Buscar

Casos Clinicos Saude da Criança - Icterícia

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

CASOS CLÍNICOS PARA DISCUSSÃO EM AULAS PRÁTICAS
ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DA CRIANÇA
Caso Clínico 1:
Residência Médica – 2012: UNIFESP: Universidade Federal de São Paulo
Recém-nascido, sexo feminino, idade gestacional 39 semanas, peso ao nascer 3200g, parto cesárea, com escore de Apgar de 1º e 5º minutos, de 9 e 10. Evolui bem sem intercorrências, nas primeiras horas de vida. Recebe aleitamento materno exclusivo, com 42 horas de vida apresenta-se em bom estado geral, corado hidratado, acianótico, ictérico Zona I, sem alterações ao exame físico. Mãe e filho tem o mesmo tipo sanguíneo: O Rh positivo. Com 68 horas de vida, recém-nascido em aleitamento materno, apresenta-se ictérico Zona III, sem outras alterações. O médico solicita ao laboratório dosagem de BTF (Bilirrubina total e frações): Bilirrubina total 9,8 mg/dL (0,5 a 1,2 mg/dL), Bilirrubina Indireta 9,5 mg/dL (0,4 a 0,8 mg/dL) e Bilirrubina Direta 0,3 mg/dL (0,1 a 0,4 mg/dL). Defina a principal hipótese diagnóstica para o recém-nascido.
OBJETIVOS DE ESTUDO:
1. Definir Icterícia. Definir causas de hiperbilirrubinemia
2. Possíveis avaliações complementares que diferenciam as causas.
3. Definir Zonas de Kramer e sua utilidade.
4. Exame laboratorial das Bilirrubinas e sua acurácia
5. Metabolismo fisiológico das Bilirrubinas, compreensão de BILIRRUBINA DIRETA OU CONJUGADA E INDIRETA OU NÃO CONJUGADA
Caso Clínico 2:
Recém-nascido, sexo masculino, idade gestacional 38 semanas, peso ao nascer 2800g, parto vaginal apresenta-se com icterícia que surgiu com 12 horas de vida, pálido, com fraqueza, mucosas descoradas, esplenomegalia. O médico solicita exames laboratoriais: bilirrubina total 12 mg/dL (até 1,2 mg/dL), bilirrubina indireta 11,6 mg/dL (até 0,8 mg/dL) e bilirrubina direta 0,4 mg/dL (até 0,4 mg/dL). Mãe é O Rh negativo e Coombs indireto positivo título de diluição 1/32. Recém-nascido A Rh positivo, Coombs direto fortemente positivo. Hemoglobina 9,3 g/dL ( 1 a 3 dias: 14,5 a 22,5 g/dL), hematócrito 31%(1 a 3 dias:45 a 67%), hemácias 3,3 milhões/mm3 (1 a 3 dias4 a 6,6 milhões/mm3), VCM 93 ( 95 a 121 fL), HCM 28 pg (31 a 37pg), CHCM 30 g/dL (29 a 37 g/dL), reticulócitos 2,8% 9 0,5 a 1,5%).
OBJETIVOS DE ESTUDO:
1. Eritropoese no recém-nascido, principal hemoglobina.
2. Doença Hemolítica Imune: Incompatibilidade sanguínea materno-fetal.
3. Exames laboratoriais, como interpretar COOMBS.
4. Identificar a causa da anemia. Classificá-la.
Caso Clínico 3:
Recém-nascido masculino, prematuro, 2350g de peso, descendente de libaneses moradores recentes no Brasil. Mãe hipertensa fez uso de alfa metildopa durante a gestação. O menino nasceu com icterícia, esplenomegalia e exames laboratoriais: bilirrubina total 11,5 mg/dL (até 1,2 mg/dL), bilirrubina indireta 11,2 mg/dL (até 0,8 mg/dL) e bilirrubina direta 0,3 mg/dL (até 0,4 mg/dL), hemoglobina de 8,8g/dL e hematócrito 29%. Tanto mãe como filho são O Rh negativo. No exame clínico o recém- nascido chorava muito e o médico orientou umas gotas de paracetamol infantil.
OBJETIVOS DE ESTUDO:
1. Revisão do metabolismo fisiológico do sistema antioxidante do organismo.
2. Fármacos implicados no estresse oxidativo.
3. Mecanismo de ação dos fármacos.
4. Doença Hemolítica por deficiência enzimática: G6PD. Defina outras causas hemolíticas.
5. Diferenciar Teste do pezinho e Teste do pezinho amplificado.
Caso Clínico 4:
Recém-nascido com 14 dias de vida apresenta palidez cutânea, icterícia e baço palpável a 3cm da borda costal esquerda, de consistência normal. Não há antecedente familiar de anemia. Exames complementares: Mãe: grupo sanguíneo A+ e RN: A-. Hemograma: Hb: 9,0g/dL (11,5-16g/dL); VCM: 104 fL (92-114fL); HCM: 27 pg (30-36pg); CHCM: 40 g/dL (29-37 g/dL) leucócitos: 12.500/mm3 (5-19.000/mm³); plaquetas: 315.000/mm3 (210-600.000/mm³); reticulócitos: 18%; bilirrubina total 9,5 mg/dL (até 1,2 mg/dL), bilirrubina indireta 9,2 mg/dL (até 0,8 mg/dL) e bilirrubina direta 0,3 mg/dL (até 0,4 mg/dL), e Coombs direto Negativo. A suspeita diagnóstica foi de Esferocitose hereditária solicitado teste de fragilidade osmótica que se apresentou aumentado.
OBJETIVOS DE ESTUDO:
1. Esferocitose hereditária
2. Teste de fragilidade osmótica
3. Exames laboratoriais para diferenciação de outras anemias.
Caso Clínico 5:
Recém- nascido prematuro desenvolve icterícia em face, parte superior do tronco e região do abdômen próximo ao umbigo, mesmo com tratamento adequado após 2 semanas, observa-se acolia fecal associada com colúria. Solicita as dosagens de fosfatase alcalina (FAL) e gama Glutamiltrnsferase (GT).
OBJETIVOS DE ESTUDO:
1. Importância das enzimas solicitadas para diferenciação do quadro.
2. Explicar o aparecimento de acolia fecal e colúria no recém-nascido.
3. Determinar o tipo de bilirrubina predominante neste quadro ictérico.
Caso Clínico 6:
Recém- nascido, sexo masculino, nascido com 37 semanas, pesando 3 kg, em aleitamento materno exclusivo, iniciou icterícia aos 8 dias de vida. Com 16 dias de vida foi trazido ao pediatra que avaliou estar em bom estado geral, 3,250 kg, eliminação gastrointestinal normal, exame físico normal exceto a icterícia, Bilirrubina Indireta 14,5 mg/dL e Bilirrubina Total 15 mg/dL. Seu tipo sanguíneo é A Rh positivo e o da mãe O Rh positivo. Hemograma e reticulócitos normais e teste de Coombs direto negativo. Teste do pezinho normal. Sua mãe manteve acompanhamento ambulatorial do menino e completando 2 meses não se encontrava mais ictérico.
OBJETIVOS DE ESTUDO:
1. Diferencie Icterícia do Aleitamento Materno da Icterícia do leite materno.
2. Mecanismo fisiológico associado a beta glicuronidase.
3. Analise Kernicterus ou encefatopatia bilirrubínica como complicação.
Referências:
Brunton, L.L. et al. As bases Farmacológicas da Terapêutica de Goodman & Gilman. Editora Mc GrawHill Education/Artmed – 13º edição.
Conceição A.M.Segre e cols.PERINEONATOLOGIA – Fundamentos e Prática
2ª edição.
Marcondes, E. e cols. PEDIATRIA BÁSICA - Pediatria Clínica Geral. Em: Vaz, F.A.C., Ramos, J.L.A., Okay, Y. - Seção VIII: Icterícia do Recém-nascido. Editora Sarvier.

Continue navegando