A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
ÁREAS DE ATUAÇÃO DA 2015-1 7° SEMESTRE PAC-PET

Pré-visualização | Página 4 de 6

de serviço de: a) Transporte (exceto de cargas);
b) Prestadoras de serviço com receita bruta anual não superior a R$120.000,00.
Segundo Fabretti (2009, p. 220), “a base de calculo da CSL da pessoa jurídica, para efeito de seu pagamento mensal, inclusive para desobrigações de escrituração contábil, corresponde a 12% (dose por cento) da receita bruta mensal”.
Acréscimos ao lucro presumido e base de cálculo
A lei 9430/96 em seu art. 4º detalha acréscimos a base de calculo do lucro presumido:
Art. 4º Serão acrescidos à base de cálculo, no mês em que forem auferidos, os ganhos de capital, as demais receitas e os resultados positivos decorrentes de receitas não compreendidas na atividade, inclusive:
I - os rendimentos auferidos nas operações de mútuo realizadas entre pessoas jurídicas controladoras, controladas, coligadas ou interligadas, exceto se a mutuaria for instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil;
II - os ganhos de capital auferidos na alienação de participações societárias permanentes em sociedades coligadas e controladas, e de participações societárias que permaneceram no ativo da pessoa jurídica até o término do ano-calendário seguinte ao de suas aquisições;
III - os ganhos auferidos em operações de cobertura ("hedge") realizadas em bolsas de valores, de mercadorias e de futuros ou no mercado de balcão;
IV - a receita de locação de imóvel, quando não for este o objeto social da pessoa jurídica, deduzida dos encargos necessários à sua percepção;
V - os juros de que trata o § 4º do art. 39 da Lei nº 9.250, de 1995, relativos a impostos e contribuições a serem restituídos ou compensados;
VI - as variações monetárias ativa.
Desta forma a base de calculo será calculada mediante apuração da receita de venda e serviço, excluídas as devidas deduções e aplicados os percentuais de presunção de acordo com atividade da empresa. Após a aplicação dos percentuais presumidos, somam-se os ganhos de capital e as receitas financeiras (juros) apuradas no período, chegando assim ao lucro presumido, sobre o qual será calculado o IR e o adicional. (FABRETTI, 2009)
Da mesma forma a pessoa que optar pela apuração do Imposto de renda com base no Lucro Presumido deverá também apurar trimestralmente a Contribuição Social sobre o Lucro
Alíquotas CSLL e IRPJ
Chaves e Muniz (2010) citam que sobre a base de calculo, aplica-se uma alíquota de 15% do IRPJ e 9% para calculo da CSLL. O lucro presumido é calculado trimestralmente, sendo que a base de calculo que ultrapassar o limite de R$ 60.000,00 aplicar-se-á a alíquota de 10% a título adicional do IRPJ, ou, quando do inicio das atividades, ao limite correspondente à multiplicação de R$ 20.000,00 pelo número de meses do período de apuração.
PIS e COFINS 
O regime de apuração do PIS e da COFINS no caso das empresas optantes pelo Lucro Presumido cumulativo, de acordo com a edição da Lei 9.718/98, a base de cálculo do PIS e da COFINS é a totalidade das receitas auferidas pela pessoa jurídica, sendo irrelevante o tipo de atividade por ela exercida e a classificação contábil adotada para as receitas, todas as receitas, exceto as textualmente excluídas, integram a base de cálculo da COFINS e do PIS, sejam operacionais ou não operacionais. Alíquota aplicável será de 0,65% para o PIS e 3% para COFINS.
Prazo para pagamento
De acordo com o artigo 5º da Lei nº 9.430, o imposto de renda trimestral devido será pago em quota única até o ultimo dia do mês subseqüente ao encerramento do período de apuração. Passado o vencimento a parcela do imposto será acrescida de juros equivalentes à taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e custódia- SELIC.
ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS
A empresa em estudo de caso é a PAC-PET Indústria de Embalagens Ltda, atua no ramo de Indústria e Comércio de Embalagens, atualmente devido ao faturamento ter ultrapassado os R$ 2.400.000,00/ano, a empresa foi desenquadrada do Simples Nacional, é tributada pelo Lucro Real
Abaixo segue quadro de premissas que foram extraídas do resultado da empresa no ano de 2015, os quais serão utilizados para demonstração de cálculo do estudo.
Tabela 1: Premissas ao Cálculo
Fonte: Empresa estudada
Cálculo de Lucro Real
A empresa tem como atual modalidade de tributação o lucro real, sendo assim, para apurar o IRPJ é aplicado a alíquota de 15% e o adicional de 10%, a CSLL 9%, em contrapartida o PIS e a COFINS são não cumulativos, com percentuais de 1,65% e 7,60% respectivamente.
Imposto de Renda Pessoa Jurídica – IRPJ
O cálculo do IPRJ com base no lucro real está demonstrado na tabela abaixo.
Tabela 2: Cálculo do IRPJ – LUCRO REAL
Fonte: Empresa estudada
Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido – CSLL
Apresenta-se a seguir o cálculo para apuração na CSLL baseada no Lucro Real.
Tabela 3: Cálculo do CSLL – LUCRO REAL 
Fonte: Empresa estudada
PIS e COFINS não cumulativos
Nos quadros a seguir é demonstrado e calculado os créditos e débitos do PIS e COFINS pela modalidade não cumulativa.
Tabela 4: Cálculo do PIS não cumulativo
Fonte: Empresa estudada
Tabela 5: Cálculo do COFINS não cumulativos
Fonte: Empresa estudada
Cálculo de Lucro Presumido
A empresa estudada tem como ramo de atividades a venda de mercadorias o percentual aplicado para a apuração da base de cálculo do IRPJ é de 8% e da CSLL é de 12%. Para poder apurar o valor dos impostos a pagar é aplicado as alíquotas de 9% para CSLL e de 15% para o IRPJ considerando o valor de 10% do adicional quando o mesmo ultrapassa o limite de R$ 60.000,00 por trimestre. Nessa modalidade de tributação o PIS e COFINS são cumulativos e são aplicados percentuais de 0,65% e 3% respectivamente sobre a receita bruta de vendas. A seguir serão demonstrados por meio de tabelas os cálculos para após analisar as tabelas e fazer o comparativo das modalidades de tributação.
Imposto de Renda Pessoa Jurídica – IRPJ
O cálculo do IRPJ utilizando o lucro presumido como modalidade de tributação está exposto no quadro a seguir:
Tabela 6: Cálculo do IRPJ – LUCRO PRESUMIDO
Fonte: Empresa estudada
Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido – CSLL
Para encontrar a base de presunção para apurar a CSLL, aplica-se 12% sobre a venda de mercadorias e 9% para encontrar o valor do imposto. Abaixo demonstra-se a tabela do cálculo da CSLL:
Tabela 7: Cálculo do CSLL – LUCRO PRESUMIDO 
Fonte: Empresa estudada
PIS e COFINS cumulativos
Nesse tópico demonstram-se as tabelas do PIS e COFINS, sendo que a alíquota da modalidade cumulativa é de 0,65% e 3% respectivamente. Segue abaixo o quadro demonstrativo dos impostos:
Tabela 8: Cálculo do PIS não cumulativo
Fonte: Empresa estudada
Tabela 9: Cálculo do COFINS não cumulativos
Fonte: Empresa estudada
Análise dos Resultados Obtidos
Segue abaixo o quadro comparativo das modalidades de tributação: Lucro Real X Lucro Presumido:
Tabela 10: Comparativo Lucro Real X Lucro Presumido
Fonte: Empresa estudada
Como podemos observar no quadro acima, a melhor modalidade de tributação para a empresa é o Lucro Presumido. O montante que foi pago de impostos por meio do Lucro Real foi de R$72.674,14 enquanto se houvesse sido tributada pelo lucro presumido seria pago um montante de R$ 50.098,48. Obteve, assim, um prejuízo tributário de R$ 22.575,66. Esses são Impostos relativos a CSLL, IRPJ, PIS e COFUNS.
O gráfico a seguir ilustra os montantes de impostos pelas duas formas de tributação e destaca os valores que foram pagos com a tributação do Lucro Presumido.
Gráfico 01: Comparativo Lucro Real X Lucro Presumido
Fonte: Empresa estudada
Com o novo enquadramento a empresa ira disponibilizar de novos recursos para fazer melhorias e a possibilidade da empresa de se organizar para fazer investimentos.
INVESTIMENTOS
De acordo com a nova tributação da empresa será possível realizar investimentos, diante da possibilidade de a empresa voltar a lucro real em outros exercícios em que

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.