FUNDAMENTOS DE METEOROLOGIA
155 pág.

FUNDAMENTOS DE METEOROLOGIA


DisciplinaFísica II16.955 materiais282.065 seguidores
Pré-visualização11 páginas
das suas 
fontes (queimadas, cidades, estradas, indústrias, ou variar 
durante o dia devido ao ciclo metabólico das plantas 
ligado ao ciclo do sol); 
\uf071vapor de água é, na maioria dos casos maior próxima à 
superfície da Terra, que é mais quente e é onde se 
localizam as fontes de humidade; 
\uf071O3 encontra-se a cerca de 25Km de altitude devido a 
acção dos raios ultravioletas do sol; . É nesta camada que 
ocorre a absorção da radiação ultravioleta, impedindo que 
esta penetre na atmosfera. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
Atmosfera é um gás, sofre acção da pressão devido ao 
seu peso. 
\uf0d8 a pressão é maior próxima à superfície de modo 
a suportar todo o peso da atmosfera acima. 
\uf0d8 Deste modo, a densidade do ar também é maior 
perto da superfície. 
\uf0d8A maior parte dos fenómenos meteorológicos de 
importância têm lugar abaixo dos 10 a 12 Km, e 
toda a vida se concentra nos primeiros 100 a 200m 
acima da superfície. 
Figura: distribuição vertical da massa atmosferica 
 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
2.1.2. Perfil Vertical da Atmosfera 
\uf0d8Uma vez que a composição da atmosfera é mais ou menos 
constante para os seus constituintes principais, ela não pode ser 
usada para identificar camadas ou regiões na vertical. 
\uf0d8 O critério mais conveniente é o da estrutura térmica, que 
divide a atmosfera nas camadas. 
Figura : Perfil vertical da atmosfera. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
i. Troposfera 
\uf0d8 A camada inferior da Atmosfera; 
\uf0d8Estende-se a uma altitude média de 12Km (aproximadamente 
20Km no equador e, cerda de 8Km nos pólos). 
\uf0d8 temperatura decresce com a altitude (~ 6.5°C/Km); Esta taxa na 
realidade é bastante variável, algumas vezes a temperatura cresce em 
finas camadas, caracterizando uma inversão de temperatura. 
\uf0d8é o principal domínio de estudo dos meteorologistas, pois é nesta 
camada que ocorrem essencialmente todos os fenómenos que em 
conjunto caracterizam o tempo; 
\uf0d8Contém cerca de 90% da massa da atmosfera. 
\uf0d8Na troposfera as propriedades atmosféricas são facilmente 
transferidas por turbulência de grande escala e mistura. 
\uf0d8O seu limite superior é conhecido como tropopausa. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
ii. Estratosfera 
\uf0d8 Localiza-se acima da troposfera, desde a tropopausa até 50 e 55Km. 
\uf0d8A temperatura da estratosfera mantêm-se praticamente constante até 
cerca de 20Km (camada isotérmica). A partir desse nível, a temperatura 
sobe lentamente até cerca de 32Km, aumentado depois rapidamente. 
\uf0d8 Radiação UV proveniente do Sol e absorvida pelo ozono nesta região. 
\uf0d8A baixa densidade da troposfera a estas altitudes significa que a 
radiação solar é transferida para uma quantidade relativamente pequena 
de moléculas. Estas moléculas têm por isso energia cinética elevada e a 
temperatura do ar aumenta. 
\uf0d8O calor assim produzido é transferido para baixo por subsidência e 
radiação. 
\uf0d8verifica-se menor convecção porque é mais quente na parte superior e 
fria na parte inferior, verifica-se ausência de nuvens, embora se 
observem algumas nuvens ocasionalmente nas latitudes elevadas e 
altitudes entre 20 e 30Km. Seu Limite siperior (Estratopausa) 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
iii. Mesosfera 
\uf0d8 temperatura decresce com a altitude, até a mesopausa (seu 
limite superior que está em torno de 80 km) até atingir ~ -
90°C. 
\uf0d8 mesopausa marca o fim da atmosfera homogénea. Até este 
nível, a composição gasosa da atmosfera é quase constante, 
com excepção em relação às quantidades de vapor de: 
\uf071 H2O; 
\uf071 e ozónio (O3). 
\uf0d8A região abaixo da mesopausa é também conhecida por 
homosfera (inclui a troposfera, estratosfera e a mesosfera). 
\uf0d8As temperaturas na mesopausa são tão baixas do que em 
qualquer outro nível da atmosfera superior. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
iv. Termosfera 
\uf0d8Encontra-se logo acima da mesopausa, e sem limite 
superior definido; 
\uf0d8Temperatura é inicialmente constante e depois cresce 
rapidamente com a altitude, devido à absorção de ondas 
muito curtas da radiação solar por átomos de O2 e N2. 
\uf071 temperaturas mais elevadas inferiores às 
experimentadas próximo a superfície da Terra. 
\uf0d8 Menor densidade de moléculas dos gases, maior 
velocidade media (altas temperaturas) = menor colisão; 
Temperaturas são definidas em termos da velocidade média 
das moléculas. Baixa transferência de calor. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. II: A ATMOSFERA 
CAP. I 
Concluindo: 
\uf0d8Como já vimos, é importante estudar os diversos 
constituintes da atmosfera no seu todo; 
\uf0d8 mas quase todas as nuvens e fenómenos 
meteorológicos de interesse vital no nosso dia-a-
dia têm lugar na troposfera. 
\uf0d8Assim concentraremos as nossas aulas 
principalmente nos processos atmosféricos que 
ocorrem na troposfera. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. III: A ENERGIA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
Objectivos: 
\uf0d8compreender os principais processos de 
interacção da radiação solar e terrestre com os 
constituintes da atmosfera e da superfície da 
Terra; 
\uf0d8 discutir as possíveis consequências 
provenientes dessa interacção. 
\uf0d8Analisar os processos de troca de calor que se 
verificam no sistema atmosférico da Terra. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. III: A ENERGIA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
O SOL, principal fonte de energia do sistema Terra-Atmosfera: 
importante nos processos físicos, químicos e biológicos; 
Radiação solar, onda electromagnética: 
\uf071qualquer alteração no fluxo incidente de radiação solar resultará 
em diferentes cenários/processos na atmosfera e superfície; 
\uf071 podendo haver alterações em vários processos meteorológicos e 
climáticos na Terra. 
Processos externos: 
\uf071Rotação e translação da Terra: dia/noite; estacão do ano 
\uf071Latitude; 
\uf071Altitude; 
\uf071Relevo, etc. 
\uf071Constituicao da atmosfera: nuvens, gases, aerosois, etc. 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. III: A ENERGIA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
\uf0d8Alterações nos constituintes da atmosfera que 
interagem com a radiação electromagnética podem 
afectar: 
\uf071 o perfil de temperatura; e, logo 
\uf071o perfil de pressão. 
\uf0d8Alteração da distribuição vertical e horizontal da 
pressão atmosférica afecta: 
\uf071velocidade e a direcção do vento. 
\uf071aumento da concentração dos chamados gases do 
efeito estufa e o consequente aumento da 
temperatura do planeta. (Clima da Terra) 
CAP. III 
CAP. IV 
CAP. V 
CAP. VI 
CAP. VII 
CAP. II 
FWRD 
BWRD 
END! 
INTROD. 
CAP. III: A ENERGIA DA ATMOSFERA 
CAP. I 
É importante lembrar que assim como o meio afecta o 
campo de radiação, o campo de radiação pode alterar o 
meio e assim por diante. Denominam-se tais processos 
como processos de realimentação do sistema (do inglês 
feedback processes). 
 
Exemplo: 
Sol 
Superficie