A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
CIMENTO DE IONÔMERO DE VIDRO (resumo)

Pré-visualização | Página 1 de 1

JACKSON S. TELES
CLINICA INTEGRADA 1
 
RESUMO DE CIMENTOS DE IONÔMERO DE VIDRO
	Foram criados em 1972, na Inglaterra, por Wilson&Kent, a partir da necessidade de um material que possibilitasse a prática de uma odontologia conservadora e preventiva, após mudanças nos conceitos de preparos cavitários propostos por BLACK em 1908.
	Analisando as caractéristicas do cimento de silicato e do policarbonato de zinco, observou-se que o primeiro tinha uma caracteristica fundamental que é a presença de flúor e baixa alteração dimensional, caracteristicas estas responsáveis pelo excelente comportamento desse material. Já o cimento de policarbonato de zinco apresentava como caracteristica relevante a adesividade à estrutura dentária, produzida principalmente pelo ácido poliacrílico.
	Neste sentido, foram estas as caracteristicas que determinaram o surgimento do cimento hibrído: Ionômero de Vidro.
CLASSIFICAÇÃO DOS CIMENTOS DE INÔMERO DE VIDRO
·	CONVENCIONAIS: São compostos por um pó a base de particulas de aluminio-silicato de cálcio, e um liquido podendo ser uma solução aquosa de ácido poliacrilico e/ou ácido itacômico bem como ácido polimalêico.
·	REFORÇADO POR METAIS: É constituido por liquidos semelhantes ao ionômeros convencionais e de um pó composto da mistura convencional, acrescido de particulas de liga de amalgama ou particulas de liga de prata com as particulas de vidro.
·	MODIFICADOS POR RESINAS: Aprensentam em sua composição uma mistura de água/HEMA. A quantidade de água absorvida parece ser diretamente proporcional a quantidade de HEMA do material. Parte do liquido do ácido polialcenóico é substituido por hidroxietil metacrilato. Esses materiais podem apresentar duas a três presas.
CLASSIFICAÇÃO DE ACORDO COM A INDICAÇÃO DO MATERIAL
	
	Existem varias classificações, a mais recente proposta por TAY & LYNCH de 1989, divide os cimentos ionômericos em 4 grupos.
·	TIPO 1: Indicado para cimentação de coroas, próteses e dispositivos ortodônticos
·	TIPO 2: Indicados para restarurações
·	TIPO 3: Indicado para forramentos, ou base e selamento de cavidades e fissuras
·	TIPO 4: Indicado para as mesmas indicações dos tipos 1 a 3
REAÇÃO DE PRESA DO CIMENTOS IONÔMÉRICOS CONVENCIONAIS
	São divididas nas fases:
·	Fase de deslocamento de íons
Aglutinação do pó ao líquido.
A inserção do material deve ocorrer nesta fase.
·	 Fase da formação da matriz poliácida
·	Fase de endurecimento do cimento.
Ocorre de 5 a 10 minutos após o início da manipulação.
·	Fase de formação do gel e incorporação do vidro à matriz
Ocorre nas primeiras 24 horas.
Endurecimento final do cimento.
REAÇÃO DE PRESA DOS CIMENTOS IONÔMÉRICOS MODIFICADOS POR RESINA
A porção ionomérica ocorre igual ao convencional.
	A porção resinosa apresenta três diferentes tipos de ativação:
·	Química
·	Fotoativada
·	Dual
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS CIMENTOS DE IONÔMERO DE VIDRO MODIFICADOS POR RESINA EM RELAÇÃO AOS IONÔMEROS CONVENCIONAIS
	
	VANTAGENS
·	Caracteristicas de endurecimento melhoradas
·	Maior tempo de trabalho
·	Controle sobre a presa do material
·	Alta resistência total
·	Maior resistência total
·	Melhor estética incial
	DESVANTAGENS
·	Maior contração de polimerização de (3,24% a 3,63%) em comparação com as resinas P50 e Silux que apresentam respectivamente (2,19% e 1,72%)
·	Menor translucidez
·	Mudança de cor após 1 a 2 anos de inserção das restaurações
PROPRIEDADES FÍSICAS
	PROPRIEDADES POSITIVAS
·	Liberação de Flúor
·	Adesividade
·	Expansão Térmica
·	Biocompatibilidade
	PROPRIEDADES NEGATIVAS
·	Baixa Resistência a Tração e Compressão
·	Estética
·	Solubilidade
·	Tempo de Trabalho????
INDICAÇÕES E CONTRAINDICAÇÕES
	
	INDICAÇÕES
·	Selamento de cicatriculas e fissuras
·	Classe I conservativas
·	Classe II tipo tunel ou "slot" horizontal
·	Classe III e IV - lesões cariosas
·	Classe V - lesões cervicais não cariosas
·	Restaurações laminadas ou mistas (tecnica sanduiche)
·	Material de Proteção ( forramento)
·	Restaurações de dentes deciduos
·	Nucleos de Preenchimento
·	Cimentação de coroas parciais, totais, e próteses fixas
·	Cimentação de bandas e colagem de acessórios ortodonticos
·	Agente de cimentação em endodontia e como selador apical em cirurgias paraendodonticas
CONTRA INDICAÇÕES
·	Classe II com envolvimento da crista marginal
·	Classe IV 
·	Grande perda de esmalte por vestibular
·	Em áreas de cúspides
·	Em áreas submetidas a grandes esforços mastigatórios
CONDICIONADORES DA ESTRUTURA DENTÁRIA ANTES DA APLICAÇÃO DOS CIMENTOS DE IONÔMERO DE VIDRO
	
	A estrutura dentária antes de receber o cimento de inômero de vidro deve ser tratada com soluções ácidas fracas com o objetivo de melhorar as caracteristicas adesivas do material 
	As soluções ácidas aplicadas são:
·	Ácido poliacrílico (10 a 25%) (mais utilizado atualmente)
·	Liquido do cimento Durelon (40%)
·	Solução ITS
·	Condicionador a base de ácido cítrico (5 a 10%) e cloreto férrico (1 a 3%)
AGENTE PARA PROTEÇÃO SUPERFICIAL DO CIMENTO DE IONÔMERO DE VIDRO
 	O cimento de ionômero de vidro é um material altamente sensível a perda de água durante a sua função na boca, mesmo após as primeiras 24 horas, período no qual o material apresentam maior resistência devido a maturação do cimento esá avançada, com a finalidade de proteger estes cimentos são utilizados venizes próprios dos materiais ou resinas fluidas (agentes adesivos).
	Recentemente foi demonstrado que esmalte de unhas incolor apresentou um melhor desempenho na proteção superficial do cimento de ionômero de vidro durante a presa.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.