICADAS EM CRIANÇAS COM TDAH. 
ESTUDO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS E APLICAÇÃO DA 
LUDOTERAPIA. 
 
 
 GOMES DE LIMA SOUZA, Beatriz Cristine1 
 MIRANDA MARTELETO, Flávio2 
 
RESUMO 
 
Com base em estudos na visão de autores, a fim de responder a seguinte pergunta: 
quais os efeitos da aplicação da prática da ludoterapia que contribui nas terapias 
comportamentais aplicadas em crianças com TDAH e auxilia a aplicação de 
intervenções por profissionais psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas? Este 
estudo objetivou constatar quais os efeitos da aplicação da prática da 
ludoterapia nas terapias comportamentais aplicadas em crianças com TDAH, com a 
finalidade de apresentar a utilidade da ludoterapia no estudo sobre as terapias 
comportamentais e aplicação da ludoterapia. Alguns dos passos alinhados para 
 
1 Licenciatura em Pedagogia 
Pós-graduanda em Psicopedagogia 
 
2 Biólogo, Mestre em Zoologia e Doutor 
em Ecologia e Conservação pela Universidade Federal do Paraná. 
Professor das disciplinas de Fundamentos e Metodologia do ensino de Ciências 
e Metodologia da Pesquisa Científica na Faculdade Educacional da Lapa 
 
 
 
 
 
 
 
 
chegar ao objetivo específico, foram apresentar a visão das terapias 
comportamentais, bem como, apresentar e conhecer a prática da ludoterapia como 
contribuinte para as terapias comportamentais no TDAH, bem como, constatar que 
a ludoterapia como intervenção pode contribuir ou refletir nas terapias 
comportamentais em crianças com TDAH. Para tanto, foi utilizado como método 
para coleta de dados a pesquisa bibliográfica, no momento em que se fez uso de 
materiais já elaborados: livros, artigos científicos, revistas, documentos eletrônicos e 
enciclopédias, na busca e alocação de conhecimento sobre a prática da ludoterapia 
que contribui nas terapias comportamentais, através de intervenções aplicadas em 
crianças com TDAH, correlacionando tal conhecimento com abordagens já 
trabalhadas por outros autores. A partir da análise de dados foi possível perceber a 
importância da aplicação da prática da ludoterapia, constatando seus efeitos 
positivos e contribuição nas terapias comportamentais aplicadas em crianças com 
TDAH. Como destaque, observou- se os tipos de ludoterapias aplicadas a crianças 
e no TDAH, que fortaleceram os resultados da pesquisa, ao apresentar seu papel 
nas terapias aplicadas em crianças com TDAH. Enfim, por meio de todo o estudo 
realizado e das sugestões pedagógicas apresentadas, foi possível confirmar que a 
prática da ludoterapia como intervenção aplicada a crianças com TDAH, pode 
contribuir e refletir nas terapias comportamentais, com seus efeitos e resultados 
positivos, funcionando como ferramenta terapêutica e atuando no desenvolvimento 
cognitivo e intelectual da criança. Contudo, sua contribuição através dos jogos, 
brincadeiras e atividades recreativas, pode agir como uma ferramenta de construção 
de pensamentos e desenvolvimento da linguagem verbal, percepção do imaginário, 
trazendo para a realidade, conduzindo a momentos agradáveis e prazerosos, o que 
irá possibilitar uma melhora de seus comportamentos problemas. 
 
Palavras-Chaves: Ludoterapia. Terapia Cognitivo-Comportamental. TDAH. 
Atividades Lúdicas. 
LINHAS DE PESQUISA: COGNIÇÃO: DESENVOLVIMENTO COGNITIVO 
 
7 
 
 
1. INTRODUÇÃO 
Pode-se dizer que a ludoterapia é uma técnica psicoterápica utilizada no 
tratamento infantil. Neste contexto, fica claro que ela tem como base, alcançar os 
objetivos propostos na terapia comportamental em crianças, através do brincar, 
utilizando a ferramenta das atividades lúdicas, como jogos e brincadeiras. O mais 
preocupante, contudo, é constatar que sendo assim, a ludoterapia seria capaz de 
trazer resultados positivos, como forma de analisaro comportamento da criança 
com TDAH? Não é exagero afirmar que a ludoterapia ajuda a criança a expressar 
com maior facilidade suas dificuldades e problemas, obtendo uma melhor interação 
e adaptação social no meio em que vive. Em todo esse processo, ocorreu a 
necessidade de se obter uma solução encontrada a partir da aplicação da 
ludoterapia como técnica psicoterápica. Assim, preocupa o fato de que muitos 
profissionais ainda não fazem o uso da ludoterapia, isso porque, podem estar 
centrados em suas idéias fixas e imutáveis, o que traz prejuízo para a inovação e 
avanço das técnicas psicoterápicas. 
Desta forma, a ludoterapia busca ser introduzida nas terapias 
comportamentais. Ela utiliza o lúdico como dimensão central, para que o 
comportamento da criança que passa por uma intervenção psicopedagógica, pelo 
acompanhamento de um psicólogo ou terapeuta, seja compreendido. Argumenta-se 
então, como a ludoterapia por si só, seria capaz de criar intervenções aplicadas a 
crianças com TDAH? Conclui-se que “por meio de jogos, filmes ou interações 
verbais, a ludoterapia torna-se capaz de criar essas intervenções” (Coelho,2001, 
2008; Gomes; 1998). 
Lauand 2006, p.2, argumenta que: 
Tomás de Aquino afirma que: o lúdico está ligado a um processo de 
aprendizagem com maiores resultados e menos metódica, de forma que 
não aborreça a criança. Isso permite que sejam criados novos 
conhecimentos (Lauand 2006, p.2). 
 
Contudo, a ludoterapia poderia contribuir nas terapias comportamentais 
aplicadas a crianças com TDAH? Com isso, essa pesquisa foca em estudar quais 
8 
 
 
os efeitos da aplicação da prática da ludoterapia, que contribui nas terapias 
comportamentais no TDAH e como auxilia a aplicação de intervenções por 
profissionais como psicopedagogos, psicólogos e terapeutas. 
 Pode-se dizer que diante da importância de estabelecer uma relação entre o 
brincar e os comportamentos das crianças com TDAH, profissionais como 
psicopedagogos, psicólogos e terapeutas, buscam através desta relação 
compreender particularidades durante as sessões de atendimento a essas crianças, 
a fim de alcançar uma melhora em seus comportamentos. Neste contexto, fica claro 
que os principais objetivos do brincar na ludoterapia é promover uma boa relação 
terapêutica, avaliando de forma funcional os comportamentos da criança, obtendo a 
possibilidade de identificar situações que causam aquele determinado 
comportamento. O mais preocupante, contudo, é constatar que deste modo, 
existiriam resultados positivos durante as terapias comportamentais? Não é exagero 
afirmar que o brincar nas terapias comportamentais, estabelece procedimentos de 
interações que ajudam no fortalecimento de certos comportamentos e enfraquecem 
outros tipos de comportamentos que prejudicam a interação social da criança com o 
meio em que vive. Em todo esse processo, ocorreu a busca para reunir dados e 
informações com o propósito de responder ao seguinte problema de pesquisa: 
Quais os efeitos da aplicação da prática da ludoterapia que contribui nas terapias 
comportamentais no TDAH e como auxilia a aplicação de intervenções por 
profissionais como, psicopedagogos, psicólogos e terapeutas? Assim, preocupa o 
fato de que muitas crianças com TDAH ainda não obtenham resultados positivos 
com o brincar, isso porque, provavelmente ainda não recebem o estímulo da 
ludoterapia como recurso terapêutico. 
O objetivo da aplicação da prática da ludoterapia, que contribui ou reflete nas 
terapias comportamentais aplicadas a crianças com TDAH, que é o transtorno de 
hiperatividade e déficit de atenção, visa alcançar o desenvolvimento de uma boa 
relação interpessoal entre o profissional que realiza a terapia e a criança, 
contribuindo para que habilidades motoras, sociais, cognitivas e intelectuais, que 
muitas vezes podem estar deficientes nessa criança, possam ser desenvolvidas 
mediante a um ambiente que reforça a prática dessas intervenções, contudo, 
proporcionar a descoberta por parte do profissional que aplica a terapia, de 
9 
 
 
sentimentos e outros comportamentos da criança, os quais ainda não encontram- se 
visíveis, no decorrer das brincadeiras e jogos realizados, pelo fato da criança 
expressar sentimentos e pensamentos. A utilização da ludoterapia nas terapias 
comportamentais em crianças com TDAH permite que a criança entre em contato 
com as regras do jogo ou brincadeiras lúdicas, tendo a oportunidade de aprender a 
seguir regras em uma situação vivenciada. Outro resultado positivo é o 
desenvolvimento da atenção, devido à necessidade de focar a atenção em 
determinados estímulos, mantendo a atenção por mais tempo no decorrer das 
tarefas propostas nos jogos, brincadeiras e atividades lúdicas. Outros objetivos 
estão relacionados a propiciar à criança o aprendizado de conteúdos que ainda não 
conheciam, entrando em contato com um novo conhecimento, trabalhando a 
aprendizagem cognitiva, intelectual e organização, quando se estimula a criança a 
arrumar e guardar os materiais dos jogos e atividades, a fim de começar uma outra 
atividade lúdica. Um dos passos a ser realizado para alcançar o objetivo geral da 
pesquisa é apresentar a utilidade da ludoterapia nas terapias comportamentais no 
TDAH, com isso, constatar os efeitos da aplicação dessa prática. Como objetivos 
específicos, estão apresentar as terapias comportamentais aplicadas a crianças 
com TDAH, aplicar a prática da ludoterapia nas crianças com TDAH, apresentar a 
prática da ludoterapia como contribuinte para as terapias comportamentais no 
TDAH, conhecer a ludoterapia como intervenção aplicada a crianças com TDAH e 
por fim, constatar que a ludoterapia pode contribuir ou refletir nas terapias 
comportamentais em crianças com TDAH. 
Diante das queixas dos pais e pessoas que convivem com crianças que 
apresentam o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e dos prejuízos que 
este transtorno pode trazer para o desenvolvimento em diferentes domínios da 
interação social, desenvolvimento cognitivo, dos aspectos comportamentais desta 
criança e das dificuldades encontradas por profissionais psicopedagogos, 
psicólogos e terapeutas a fim de auxiliar nas intervenções realizadas, para obtenção 
de resultados positivos no acompanhamento da criança com TDAH, fez- se 
necessário desenvolver estratégias lúdicas com relação terapêutica nas terapias 
comportamentais, buscando favorecer a formação de vínculo entre a criança e o 
terapeuta, psicólogo ou psicopedagogo, identificando os tipos de comportamentos, a 
fim de verificar a relação da criança com as pessoas no meio em que vive, da 
10 
 
 
mesma forma, identificando seus sentimentos em relação aos outros e a si mesma, 
realizando um treinamento para se obter a solução dos problemas encontrados no 
dia-a-dia desta criança. Da mesma forma, desenvolvendo uma melhor interação 
social, capacidade de concentração, maior confiança em si mesma, relaxamento, 
entre outros resultados positivos, gerados pela prática da ludoterapia nas terapias 
comportamentais no TDAH. Nesse contexto, a proposta do trabalho visa apresentar 
a importância da prática da ludoterapia nas terapias comportamentais e quais os 
efeitos da aplicação desta estratégia são gerados na criança portadora do 
transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, baseando-se na visão sobre as 
terapias comportamentais aplicadas à criança com TDAH, conhecendo a prática da 
ludoterapia como intervenção aplicada nas terapias comportamentais no TDAH, 
apresentando a importância e como a aplicação da prática da ludoterapia como 
intervenção, contribui para as terapias comportamentais no TDAH, apresentando os 
tipos de ludoterapias aplicadas a crianças e no TDAH. 
Para o desenvolvimento do presente trabalho foram utilizadas pesquisas 
bibliográficas, baseando-se em publicações científicas, artigos científicos de revistas 
e conteúdos de livros das áreasde psicologia e psicopedagogia. A pesquisa 
realizada foi aplicada com foco na resolução de problemas, utilizando o 
conhecimento da pesquisa fundamental. Para tratar os objetivos com melhor 
embasamento teórico, a pesquisa foi exploratória, pois partiu da necessidade da 
pesquisa bibliográfica, explorando e apreciando materiais como artigos científicos, 
artigos de revista, livros e documentos eletrônicos, na busca da obtenção de 
conhecimento sobre a prática da ludoterapia que contribui nas terapias 
comportamentais aplicadas a crianças com TDAH, relacionando os conhecimentos 
em relação à pesquisa, com pontos de vista ou opiniões de outros autores. A coleta 
de dados e opiniões sobre o assunto da pesquisa, ocorreu de forma bibliográfica, 
em virtude da pesquisa bibliográfica partir da obtenção de dados e informações 
necessárias para a pesquisa, a partir do levantamento desses dados abordados por 
autores especializados, artigos científicos, documentos eletrônicos, livros e revistas 
especializadas. O problema direcionou a pesquisa para as áreas de aplicação de 
intervenções por profissionais, como psicólogos, psicopedagogos e terapeutas, 
sendo este investigado e obtido resultados com a aplicação da prática da 
ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais aplicadas a crianças com 
11 
 
 
TDAH. O presente trabalho tem como objetivo geral constatar quais os efeitos da 
aplicação da prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais no 
TDAH e auxilia na aplicação de intervenções, por profissionais psicopedagogos, 
psicólogos e terapeutas, através da prática da ludoterapia aplicada a crianças com 
TDAH, com a finalidade de apresentar a utilidade da ludoterapia no estudo sobre as 
terapias comportamentais e aplicação da ludoterapia. 
O trabalho de conclusão de curso estrutura-se em três capítulos baseados no 
ponto de vista de alguns autores, apresentando-se no primeiro capítulo a visão 
sobre as terapias comportamentais. O segundo capítulo segue conduzindo a 
conhecer a prática da ludoterapia como intervenção aplicada a crianças com TDAH. 
No terceiro capítulo são abordados os tipos de ludoterapias aplicadas como 
intervenção a crianças e no TDAH. 
 
JUSTIFICATIVA 
 
Devido à dificuldade para a aplicação de intervenções por profissionais 
psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas, essa pesquisa se justifica através da 
aplicação da prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais, em 
contribuição para o seu público alvo de crianças com TDAH. 
 
DELIMITAÇÃO DO TEMA 
 
Este projeto de pesquisa delimitou-se em colher informações sobre quais os 
efeitos da aplicação da prática da ludoterapia, que contribui nas terapias 
comportamentais aplicadas em crianças com TDAH e que auxilia a aplicação 
dessas intervenções por profissionais psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas, 
tendo como referência o estudo sobre as terapias comportamentais e aplicação da 
ludoterapia. 
12 
 
 
 
TEMA: 
A prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais aplicadas em 
crianças com tdah. 
 
FORMULAÇÃO DO PROBLEMA 
 
Portanto, buscou-se reunir dados e informações com o propósito de 
responder ao seguinte problema de pesquisa: quais os efeitos da aplicação da 
prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais aplicadas em 
crianças com TDAH e auxilia a aplicação de intervenções por profissionais 
psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas? 
 
HIPÓTESE 
 
A teoria parte da dificuldade para a aplicação de intervenções por 
profissionais psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas, o que pode ser resolvido 
com a aplicação da prática da ludoterapia que contribui nas terapias 
comportamentais aplicadas a crianças com TDAH. 
 
OBJETIVO GERAL 
 
O presente trabalho tem como objetivo geral constatar quais os efeitos da 
aplicação da prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais 
aplicadas a crianças com TDAH e auxilia a aplicação de intervenções por 
profissionais psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas. Tendo a finalidade de 
apresentar a utilidade da ludoterapia no estudo sobre as terapias comportamentais. 
13 
 
 
OBJETIVOS ESPECÍFICOS 
 
• Apresentar a visão das terapias comportamentais. 
• Apresentar a prática da ludoterapia como intervenção contribuinte para as 
terapias comportamentais no TDAH. 
• Conhecer a ludoterapia como intervenção aplicada a crianças com TDAH. 
• Constatar que a ludoterapia como intervenção pode contribuir ou refletir nas 
terapias comportamentais em crianças com TDAH. 
 
 
DESENVOLVIMENTO 
 
EMBASAMENTO TEÓRICO 
 
1. VISÃO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS 
Segundo S. Dobson (2008) com a intenção de conceituarmos o capítulo, de 
acordo com o Livro Manual de Terapias Cognitivo Comportamentais, a visão do 
autor sobre as terapias comportamentais, propõe ter em vista a cognição e o 
comportamento como as principais áreas de mudança no indivíduo, existindo três 
classes principais de terapias cognitivas- comportamentais, cada uma com objetivos 
diferentes de mudança (Mahoney e Arnkoff, 1978). Essas três classes de terapia 
trabalham com estratégias de enfrentamento dos problemas, a fim de alcançar a 
solução dos problemas, com métodos de reestruturação cognitiva e de alcançar 
mudanças cognitivas e não comportamentais. Como bem nos assegura Barbosa e 
Nóbrega (2018) com a intenção de conceituarmos o capítulo de acordo com o Livro 
Psicologia da Saúde e as Terapias Cognitivo-Comportamentais: estratégias de 
promoção da saúde no hospital geral, a visão do autor sobre as terapias 
comportamentais, parte de entendê-las como um tratamento psicoterapêutico que 
trabalha com intervenções que agrupam estruturas cognitivas e comportamentais, 
14 
 
 
trabalhando a identificação do problema e organização do processo cognitivo, 
através de estratégias que podem ser aplicadas em crianças, por meio da 
psicoeducação, estratégias que apresentem resolução de problemas, entre outras. 
Para Batista Borges e Albregard Cassas (2012, p. 148) com base no livro 
Clínica Analítico-Comportamental Aspectos teóricos e práticos, a visão do autor 
sobre as terapias comportamentais, observa que elas são usadas para um processo 
prático de avaliação, onde o clínico utiliza estratégias que alcancem a alteração de 
comportamento do indivíduo. A avaliação ocorre na coleta de dados, que irão 
observar os comportamentos determinados como foco da intervenção, que faz parte 
desse processo avaliativo, fazendo uso de estratégias que tem em vista a mudança 
de um comportamento. Na visão de Batista Borges e Albregard Cassas (2012, p. 
148) as terapias comportamentais permitem: 
 
“A avaliação funcional, que inclui a obtenção de dados, a seleção dos 
comportamentos-alvo, a operacionalização desses comportamentos, a 
escolha e aplicação das intervenções e avaliação destas com eventual 
necessidade de reformular as análises e/ou as intervenções. A intervenção 
faz parte de um processo alvo de avaliação funcional, porém trata-se 
daquela parcela em que se utilizam estratégias visando a alteração de um 
comportamento alvo” Batista Borges e Albregard Cassas (2012, p. 148). 
Como se pode verificar nessa citação, as terapias comportamentais, são 
aplicadas no processo cognitivo e alteração de comportamentos alvo. 
Evidentemente a aplicação pode ser utilizada para agrupar estruturas cognitivas e 
comportamentais, trabalhando a identificação do problema e organização do 
processo cognitivo. 
As terapias comportamentais trabalham identificando o problema do indivíduo 
através de intervenções avaliativas que serão aplicadas em crianças, por meio da 
psicoeducação e atividades que desenvolvam a resolução do problema alvo, 
organizando assim o processo cognitivo e alterando os comportamentos antes vistos 
como problemas. Cita-se, como exemplo, utilizar atividades lúdicas com jogos que 
possuam regras na terapia comportamentalaplicada em crianças, que além de 
trabalhar o processo cognitivo, trabalha a mudança de comportamento, se tratando 
do indivíduo com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade apresentar 
dificuldades de seguir regras, em determinado grau do TDAH, os jogos com regras 
15 
 
 
irão ajudar a desenvolver na criança a capacidade de aceitamento das regras e uma 
alteração no comportamento, quando assim praticada a intervenção. 
Ainda para Batista Borges e Albregard Cassas (2012, p. 147): 
“Técnicas são a sistematização de intervenções com vistas a determinados 
resultados diante das situações específicas. Nesse sentido, técnicas 
funcionam como antecedentes (regras e/ou modelos) para a classe de 
respostas do clínico de segui-las (responder sob controle delas) e tentar 
produzir consequências iguais ou semelhantes àquelas por elas 
especificadas” Batista Borges e Albregard Cassas (2012, p. 147). 
 
 Nesse sentido, a visão dos autores sobre as terapias comportamentais, 
entende que elas permitem que se apliquem técnicas sistematizadas a fim de se 
planejar intervenções para obtenção de resultados diante de um problema ou 
situação avaliada. (Batista Borges e Albregard Cassas 2012, p. 147). 
Logo, é importante compreender que a terapia comportamental é uma abordagem 
psicoterapêutica que ocorre através da aplicação de técnicas que utilizam 
intervenções que trabalham com a identificação do problema avaliado e organização 
do processo cognitivo, a fim de alcançar a alteração de comportamentos alvos, 
vistos como problemas, como resultado da terapia. Nesse sentido, vamos 
exemplificar as terapias comportamentais, apontando que elas agrupam estruturas 
cognitivas e comportamentais, trabalhando a identificação do problema, organização 
do processo cognitivo e alteração de comportamento. 
16 
 
 
2. CONHECENDO A PRÁTICA DA LUDOTERAPIA COMO INTERVENÇÃO 
APLICADA A CRIANÇAS COM TDAH 
 
A ludoterapia é uma ferramenta ideal para ser aplicada a crianças, pois ajuda 
no desenvolvimento e atua com o rompimento de sentimentos pelos quais a criança 
percebe ser tratada, movimentando seus sentimentos e trazendo resultados 
positivos (Axline, 1982). Sendo assim, ela serve para estabelecer diversas questões 
terapêuticas ao tratamento da criança com TDAH, onde será possível manifestar 
nessa criança uma preparação para a vida, criatividade nas atividades, vivenciar de 
forma constante, momentos agradavéis, apresentando seus traumas e 
estabelecendo seu emocional, despejando assim a energia acumulada, nas 
brincadeiras e atividades lúdicas, trazendo alívio e realização pelo prazer (Castro, 
2009, p 82). Desta forma entende-se que o brincar, através de jogos ou atividades 
lúdicas, irá quebrar barreiras criadas na criança, introduzindo esta criança à 
realidade, pois através do brincar ela irá conhecer aspectos vivenciados na 
realidade. 
 Como bem nos assegura Axline (1972), pode-se dizer que a ludoterapia é 
uma prática, onde a criança resolve suas dificuldades através do brincar, desenhar e 
contando estórias. Neste contexto, fica claro que independente do diagnóstico, a 
ludoterapia acredita no potencial dessa criança e funciona como um caminho que a 
conduzirá a entender seu papel diante da vida. Constatar que pode proporcionar à 
criança com TDAH, vivenciar a aceitação, compreensão e respeito, que recupera na 
criança o amor próprio, a valorização de si mesma e a análise de sentimentos, 
conduzindo-a a perceber que possui a oportunidade de crescer com melhor 
qualidade, é um objetivo da ludoterapia. É importante afirmar que a aceitação e 
respeito dessas crianças deve ser transmitida pelo profissional que realiza a terapia, 
além dos pais que devem prosseguir com as práticas em casa. Assim, ocorreu a 
conclusão de que a ludoterapia funciona como uma ferramenta psicoterapêutica 
aplicada ao TDAH. 
Conforme explicado acima, é interessante afirmar que a ludoterapia é uma 
ferramenta psicoterapêutica, aliás, pode ser aplicada a crianças que apresentam o 
17 
 
 
diagnóstico de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, mas há um fator 
que se sobrepõe na continuidade da prática da ludoterapia pós- terapia, que deve 
continuar a ser vivenciada em casa através do prosseguimento das intervenções 
feito pela família da criança, mesmo assim, não parece haver razão para que a 
família não dê continuidade nas intervenções em casa. É sinal de que há interesse 
por parte da família em manter uma relação de afeto e momentos de qualidade com 
a criança, através das atividades psicoterápicas em casa, enfim, a ludoterapia irá 
proporcionar à criança com TDAH, experiências onde vivenciará essa aceitação de 
si mesma, a compreensão e respeito com essa troca de experiências na terapia e no 
seu lar, obtendo uma maior valorização de si própria e melhora de sua auto- estima. 
Contudo, se a família não exercer esse papel essencial de prosseguir com a prática 
da ludoterapia em casa, serão obtidos resultados positivos somente por parte da 
terapia? Os resultados positivos aconteceriam mesmo com a ausência do 
acompanhamento da família? Sendo assim, a falta de participação da família nas 
intervenções psicoterápicas ou psicopedagógicas, dando continuidade no lar, é um 
fator que influenciaria o desenvolvimento da terapia, resultando num retorno 
negativo nos resultados propostos pela ludoterapia, o que refletiria na criança com 
TDAH. 
 Como bem nos assegura Shives (2007), o autor deixa claro que o lúdico 
através dos jogos proporciona uma melhor relação entre o terapeuta e a criança e 
da criança com outras crianças. Neste contexto, fica claro que contribui para a 
capacidade do desenvolvimento intelectual, dos movimentos do corpo e melhor 
interação social. O mais preocupante, contudo, é constatar que essas capacidades 
podem ser deficientes na criança. Não é exagero afirmar que se em todo esse 
processo existir um ambiente que reforce esses problemas, ocorreu assim, 
resultados positivos. Dessa forma, conforme o autor deixa claro, ocorre uma melhor 
interação dessa criança com o meio em que vive. 
Conforme mencionado pelo autor Castro 2009 no Livro Criança e Adolescente 
em Psicoterapia, pode-se dizer que a ludoterapia determina diversas questões 
terapêuticas e tem como possibilidade retratar na criança com TDAH, resultados 
com a criatividade, experiências de momentos agradáveis, pelos quais põe para fora 
seus traumas, trazendo organização emocional e alívio do estresse ao se liberar 
energia, obtendo sensação de prazer pelos momentos agradáveis vividos. No 
18 
 
 
entanto, o autor Shives, 2007, no Livro Concepts of Psychiatric- Mental Health 
Nursing, mensiona que o caráter lúdico dos jogos, permite o desenvolvimento de 
boa relação entre a criança e o terapeuta e com o meio em que vive, ajudando para 
que sejam desenvolvidas diversas habilidades no processo cognitivo, social e 
desenvolvimento motor desta criança. Nesse contexto, fica claro que no Livro 
Hiperatividade Conhecendo sua Realidade, o autor Axline 1972 entende a 
ludoterapia de maneira diferente do autor Castro 2009 e Shives 2007, contudo, de 
maneira mais aprofundada e focada na visão de compreensão e aceitação de si 
mesma que a criança apresenta, obtendo a percepção de sua função na vida, além 
da compreensão de uma melhor qualidade de vida para seu crescimento, 
vivenciando experiências que trarão sentimentos de amor próprio, valorização e 
respeito. O mais preocupante, contudo é constatar que o primeiro autor enfatiza 
mais as mudanças externas que a ludoterapia provoca na criança, como o alívio do 
estresse, resultados com a criatividade, experiências de momentos agradáveis e 
sensação de prazer vivido. Enquanto Shives 2007, foca na mudança na interação 
social e desenvolvimento de habilidades. Não é exagero afirmar que o autor Axline 
1972, faz uma abordagem da ludoterapia totalmente como transformadorados 
aspectos internos contidos na criança, os quais provocam uma mudança quase que 
total, da visão que a criança tem de si mesma. É importante que possa se analisar 
as três visões, de forma que ambas contribuem para uma melhor compreensão dos 
efeitos que a ludoterapia pode trazer para a criança com TDAH. "Ludoterapia é 
baseada no fato de que o jogo é o meio natural de auto-expressão da criança" 
(Axline, 1998, p. 22). 
Conforme (Axline, 1982) os jogos, brincadeiras e atividades lúdicas permitem 
que a humanização seja intrínseca e apresenta as estruturas essenciais para fazer-
se um profissional humanizado, capaz de ser condizente com o ser humano e seus 
direitos. Conforme explicado acima, por exemplo, a interação entre o profissional e a 
criança nas brincadeiras, aproxima seus laços e cria um cenário de afeto e respeito, 
o que podemos chamar de momento de humanização. 
 De acordo com Guerrelhas; Bueno; Silvares (2000, p. 159) a ludoterapia 
apresenta importância por que: 
 
19 
 
 
[...] Uma abordagem terapêutica infantil baseada no brinquedo parece estar 
diretamente relacionada a questões de desenvolvimento do repertório 
básico de comportamento. Ou seja, as pessoas, de acordo com 
determinada história de aprendizagem, vão desenvolvendo ao longo da vida 
um rol de habilidades sociais, de linguagem, físicas e motoras necessárias a 
um padrão de interação com o ambiente. A criança ainda não tem um 
repertório desenvolvido a ponto de se beneficiar de uma terapia puramente 
verbal, já que mínimas habilidades de linguagem são necessárias ao teste 
de hipóteses e alteração de contingência a partir das orientações do 
terapeuta. Deste modo, a situação lúdica é utilizada na aplicação direta de 
procedimentos de manejo de contingência. Guerrelhas; Bueno, Silvares 
(2000, p. 159). 
 
O autor deixa claro conforme citado acima que as intervenções 
psicoterapêuticas que utilizam o brinquedo, podem ter uma relação com o 
direcionamento de uma mudança para melhores comportamentos da criança, 
enfatizando que o ser humano durante sua vida manifesta questões as quais são 
necessárias para um melhor desenvolvimento cognitivo e convívio social. Devido à 
criança não ter um desenvolvimento de linguagem avançado para obter resultados 
com uma terapia totalmente baseada na fala, as intervenções lúdicas são utilizadas 
nas terapias que usam procedimentos de alteração de um comportamento problema. 
Fica evidente diante desses dados, que a ludoterapia é um instrumento 
utilizado como recurso psicoterapêutico em crianças, por meio de atividades lúdicas, 
jogos e brincadeiras. Espera-se dessa forma que a ludoterapia sirva para trazer 
resultados positivos à criança como melhor comportamento, maior interação social, 
desenvolvimento cognitivo e melhor compreensão e aceitação de si mesma. 
20 
 
 
3. TIPOS DE LUDOTERAPIA COMO INTERVENÇÃO APLICADA A CRIANÇAS E 
NO TDAH 
Segundo WAJSKOP (2007) os tipos de ludoterapia e intervenções aplicadas 
a crianças, são historicamente vistos pelo autor, como atividades de entretenimento 
que devem ser utilizadas não somente para brincar, como divertimento, mas para 
outros objetivos, pelas crianças, adolescentes e adultos. Contudo, filósofos como 
Platão e Aristóteles, já pensavam no brinquedo como parte integrada à educação, 
associando o aprendizado à falta de concentração. Assim, o brinquedo sempre foi 
percebido como uma ferramenta que possibilita momentos de diversão e ao mesmo 
tempo é utilizado como recurso terapêutico. Como bem nos assegura Cória- Sabini; 
Ferreira de Lucena (2013), nos tipos de ludoterapia e intervenções aplicadas a 
crianças, a autora observa que a utilização das artes, jogos e brincadeiras pode ser 
uma base de construção do saber da criança na fase pré- escolar. Com isso é 
necessário resgatar as atividades recreativas, jogos com regras e jogos com 
símbolos, tanto aqueles que se utilize o falar ou não, a fim de que essa linguagem 
possa agir como uma ferramenta de construção do pensamento. 
Para Emerique (2003, p. 18) os tipos de ludoterapia e intervenções aplicadas 
a crianças facilitam o brincar com a imaginação, pois assim, a criança desenvolve 
idéias que repetem situações passadas, vivendo experiências do presente e 
idealizando o futuro, assim ela pode percorrer o mundo real e o da imaginação. 
Imaginação sem mundo real seria péssimo, enquanto mundo real sem imaginação 
seria detestável. Por meio do jogo, afirma Emerique (2003, p.18): 
 
"o homem pode viver a experiência de uma criança particular: ali todas as 
possibilidades se lhe oferecem; ele pode ser tudo... Fora dele, o homem 
está determinado por sua história". Nele o participante pode ser rei, dando 
ordens, mandando e decidindo como acha melhor: por isso, numa 
satisfação simbólica, tanto o amor quanto o ódio, em sua ambivalência, 
encontram satisfação na fantasia” Emerique (2003, p.18). 
Evidentemente conclui-se que a aplicação da ludoterapia pode ser utilizada 
para ser a base da construção do saber da criança na fase pré-escolar e para agir 
como uma ferramenta terapêutica, que desenvolve uma melhor interação 
interpessoal da criança com o meio que vive, reforçando habilidades cognitivas e 
funcionando com resultados positivos na mudança de comportamentos problemas. 
21 
 
 
Funciona contribuindo para o desenvolvimento e fortalecimento de 
habilidades motoras, sociais, cognitivas e intelectuais, sendo utilizada como recurso 
terapêutico e intervenção no tratamento de crianças com TDAH. Cita-se, como 
exemplo a prática da ludoterapia aplicada através de jogos, brincadeiras, mundo do 
faz de conta pela imaginação, contação de estórias, atividades artísticas e diversas. 
Ainda para Emerique (2003, p. 17): 
Vygotsky, escreveu a Elkonin (1978, p.17): " Que a imaginação nasce do 
jogo o expusemos como algo absolutamente certo, convincente e central 
por seu significado: antes do jogo não há imaginação" Emerique (2003, p. 
17). 
 
 Nesse sentido, os tipos de ludoterapia como intervenção aplicada a crianças 
permitem que se possa utilizar a imaginação através do jogo. (Emerique 2003, p. 
17) 
Logo, é importante compreender que ao brincar a criança desenvolve a 
imaginação transportando suas experiências para o mundo real, assim seus 
traumas e problemas são esquecidos, funcionando deste modo, as brincadeiras, 
jogos e atividades lúdicas como um recurso terapêutico, agindo desde a construção 
do saber, possibilitando viver momentos de lazer e agradáveis, os quais atuam 
como recursos transformadores de um comportamento problema. Nesse sentido, 
vamos exemplificar os tipos de ludoterapia e intervenções aplicadas a crianças e 
nos casos de TDAH como intervenções contribuintes da construção do saber, 
atuando com resultados de melhora na interação com o meio em que a criança vive, 
desenvolvendo a imaginação e trazendo recursos terapêuticos que atuam alterando 
comportamentos problemas. 
 
 
 
 
 
 
22 
 
 
METODOLOGIA 
 
Pesquisa “[...] é um método formal, que propõe a um pensamento reflexivo, 
que necessita de um embasamento científico e apresenta a direção da descoberta 
de fatos reais e fatos que se realizam em partes” (Lakatos; Marconi, 2003, pág 155). 
Esse estudo tem por finalidade realizar uma pesquisa aplicada, uma vez que 
utilizará conhecimento da pesquisa fundamental para resolver problemas. Para um 
melhor tratamento dos objetivos e melhor apreciação desta pesquisa, observou-se 
que ela é classificada como pesquisa exploratória. De acordo com o autor Doxsey, 
(2007, pág 41) as pesquisas exploratórias: 
 “procuram se aproximar do fato, obtendo referências que levam aquele 
que investiga os fatos a possuir mais entendimento a respeito do assunto” 
(Doxsey, 2007, pág 41). 
Detectou-se também a necessidade da pesquisa bibliográfica no momento 
em que se fez uso de materiais já elaborados: livros, artigos científicos, revistas,documentos eletrônicos e enciclopédias na busca e alocação de conhecimento 
sobre a prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais, através 
de intervenções aplicadas em crianças com TDAH, correlacionando tal 
conhecimento com abordagens já trabalhadas por outros autores. Segundo Bonat 
(2009, pág 17): 
“Pesquisa Bibliográfica é aquela planejada a partir de conteúdos já 
estruturados compostos por meio de livros e artigos científicos. Ela também 
pode conter outros conteúdos como publicações de jornais e revistas 
destinados a todos os tipos de leitor” (BONAT, 2009 PÁG 17). 
A abordagem do tratamento da coleta de dados da pesquisa bibliográfica 
será feita pelo método dialético, uma vez que a pesquisa bibliográfica implica em 
que os dados e informações necessárias para realização da pesquisa, sejam 
obtidos a partir do apuramento de autores especializados através de livros, artigos 
científicos e revistas especializadas, entre outras fontes. De acordo com os autores 
Mezzaroba; Monteiro (2003, pág 71) afirma-se que: 
 
23 
 
 
“Dialética é a habilidade de conversar, discutindo e apontando de forma 
contrária em relação à temática da conversa, quando se trata de assuntos 
intrínsecos que não podem ser comentados. A dialética foca na distribuição 
de idéias lógicas, à medida que são discutidas de forma concreta” 
Mezzaroba; Monteiro (2003, pág 71). 
O problema foi direcionando a pesquisa para as áreas de aplicação de 
intervenções por profissionais psicólogos, psicopedagogos ou terapeutas e ainda a 
pesquisa se aplica como pesquisa bibliográfica, sendo esta uma análise geral, 
através da prática da ludoterapia que contribui nas terapias comportamentais no 
TDAH. Em que, será feito ao apresentar as terapias comportamentais aplicadas em 
crianças com TDAH, o objetivo geral, afirmando que: 
O presente trabalho tem como objetivo geral constatar quais os efeitos da 
aplicação da prática da ludoterapia, que contribui nas terapias comportamentais no 
TDAH e auxilia a aplicação de intervenções por profissionais psicólogos, 
psicopedagogos ou terapeutas, através da prática da ludoterapia aplicada em 
crianças com TDAH, com a finalidade de apresentar a utilidade da ludoterapia no 
estudo sobre as terapias comportamentais e aplicação da ludoterapia. 
24 
 
 
ESTRUTURAÇÃO DO TCC 
 
INTRODUÇÃO 
1. VISÃO SOBRE AS TERAPIAS COMPORTAMENTAIS 
2. CONHECENDO A PRÁTICA DA LUDOTERAPIA E INTERVENÇÕES 
APLICADAS A CRIANÇAS COM TDAH 
3. TIPOS DE LUDOTERAPIA E INTERVENÇÕES APLICADAS A CRIANÇAS 
E NO TDAH 
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
25 
 
 
CRONOGRAMAS 
 
 
CRONOGRAMA DO PROJETO DE TCC 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
R - Realizado P - Programado
ATIVIDADES
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
CRONOGRAMA
8
3ª Reunião com Orientador para 
apresentação das propostas.
Alterações no projeto sugeridas pelo 
Orientador
 Revisão final
Entrega do projeto concluído ao Orientador
Elaboração do Projeto de TCC
9
10
11
1
2
3
4
5
6
7
Entrega do projeto de TCC concluído
Cadastro de Grupo de TCC (TCC realizado 
individualmente)
1ª Reunião com Orientador para 
apresentação das propostas.
2ª Reunião com Orientador para 
apresentação da proposta definida
 Definição de: Problema e hipótese
 Definição de: Justificativa e objetivos e 
metodologia
 Desenvolvimento
DezembroJulho Agosto Setembro Outubro Novembro
26 
 
 
CRONOGRAMA DO TCC 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
R - Realizado P - Programado
ATIVIDADES
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
P
R
14 Entrega da Pesquisa Científica. R
15 Correção do Orientador com orientações R
13 Revisão bibliográfica
10 Análise e interpretação dos dados
11 Seleção da amostra
12 Redação do relatório
7 Operacionalização dos conceitos.
8 Pesquisa de Campo (Bibliográfica)
9 Coletas de dados
4 Seleção de Documentos.
5 Classificação dos Documentos.
6
Composição dos elementos pré-textuais do 
TCC.
1 Inicio das atividades.
2
Análise teórica em função da 
complementação dos objetivos.
3 Levantamento Bibliográfico.
CRONOGRAMA 
Elaboração do TCC
jan/20 fev/20 abr/20 mai/20 jun/20
27 
 
 
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS 
O desenvolvimento do presente estudo possibilitou uma análise sobre 
quais os efeitos da aplicação da prática da ludoterapia como contribuintes nas 
terapias comportamentais aplicadas a crianças com TDAH. Uma avaliação da 
visão das terapias comportamentais, a fim de compreender como a prática da 
ludoterapia pode contribuir ou refletir nas terapias comportamentais aplicadas a 
crianças com TDAH. 
De um modo geral, foi constatado que a prática da ludoterapia aplicada 
nas terapias comportamentais, reflete na criança, com resultados positivos, 
possibilitando efeitos através de seu recurso como ferramenta terapêutica, que 
atua no desenvolvimento cognitivo e intelectual da criança. Contudo, sua 
contribuição através dos jogos, brincadeiras e atividades recreativas, pode agir 
como uma ferramenta de construção de pensamentos e desenvolvimento da 
linguagem verbal, percepção do imaginário, trazendo para a realidade, 
conduzindo a momentos agradáveis e prazerosos, o que irá possibilitar uma 
melhora de seus comportamentos problemas. 
Através do estudo foi possível constatar quais os efeitos da aplicação 
da prática da ludoterapia nas terapias comportamentais aplicadas a crianças 
com TDAH e apresentar a utilidade da ludoterapia no estudo sobre as terapias 
comportamentais, da mesma forma, foi conhecido os tipos de ludoterapia 
aplicadas a crianças e no TDAH, constatando que a ludoterapia e intervenções 
podem contribuir ou refletir nas terapias comportamentais em crianças com 
TDAH. 
Dada à importância do tema, torna- se necessário o desenvolvimento de 
estratégias que visem um maior entendimento da família e sociedade, a 
respeito da importância da realização das intervenções continuadas em casa e 
realização das terapias comportamentais que possam contribuir e refletir no 
tratamento das crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. 
Nesse sentido, a utilização da prática da ludoterapia nas terapias 
comportamentais aplicadas a crianças com TDAH, permite resultados positivos, 
através dos efeitos trazidos por meio dos jogos, atividades lúdicas, recreação, 
28 
 
 
entre outros tipos de ludoterapia, que com seus efeitos, possibilitam à criança 
uma maior interação social, um melhor desenvolvimento cognitivo e intectual, 
conhecimento de mundo, estímulo na imaginação, melhoras nos aspectos 
motores e alteração do comportamento problema, entre outras contribuições 
que a prática da ludoterapia traz nas terapias comportamentais aplicadas a 
crianças com TDAH. 
 
REFERÊNCIAS 
 
BARBOSA, A. D. A. G. E.; BARBOSA, G. A.; AMORIM, G. G. Hiperatividade 
Conhecendo sua realidade. 1 EDIÇÃO 2005. ed. São Paulo: Casa do 
Psicólogo Livraria e Ediora LTDA, v. 1, 2005. 47/48 p. 
BARBOSA, L. N. N. Psicologia da Saúde e as Terapias Cognitivo 
Comportamentais: estratégias de promoção da saúde no hospital geral. 1. ed. 
Curitiba: CVR, v. 1, 2018. 
BONAT, D. Metodologia da Pesquisa. Curitiba: Iesde Brasil S.A, v. 3, 2009. 
9/27 p. 
COELHO, LAURA DOS SANTOS GOMES. Scielo Analytics; Psicologia Ciência 
e Profissão. Recusa Escolar: um Estudo de Caso em Ludoterapia 
Comportamental, Brasília, 36, 01 Janeiro e Março 2016. 234-235. http: 
//dx.doi.org/10.1590/1982-37o3001182014. 
CÓRIA-SABINI, M. A.; LUCENA, R. F. D. Jogos e Brincadeiras na Educação 
Infantil. São Paulo: Papirus, 2013. 
CORTEZ. O Brincar na Pré-Escola. São Paulo: [s.n.], 2007. 
DOBSON, K. S. Manual de Terapias Cognitivo Comportamentais. 1 jan 
2006. ed. Santana, Porto Alegre, Rs: Artmed, v. Edição 2, 2008. 
EMERIQUE, P. S. BrincaPrende (Dicas lúdicas para pais e professores). 2. 
ed. São Paulo: Pápirus Editora, v. 2, 2003. 17/18 p.29 
 
 
GOUVEIA, A. M. Atividades Lúdicas como intervenção psicopedagógicas no 
Projeto Bem viver na Equoterapia, João Pessoa- Paraíba, 2014. 2. 
MENEZES, Y. A. G. E. I. N. D. Estratégias lúdicas na relação terapêutica com 
crianças na terapia comportamental. Univ. A. Saúde, Brasília, 2, jan/jun 2004. 
57. acesso em 28/05 www.publicacoesacademicas.uniceub.br. 
NETO, M. R. L. TDAH ao longo da vida (Transtorno de déficit de atenção e 
hiperatividade). Porto Alegre: Artmed, v. Versão impressa 2010, 2010. 
NICODEMOS BATISTA BORGES, F. A. C. Clínica analítico-comportamental. 
1 jan 2009. ed. Porto Alegre: Artmed, v. versão impressa 2012, 2012. 249 p. 
PEREIRA, H. S.; ARAÚJO, A. P. Q. C.; MATTOS, P. Transtorno do déficit de 
atenção e hiperatividade (TDAH); aspectos relacionados à comorbidade com 
distúrbios da atividade motora. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, 
Recife, v. 5, p. 1, Outubro/ Dezembro 2005. ISSN 4. https: 
//doi.org/10.1590/51519. 
PIOLA, K. M. Ludoterapia: Crianças com Transtorno de déficit de Atenção e 
Hiperatividade- TDAH, Ariquemes- RO, 2017. 21-25. 
PIOLA, K. M. Ludoterapia Crianças com Transtorno de déficit de atenção e 
hiperatividade. 21-25-22. 
SHIVES, L. R. Infant, Child, And Adolescent Clients.( Basic Concepts of 
Psychiatrice- Mental; Health Nursing). 7. ed. Orlando Florida: Wolters 
Kluwer, v. 7 ed., 2007. 
SOUZA, J. D. Um estudo de caso a partir da atuação psicopedagógica 
utilizando estratégias lúdicas com TDAH. TCC, João Pessoa, 2015. 
TINTORI, F.; BAST, D. F.; PITTA, M. D. R. Jogo na terapia comportamental em 
grupo de crianças com TDAH. Acta Comportamentalia, Guadalajara, Jal. 
México, v. 19, p. 225-239, abril, agosto e dezembro 2011. ISSN 2. Disponível 
em. acessos em 27 maio 2020. 
TYBEL, D. TCC uma escrita em blocos Guia da Monografia. [S.l.]: [s.n.], 152 
p. 
30