robertochimionatoleanhealthcareintroducaoecasedacme
92 pág.

robertochimionatoleanhealthcareintroducaoecasedacme

Disciplina:Qualquer Disciplina48 materiais109 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Hospital São Francisco

Lean Healthcare – Introdução e Case da CME

• Consultor de Melhoria Contínua do Grupo Hospitalar São

Francisco

• Trabalhei em empresas como TAM Air Lines, Nestlé e Mead

Johnson com a implementação de projetos Produção

Enxuta (Lean) e Gestão de Controle de Processos

• Engenheiro de produção pela Universidade Federal de São

Carlos (UFSCar)

• MBA em Administração de Empresa pela USP

Roberto Chimionato

SUMÁRIO

 INTRODUÇÃO À PRODUÇÃO ENXUTA

 ONDE PODE DER APLICADO

 LEAN FORA DA MANUFATURA

 LEAN HEALTHCARE

 CASE CME – HOSPITAL SÃO FRANCISCO

SUMÁRIO

 INTRODUÇÃO À PRODUÇÃO ENXUTA

 ONDE PODE DER APLICADO

 LEAN FORA DA MANUFATURA

 LEAN HEALTHCARE

 CASE CME – HOSPITAL SÃO FRANCISCO

Evolução da Manufatura

Produção
Artesanal

Produção
em

Massa

Produção
Enxuta

• Primeiro sistema de produção

– Mão de obra especializada

– Pouca ou nenhuma padronização

Produção Artesanal

Alta Flexibilidade

Baixo Volume

 As técnicas de Produção em Massa
desenvolvidas por Henry Ford antes da I Guerra
Mundial colocaram quase todos os produtores
artesanais de carros fora do mercado

Produção em Massa

• Começa a produção do Ford modelo T em
1908

• 1908 a 1927: mais de 15 milhões de unidades

• Custo médio do carro (1908):

– Artesanal: US$ 5.000,00

– Modelo T: US$ 850,00

Produção em Massa

• Características

– Alta produtividade

– Baixa variedade

– Recursos dedicados

Produção em Massa

Alto Volume

Baixa Flexibilidade

• Desenvolvida no Japão após a II Guerra
Mundial

– Indústria japonesa teve que ser completamente
reconstruída

– Volume de produção não justificava produção em
massa ao estilo americano

– Mercado altamente segmentado

• Produção Enxuta = Lean Production = Lean

• Fazer mais com os mesmos recursos existentes

Produção Enxuta

• Característica

– Alta produtividade

– Alta variedade

Alto Volume

Alta Flexibilidade

Produção Enxuta

Produção Enxuta

Identificação e eliminação/redução
sistemática e sustentável

de desperdícios

Produção
Enxuta =

Os três tipos de atividades

Atividades que agregam valor (AV)
Atividades que, aos olhos do cliente final, tornam o produto ou serviço mais
valioso.

Atividades que não agregam valor (NAV)
Atividades que, aos olhos do cliente final, não tornam o produto ou serviço
mais valioso e não são necessárias mesmo nas atuais circunstâncias.

Atividades que não agregam valor necessárias
Atividades que, aos olhos do cliente final, não tornam o produto ou serviço
mais valioso, mas que são necessárias a não ser que o processo atual mude
radicalmente.

Os três tipos de atividades
Em um ambiente de produção de bens (manufatura ou fluxo
logístico – não world class) a relação entre os tempos
consumidos pelos três tipos de atividades gira em torno de:

Hines & Taylor, 2000

Exemplo de Atividades

Fluxo mat/med
Atividade Agrega Valor Não Agrega Valor

Não Agrega Valor
mas é Necessária

Preparar medicação

Medicar paciente

Buscar medicamento
na farmácia

Esterilizar novamente
o Instrumental devido

a vencimento

Procurar Inalatório na
CME

Esterilizar
instrumental na

Autoclave

NAV

NAV

NAV

AV

NAV

AV

Enfoque da Produção Enxuta

AV NAV AV

NAV AV

NAV
Companhia

Típica

Enfoque
Tradicional nas

Tarefas

Melhorias
Tradicionais

TEMPO

AV

NAV
Enfoque de

Produção Enxuta Melhorias nas
Atividades NAV

Melhorias
Tradicionais

SUMÁRIO

  INTRODUÇÃO À PRODUÇÃO ENXUTA

 ONDE PODE DER APLICADO

 LEAN FORA DA MANUFATURA

 LEAN HEALTHCARE

 CASE CME – HOSPITAL SÃO FRANCISCO

Onde pode ser aplicado?
Lean Manufacturing

Lean Office

Lean Hospitality

Lean Development

Lean Construction

Lean Healthcare

SUMÁRIO

  INTRODUÇÃO À PRODUÇÃO ENXUTA

 ONDE PODE DER APLICADO

 LEAN FORA DA MANUFATURA

 LEAN HEALTHCARE

 CASE CME – HOSPITAL SÃO FRANCISCO

Lean Healthcare

• Padrões de qualidade

• Novas tecnologias

• Envelhecimento da
população

• Deficiência operacional

• Operadoras

• Concorrência

Contextualização

Hospital

• Produção Enxuta: da indústria automotiva para os hospitais

Contextualização

≈1984 ≈2002

Hospitais
Lean Healthcare

≈1992

Serviços

Manufatura
Lean Manufacturing

Indústria Automotiva
Lean Manufacturing

≈1940

Lean Thinking

Hospital

Lean Healthcare - Pioneiros

Gestão de Operações

Entrada Saída

Empresa

Lead Time

Pessoas Materiais

LeadTime

Equipamentos
Faturamento Custos

Lead Time Qualidade

Hospital

Paciente
Doente

Paciente
Saudável

Paciente
doente

Paciente
saudável

Mapa de Fluxo de Valor

Estampar Soldar Pintar Montar

E E E E E

PCP Cliente Fornecedor

Lead Time de Produção

Matéria
Prima

Produto
Final

Cadastro Cirurgia Reabilitação Internação

Casa Casa

Filas

Transporte Movimentação

Processo
Inadequado

Estoques

Agendamen

to

Espera

AV NAV

AV

Estoques

Esperas

Transporte excessivo

Movimentação excessiva

Eliminação de Desperdícios (NAV)

Filas Processamento Inadequado

Lead Time

Lead Time

Cadastro Cirurgia Reabilitação Internação

Paciente
doente

Paciente
saudável

Paciente
doente

Paciente
saudável

O que é Lean Healthcare

Lean
Production Hospital

Casos de Sucesso – Virginia Mason

• Virginia Mason Medical
Center

 Situado em Seattle,
Washington

 Início deste século – grave
crise financeira do hospital

 Iniciou sua jornada Lean
em 2002, ao visitar a
Toyota no Japão

Fonte: Virginia Mason Medical Center

Categoria Resultados

Estoques Redução de 53% - US$ 1,350,000.00

Produtividade Aumento de 36%

Lead Time Redução de 65%

Tempo de Setup Cirúrgico Redução de 82%

Distância (pessoas) Redução de 44%

Casos de Sucesso

Fonte: Virginia Mason Medical Center

 Virginia Mason Medical Care –
 Resultados obtidos após 2 anos de aplicação

do lean healthcare

Categorias de Desperdício

Talento

Categorias de Desperdício

Superprodução

– Realização de testes e exames
além do necessário

– Mais de um formulário com a
mesma informação

– Efetuar testes redundantes

– Manter o paciente no leito por

mais tempo do que o
necessário

Processamento
Inadequado

– Utilização de antibióticos
fortes para o tratamento de
leves inflamações

– Cirurgias mal realizadas

– Erros e retrabalho nos
tratamentos aos pacientes

Categorias de Desperdício

Defeitos

– Infecções do paciente no
hospital

– Radiografias com baixa
qualidade de imagem

– Informação errada ou não
disponível

– Faturamento errôneo do
paciente

Categorias de Desperdício

Estoques

– Excesso de medicamentos
na farmácia

– Excesso de amostras
laboratoriais aguardando
análise

– Excesso de pacientes
aguardando pelo
atendimento

Categorias de Desperdício

Espera

Paciente aguardando:

– Consulta
– Leito
– Resultado de exames
– Alta
Médico aguardando:

– Paciente
– Sala cirúrgica
Enfermeira aguardando:

– Médico
– Medicamento
– Informação