Aula 05. Disfunção erétil
2 pág.

Aula 05. Disfunção erétil


DisciplinaUrologia693 materiais1.390 seguidores
Pré-visualização1 página
Urologia- disfunção erétil 
Função erétil fundamental para reprodução, perpetuação da espécie. A disfunção vem acompanhada de sofrime
nto moral. 
Ereção é fenômeno absolutamente natural. 
 
Fisiologia- resposta sexualidade masculina: 
Desejo, excitação e orgasmo 
Inicialmente só excitação e orgasmo 
Abordagem completa que permite melhor compreensão e terapêutica mais eficaz 
Conceito trifásico: raízes antropológicas dão sustento a tese 
Para perpetuar e apurar a espécie, instintos primitivos se traduzem em hábitos requintados e sofisticados nos ser
es humanos. 
Desejo é um instinto e é a origem tudo. Só a espécie humana é capaz de controlá lo. 
 
Centros de controle situados no cérebro 
Ser humano mais córtex frontal=maior controle. 
Centros executantes nas regiões cerebrais mais primitivas 
Centros supressores na região cortical do hipocampo 
Serotonina/dopaminergico 
 
Estímulo eretogenico: memória, imaginação. NTs e hormônios testosterona, dopamina, oxcitocina_ ejaculação
, Serotonina, NO. 
Inibitório ou eretoliticos necessidade de lutar ou fugir, adrenalina, memória, imaginação, medo, ansiedade, dep
ressão. 
 
Ereção é fenômeno de dilatação, mas adrenalina faz vasocontriccao 
 
Desejo: instinto animal. Tão mais intenso quanto maior a abstinência por efeito da concentração de testosterona 
no hipotálamo. origem da verdadeira relação sexualidade. Produz excitação. 
 
Fundamental para perpetuar a espécie, não preservar. 
Hormônios: estrogenio é que causa atração no homem, faz o corpo da mulher ser agradável ao homem. Ferormo
nios secreta dos nas axilas e genital ias no sulco balamoprepucial, também tem importância na espécie. Oxcitoci
na estimula a atitude associativa em ambos, da paixão além da ejaculação, taquifilaxia em 36 meses, levando ao
 fim da paixão. A vasopressina entra em ação depois, coordena relações monogamicas e parenteral. Testosteron
a é masculinizadora nos machos, da libido em ambos os sexos, atuação direta no hipotálamo. 
 
Excitação 
Estimulado pelo desejo, hoje dá mostras externas de estar pronto ou em preparação para o coito. Se a parceira es
tá pronta, o snc gera atitudes que favorecem ao coito. Se não está pronta o hipotálamo estimula o córtex 
Orgasmo é interpretação cortical em resposta à estimulação genital. É comum que ocorra emissão e ejaculação d
e esperma, mas pode ocorre sem isso. Aumenta a pressão arterial, há taquicardia, hiperventilacao e contrações rí
tmicas involuntárias dos músculos perineais. Em seguida há sensação de saciedada. Aumenta a concentração d
e Serotonina no hipotálamo lateral, que causa relaxamento psíquico, impede a ereção imediata e novo orgasmo a
té que seja reabsorvida e os níveis baixem. 
 
Disfunção 
Aspectos anatômicos 
Irrigação arterial e drenagem venosa do pênis :as veias são muito mais numerosas que as artérias. vasos de corp
os cavernosos e corpo esponjoso, que são estruturas lacunares 
Inervação sensitiva e motora do penis: a motora tem origem em..., a sensitiva tem origem no corpos cavernosos 
. 
Ereção e relaxamento 
O nervos cavernosos são não colinergicos, liberam dopaminao que estimula NO que estimula a células endotéli
o is, levando a mais NO. O volume de NO que causaereçãoo mais intensa e mais firme,. Estimula guanilatocicl
ase, formando GPS, desativa o complexo miosina e actina, causando relaxamento. Gmpc é degradada pela fosf
odiesterase 5. Integridade neural, endotélio e vascular para que esse ,ciclo se mantenha.o que não pode aumenta
r é adrenalina. 
 
Desequilíbrio entre pressão e fluxo. 
Ereção passo a passo: integridade neuroendocrina vascular, estímulo erogeno, redução do tonus adrenergico, es
tímulo para s simpático dopaminergico, ... 
 
Classificação: 
Distúrbios do desejo: hiperatividade, hiperatividade, aversão sexualidade 
Distúrbios b de eecqo: disfunção erétil 
E dificuldade persistente para obter e/ou manter uma ereção pena na suficiente para iniciar ou manter o coito 
A idade é fator de risco importante. Há declínio progressivo nas funções fisiológicas, mais doenças crônicas, ca
usas psicológicas. outros doenças cardíacas, hás, aterosclerose, dm, obesidade. 
Na dm, a polineuropatia é o principal fator. 
Medicamentos: beta bloqueador, alfa bloqueador, tiazidicos. O ieca é o melhor na disfunção. 
Cigarro danifica endotélio, por deterioração do relaxamento. 
DAEM é o que chamam de menopausa masculina. da dificuldade de concentra, dificuldade de ereção, apatia e 
depressão, mudança na proporção de gordura corporal, diminui massa, aumenta peso, queda de pelo. 
 
O ritmo circadiano da testosterona serica se perde no homem idoso. O pico no jovem é de manhã, umas o horas 
e vai subindo e descendo durante o dia. O mais baixo é 19 horas. No idoso é quase um plato. tem picos, mas são
 baixos.