A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
86 pág.
A_PELE_ferida_e_curativo-1

Pré-visualização | Página 1 de 3

A PELE 
A FERIDA 
 A CICATRIZAÇÃO 
O CURATIVO 
Profa. Luciana Mendonça 
Campus Universitário do Araguaia- UFMT 
PELE, CUTIS OU TEZ 
 Maior órgão do corpo 1,5 a 2,0 m2 (área) 
e 10 a 20% do peso corporal. 
 
 Espessura não uniforme. PH entre 4,5 e 6. 
 
 Coloração: raças, regiões do corpo e 
pigmentos (melanina / carotenos). 
 
 Camadas: epiderme, derme e hipoderme. 
www.afh.bio.br/sentidos/img/sentidos%20pele.jpg 
PELE, CUTIS OU TEZ 
Manter a integridade do corpo; 
Proteger contra agressões externas; 
Absorver e excretar líquidos; 
Termorregulação; 
Absorver a luz ultravioleta; 
Metabolizar vitamina D; 
Detectar estímulos sensoriais; 
Servir de barreira contra microrganismos; 
Exercer papel estético; 
FUNÇÕES 
 
 Epiderme – recapear feridas e restaurar barreira contra 
organismos invasores 
 Epitélio multiestratificado de células achatadas justapostas, o 
epitélio pavimentoso, cuja principal função é a produção de 
melanina. 
 Principais células: melanócitos e os queratinócitos. 
 Não possui vasos sanguíneos e se renova a cada 20 ou 30 dias. 
EPIDERME 
 Restaurar integridade estrutural (colágeno) – fabricado pelos 
fibroblastos. 
 Envolve os anexos cutâneos (glândulas sebáceas, glândulas 
sudoríparas, pêlos, unhas); 
 Responsável pela elasticidade, resistência da pele ; 
 Participa da nutrição cutânea; 
 Imunidade (tráfego de céls. do Sistema Imune); 
 
DERME 
 
 Feixes de tecido conjuntivo e células gordurosas 
(adipócitos); 
 Fornece proteção contra traumas físicos, além de ser um 
depósito de calorias; 
 É atravessada por vasos sanguíneos mais calibrosos; 
 É uma camada de ligação e isolante do frio e calor 
exacerbados 
 
HIPODERME 
FERIDA 
 Toda e qualquer solução de 
continuidade (perda) de tecido ou 
órgão, podendo atingir a epiderme, 
músculos e órgãos. 
FERIDA: Toda e qualquer ruptura da integridade de um 
tecido ou órgão ( Jorge e Dantas, 2003). 
 
Causas: Trauma, isquemia e pressão. 
 
 Quando a integridade da pele é alterada 
 
 
 Aparece uma ferida 
 
 
 
Inicia-se o processo de cicatrização 
 
9 
CLASSIFICAÇÃO 
 
 Quanto à integridade cutânea: 
 Aberta : ruptura da pele e mucosas; 
 Fechada: pele íntegra. 
 
Quanto ao tempo de reparo: 
 Agudas: reconstituem por meio de processo cicatricial, cujas 
fases obedecem a uma seqüência esperada de tempo, 
aparência e resposta a um tratamento . Ex: Ferida cirúrgica . 
 
 Crônicas: Desvio na seqüência do processo cicatricial 
fisiológico. Ex. Úlcera venosa. 
 
FERIDAS 
 
Quanto à etiologia: 
 Intencional ou cirúrgica: quando é realizada de acordo com o fim 
terapêutico proposto; 
 Não-intencional: Trauma mecânico, químico ou físico, isquemia, 
pressão, patológicas: úlcera venosa e neuropática; 
 Iatrogênicas: são feridas resultantes de procedimentos ou 
tratamentos; 
 Patológicas: são lesões secundárias à uma determinada doença de 
base. 
 
Características do leito: 
 Necrose: isquêmica (seca) e liquefativa (úmida). Cinza, marrom, 
negra 
 Fibrina - Amarelo, marrom 
 Granulação – coloração rosa, vermelho pálido, vermelho vivo 
 Epitelização - ferida pouco exsudativa. 
FERIDAS 
FERIDAS - QUANTO À CONTAMINAÇÃO 
 Limpa: feita em condições assépticas, não infectadas, sem 
falhas técnicas. 
 Limpa contaminada: menos de 6 horas entre o trauma e 
o atendimento e sem contaminação significativa. 
 
 
 Contaminada: mais de 6 horas entre o 
trauma e o atendimento e com presença 
de partículas contaminantes, colonizada 
por flora bacteriana considerável. Também 
cirúrgicas quando a técnica asséptica é 
desobedecida. 
 
Infectada: presença de agente infeccioso 
no local da lesão com evidência de 
intensa reação inflamatória e destruição 
de tecidos. Apresentam evidências do 
processo infeccioso, como tecido 
desvitalizado, exsudação purulenta e odor 
característico 
 
 Quanto à Profundidade 
 
 Grau I: comprometimento da epiderme. A pele se encontra 
íntegra, mas há sinais de hiperemia, descoloração e 
endurecimento; 
 
 Grau II: perda parcial do tecido envolvendo a epiderme ou a 
derme, ulceração superficial com presença de bolhas ou 
cratera rasa; 
 
 Grau III: comprometimento da epiderme, derme e hipoderme. 
 
 Grau IV: comprometimento da epiderme, derme e hipoderme 
e tecidos mais profundos atingindo músculos, tendões e 
ossos. 
 
FERIDAS 
Quanto à causa: 
 Pérfuro-incisas - São produzidas pela ação de um 
instrumentos com borda afiada, geralmente pouco 
profundas e com penetração em cavidades. 
FERIDAS 
 Pérfuro-contusas - Caracterizam-se por 
pequenas aberturas na pele e pouco sangrante, 
podendo atingir grande profundidade. 
Contusas - Produzidas por objetos rombo de 
modo que o impacto é transmitido através da 
pele aos tecidos subjacentes, levando à ruptura 
de pequenos vasos. 
 Ferida lacerada - Margens denteadas, irregulares 
por excessiva força de estiramento, podendo 
lacerar músculos, tendões ou vísceras internas. 
 
 Feridas Abrasivas – São caracterizadas pela 
retirada de células da epiderme por causa da 
ação de fricção. 
 
ÚLCERA DE PRESSÃO 
 
Lesão de pele causada pela 
interrupção sanguínea em uma 
determinada área, que se desenvolve 
devido a uma pressão aumentada por 
um período prolongado. 
 
LOCAIS MAIS FREQUENTES DE ÚLCERA DE 
PRESSÃO 
 
Grau I Alterações em pele íntegra como: Temperatura quente 
ou fria; Consistência do tecido: endurecida ou 
amolecida; Sensação: dor ou prurido; Aspecto: 
hiperemia persistente ou leve pigmentação. 
Grau II Perdas parciais da pele, envolvendo epiderme e/ou 
derme. Úlceras superficiais, bolhas ou abrasão. 
Grau III Perda total da pele com destruição/necrose de tecido 
subcutâneo, mas com fáscia preservada. Úlcera 
profunda, com ou sem túneis em tecido adjacente. 
Grau IV Perda total da pele com destruição/necrose de outros 
tecidos como músculos, ossos, tendões, cápsulas 
articulares. 
 
 
 
 
COR DO TECIDO: 
 
Granulação – vermelho, rosa; 
 
Esfacelo e fibrina – amarelo, 
marrom; 
 
Necrose – cinza, marrom e negro; 
TECIDOS DE UMA FERIDA: 
 
Epitelização; 
Granulação; 
Esfacelo; 
Necrose; 
Escara. 
Epitelização 
Granulação 
Granulação 
Esfacelo 
Necrose 
ESCARA 
 
 
Quanto ao Exsudato: 
 
 Seroso: líquido inflamatório com baixo conteúdo protéico 
originado do soro sanguíneo ou das secreções serosas . 
 
 Hemorrágico: é decorrente de lesões com ruptura de vasos. 
Esta quase sempre associado a um exsudato fibrinoso ou 
purulento. 
 
 Purulento: é composto por células (leucócitos) e proteínas, 
produzido por um processo inflamatório. 
 
 Fibrinoso: extravasamento de grande quantidade de 
proteínas plasmáticas, incluindo o fibrinogênio e a 
precipitação de grandes massas de fibrina. 
 
 
FERIDAS 
EXSUDATO PURULENTO 
EXSUDATO FIBRINOSO 
A avaliação da ferida deve incluir: 
 
1. Tamanho (largura e comprimento) em centímetros; 
2. Profundidade em centímetros; 
3. Presença de túneis, fístulas –medir em centímetros; 
4. Localização ; 
5. Drenagem (exsudato) –cor, odor, quantidade; 
6. Presença de tecido necrótico; 
7. Evidência de infecção; 
AVALIAÇÃO DAS FERIDAS 
CICATRIZAÇÃO 
 
“A cicatrização é um processo sistêmico que 
exige do organismo a ativação, produção e 
inibição de grande número de componentes