Macro Micro e Hidrocefalia
9 pág.

Macro Micro e Hidrocefalia


DisciplinaNeuroanatomia6.723 materiais56.559 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Tamanho Normal da Cabeça (Perímetro Cefálico) 
 
O acompanhamento do crescimento do perímetro cefálico torna possível verificar se o                         
desenvolvimento cerebral está adequado ou não, visto existir forte correlação entre                     
crescimento do perímetro cefálico e desenvolvimento cerebral (JALDIN, 2011). 
 
Valores da OMS (Organização Mundial de Saúde) 
AO NASCER (Meninas 31 a 36 cm \u37e Meninos 31 a 37 cm ) 
1 ANO (Meninas 42 a 47 cm \u37e Meninos 43 a 48 cm) 
2 ANOS (Meninas 44 a 50 cm \u37e Meninos 45 a 51 cm) 
3 ANOS (Meninas 45 a 51 cm \u37e Meninos 46 a 52 cm) 
4 ANOS (Meninas 46 a 52 cm \u37e Meninos 47 a 53 cm) 
5 ANOS (Meninas 47 a 52 cm \u37e Meninos 47 a 53 cm)  
 
 Macrocefalia 
 
O que é macrocefalia? 
Macrocefalia é uma alteração na qual a circunferência da cabeça é maior que a média                               
correspondente à idade e o sexo do bebê (um perímetro cefálico mais de dois desvios­padrão                             
acima da média). \u200bAinda que uma forma de macrocefalia possa relacionar­se ao retardo mental,                           
em aproximadamente a metade dos casos o desenvolvimento mental é normal. \u200bTrata­se de                         
uma patologia rara, mais frequente em pessoas do sexo masculino, com provável                       
determinação genética, visto que podem ocorrer alguns casos em uma mesma família,                       
caracterizando a macrocefalia benigna. 
Causas: 
Hidrocefalia\u200b, o acúmulo de líquidos na cabeça, que pode ser congênita, póstraumática ou                         
obstrutiva 
Tumores no cérebro 
Sangramento intracraniano 
Hematomas crônicos 
Síndrome de Morquio 
Síndrome de Hurler 
Doença da Canavan. 
Hipertensão intracraniana com dilatação ventricular\u37e 
Macrocefalia familiar benigna \u37e 
Megalencefalia (cérebro grande). 
Epidemiologia: 
  \u200bDiagnóstico: 
      Tomografia Computadorizada (TC), Imagem por Ressonância Magnética (IMR), 
Ultrassonografia (se a fontanela anterior estiver aberta \u2013 é usada para definir qualquer causa 
estrutural da macrocefalia e identificar um distúrbio operável). Mesmo quando o distúrbio não é 
tratável (ou é benigno), as informações obtidas permitem diagnóstico e prognóstico mais 
precisos, orientam o tratamento e o aconselhamento genético e servem como base de 
comparação, caso um crescimento craniano anormal ou alterações neurológicas futuras exijam 
a repetição do exame. Um exame de imageamento é necessário se houver qualquer sinais ou 
sintomas de hipertensão intracraniana. 
Tratamento: 
O tratamento clínico, portanto, restringe­se a cuidados com as sequelas que se associam à                             
patologia principal. A opção cirúrgica de tratamento, é a colocação de válvula de derivação                           
quando há hidrocefalia. 
 
 
 
 
Hidrocefalia 
 
 
 
O que é hidrocefalia? 
 
A hidrocefalia é uma condição em que o líquido cefalorraquidiano que circula no interior da                               
cavidade craniana encontra alguma retenção no interior do crânio ou põe sua produção em                           
excesso. Seja qual for a causa, nestes casos, a pressão intracraniana sobre o cérebro fica                             
muito aumentada, podendo vir a causar lesões no tecido cerebral. Além disso, uma pessoa                           
com hidrocefalia apresenta um grande inchaço do crânio o que aumenta assustadoramente sua                         
circunferência, em outras palavras hidrocefalia é o acúmulo anormal e excessivo de líquor                         
dentro dos ventrículos ou do espaço subaracnóide. É tipicamente associado com dilatação                       
ventricular e aumento da pressão intracraniana\u37e pode ocorrer em crianças (diversas faixas                       
etárias) ou adultos, tendo causas específicas. Pode ser classificado como hidrocefalia                     
comunicante ou não comunicante, dependendo da sua etiologia\u37e outro termo utilizado é a                         
hidrocefalia ex­vácuo, quando relacionado com atrofia cerebral. Hidrocéfalo não comunicante                   
se refere a hidrocefalia que resulta de lesões que obstruem o sistema ventricular e hidrocéfalo                             
comunicante se refere a lesões que afetam e obstruem o espaço subaracnóide. 
 
Causas: 
 
As hidrocefalias podem aparecer na vida intra­uterina (hidrocefalias congênitas) ou podem                       
ser adquiridas ao longo da infância ou fase adulta por uma diversidade de causas. O líquor se                                 
acumula nos ventrículos por uma obstrução em alguma via de passagem (hidrocefalia                       
obstrutiva) ou por um desequilíbrio entre a velocidade de produção do LCR e a capacidade de                               
absorção (hidrocefalia comunicante). 
 
  As principais causas de hidrocefalia comunicante são: 
 
hemorragias ou sangramentos intracranianos 
traumatismos cranianos 
infecções (meningite) 
idiopática, ou seja, sem causa aparente 
 
  E as principais causas de hidrocefalia obstrutiva são: 
 
congênitas (malformações cerebrais) 
tumores 
Cistos 
 
 
 
Quais são os sintomas? 
 
Em recém­nascidos ou crianças pequenas, pode acontecer o seguinte: 
 
irritabilidade 
letargia ou sonolência excessiva 
apnéias ou paradas respiratórias 
alteração do formato do crânio, cabeça grande ou que cresce rapidamente 
fontanela dilatada, ou seja,  \u201cmoleira\u201d aberta, abaulada e tensa 
dificuldade para andar, desequilíbrio 
atraso do desenvolvimento neuropsicomotor 
 
 
Nas crianças mais velhas e em adultos, os sintomas incluem: 
 
dor de cabeça 
vômitos 
dificuldade para enxergar 
letargia ou sonolência excessiva 
 
 
  A hidrocefalia pode também evoluir de forma lenta e ir prejudicando o cérebro aos                           
poucos, com isso a pessoa pode sofrer problemas de aprendizagem, de concentração, de                         
raciocínio lógico, de memória de curto prazo, problemas de coordenação, de organização,                       
dificuldades de localização têmporo­espacial, de motivação, ou dificuldades na visão. 
  Em idosos existe uma doença chamada de Hidrocefalia de Pressão Normal (HPN),                       
nestes casos, os pacientes geralmente desenvolvem dificuldade para caminhar, incontinência                   
urinária (perdem urina na roupa) e deficiência cognitiva, caracterizada principalmente pela                     
perda de memória. 
 
Como se faz o diagnóstico? 
 
O especialista suspeita de hidrocefalia a partir dos sinais e sintomas apresentados acima.                           
Alguns dados do exame neurológico podem comprovar a suspeita, mas geralmente são                       
necessários exames complementares para a confirmação: ultra­som transfontanelar, tomografia                 
e ressonância magnética do crânio. 
 
 
 
 
 
 
Qual o melhor tratamento? 
 
Na maioria dos casos a hidrocefalia é tratada com as derivações, popularmente conhecida                           
como válvulas. Estes sistemas são compostos de um cateter que fica em contato com o líquor                               
dentro do ventrículo e está ligado a uma válvula que limita a quantidade de líquido a ser                                 
drenado. A outra extremidade do catéter é passada por baixo da pele até uma outra cavidade                               
do corpo que possa receber este líquido, geralmente a cavidade abdominal. 
  Muitas formas de hidrocefalia podem ser tratadas por neuroendoscopia: através de um                       
furo no crânio, uma câmera de vídeo é introduzida até o ventrículo, a partir dai é possível                                 
comunicar o ventrículo com outro espaço intracraniano chamado de cisterna, desta forma o
Michelle
Michelle fez um comentário
macro micro
2 aprovações
Carregar mais