Federalismo Fiscal no Brasil
6 pág.

Federalismo Fiscal no Brasil

Disciplina:Economia do Setor Público445 materiais12.193 seguidores
Pré-visualização6 páginas
Federalismo Fiscal no Brasil

Economia do Setor Público no Brasil

Ciro Biderman & Paulo Arvate

Cap. 22: Federalismo Fiscal

Introdução

\u2022 Por que existem, em uma mesma cidade,

hospitais administrados pelo governo federal e

pelo governo estadual?

\u2022 Por que não é comum haver universidades

públicas municipais?

\u2022 Por que o imposto de renda é cobrado pelo

governo federal e o imposto sobre a propriedade

de imóveis é arrecadado pelos municípios?

Introdução

\u2022 Por que existem tantos níveis de governo

(federal, estadual e municipal): não bastaria

um governo único em Brasília, cuidando de

todos os serviços públicos?

\u2022 E já que existem vários governos, por que

cada um deles não administra suas receitas e

despesas por conta própria, tornando

desnecessárias as transferências de dinheiro

entre eles?

Definição de federalismo fiscal

\u2022 Definição preliminar \u2192 divisão de tarefas
entre os diferentes níveis de governos:
\u2013 Quem (que níveis de governo) dever arrecadar

cada um dos tributos do país;

\u2013 Quem deve ofertar cada um dos serviços públicos
(saúde, saneamento, educação, limpeza,
iluminação, segurança pública, estabilidade
macroeconômica, assistência aos pobres etc.).

\u2022 A ideia principal é buscar uma divisão de
tarefas que maximize a eficiência do setor
público.

Definição de federalismo

\u2022 Federalismo, entendido como uma forma de
organização do Estado, no qual há o
compartilhamento de poder entre diferentes
níveis de governo; é um conceito político mais
antigo e mais amplo que a ideia de federalismo
fiscal.

\u2022 Adjetivo \u201cfiscal\u201d restringe o tipo de
\u201cfederalismo\u201d;

\u2022 Federalismo \u2192 diz respeito à divisão de poderes
políticos e constitucionais entre os diferentes
níveis de governo.

Definição de federalismo

\u2022 Economistas passaram a olhar o federalismo
sob o prisma da racionalidade econômica por
volta de 1950 \u2192 as federações já existiam.

\u2022 Mudar tradições políticas e alterar pactos
constitucionais é um processo lento e difícil.

\u2022 Federalismo fiscal procura estabelecer
parâmetros de racionalidade e eficiência
econômica que orientem os ajustes na
organização das federações, à medida que o
processo político permita tais alterações.

Federalismo como conceito de organização
político-constitucional

\u2022 Na prática, a organização político-
constitucional dos governos pode ser
classificada em três tipos:

1) Governo unitário;

2) Sistemas confederados;

3) Sistema de governo federal.

Federalismo como conceito de organização
político-constitucional

1) Governo unitário
\u2022 Controle das decisões governamentais está nas mãos do governo

nacional;

\u2022 Não há governos estaduais ou municipais com poderes políticos
constitucionais, apenas agências locais sob o comando do governo
central.

\u2022 Ex.: Japão, Portugal, Espanha e Nova Zelândia.

\u2022 Um governo unitário não leva, necessariamente, a uma administração
centralizada.

\u2022 Os seus escritórios e agências regionais podem dispor de um alto grau de
autonomia em suas decisões.

\u2022 Ex.: China \u2192 país de governo unitário onde há uma grande descentralização
executiva das decisões.

Federalismo como conceito de organização político-
constitucional

2) Sistemas Confederados
\u2013 Estados membros são politicamente mais fortes que o governo central.

\u2013 Ex.: União Europeia e dos Estados Unidos no período de 1776 a 1787.

\u2013 Governo central é um mero coordenador de esforços.

\u2013 Cada membro tem suas próprias leis (código civil, legislação penal,

comercial, previdenciária etc.) mas concorda ter uma legislação comum

com os demais membros da confederação (um único Banco Central, uma

única política de imigração, um sistema de tributação integrado etc.),

visando obter vantagens decorrentes da integração sem perder soberania

política.

\u2013 As decisões individuais são a regra, sendo coletivas apenas as ações

previamente acordadas entre os membros.

Federalismo como conceito de organização político-
constitucional

2) Sistema de governo federal

\u2013 Representa um grau de unificação maior que o
sistema confederado;

\u2013 Preponderância do governo central sobre as demais
esferas, principalmente no que diz respeito à
soberania nacional;

\u2013 A constituição atribui a duas ou mais esferas de
governo subnacionais (estados, províncias,
municípios) algum grau de autonomia, competências
legais e áreas próprias de ação.

Federalismo como conceito de organização político-
constitucional

2) Sistema de governo federal
\u2013 No caso brasileiro, o artigo 18 da Constituição

Federal estabelece que:
\u2013 \u201cArt. 18 \u2013 A organização político-administrativa da

República Federativa do Brasil compreende a União,
os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos
autônomos, nos termos desta Constituição\u201d.

\u2013 Federação organizada em três níveis (União,

estados/Distrito Federal e municípios).

Federalismo como conceito de organização
político-constitucional

\u2022 Competência privativas da União, definidas no artigo 22
da Constituição \u2192 lhe conferem a responsabilidade pela
soberania e integração nacional, tais como legislar sobre:

\u2013 \u201cI \u2013 direito civil, comercial, penal, processual, eleitoral,
agrário, marítimo, aeronáutico, espacial e do trabalho;

\u2013 VI \u2013 serviço monetário e de medidas, títulos e
garantias dos metais;

\u2013 XV \u2013 emigração e imigração, entrada, extradição e
expulsão de estrangeiro;

\u2013 XXVIII \u2013 defesa territorial, defesa aeroespacial, defesa
marítima, defesa civil e mobilização nacional\u201d.

Federalismo como conceito de organização
político-constitucional

\u2022 Municípios \u2192 têm competências privativas associadas
a serviços públicos de caráter local (artigo 30 da
Constituição), tais como o transporte coletivo e as leis
de parcelamento do solo;

\u2022 Isto não quer dizer que cada nível de governo cuida de
suas atribuições sem se preocupar com o que se passa
nas demais esferas;

\u2022 Há grande sobreposição de tarefas;
\u2022 Artigo 23 da Constituição lista os assuntos que são de

competência comum das três esferas \u2192 coordenação
de esforços.
\u2013 Ex.: Saúde e assistência pública, proteção ambiental, o

combate à pobreza e a educação para o trânsito.

Fundamentos teóricos da descentralização

\u2022 Federalismo \u2192 também é uma forma de permitir
que diferentes culturas ou tradições religiosas
convivam dentro de um mesmo país.
\u2013 Ex.: Canadá \u2192 canadenses de origem inglesa e

francesa;
\u2013 Parte da antiga União Soviética mantém-se unida,

formando a Federação Russa, com as diferenças
étnicas e históricas.

\u2022 Fatores que justificam um processo de
descentralização fiscal:

\u2022 Fatores econômicos;
\u2022 Fatores culturais;
\u2022 Fatores geográficos.

Fundamentos teóricos da descentralização

\u2022 Fatores econômicos
\u2013 Busca de uma alocação de recursos mais eficiente \u2192

um dos principais objetivos do processo de
descentralização.

\u2013 Ponto de vista do setor público \u2192 a descentralização

significa determinar qual esfera de governo pode
administrar de forma mais eficiente os impostos, os
gastos, as transferências, a regulação e outras funções
públicas.

\u2013 Função alocativa do setor público \u2192 está diretamente

associada à questão da descentralização.

Fundamentos teóricos da descentralização

\u2022 Fatores culturais, políticos e institucionais

\u2013 Descentralização \u2192 pode favorecer uma maior
integração social, através do envolvimento dos
cidadãos na determinação dos rumos da
comunidade, o que reforça a transparência das
ações governamentais;

\u2013 Descentralização \u2192 contribui para reduzir os
perigos potenciais que um poder centralizado
pode representar para a liberdade individual.