A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Resumão 2ª prova FARMACOLOGIA

Pré-visualização | Página 4 de 8

PGD₂ e PGE₂: são responsáveis pela vasodilatação dos corpos cavernosos e pela ereção 
peniana. 
 
NO ESTÔMAGO – 
PGE: inibe a secreção gástrica. 
PGI₂: estimula a secreção de muco. Dessa 
forma elas fazem a citoproteção gástrica 
através da diminuição de HCl e aumento na 
produção de muco (HCO₃⁻). 
 
NO PULMÃO – 
LEUCOTRIENOS (LTB₄): é um agente 
quimiotático para neutrófilos, liberação de 
enzimas granulares, macrófagos. 
LTC₄, LTD₄ e LTE₄: fazem constrição 
bronquiolar, diminuem a pressão arterial, 
vasodilação (anafilaxia aguda). 
 
ÚTERO – 
As prostaglandinas (PGE, PGF) são responsáveis pela contração uterina. 
ÚTERO GRAVÍDICO – 
As prostaglandinas são responsáveis pela contração uterina, manutenção do ducto arterioso, 
reprodução e parturição. 
Exemplificado 
2ª PROVA - Farmacologia 
Resumo – Alberto Galdino 
↗As Cicloxigenases 
 
 COX-1 
 Enzima essencial construtiva 
 Encontrada na maioria das células e tecidos 
 Produção de PGs para manutenção de funções fisiológicas 
A COX-1 é a cicloxigenase do tipo constitutiva, ou seja, o organismo expressa a COX-1 
independente da instalação ou não do processo inflamatório. Ela é responsável, entre outros 
processos, por uma função homeostática: para que um indivíduo mantenha a pressão arterial 
normal, por exemplo, o tônus do vaso deve estar normal. Caso este tônus aumente, e o vaso 
fique muito contraído, a pressão arterial tende a aumentar devido a uma maior resistência 
periférica. Como as prostaglandinas promovem vasodilatação (como o que ocorre na fase 
aguda do processo inflamatório), ela, neste caso, passa a ser produzida pela COX-1 para 
manter um equilíbrio no calibre dos vasos (se contrapondo ao efeito simpático sobre o vaso), 
contribuindo na manutenção do tônus vascular. A COX-1 esta presente nas células endoteliais, 
plaquetas, mucosa gástrica. 
 
 COX-2 e COX-3 
 Formação induzida do processo inflamatório e interleucinas – IL1, IL2 e TNFα 
 Prostaglandinas que medeiam inflamação dor e febre 
As COX-2 e COX-3 são isoformas da cicloxigenase, sendo consideradas do tipo indutivas (que 
necessitam de um estímulo inflamatório para serem sintetizadas). E importante ressaltar que 
todos os tipos de COX agem sobre o ácido araquidônico para formar prostanóides: a COX-1, 
entretanto, está mais relacionada com o processo de homeostase, enquanto que a COX-2 ‚ 
induzida durante a inflamação, estando mais relacionada com o processo inflamatório; e a 
COX-3 age em locais específicos como o coração e o hipotálamo. Além das funções e da 
localização específica, as COX-2 e 3 diferem da COX-1 devido ao fato de esta ser 
constantemente produzida pelo organismo, enquanto que aquelas são produzidas apenas sob 
estímulo de células do sistema imune presentes no foco inflamatório. 
 
↗Funções Fisiológicas dos derivados do Ácido Aracdônico 
 
 Estimulação da agregação plaquetária (TXA2) 
 Relaxamento vascular (PGE2, PGI) 
 Contração (PGF, TXA) 
 Contração Brônquica (PGF2, LCT, LTD, TXA) 
 Relaxamento (PGE) 
 Proteção da mucosa gástrica (PGE1, PGI) 
 Broncodilatadores (PGE1, PGE2, PGI2) 
 Manutenção do fluxo renal (PGE1, PGI2) 
 Indução da contração uterina (PGE, PGF2α) 
 Produção de febre (PGE2) 
 Hiperalgesia por potencialização dos mediadores da dor 
 Sensibilização das terminações nociceptivas periféricas. 
 
Deficiência de PG: Arteriosclerose, Isquemia cardíaca e das extremidades. 
Produção excessiva de PG: Artrite. 
 
 
 
 
 
2ª PROVA - Farmacologia 
Resumo – Alberto Galdino 
↗Aplicações Terapêuticas 
 
 Aborto terapêutico (PGF2, PGE2) 
 Ductus Arteriosus: recém-nascidos (PGE1, PGI2) 
 Trato Gastrintestinal (PGE2) 
 Agregação Plaquetária (PGI2) 
 Impotência Masculina (PGE1) 
 Inibidores dos Leucotrienos (LK): asma 
 
 
Bradicinina e Cininas Correlatadas 
A Bradicinina e a lisil bradicinina (calidina) são peptídeos ativos formados pela clivagem 
proteolítica de proteínas circulantes denominadas cininogênios, através de uma via de cascata 
de proteases. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↗Fonte e formação da Bradicinina 
O CININOGÊNIO é uma α-globulina plasmática que existe em duas formas: de ALTO e 
BAIXO peso molecular. A CALICREÍNA é derivada de um precursor inativo, a pré-calicreína, 
pela ação do FATOR DE HAGEMAN (fator XII). O fator de Hageman é ativado por contato com 
superfícies que apresentam cargas negativas, como o colágeno, a membrana basal, os 
lipopolissacarídeos bacterianos, os cristais de urato, etc. O Fator de Hageman, a pré-calicreína 
e os cininogênios extravasam dos vasos sanguíneos durante a inflamação devido ao aumento 
da permeabilidade vascular, e o contato com as superfícies de cargas negativas promove a 
interação do fator de Hageman com a pré-calicreína. A enzima ativada então “extrai” a 
bradicinina do precursor cininogênio. A calicrepina também pode ativar o sistema do 
complemento e pode converter o plasminogênio em plasmina. 
 Além da calicreína plasmática, existem outras isoenzimas produtoras de cininas, 
encontradas n pâncreas, nas glândulas salivares, no colo e na pele. Estas calicreínas teciduais 
atuam tanto sobre o cininogênio de alto ou baixo peso molecular e produzem principalmente 
CALIDINA, um peptídeo com ações semelhantes às da Bradicinina. 
Lesão Tecidual, 
Reações Alérgicas, 
Infecção Viral, 
Outros eventos 
Inflamatórios. 
Reações Proteolíticas 
Bradicinina e Calidina 
(autacóides) 
Dor, Vasodilatação (PGI2 e 
NO), Permeabilidade Vascular, 
Síntese de Prostaglandinas 
2ª PROVA - Farmacologia 
Resumo – Alberto Galdino 
-Sistema Calicreína – Cininogênio – Cinina Endógena 
 
 
 
Ativadores Ativadores 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
↗Metabolismo das Cininas 
 Cininase I (Sangue) -----> 90% BK 
 Cininase II (Pulmão, Células Endoteliais, Rim...) 
 
[Enzima Conversora de Angiotensina – ECA] 
 
↗Receptores de Bradicinina 
Existem dois tipos: B1 e B2. 
Ambos são acoplados à Proteína G e medeiam vários efeitos semelhantes. 
 Os receptores B1 são normalmente expressos em níveis muito baixos, mas são 
fortemente induzidos em tecidos inflamados ou lesados pela ação de Citocinas, como 
a IL-1. Desempenha um importante papel na inflamação e hiperalgesia. Respondem à 
des-Arg9-bradicinina, mas não à própria bradicinina. 
 Os receptores B2 estão constitutivamente presentes em muitas células normais e são 
ativados pela bradicinina e pela calidina, mas não pela des-Arg9-bradicinina. 
 
↗Funções e Farmacologia das Cininas 
 
(slide) 
 Dor Aguda (B2) 
 Dor Crônica (B1) 
 Inflamação (Receptor B1 [Macrófago] → IL-1, TNF-α 
 Sistema Cardiovascular (Vasodilatação) 
Inibidores da ECA/BK/Efeitos Colaterais 
 Reprodução 
 Doença Respiratória (Vasoconstricção) 
 
 
 
Pré-Calicreína Plasmática 
Calicreína Plasmática 
Cininogênio ↑PM 
Bradicinina (BK) 
Cinases 
METABÓLITOS 
Calidina 
Cininogênio ↓PM 
Calicreína Tecidual 
Pré-Calicreína Tecidual 
2ª PROVA - Farmacologia 
Resumo – Alberto Galdino 
Ações Farmacológicas (livro) 
 Vasodilatação (que é amplamente dependente do óxido nítrico e d aprostaglandina I2 
produzidos pela célula endotelial) 
 Aumento da permeabilidade vascular 
 Estimulação de terminações nervosas de dor 
 Estimulação do transporte epitelial de íons e da secreção de líquidos nas vias aéreas e 
no trato gastrintestinal 
 Contração dos músculos lisos intestinal e uterino. 
 
 
↗Usos Terapêuticos 
 Cininas 
 Infertilidade Masculina 
 Penetração de Quimioterápicos 
 
 Inibidores da Calicreína 
 Pancreatite aguda 
 Edema cerebral 
 Septcemia 
 
 Antagonista das Cininas 
 Hipotensão associada a pancreatite 
 Choque séptico 
 Broncoconstricção 
 Dor 
 Inflamação