Aula 4 - Posto de Trabalho
4 pág.

Aula 4 - Posto de Trabalho

Disciplina:Ergonomia, Higiene e Segurança do Trabalho1.713 materiais15.304 seguidores
Pré-visualização2 páginas
11/09/2013

1

Prof.ª Celina Cordeiro

� Baseia-se no estudo dos movimentos
corporais necessários para a execução de
um trabalho e na medida do tempo gasto
em cada um desses movimentos.

� A sequência dos movimentos necessários
para executar uma tarefa é baseada em
uma série de princípios de economia de
movimentos, e o melhor método é
escolhido pelo critério do menor tempo
gasto.

� O desenvolvimento do melhor método é
feito geralmente em laboratório de
métodos, onde os diversos dispositivos,
materiais e ferramentas são colocados em
posições mais convenientes, baseados em
critérios empíricos e experiências pessoais
do analista de métodos.

Desenvolvi
mento do
método

preferido

• Definir os objetivos da
operação;

• Descrever alternativas
de métodos para
alcançar os objetivos

• Testar essas alternativas;

• Selecionar a melhor.

Preparação do
método
padrão

• O método escolhido é
registrado para ser
convertido em padrão.

Determinação
do tempo

padrão

• Fazendo-se uso do
método padrão,
determina-se o tempo
necessário para um
operário experiente
executar o trabalho
usando o método
padrão.

3 etapas

� Hoje admite-se que os resultados obtidos
usando-se o enfoque tradicional nem sempre
são os mais eficazes.

� Um dos aspectos mais questionados é que
seu uso leva a produzir métodos cada vez
mais simples e repetitivos.

� A curto prazo pode ser eficiente,
principalmente para trabalhadores pouco
qualificados.

� Porém, como tende a concentrar a carga de
trabalho sobre determinados movimentos
musculares, com o decorrer do uso, produz
excessiva fadiga localizada, além da
monotonia.

� Isso contribui para reduzir a motivação,
resultando em absenteísmo, alta rotatividade
e até doenças ocupacionais.

� Esses fatores podem ser tão fortes, a ponto
de neutralizar as vantagens proporcionadas
pela racionalização do posto de trabalho,
usando-se os princípios de economia dos
movimentos.

O enfoque ergonômico tende a
desenvolver postos de trabalho

Reduzam as exigências
biomecânicas

Reduzam as exigências
biomecânicas

Coloquem o operador
em uma boa postura de

trabalho

Coloquem o operador
em uma boa postura de

trabalho

Localizem os objetos
dentro dos alcances dos
movimentos corporais

Localizem os objetos
dentro dos alcances dos
movimentos corporais

Propiciem facilidade de
percepção de
informações.

Propiciem facilidade de
percepção de
informações.

11/09/2013

2

Diversos critérios podem
ser adotados para avaliar
a adequação de um posto

de trabalho

O tempo gasto na
operação

Índice de erros e
acidentes.

Contudo, o melhor
critério do ponto de vista

ergonômico

A postura

O esforço físico exigido
dos trabalhadores.

A partir deles, pode-se determinar os principais pontos de concentração de
tensões, que tendem a provocar dores nos músculos e tendões.

� Uma dor aguda, localizada, é o primeiro
alerta de que algo não está indo bem.

� Em alguns casos com o passar dos dias, há
uma adaptação do organismo: os
músculos se alongam e se fortalecem,
provocando redução gradativa das dores.

� Contudo, se essa dor continuar, ou
aumentar, indica que essa adaptação não
se processou, o que pode provocar
inflamação dos músculos ou dos tendões.

� Se não forem adequadamente tratadas,
podem resultar em lesões permanentes.

� Isso ocorre sobretudo quando há
solicitações muito intensas, ou muito
frequentes, ou quando a postura do corpo
é inadequada.

• A tarefa possa ser
executada da
forma desejada

• As condições de
trabalho sejam
adequadas as
pessoas.

• A tarefa possa ser
executada da
forma desejada

• As condições de
trabalho sejam
adequadas as
pessoas.

A configuração do
posto de trabalho
deve arranjar os

subsistemas e
elementos

necessários ao seu
funcionamento de

tal forma que:

Análise da tarefa

Descrição da tarefa

Descrições das ações
Nível mais

global
Nível mais
detalhado

Uma tarefa pode ser definida como sendo um conjunto de ações humanas que
torna possível um sistema atingir o seu objetivo.
É o que faz funcionar o sistema para se atingir o objetivo pretendido.

Objetivo: para que serve a tarefa; o que será executado ou produzido; em que quantidade e
com que qualidade.

Operador: que tipo de pessoa trabalhará no posto; se haverá predominância de homens ou
mulheres; graus de instrução e treinamento; experiência anterior; faixas etárias; habilidades
pessoais; dimensões antropométricas.

Características técnicas: quais as máquinas ou conjunto de máquinas e materiais
envolvidos; oque será comprado de fornecedores externos e o que será produzido
internamente; flexibilidade e graus de adaptação das máquinas, equipamentos e materiais.

Aplicações: onde será usado o posto de trabalho; localização do posto dentro do sistema
produtivo; uso isolado ou integrado a uma linha de produção; sistemas de transporte de
materiais e de manutenção; quantos postos idênticos serão produzidos; qual é a duração
prevista da tarefa.

Condições operacionais: como vai trabalhar o operador; tipos de postura (sentado, em pé);
esforços físicos e condições desconfortáveis; riscos de acidentes; uso de equipamentos de
proteção individual;

Condições organizacionais: como será a organização do trabalho e as condições sociais:
horários, turnos, trabalho em grupo, chefia, alimentação, remuneração, carreira.

Dependendo do tipo de tarefa, a descrição não precisará
abranger todos esses itens, pois certas características podem

ser bem conhecidas.

Se concentram mais
nas características

que influem no
projeto da interface
homem-máquina.

Informações: canal sensorial
envolvido (auditivo, visual,
cinestésico); tipos de sinais;

características do sinais
(intensidade, forma, frequência,
duração); tipos e características
dos dispositivos de informação

(luzes, som, mostradores).

Controle: tipo de
movimento corporal

exigido; membros
envolvidos no

movimento; alcances
manuais; características

dos instrumentos de
controle (botões,

alavancas, volantes,
pedais).

11/09/2013

3

O estudo da distribuição espacial ou do
posicionamento relativo dos diversos
elementos que compõe o posto de trabalho.

� Importância: colocar o elemento mais
importante em posição de destaque no
posto de trabalho, de modo que ele possa
ser continuamente observado ou
facilmente manejado. No automóvel, por
exemplo, o velocímetro e o volante
ocupam essas posições de destaque.

� Frequência de uso: os componentes
usados com maior frequência são
colocados em posição de destaque ou de
mais fácil manipulação.

� Agrupamento funcional: os elementos de
funções semelhantes entre si formam
subgrupos que são mantidos em blocos.
Por exemplo, num painel de comando
todos os dispositivos visuais podem ser
colocados na parte central.

� Sequência de uso: quando há uma ordem de
operação a ser seguida ou ligações temporais
entre os elementos, a posição relativa dos
mesmos no espaço deve seguir a mesma
sequência da operação. Ou seja, aquele que
deve ser acionado primeiro aparece em
primeira posição e assim sucessivamente.

� Intensidade de fluxo: os elementos entre os
quais ocorre maior intensidade de fluxo, são
colocados próximos entre si. O fluxo é
representado por uma determinada variável
que deve ser escolhida em cada caso,
podendo ser de materiais, movimentos ou
informações.

� Ligações preferenciais: os elementos entre
os quais ocorrem determinados tipos de
ligações são colocados próximos entre si. Ao
contrário do critério anterior, que se baseava
na intensidade de um único tipo de fluxo,
aqui pode haver diferenças qualitativas no
fluxo, por exemplo, movimentos de controle,
informações visuais e informações auditivas.

� Uso dos critérios: observa-se que os