A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Renal - Resumo

Pré-visualização | Página 1 de 5

RENAL
Conceito e Medidas de função renal
Funções Renais: Manutenção do balanço de água e eletrólitos no corpo humano (sódio, potássio, cálcio, fósforo, magnésio, bicarbonato, e outros); Regulação da osmolaridade e volume de líquido corporal; Regulação do equilíbrio ácido-base; Excretar produtos metabólicos (ureia dos aa’s, ácido úrico dos ácidos nucleicos, creatinina da creatina dos músculos); excretar substâncias externas (drogas, pesticidas); Produzir e secretar hormônios (Renina -> ativação do sistema renina-angiotensina-aldosterona / calcitriol -> absorção de Ca pelo TGI e sua deposição nos ossos / eritropoietina -> estimula a produção de eritrócitos pela medula óssea
Características renais: unidade funcional do rim = néfron (fica mais no córtex e na medula cortical); ultraestrutura do néfron = Corpúsculo renal (capilares glomerulares + cápsula de Bowman, Túbulo proximal, Alça descendente de Henle, Alça ascendente fina de Henle, Alça ascendente espessa de Henle, Túbulo distal, Mácula densa, Ducto coletor; Tipo de néfrons: néfrons corticais/superficiais (corpúsculo renal mais externo, alça de Henle mais curta, irrigação por capilares peritubulares) e néfrons justamedulares (corpúsculo renal mais interno, alça de Henle mais longa, irrigação por capilares peritubulares e vasos retos); Microcirculação renal = arteríola aferente, arteríola eferente, capilares peritubulares, vasos retos (fornece oxigênio e nutrientes importantes a segmentos do néfron / transporta substâncias que serão secretadas pelo néfron / atua como via para o retorno de água e dos solutos reabsorvidos para o sistema circulatório / concentra e dilui a urina), capilares glomerulares
Processos do néfron: Filtração, reabsorção, secreção, excreção; excreção = filtração – reabsorção + secreção
- Filtração: O sangue é chega ao néfron pela arteríola aferente -> o sangue, ao circular pelos capilares glomerulares, vai sendo filtrado pela barreira de filtração formada pelos poros existentes nos capilares (capilares frenestrados), pela membrana basal dos capilares e pelos podócitos (formam fendas que possuem proteínas como a nefrina que formam uma rede de filtração) que circundam os capilares (cargas negativas nessas camadas ajudam a impedir a passagem de proteínas plasmáticas) -> como os poros são pequenos, nem proteínas nem células sanguíneas passam (portanto, nem metabólitos ligados a proteínas como cálcio -> o Ca não ligado passa) -> a filtrado glomerular possui as mesma concentrações de metabólitos encontrados no plasma -> o filtrado passa para o interior da cápsula de Bowmam; A ultrafiltração ocorre porque as forças de Starling (pressão hidrostática e oncótica ou coloidosmótica) impulsionam o líquidos da luz dos capilares glomerulares através da barreira de filtração para o espaço de Bowman; A taxa de filtração glomerular (TFG) é determinada pelo equilíbrio das forças hidrostáticas e coloidosmóticas agindo através da membrana do capilar (fornecem a pressão efetiva de filtração -> diferença entre as pressões no glomérulo no glomérulo e no espaço na cápsula de Bowman) e pelo coeficiente de filtração capilar (Kf / produto da permeabilidade e da área de superfície de filtração dos capilares) -> devem ser altos para uma alta TFG -> também é determinada pela; a TFG corresponde a 180 L/dia (125 ml/min); Cerca de 20% do plasma que flui pelo rim é filtrado pelos capilares glomerulares (fração de filtração / os 80% restantes passam direto -> a pressão de perfusão expulsa o sangue); Filtrabilidade de algumas substâncias -> água, Na, glicose, inulina = 100%, mioglobina = 75%, albumina = 0,5%; De 180 L/dia de filtrado, somente 1,5 L (1%) são excretados (reabsorção de 99%); todo o plasma é filtrado 60 vezes por dia 
*Determinantes da TFG: TFG = Coeficiente de filtração capilar (Kf) x pressão líquida de filtração; Pressão líquida de filtração = pressão hidrostática + pressão coloidosmótica; TFG pode ser alterada modificando-se o Kf ou qualquer uma das forças de Starling; A regulação da TFG é feita por alterações na pressão hidrostática no capilar; pressão efetiva de filtração = hidrostática – da cápsula de Bowman – Oncótica = 10 mmHg
 Pressão coloidosmótica (pressão exercida pelas proteínas) -> PC das proteínas plasmáticas aumentada (reduz a TFG porque, a medida que o sangue é filtrado, as proteínas se acumulam no capilar glomerular dificultando a filtração); PC das proteínas na cápsula de Bowman (como a filtração de proteínas é mínima é considerada nula / se não fosse iria aumentar a TFG)
Pressão hidrostática -> Pressão aumentada na cápsula de Bowman (Reduz a TFG / pressão exercida pra dentro do capilar dificulta a saída do filtrado); Pressão hidrostática no capilar (é afetada por variações nas resistências das artérias aferente e eferente e na pressão arteriolar renal / O aumento da pressão arterial tende a elevar a pressão hidrostática glomerular e, portanto, aumentar a TFG [uma regulação evita isso] / a resistência aumentada nas arteríolas aferentes reduz a pressão hidrostática glomerular e diminui a TFG / A dilatação das arteríolas aferentes aumenta tanto a pressão hidrostática glomerular como a TFG / A constrição das arteríolas eferentes aumenta a resistência ao fluxo de saída dos capilares o que eleva a pressão hidrostática glomerular e a TFG -> se essa constrição grande, reduz o fluxo sanguíneo renal e acaba reduzindo a TFG)
*Depuração ou Clearance: Medida em volume/tempo, representa o volume que ficou inteiramente livre da substância que foi removida e excretada na urina, por unidade de tempo; O conceito de depuração é importante porque pode ser usado para medir a TFG e o FSR (fluxo sanguíneo renal) e determinar se a substância foi reabsorvida ou secretada, ao longo do néfron; O quando é tirado o plasma e aparece na urina
*Manipulação renal de substância: Algumas substâncias são filtradas e 100% excretadas sem sofrer processo no túbulo (reabsorção ou secreção) -> Ex.: Inulina; Algumas substâncias; Algumas substâncias são filtradas e 100% excretadas, tendo um acréscimo por excreção -> Ex.: Creatinina; Algumas substâncias são filtrada e parcialmente excretadas, sendo parcialmente reabsorvidas -> Ex.: água e íons; Algumas substâncias filtradas e completamente reabsorvidas, não sendo excretadas (não aparecem na urina) -> Ex.: Glicose e aminoácidos; Algumas substâncias são filtradas e ainda bastante secretadas, sendo totalmente excretadas -> Ex.: drogas e catabólitos
*Determinação da TFG: Para determinação da TFG é necessário utilizar uma substância que: Seja livremente filtrada pelo glomérulo para o espaço de Bowman, não seja reabsorvida, nem secretada pelo néfron, não seja metabolizada nem produzida pelo rim; Taxa de depuração de creatinina -> toda a creatinina produzida na metabolização de creatina no músculo é excretada -> filtração glomerular e 10% de secreção no túbulo
*Regulação da TFG e do FSR: Autorregulação -> Os rins regulam seu fluxo sanguíneo, ajustando a resistência vascular, em resposta às alterações da pressão arterial -> Ajustes são tão precisos que o fluxo sanguíneo permanece relativamente constante enquanto a pressão varia entre 90 e 180mmHg -> Modificações da Resistência vascular (AA e AE) -> A vasoconstricção da arteríola aferente aumenta a resistência e diminui o FSR, a pressão hidrostática capilar e a TFG / A resistência aumentada a arteríola eferente diminui o FSR mas aumenta a pressão hidrostática e a TFG / A dilatação da arteríola aferente aumenta o fluxo sanguíneo aumentando a pressão e a TFG / Dilatação da arteríola eferente reduz a pressão e a TFG; Mecanismo miogênico -> o aumento da pressão produz um estiramento no músculo da arteríola abrindo canais de Ca e induzindo a vasoconstricção, ou seja, nesse mecanismo, o próprio músculo responde as alterações na pressão se contraindo ou dilatando (caso a pressão esteja muito reduzida); Mecanismo de Feedback tubuloglomerular -> Mácula densa do aparelho justaglomerular percebe a [NaCl] no líquido tubular -> São emitidos sinais que afetam a resistência