A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
49 pág.
Texto - Metodologia Cientifica

Pré-visualização | Página 1 de 11

AULA 1 - METODOLOGIA CIENTIFICA
Unidade 1 – Apresentação formal de um trabalho científico
Levantamento bibliográfico1 
Queridos alunos, nas nossas teleaulas, vamos discutir toda a parte da disciplina referente a tipos de conhecimento, métodos e pesquisa. Vamos também discutir os métodos e as técnicas de pesquisa. Na web aula 1 comentarei sobre o levantamento bibliográfico, a elaboração do resumo e da resenha. São ferramentas de trabalho que auxiliam o pesquisador na elaboração e desenvolvimento do projeto de pesquisa.
Vamos começar?
	Você sabe por que o levantamento bibliográfico é uma fase obrigatória em todas as pesquisas?
Como você vai verificar no desenvolvimento desta web aula, o levantamento bibliográfico é a atividade de busca dos trabalhos, sobre diversos formatos (livros, periódicos, CDs, arquivos digitais etc.), sobre determinado assunto, possibilitando ao pesquisador conhecimento sobre o estado da arte do tema a ser pesquisado.
1 © Vilma Gimenes da Cruz, UNOPAR, 2009.
Bem, já que você sabe qual é a finalidade do levantamento bibliográfico, podemos avançar e discutir como ele deve ser realizado.
O levantamento bibliográfico, ou o levantamento das fontes de informação sobre o assunto, consiste em um procedimento técnico que compreende duas fases: fase preparatória e fase de execução.
A fase preparatória é dividida nas seguintes etapas:
Estudo do assunto - consiste principalmente na conceituação do assunto, definindo-se nesse momento os termos que o identificam. Para este estudo, deve-se recorrer aos dicionários, enciclopédias especializadas, compêndios e outras fontes de informação que se fizerem necessárias, bem como a pesquisadores da área.
Delimitações - podem ser de assunto, do período de tempo a ser levantado, da área geográfica, de idiomas e outras delimitações necessárias, para evitar o acesso a publicações que fujam ao âmbito da pesquisa. Dependendo do tipo de pesquisa que se pretende desenvolver, o período da busca pode ser limitado aos últimos cinco anos ou, no máximo, aos últimos dez anos. Isto porque informações mais antigas constam de compêndios e tratados, de assuntos já consagrados.
Estabelecimento das palavras-chave - as palavras-chave são termos pelos quais o assunto pode ser procurado, devendo o pesquisador ter cuidado especial com a terminologia e a sinonímia envolvidas no trabalho, para encontrar facilmente as informações, tanto em vernáculo como em idiomas estrangeiros.
Tradução dos termos - para a linguagem documentária e/ou para outros idiomas, de acordo com as fontes de busca utilizadas. É necessário estabelecer a correspondência exata das palavras para a linguagem documentária bem como para outros idiomas, utilizando-se de lista de termos controlados (cabeçalho de assunto); dicionários bilíngues, tratados, compêndios etc.
Estudo das fontes - manuais e/ou automatizadas. As fontes arrolam referências bibliográficas do que já foi produzido e publicado sobre determinado assunto. O levantamento das fontes de informação deve ser precedido de um estudo destas fontes, sejam elas manuais ou automatizadas.
Elas estão disponíveis nos formatos impressos, em CD-ROM, ou ainda em bancos e bases de dados de acesso via Internet. A disponibilização das bases de dados on-line revolucionou e popularizou o acesso à informação contida nos repertórios bibliográficos. As bases de dados estão sempre atualizadas com as últimas publicações, possibilitando que o pesquisador tenha acesso aos artigos científicos, mesmo antes das revistas impressas estarem publicadas. A busca pode ser feita utilizando-se diferentes estratégias: por palavras-chave, frases, autores, instituições, títulos.
	Você conhece a bases de dados e periódicos científicos disponíveis para os pesquisadores da área da Educação?
Estou indicando alguns endereços eletrônicos para você navegar e conhecer as bases de dados da área de educação.
Bases de dados
Base de Dados Eric - ERIC Clearinghouse on Elementary and Early Childhood Education (ERIC/EECE) constitui-se em uma base de dados na área de desenvolvimento infantil, educação e cuidados de crianças, do nascimento à adolescência. Disponibiliza
http://www.eric.ed.gov/
Periódicos científicos
Portal de acesso livre da CAPES http://www.periodicos.capes.gov.br/
O portal de acesso livre da CAPES disponibiliza periódicos com textos completos, bases de dados referenciais com resumos, patentes, teses e dissertações, estatísticas e outras publicações, de acesso gratuito na Internet, selecionados pelo nível acadêmico, mantidos por importantes instituições científicas e profissionais e por organismos governamentais e internacionais.
SCIELO http://www.scielo.br/scielo.php?lng=pt
- A Scientific Electronic Library Online - SciELO é uma biblioteca eletrônica que abrange uma coleção selecionada de periódicos científicos brasileiros.
Open Access Journals in the Field of Education http://www.ergobservatory.info/ejdirectory.html
Além das obras que acabamos de citar, existem ainda os portais e vortais públicos e comerciais que disponibilizam texto completo de artigos de periódicos, tais como o Portal Capes e outros diretórios de arquivos abertos, como, por exemplo, o Directory of Open Archives Journal - DOAJ.
	“Como trabalhar literatura em sala de aula?”
Acesse os sites acima indicados para fazer uma busca sobre o tema Educação Inclusiva no Brasil.
Estratégia de busca - deve ser construída quando o levantamento das publicações é feito, utilizando-se de fontes de informação automatizadas, pois, no entender de Hawkim citado por Kremer (1985, p. 196), a estratégia de busca é "[...] o meio pelo qual o pesquisador se comunica com o sistema, e é muitas vezes a chave para uma busca bem sucedida". Envolve basicamente os seguintes passos:
Definição clara da necessidade de informação do usuário (Qual é a questão?);
Estabelecimento dos parâmetros de busca, considerando as necessidades de informação;
Tradução da questão de busca para a linguagem do sistema;
Execução da busca;
Obtenção da resposta.
Nos sistemas manuais, à medida que se manuseia a fonte para uma análise sobre sua apresentação e arranjo, o pesquisador praticamente constrói sua estratégia de busca, e corrigi-la no decorrer do levantamento, visando adequá-la às suas reais necessidades, é bastante simples. Nos sistemas on-line ela deve ser mais bem estudada e elaborada à luz de cada sistema a ser consultado, pois uma mesma base de dados pode variar quanto ao suporte, seja em CD-ROM, seja na Internet, por exemplo.
Ao finalizar essa fase preparatória, o pesquisador pode ter completo conhecimento das publicações que abordam o tema escolhido.
Então é nesse momento que o pesquisador começa de fato a reunir os documentos de seu interesse. Inicia-se assim a fase de execução, a qual compreende três etapas básicas, a saber:
Identificação - considera-se como fase de identificação aquela em que o pesquisador encontra nas fontes manuais e automatizadas referências de documentos, acompanhadas ou não de resumos ou de textos completos. Cada referência deve ser individual e cuidadosamente registrada em fichas contendo todos os seus elementos identificadores, com a indicação da fonte onde foi capturada.
Localização - Após a identificação dos documentos nas respectivas fontes, o pesquisador procederá à sua localização. Para facilitar a localização de livros, as fichas devem ser ordenadas pelo sobrenome do autor e, para localização de artigos de periódicos, a ordenação das fichas deve ser por ordem alfabética de título de periódicos. A localização física dos documentos poderá ser feita através de dois instrumentos tradicionais básicos:
Catálogos da biblioteca da própria instituição ou de outras bibliotecas locais;
Catálogos coletivos, os quais reúnem informações das coleções de outras bibliotecas, independente da localização geográfica dessas instituições. Exemplos:
CCN (Catálogo Coletivo Nacional) - engloba as publicações seriadas das bibliotecas brasileiras. Este catálogo está disponível em microficha