Buscar

TCC CRUZEIRO DO SUL

Prévia do material em texto

A Importância Da Expansão E Aumento De Linhas De Transmissões De 
Energia No Brasil E Os Impactos Positivos E Negativos Causados Por Elas. 
 
Jaqueline Silva Costa 1 
 
Resumo 
O presente artigo tem o objetivo de analisar e discutir a importância da expansão e 
aumento na construção de Linhas de Transmissões de Energia no país, 
considerando especialmente as regiões que fazem parte do Sistema Interligado 
Nacional (SIN), que é o responsável pela coordenação e controle da produção e 
transmissão de energia no nosso país. Veremos ainda, ao longo desta discussão, 
quais são os principais impactos causados pela construção dessas Linhas de 
Transmissão de Energia, considerando os impactos positivos e negativos por ela 
causados, além de, ainda, analisar as características geográficas que influenciam 
diretamente na sua produção e funcionamento, tanto no sentido territorial, como 
também àqueles socioeconômicos, envolvendo as pessoas que são diretamente 
atingidas por esses projetos. 
 
Palavras-chave: Linhas de Transmissão de Energia. Energia Limpa. Sistema 
Interligado Nacional. 
 
Introdução 
 
Com o avanço das tecnologias e mesmo da sociedade em si, o uso da 
energia elétrica tornou-se indispensável no dia a dia das pessoas. A grande questão 
e debate que esta alta demanda traz à tona, é sobre como produzir energia 
suficiente para atender a necessidade de todo o território de um país sem haver 
grandes quedas e faltas da mesma e ainda, como produzir toda esta energia de 
forma sustentável, trazendo o mínimo possível de agressão ao meio ambiente. 
No Brasil, quinto maior país em territorialidade do mundo, há ainda um grande 
potencial energético não explorado (Santos, 2010), no entanto, as longas distâncias 
entre os locais de produção energética e os grandes centros de carga, demandam 
um melhor planejamento no que tange a geração, transmissão e distribuição de 
energia no país. 
 
1 Graduanda em geografia, bacharelado, pela Universidade Cruzeiro do Sul, artigo apresentado como 
trabalho de conclusão de curso, 2023. E-mail: jaqueline.costa292@gmail.com. 
2 
 
O aumento nos últimos anos em construção de linhas de transmissão de 
energia no país se dá, principalmente, pelo fator da ampliação na produção de 
energia eólica no país, produção esta incentivada pelo Programa de Incentivo às 
Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), que se iniciou no ano de 2002, 
através de um programa do governo federal, onde o objetivo era incentivar a 
produção de energia através de matrizes energéticas que geram menos impactos 
ambientais no país. 
Tendo conhecimento de todas estas questões, este trabalho vem fazer uma 
análise quanto aos principais impactos causados para a construção das linhas de 
transmissão de energia, considerando estatísticas já apresentadas, além de 
trabalhos e pesquisas produzidas anteriormente. Além dessas fontes, faz-se 
também a apuração de uma pesquisa qualitativa, executada com os proprietários de 
uma região da Bahia que tiveram suas terras “atingidas” por uma linha de 
transmissão de 500Kv, nesse processo de expansão da distribuição da energia 
eólica no Estado. 
 
Linhas de Transmissão de Energia no Brasil 
 
Linhas de Transmissão de Energia Elétrica são torres que através dos cabos 
interligados entre si, transportam altas tensões de energia elétrica através de longas 
distâncias no país. Além desse transporte, elas também ligam as usinas geradoras 
aos consumidores e distribuidores de energia, suas classificações são baseadas nos 
seus níveis de operações ou tensões, podendo variar de uma linha para outra, 
sendo de tensões maiores ou menores. 
A construção dessas linhas envolve todo um trabalho e planejamento, 
envolvendo os setores de engenharia, meio ambiente, topografia, dentre outros 
setores. Geralmente há uma grande quantidade de trabalhadores envolvidos no 
processo, o que traz um retorno positivo, considerando a movimentação que faz na 
economia e geração de empregos diretos e indiretos relacionados a obra em si. 
Um dos grandes objetivos é potencializar a distribuição de energia nos 
grandes centros urbanos onde há uma maior demanda da mesma, dando 
preferência as energias limpas e que causam menos impactos ambientais do que 
aquelas que, de certo modo, trazem prejuízos maiores ao meio ambiente. Desse 
modo, as linhas são produzidas através de quilômetros e quilômetros de extensões, 
3 
 
muitas vezes, cortando mais de três Estados no seu percurso até chegar no destino 
final. 
Os impactos causados por estes empreendimentos lineares são, de certo 
modo, bastante peculiares, uma vez que causam impactos sociológicos e 
ambientais, além do fato de ainda não houver estudos densos a respeito desses 
impactos, fomentando e dando ênfase ao ônus associado ao empreendimento. 
Decerto que há muitos pontos positivos que merecem relevância, no entanto é 
importante também que haja estudos e melhor apuração quanto aos impactos 
negativos para que a atenção a estes não seja tardia e, possivelmente, irreversível. 
A construção das LT’s implica em todo um processo envolvendo empresas do 
setor privado como repartições públicas, inclusive com um Documento de Utilização 
Pública que regimenta a sua criação, de modo que “obriga” os proprietários das 
terras onde irá passar a “aceita-las” independente dos prejuízos que estas possam 
trazer para seus territórios. Os autores Henrique Andrade e Heraldo Filho (2021) em 
seu artigo Conflitos Territoriais E Implantação De Linhas De Transmissão De 
Energia, trazem uma abordagem sobre os problemas principalmente os sociais 
causados pela implementação de uma Linha de Transmissão de 500Kv em dois 
Estados do nordeste brasileiro onde atingem aproximadamente 26 cidades 
diferentes. 
A realidade apresentada pelos autores quanto aos proprietários atingidos pela 
linha em questão, é uma fator que se repete em muitas outras linhas instituídas pelo 
território brasileiro, onde os proprietários são obrigados a aceitarem o 
empreendimento, ficam sujeitos aos mais distintos transtornos causados em sua 
propriedade durante o período de construção e instalação, recebem uma 
indenização muitas vezes irrisória, devido ao tamanho do projeto, perdem partes de 
suas terras, devido as limitações de uso que ficam a área afetada e entorno das 
construções, além de serem obrigados a conviverem com os possíveis riscos de 
acidentes apresentados pela presença de torres de alta tensão nos seus locais de 
convívio. 
Considerando grandes extensões de terras, talvez o impacto não seja tão 
significativo, mas quando se trata de pequenas áreas podem vir a trazer sérias 
consequências para os pequenos produtores em questão. Ainda segundo Andrade e 
Filho, “Destaca-se também que, o convívio impactará diretamente também dos 
preços das terras e a consequente desvalorização e a decorrente diminuição 
4 
 
abrupta das áreas de cultivos [...]” (ANDRADE, FILHO; 2021), a limitação às terras 
causadas pelo empreendimento são completamente incoerentes com as 
indenizações pagas. 
Ainda sobre os impactos causados, agora fazendo uma abordagem no que 
tange ao meio ambiente, é possível identificar, segundo Fogliatti (2004), pelo menos 
três áreas que são afetadas pelo empreendimento. São elas: a área diretamente 
afetada, a área que possui uma influência direta e ainda a área que possui influência 
indireta. Obviamente que há um grau de impacto diferente para cada uma delas, 
mas o fato é que todas são afetadas em maior ou menor proporção, podendo 
ocorrer diversas modificações ambientais temporárias ou permanentes. 
Todo este impacto ambiental é causado de forma mais intensa no período de 
implementação da obra, sendo que após o período de energização e funcionamento, 
todos eles diminuem. Fazendo-se todo o processo corretamente, buscando não 
impactar tanto o meio ambiente e atendendo a todas as licenças necessárias para a 
implementação da obra, pode-seafirmar que os prejuízos causados são menores do 
que todo o desenvolvimento econômico que envolvem as linhas de transmissão, 
como afirma Tobouti (2014) em sua pesquisa sobre os impactos causados no meio 
ambiente. 
 
Pesquisa Qualitativa Com os Proprietários 
 
Em entrevista feita com aproximadamente 200 proprietários que possuem 
suas propriedades atingidas por Linha de Transmissão de Energia na região da 
Bahia, foi possível constatar que há uma certa ignorância quanto a importância e 
qual a verdadeira necessidade do empreendimento pela maioria dos proprietários, 
especialmente àqueles que possuem uma condição socioeconômica mais baixa. 
Inclusive, não entendem nem mesmo o motivo de não poderem dizer não, mesmo 
sendo suas terras muito pequenas e ficando, muitas vezes, altamente 
comprometidas com a passagem do empreendimento. 
Uma quantidade considerável, dentre os entrevistados, considera-a muito 
importante para o país, mas poucos souberam detalhar com clareza a que se deve 
essa importância. 
Àqueles que possuem terras produtivas, mesmo que em pequeno porte se 
sentem altamente lesionados, uma vez que existe um comprometimento 
5 
 
significativo, tanto com a área que é diretamente afetada, como também da área no 
entorno, especialmente a chamada “área de servidão”. O que é quase unânime 
entre todos eles é que consideram o valor de indenização pago muito baixo, 
levando-se em conta os impactos e o tanto que compromete a propriedade. 
 
Considerações Finais 
 
Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a população 
brasileira chegou, em 2022, ao total de 203,1 milhões de pessoas, considerando 
ainda o que afirma o Atlas de Energia Elétrica do Brasil (2008), a distribuição de 
energia elétrica no país para as suas cinco regiões diferentes, possuem 
características e desafios distintos, devido as peculiaridades de cada região. 
Ao final desta pesquisa, chega-se realmente a conclusão de que é de grande 
importância para o país a ampliação energética através das construções de Linhas 
de Transmissão de Energia, especialmente quando atreladas a parques eólicos ou 
solares, que são as consideradas energias limpas. 
No entanto, não se pode negligenciar que ao construir essas Linhas de 
Transmissão de Energia, existe um impacto muito grande, tanto nas questões 
ambientais, como também socioeconômicas, especialmente àqueles proprietários 
que possuem área menores e já, devido a vários outros fatores, pouco valorizadas. 
Essa disparidade entre os benefícios proporcionados para uma grande massa 
e os prejuízos causados para uma “pequena” quantidade de proprietários, necessita 
de atenção e, talvez, de melhores medidas das grandes empresas e até mesmo do 
Estado, de modo que estas pessoas não sejam tão prejudicadas e lesadas para que 
estes empreendimentos possam existir. 
É importante também que haja um acompanhamento e estudo contínuo 
quanto as questões ambientais, para que se possa ter conclusões assertivas dos 
impactos a curto e também a longo prazo, existindo um acompanhamento e 
fiscalização rigorosa dos órgãos ambientais não só durante a implementação, mas 
também após a finalização das obras e energização das linhas, até porque somente 
este acompanhamento poderá trazer terminações mais assertivas, quanto aos 
impactos causados a longo prazo. 
Diante de tudo que foi apresentado, a consideração final a que se chega é 
que as Linhas de Transmissão de Energia são sim de grande importância para o 
6 
 
país e, inclusive, necessárias, o que precisa de revisão e, talvez, até um novo 
direcionamento é como irão tratar os proprietários, especialmente os de pequenas 
propriedades quanto aos impactos econômicos e socioculturais que estes ficam 
sujeitos quando possuem suas terras atingidas por empreendimentos como estes. 
 
Referências 
 
ANDRADE, Henrique Oliveira de; RAMOS FILHO, Eraldo da Silva. Conflitos 
Territoriais E Implantação De Linhas De Transmissão De Energia. Disponível 
em: 
https://editorarealize.com.br/editora/anais/enanpege/2021/TRABALHO_COMPLETO 
_EV154_MD1_SA135_ID236616112021220629.pdf acesso em 18-09-2023 às 
18:31. 
ANEEL – AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Atlas de energia 
elétrica do Brasil. 3a ed. Aneel, 2008. 
FOGLIATTI, M. C. et al. Avaliação de impactos ambientais. Rio de Janeiro: 
Interciência, 2004. 
IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Brasileiro de 2022. 
Brasília, 2022. 
SANTOS, Milana Lima dos. Avaliação do Desempenho de Linhas de 
Transmissão de Energia Elétrica de Meia Onda. São Paulo. 2010. 
TOBOUTI, Alexandre Kazuo; SANTOS, Vera Lucia Pereira dos. Impactos 
Ambientais Causados Na Implantação De Linhas De Transmissão No Brasil. 
Caderno Meio Ambiente e Sustentabilidade. UNINTER, 2017. Disponível em: 
https://www.cadernosuninter.com/index.php/meioAmbiente/issue/view/39 acesso em: 
18-09-2023 às 18:19.

Continue navegando