Administração da Manutenção
194 pág.

Administração da Manutenção


DisciplinaGestão3.766 materiais9.868 seguidores
Pré-visualização30 páginas
Administração da Manutenção 
 
\uf6d9 SENAI- SP, 2004 
 
 
Trabalho elaborado pela Escola SENAI Roberto Simonsen
do Departamento Regional de São Paulo. 
 
 
 
Coordenação Geral José Carlos Dalfré
 
Coordenação Laur Scalzaretto 
Alcindo Daniel Favero 
 
Organização Rinaldo Ferreira Martins 
 
Editoração Adriana Ribeiro Nebuloni 
Écio Gomes Lemos da Silva 
Silvio Audi 
 
 
 
 
 
 
 
 
Escola SENAI Roberto Simonsen 
Rua Monsenhor Andrade, 298 \u2013 Brás 
CEP 03008-000 - São Paulo, SP 
Tel. 011 3322-5000 Fax 011 3322-5029 
E-mail: senaibras@sp.senai.br 
Home page: http://www.sp.senai.br 
 
 
 
Sumário 
 página 
 
Conceitos de planejamento 3 
Planejamento, programação e controle 11 
Prática de planejamento 43 
Introdução à manutenção 61 
Métodos preventivos de manutenção 69 
Housekeeping 97 
T.P.M. – Manutenção Produtiva Total 119 
Suprimento da manutenção 147 
Administração da manutenção 173 
Referências bibliográficas 193 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 3 
Conceitos de Planejamento 
O trabalho humano te se revelado mais eficaz e eficiente quando 
planejado. O planejamento nos permite um maior domínio e 
conhecimento daquilo que pretendemos fazer. Indica pessoas, 
métodos e conteúdos. Sistematizados a tarefa, o planejamento 
possibilita o seu controle, sua avaliação e correção. 
 
O ato de planejar é uma conseqüência ou o resultado da própria 
necessidade que todos nos temos de deliberar e de tomar 
decisões. 
 
Muitas vezes tomamos decisões sem recorrer à feitura de uma 
sistematização científica. Deliberamos com base apenas no bom 
senso e na experiência que temos. 
 
Entretanto, quando se quer tomar uma decisão importante, é 
necessário que seja feita uma sistematização anterior á ação, 
pois só o bom senso a pratica são insuficientes. 
 
O planejamento pode ser considerado o inverso da improvisação 
e quanto mais complexa for a tarefa, tanto mais necessário ele 
se torna. 
 
O planejamento tomado em torno de objetivos ou de soluções 
previstas com ideais, para problemas também diagnosticados 
como prioritários. Por isso mesmo, todos os componentes do 
planejamento devem ser programados de forma que sofrer 
correções, reajustes, impulsos, desacelerações, caso sejam 
exibidos em vista á melhor consecução dessas soluções ou 
objetivos. 
 
 4 
Existem vários conceitos de planejamento, entre eles podemos 
citar: 
 
\u2022 Planejar é prefixar recursos e operações, seguindo normas, 
no sentido e atingir o máximo de eficiência, os objetivos 
determinados. 
\u2022 Planejamento é um processo atualizado para preparar um 
conjunto de decisões par uma ação futura, visando alcançar 
objetivos estabelecidos. 
 
Sob o ponto de vista operacional constitui-se planejamento em 
circuito completando periodicamente e composto de 
investigação, de análise, de opções de ações e de avaliações 
sucessivas. 
 
\u2022 Planejamento é uma forma de manter a racionalidade, 
durante todo o desenvolvimento de um trabalho. 
Etapas essenciais do planejamento: 
Qualquer processo de planejamento deverá passar por etapas 
até alcançar os objetivos terminais pretendidos. 
 
Dependendo do tipo de planejamento adotado ou da atividade 
que está sendo planejada, o processo pode constar de inúmeras 
etapas. 
Não iremos descrever todas as etapas de um planejamento. 
Como estamos apenas no campo das noções vamos tratar 
somente das principais. 
 
Assim o planejamento deve conter fundamentalmente: 
 
\u2022 Diagnósticos da realidade 
\u2022 Formulação dos objetivos 
\u2022 Formulação das estratégias de ação 
\u2022 Cronograma 
\u2022 Execução 
\u2022 Avaliação 
 
 5 
Diagnósticos da realidade 
E a etapa do levantamento dos problemas, da investigação de 
suas causas e da análise dos resultados obtidos. 
 
O diagnóstico não é apenas um inventário. E sobretudo, a 
análise do material coletado e sua projeção num futuro 
convencionado. Surgem daí, o ensejo prognóstico, as metas do 
plano, os pontos a perseguir. 
 
E também os diagnósticos o instrumento capaz de determinar as 
escolhas, ou sejam, as prioridades em face das necessidades 
mais marcantes do sistema. 
 
Só a pesquisa poderá revelar os pontos vitais que devem se 
cuidar com mais urgência, em função da limitação dos recursos 
disponíveis. 
 
Claro que a escolha de prioridades pressupõe um alto grau de 
treinamento e experiência por parte do planejador. Se o 
diagnóstico é bem realizado, não será fácil verificar quais os 
aspectos a merecer maior atenção no plano que se pretende 
realizar. 
 
O diagnóstico expressa a configuração de uma situação de fato, 
ou melhor, retrata uma realidade. A partir dele, o planejador tem 
apoio firme para a elaboração de m plano,fundamentado em 
causas reais e significativas. 
Formulação dos objetivos 
Objetivo é o fim almejado, alvo que deverá ser atingido, 
resultado a ser conseguido. 
 
Deve resultar da análise criteriosa dos problemas constatados 
pelo diagnóstico e do estudo das alternativas para a solução dos 
mesmos. 
 
Os objetivos devem ser formulados com a maior precisões 
possíveis, práticas, reais, e exeqüíveis. 
 
 6 
Quando o objetivo é formulado de forma quantificável, com 
especificações precisas dos resultados esperados, dentro de 
prazos determinados, ele recebe a designação de META. 
 
Quanto ao nível de especificação os objetivos podem ser: 
\u2022 Objetivos gerais 
\u2022 Objetivos específicos. 
Objetivos Gerais: 
A formulação dos objetivos gerais se faz pela previsão de 
soluções mais definidas, incisivas e a mais curto prazo. 
Objetivos específicos 
A formulação dos objetivos específicos se faz pela previsão de 
soluções específicas e das soluções ideais. 
 
Em quase todos os planejamentos, as soluções específicas 
(objetivos específicos) são programas de modo que sirvam de 
elos, ou de degraus, para a consecução das soluções ideais 
(objetivos gerais). 
Formulação das estratégias de ação 
Trata-se da programação das normas de ação, dos recursos e 
da metodologia técnica para o aviamento das soluções 
específicas e das soluções ideais. 
 
A estratégia, além de ser uma arte de coordenar as ações, pode 
ser entendida como um caminho metodológico que nos leva a 
consecução dos objetivos do planejamento. 
 
Sua formulação deve ser estabelecida após uma fase de 
reflexão e de decisão política, constituem as bases estruturais do 
planejamento. 
 7 
Cronograma 
E a situação de toda e de cada uma das ações previstas, do 
planejamento, no tempo. E a previsão das datas de execução 
em listagem ou em gráficos. 
 
Nessa etapa necessária para o desenvolvimento do projeto já 
foram definidos pela etapa do diagnóstico. 
 
Nessa etapa os passos necessários para a elaboração de cada 
etapa também estar definidos pela etapa do diagnóstico. 
 
OS tempos necessários para a elaboração de cada etapa 
também já devem estar definidos. 
 
Sendo assim cada etapa deve ser listada em ordem cronológica 
assim como os tempos de execução. 
 
Normalmente, o projeto inclui a monitoração das atividades para 
garantir que estejam no prazo. Neste sentido, são utilizados 
dispositivos de controle nos quais são montados os 
cronogramas. 
 
Esse dispositivo tem a propriedade de facilitar a visualização e 
facilitar a interpretação do andamento do projeto. 
 
Um dos melhores e mais simples exemplos destas técnicas é o 
gráfico de Gantt, desenvolvido n início do século passado por 
Henry Gantt. O gráfico de Gantt é essencialmente um diagrama 
de barras com o tempo no eixo horizontal e as atividades a 
serem programadas no eixo vertical. As barras mostram a 
produção, tanto a planejada como a real, durante um certo 
período. 
 
O gráfico de Gantt mostra visualmente quando cada tarefa