Direito Tributário 1
34 pág.

Direito Tributário 1

Disciplina:Direito Tributário6.132 materiais93.865 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Semana 1
Atividade financeira do Estado
 
Estado       – funcionamento / manutenção
                   – cumprimento de seus fins – necessidades públicas
                                                           |
                                                           $
                                  
                                               Obtenção                                                - Patrimoniais                                                                                            Receitas  - Tributárias                                                                                                              - Creditícias
                                                                                                               - Punitivas
Atividade Financeira           Gestão de recursos                               - outras                                                 
               
                                                                 
                                                                   
                                                                                                
                                               Aplicação                                Despesas Públicas         
 
 
 
O Estado desenvolve atividade financeira porque precisa de dinheiro para:
a – funcionamento e manutenção
b – cumprimento de seus fins
 
As atividades financeiras desenvolvidas pelo Estado consistem na:
a – obtenção de recursos
b – gestão (administração) dos recursos obtidos
c – aplicação dos recursos
 
Todas as Receitas e Despesas devem ser previstas no Orçamento.
 
Despesas
As prioridades são decisões políticas e mudam de governo para governo, de ano para ano.
 
Receitas
a – Patrimoniais: provenientes da exploração e da disposição do patrimônio do Estado
b – Tributárias: provenientes da cobrança dos tributos
c – Creditícias: decorrem da entrada do Estado no mercado financeiro
d – Punitivas: decorrentes das multas. Multas não deveriam ser classificadas como receitas, mas acabam servindo para arrecadar dinheiro
 
Direito tributário:
Conjunto de normas jurídicas que disciplinam a tributação (atuação estatal de exigir tributos) – Roque Carrazza
 
Ramo didaticamente autônomo do Direito, integrado pelo conjunto das proposições jurídicas normativas, que correspondam, direta ou indiretamente, à instituição, arrecadação e fiscalização de tributos – Paulo de Barros Carvalho
 
Direito Fiscal:
Disciplina jurídica da atuação do Fisco (Sujeito Ativo) na arrecadação, fiscalização de tributos – âmbito menor
 
Direito Financeiro:
Regula juridicamente toda a atividade financeira do Estado – âmbito maior
 
 
Questões:
Defina a chamada atividade financeira do Estado.
A tributação é a única forma que o Estado dispõe para arrecadar dinheiro? Explique.
O que são receitas públicas?
O que são despesas públicas?
Diferencie Direito Tributário e Direito Financeiro.

Semana 2
 
 
 Tributo
 
CTN – art. 3º - Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada.
 
Conforme Roque Carrazza – Tributo é a obrigação “ex lege”, em moeda, que não se constitui em sanção por ato ilícito e que tem por Sujeito Ativo (credor) normalmente uma pessoa política e por Sujeito Passivo (devedor) qualquer pessoa apontada na lei.
 
Obrigação (=relação jurídica) - Vínculo abstrato, segundo o qual, por força da lei, uma pessoa (Sujeito Ativo) tem o direito subjetivo de exigir de outra (Sujeito Passivo) o cumprimento de umaprestação:
 
                     Passível de Avaliação Pecuniária – relação jurídica obrigacional ou obrigação (obrigação principal)
                     Não Passível de Avaliação Pecuniária – relação jurídica não obrigacional ou veiculadora de meros deveres (obrigação acessória)
 
“Ex lege” – A obrigação tributária é legal porque decorre da lei e, portanto, a vontade das partes é irrelevante. É obrigação compulsória.
 
Em moeda – O credor, Sujeito Ativo só é obrigado a aceitar dinheiro. No entanto nada impede que ele, querendo, aceite outra forma de pagamento.
 
Tributo não constitui sanção por ato ilícito – tributo é obrigação que decorre da prática de ato lícito, não se  confundindo com as multas
 
Tributo                                                                      Multa
- Obrigação em moeda                                    - Obrigação em moeda
- Obrigação legal                                           - Obrigação legal
- Decorre da prática de ato lícito                      - Decorre da prática de ato ilícito
                    Finalidade: arrecadatória (fiscal)/                      - Finalidade: punitiva/preventiva
extrafiscal
 
Sujeito ativo – quem tem o direito subjetivo de exigir de quem ocupa o pólo passivo o cumprimento da obrigação.
 
Sujeito passivo – quem tem o dever jurídico de cumprir a obrigação.
 
CTN – art. 4º - denominação e destino do produto da arrecadação são irrelevantes. A destinação do dinheiro arrecadado é objeto do direito financeiro e não do direito tributário.
 
 
F            SA     crédito      $      débito     SP       (obrigação tributária)
                                               
                      Direito subj.          Dever jurídico
 
Questões:
1.                 O que é tributo? (definição doutrinária)
2.                 Defina “obrigação principal”.
3.                 Defina “obrigação acessória”.
4.                 Aponte duas diferenças entre os tributos e as multas.
5.                 Quando nasce o tributo?
 

Semana 3
Classificação dos tributos quando a vinculação a uma atividade estatal
 
Espécies de Tributos:
1 – Impostos – CF, art.145, I e 153 a 156
2 – Taxas – CF, art. 145, II
3 – Contribuições de melhorias – CF, art. 145, III
4 – Empréstimos compulsórios – CF, art. 148
5 – Contribuições – CF, art. 149 e 195
6 – COSIP (custeio do sistema de iluminação pública) – CF, art. 149 A
 
                    Tributo Vinculado: quem pratica a conduta descrita na Hipótese de Incidência é o Estado. Fatos na esfera jurídica do Poder Público. Ex.: taxas e contribuição de melhoria.
 
                    Tributo Não Vinculado: quem pratica a conduta descrita na Hipótese de Incidência é uma pessoa privada. Fatos na esfera jurídica das pessoas privadas - particular. Ex.: impostos.
 
IMPOSTOS
 
Imposto é modalidade de tributo cuja HI descreve um fato não consistente em uma atuação estatal.
 
Não há contraprestação do Estado.
 
A base de cálculo mede o comportamento do contribuinte.
 
Classificação jurídica dos Impostos:
 
Federais (art. 153 e 154, CF):
- Imposto de Renda (IR)
- Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
- Imposto Territorial Rural (ITR)
- Imposto sobre Importações (II)
- Imposto sobre Exportações (IE)
- Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)
- Imposto sobre Grandes Fortunas
- Impostos de Competência Residual da União (art. 154, CF)
- Impostos Extraordinários (art. 154, CF)
 
Estaduais (art. 155, CF)
- Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA)
- Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
- Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD)
 
Municipais (art. 156, CF)
- Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU)
- Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI)
- Imposto sobre Serviços (ISS)
 
Distritais (art. 155 e 147, CF) – os mesmos dos Estados e dos Municípios
 
Obs.: Territórios (art. 147, CF) - Pertencem à União. Podem ou não ser divididos em Municípios. Se forem divididos em Municípios, a União arrecada os impostos estaduais e os Municípios os municipais. No caso de não serem divididos em Municípios, os impostos estaduais e municipais são arrecadados pela União.
 
Classificação Econômica dos Impostos