A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
EAD-Enfermagem a Distância-Material do Curso[Enfermagem Obstétrica]

Pré-visualização | Página 1 de 9

___________________________________________________________________ 
1 
___________________________________________________________________________ 
www.enfermagemadistancia.com.br 
 
 
 
ENFERMAGEM OBSTÉTRICA 
 
A atenção à mulher gestante é fundamental 
para a saúde materna e neonatal. 
 
Para que esse cuidado seja humanizado e 
qualificado, faz-se necessário construir um novo 
olhar sobre o processo saúde/doença, que 
compreenda a pessoa em sua totalidade 
corpo/mente e considere o ambiente social, 
econômico, cultural e físico no qual essa mulher 
vive. A morte materna obstétrica acontece por 
causas evitáveis em mais de 90% dos casos. As 
principais causas são as infecções, doenças 
hipertensivas e hemorragias. Todas essas causas 
são preveníveis. 
 
Considerando essa realidade, vamos abordar no 
decorrer do curso, a assistência à mulher 
durante a gestação. 
 
Antes de iniciarmos os estudos sobre a 
gestação e seus riscos, vamos revisar um pouco 
sobre o ciclo menstrual normal. 
 
1. Ciclo Menstrual e a Reprodução 
 
Em cada ciclo menstrual, o corpo lúteo que é 
formado após a ovulação, a partir dos restos do 
folículo ovariano, liberando a Progesterona, um 
hormônio cuja finalidade consiste em preparar o 
endométrio para uma eventual recepção de um 
óvulo fecundado e adaptar todo o organismo 
para o desenvolvimento da gestação. 
 
Caso o óvulo liberado pelo ovário não for 
fecundado, o corpo lúteo se atrofia provocando 
a redução significativa da produção de 
progesterona, a descamação do endométrio e a 
consequente menstruação. Entretanto, caso o 
óvulo seja fecundado e o ovo implantado no 
endométrio, a placenta começa a segregar o 
hormônio gonadotrofina coriônica (HCG). 
 
O HCG faz com que o corpo lúteo, ao invés de se 
atrofiar-se, cresça e aumente a sua produção de 
progesterona, evitando a descamação do 
endométrio, proporcionando a interrupção do 
ciclo menstrual e, consequentemente, a não 
produção de menstruação. 
 
Nessa etapa, os efeitos hormonais no corpo da 
mulher, evidenciam-se através de uma série de 
alterações funcionais e físicas, que são os 
sintomas e sinais de gravidez. 
 
Para mais detalhes sobre o ciclo menstrual 
normal, realize estudos no curso Enfermagem e 
a Saúde da Mulher, já disponível no site 
Enfermagem a Distância. 
 
2. Gravidez 
 
A gestação é um processo fisiológico normal que 
representa a capacidade reprodutiva inerente à 
mulher e traz ao organismo feminino uma série 
de mudanças físicas e emocionais. 
 
Essas transformações geram medo, dúvida, 
angústia, fantasias ou simplesmente a 
curiosidade de saber o que acontece com o 
próprio corpo. 
 
Uma gravidez normal, dura aproximadamente 
280 dias, 40 semanas ou 9 meses. 
 
2.1. Diagnóstico da Gravidez 
 
A ausência de menstruação e a presença dos 
sinais e sintomas em uma mulher em idade fértil 
e sexualmente ativa devem conduzir a suspeita 
de gravidez. 
 
O diagnóstico da gravidez inicia-se com a 
anamnese. É importante questionar sobre 
método contraceptivo utilizado, data da ultima 
menstruação e se há possibilidade de gravidez. 
 
 
 
___________________________________________________________________ 
2 
___________________________________________________________________________ 
www.enfermagemadistancia.com.br 
 
 
 
Esse diagnóstico deve ocorrer precocemente 
para iniciar o Pré - Natal, calcular com mais 
precisão a Idade Gestacional (IG) e melhorar o 
prognóstico da gravidez, principalmente em 
gestantes com antecedentes de risco 
gestacional. 
 
A exatidão é importante, pois as consequências 
emocionais, sociais, médicas e legais de um 
diagnóstico incorreto, positivo ou negativo, 
podem ser extremamente sérias. 
 
Os sinais de gravidez podem classificar-se em 
três tipos: 
 
 Sinais de presunção; 
 Sinais de probabilidade; 
 Sinais de certeza. 
 
Sinais de Presunção: aqueles que são 
percebidos pela mulher. Exemplos 
 
 Amenorréia: ausência de 
sangramento; 
 Fadiga: cansaço; 
 Turgescência mamária; 
 Náuseas matinais; 
 Ptialismo: aumento de salivação; 
 Aumento ou diminuição do apetite; 
 Aversão a odores: cigarros, alimentos 
e perfumes; 
 Polaciúria: desejo de urinar com mais 
frequência, comum nos três ou quatro 
primeiros meses e nos meses finais da 
gravidez; 
 Alterações das mamas: Aumento de 
tamanho, consistência e sensibilidade. 
 Linha Nigra Aumento de 
pigmentação da linha alba; 
 Sinal de Chadwick: aspecto arroxeado 
ou azul escuro na mucosa vulvar e 
vaginal; 
 Movimentos do feto. 
 
Sinais de Probabilidade: são alterações 
observadas pelo examinador, tais como: 
 
 Sinal de Hegar (amolecimento 
cervical e do segmento inferior do 
útero), sentido ao toque vaginal; 
 Testes laboratoriais positivos (b - 
HCG); 
 Sinal de Goodell (amolecimento do 
cérvix); 
 Aumento do Abdômen: evidencia-se 
por volta do terceiro ao quinto mês de 
gestação. 
 
Sinais de certeza: são os sinais exclusivos de 
uma gestação, como: 
 
Ultrassonografia obstétrica que permite 
observar todas as estruturas do útero gravídico, 
como líquido amniótico, a placenta e o feto, 
além de calcular a Idade Gestacional; 
 
Ausculta dos batimentos cardíacos fetais (BCF); 
Palpação dos movimentos fetais pelo 
examinador, através da Manobra de Leopold. 
O atraso menstrual é o achado que mais 
frequentemente levanta a suspeita de gestação. 
Em alguns casos, já vem acompanhado de 
náuseas e vômitos. 
 
Outros sinais que podem ser percebidos são 
aumento das mamas, aumento da frequência 
urinária, aumento do peso e aumento do 
volume abdominal. 
 
O teste que primeiro diagnostica a gravidez é o 
que identifica a gonadotrofina coriônica humana 
(HCH), mais precisamente a porção beta, por ser 
mais facilmente encontrada e possuir uma boa 
especificidade. 
 
Os níveis de HCG na gestação normal podem ser 
dosados pouco tempo após a implantação 
aumenta pelo menos 66% a cada 48 horas, 
 
 
___________________________________________________________________ 
3 
___________________________________________________________________________ 
www.enfermagemadistancia.com.br 
 
 
 
alcançando o pico máximo entre 50 e 75 dias de 
gestação. Esse tópico não faz parte dos sinais de 
certeza, mesmo sendo um dos sinais mais 
procurados, por apresentar altas taxas de 
resultados falso-positivos. 
 
Entretanto, o diagnóstico só pode ser 
confirmado juntamente com a presença de 
batimentos cardíacos fetais, movimentos fetais 
ou visualização do feto. Os BCFs podem ser 
ouvidos a partir de 10 a 12 semanas de gestação 
(com o uso do sonar) e de 17 a 19 semanas com 
o auxilio do estetoscópio. 
 
Os movimentos fetais podem ser percebidos 
tanto pela mãe, quanto pelo médico, a partir de 
20 semanas de gestação. A identificação do feto 
pode ser realizada por ultrassonografia 
abdominal a partir da 8ª semana de gestação, 
ou por via transvaginal a partir da 6ª semana. Os 
mamilos e aréolas ficam maiores e mais escuros 
e a rede venosa mais evidente. 
 
3. Modificações Maternas 
 
Durante a gravidez ocorrem várias modificações 
no organismo materno a fim de garantir 
condições ideais para o seu desenvolvimento. 
 
3.1. Postura e Deambulação 
 
O centro da gravidade se adianta em razão do 
aumento abdominal anterior e do peso das 
mamas congestas, levando a gestante a adotar 
uma postura inclinada para trás, como quem 
carregasse um peso com as mãos na frente, 
levando a uma lordose na coluna vertebral. 
 
A gestante tende a afastar mais os pés, levando 
a uma marcha característica semelhante ao 
modo de andar dos gansos: marcha anserina. 
 
 
 
3.2. Metabolismo