A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
PROVA DISCURSIVA SISTEMAS E AMBIENTES INTRODUÇÃO TGA

Pré-visualização | Página 1 de 2

CACIANE LUCIA ZONATTO - RU: 1303842 
Nota: 100 
PROTOCOLO: 2016040613038427B34F3
Disciplina(s): 
Administração, Sistemas e Ambiente
Introdução à Teoria Geral da Administração
Data de início: 06/04/2016 19:42 
Prazo máximo entrega: 06/04/2016 20:42 
Data de entrega: 06/04/2016 20:39 
Questão 1/5
O foco do estudo de Chandler é apresentar a dinâmica da evolução das estratégias das 
empresas, principalmente no que se refere a adoção de uma estrutura multidivisional 
como forma de melhor articular seus recursos com as demandas do mercado. Portanto, 
ao ampliarem sua atuação e buscarem atingir novos ramos de negócio, foi primordial o 
desenvolvimento de um novo modelo de administração.
Apresente ao menos duas características do novo modelo de Administração 
resultante das ideias de Chandler.
Nota: 20.0
Espera-se que os itens abaixo, constem na resposta.
- Administração é uma atividade identificável em uma empresa grande, diferente de 
outras funções como marketing, recursos humanos, finanças, produção, entre outras.
- O administrador, quando está coordenando, avaliando e planejando as atividades da 
empresa, deve lidar com dois tipos de tarefas administrativas: deve estar preocupado 
com a saúde a longo prazo de sua empresa e também com o seu funcionamento 
harmonioso e eficaz do dia-a-dia.
- Quanto ao conteúdo das atividades administrativas, depende dos diferentes tipos de 
posições na estrutura de uma empresa descentralizada: Diretoria geral (General office) – 
nível estratégico (objetivos e políticas); Diretoria central (Central office) - nível tático 
(divisão produto ou região); Sede departamental (Departamental headquarter) – nível 
tático (funcional); e Unidade de negócio (Field unit) - nível operacional.
Resposta: Pensamento sistêmico: o administrador deve estar em contato e reagindo 
sempre com o ambiente externo para a partir dessas informações desenvolver novas 
estratégias internas para melhorar seus negócio;
Estratégia e tecnologia nas novas organizações: usar sempre do conhecimento e capital 
intelectual das empresas para melhorar sua competitividade e lucros.
Questão 2/5
Franquia para cidades do interior reúne 3 marcas em mesmo espaço:
Rede surgiu em 2012 e reúne marcas consagradas em shoppings. Vantagem do modelo é 
que ele derruba a sazonalidade do negócio.
Um novo modelo de franquia reúne em um mesmo espaço três marcas consagradas no 
mercado. Com um detalhe: o conceito só vale para cidades do interior.
Por exemplo, em Itapetininga, a 180 quilômetros de São Paulo, numa rua de forte 
comércio, foi montada uma loja da franquia. A cidade com 145 mil habitantes reúne 
condições ideais para o novo tipo de negócio.
A franquia reúne três redes com poder de fogo. “Essas marcas são consagradas de 
grandes shoppings, não teriam como entrar nessas cidades menores de até 200 mil 
habitantes. Então elas se uniram e estabeleceram uma única operação”, afirmou o 
diretor de expansão da rede, Marcelo Sarpe.
Juntas, elas faturam mais de R$ 250 milhões por ano e têm lojas nas grandes capitais. 
Agora, no novo modelo, o foco são as pequenas cidades do interior.
Em um espaço onde normalmente estaria uma loja, são três. De um lado você tem 
confecção, do outro, presentes, e em outro, bijuterias.
Em uma data como o dia dos pais, por exemplo, você pode não vender bijuterias, mas 
vende presentes. Para o dia das crianças, há meias, pijamas coloridos, e por aí vai. São 
mais de 4,5 mil itens para atrair cliente o ano inteiro.
Na nova franquia das pequenas cidades, tudo é mais barato.
A rede facilita as coisas. Não cobra royalties, nem taxa de propaganda. Para montar uma 
franquia, o investimento total é de R$ 200 mil. Inclui taxa de franquia, reforma do 
espaço, mobiliário e estoque. O faturamento médio de uma unidade é de R$ 38 mil por 
mês. A margem de lucro é de 15%. A rede assessora o franqueado. [...]
A rede de franquia de três marcas tem hoje 10 lojas e muitos planos. As primeiras 
operações são no interior do Sudeste, mas a ideia é abrir mais 60 lojas até 2014 em todo 
o país.
“O interior tem sido excepcional. Ele tem crescido 15% a mais, o PIB, do que nas 
cidades com mais de 500 mil habitantes. Então o interior tem consumo extremamente 
significativo, essas pessoas têm ido até a capital para buscar mercadorias e nós 
trouxemos agora uma franquia que pode atender esse público com todo interesse”, diz 
Marcelo Sarpe. 
(PEGN on line – disponível em: http://g1.globo.com/economia/pme/noticia/2013/05/franquia-para-cidades-do-interior-reune-3-marcas-em-mesmo-
espaco.html. Acesso em: 29.11.2015).
O estudo de caso reporta a uma situação que trata o ambiente como fator de 
sobrevivência. Essa análise trabalha de forma contraditória ao paradigma mecanicista, 
que foca os processos internos e a verticalização da organização. 
Com base nesse pensamento e no artigo acima, explique como a teoria dos sistemas 
pode justificar a situação.
Nota: 20.0
Todos os sistemas se relacionam com diferentes ciências e disciplinas, ou seja, tudo que 
tem um objetivo, seja tangível ou não, representa um sistema. E onde há um sistema, há 
um fluxo de funcionamento e uma estrutura, uma ordem (CAVAGNARI, 2008), 
aplicado, nesse caso das franquias.
Resposta: Esse caso vem ilustrar os novos modelos de mercado, aproveitando um nicho 
de consumo e consumidores em potencial que antes eram desmerecidos.
conforme o mercado se movimenta, os novos administradores devem reagir, ou seja, 
nesse caso, uniram forças e recursos para idealizar um negócio que antes era inviável 
pelos grandes custos.Assim, aproveitaram a soma dos recursos e enxergaram num 
publico menor, um potencial consumidor...
Isso só foi possível pois um grupo de pessoas somaram forças e pensamentos sistêmicos: 
analisando o mercado e chegando juntos a uma decisão que agradou a todos.Esse tipo de 
pensamento é contingencial ou seja, conforme o ambiente muda , as atitudes mudam no 
mesmo sentido e trazem para as organizações, novos conceitos, novas formas de atender 
as demandas, aos mercados, deixando para traz os sistemas mais engessados e 
mecanicistas onde as regras tinham que ser levadas a risca.
Acredito que esse modo de pensar(Sistematicamente) seja o único possível num 
ambiente em que vivemos turbulento e instável (pelo menos nas empresas varegistas e 
comerciais) pois assim essas empresas podem continuar suas atividades rentavelmente.
Questão 3/5
Na perspectiva da Teoria dos Sistemas a organização não é mais vista apenas como um 
único sistema no qual os níveis hierárquicos fazem com que o fluxo de decisões se dê 
em um único sentido (de cima para baixo), mas podem conter sub-sistemas em inter-
relação.Com base nisso, apresente dois exemplos de sub-sistemas que podem coexistir 
dentro de uma organização e explique como eles podem se inter-relacionar.
Nota: 20.0
Espera-se que o aluno apresente os elementos abaixo na resposta:
- é possível criar departamentos que tenham com seus próprios padrões e estruturas, que 
se inter-relacionam entre si;
- o que liga esses sub-sistemas é a busca por objetivos comuns.
Exemplos: produção, marketing, contabilidade, finanças, Tecnologia da Informação, 
entre outros - espera-se que o alunos relacione ao menos dois deles. A produção tem sua 
prórpia estrutura, assim como o departamento de marketing. No entanto, ambos 
precisam trabalhar em conjunto para oferecer aquilo que o mercado está demandando.
Fonte: Coltro, Alex. teoria geral da Administração. Intersaberes, 2015)
Resposta: Dentro de uma empresa um subsistema pode ser por exemplo a área 
comercial, de vendas que deve estar relacionada com a área de produção por exemplo, 
pois o comercial não pode vender e prometer para os seus clientes um produto que a sua 
produção ainda não produz ou demora mais tempo do que o que ele previa para entregar 
para os clientes, esse dois departamentos devem estar alinhados e em sintonia.
Mesmo exemplo se dá a

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.