Revisão  av2
26 pág.

Revisão av2

Disciplina:DIREITO CIVIL III2.539 materiais42.497 seguidores
Pré-visualização10 páginas
Caso Concreto 1

Lei atentamente a assertiva adiante:

À luz do Código Civil de 1916 afirmou Caio Mário da Silva Pereira: ?a ordem jurídica oferece a cada um a
possibilidade de contratar, e dá-lhe a liberdade de escolher os termos da avença. Segundo as suas
preferências. Concluída a convenção, recebe da ordem jurídica o condão de sujeitar, em definitivo, os
agentes. Uma vez celebrado o contrato, com observância dos requisitos de validade, tem plena eficácia,
no sentido de que se impõe a cada um dos participantes, que não têm mais a liberdade de se forrarem às
suas consequências, a não ser com a cooperação anuente do outro. Foram as partes que acolheram os
temor de sua vinculação, e assumiram todos os riscos. A elas não cabe reclamar, e ao juiz não é dado
preocupar-se com a severidade das cláusulas aceitas, que não podem ser atacadas sob a invocação de
princípio de equidade?.

À luz das novas disposições do Código Civil/2002:

a) A assertiva acima ainda guarda alguma validade face à nova ordem jurídica civil e
constitucional. Fundamente a sua resposta.

b) Elabore um conceito de função social do contrato, indicando se a função social do contrato pode
justificar inadimplemento contratual.

 Gabarito:

a) A assertiva não guarda validade face à nova ordem jurídica civil e constitucional, pois o
?pacta sunt servanda? já não deve mais ser aplicado de maneira absoluta, ou seja, deve
ser analisado à luz da boa-fé objetiva, probidade e função social do contrato.

b) Como se trata de conceito aberto o professor deve analisar se há o mínimo de coerência
na resposta do aluno. A função social que se atribui ao contrato não pode ignorar sua
função primária e natural, que é a econômica. Ao contrato cabe uma função social, mas
não uma função de assistência social. O instituto é econômico e tem fins econômicos a
realizar, que não podem ser ignorados pela lei e muito menor pelo aplicador da lei. A
função social é um plus que se acrescenta à função econômica que, portanto, não pode
ser ignorada. Contrato sem função econômica não é contrato. A função social não se
apresenta como meta do contrato, mas como limite da liberdade do contratante de
promover a circulação dos bens patrimoniais. Mas como um limite que interfere
profundamente no conteúdo do negócio, pelo papel importante que o contrato tem de
desempenhar na sociedade.

 Questão objetiva 1

(TJMS - Juiz Substituto - 2009 - adaptada) A propósito dos contratos, examine as assertivas abaixo e
indique a alternativa correta:

a) Obrigação e contrato se confundem porque deste advém o acordo de vontades que visa a constituição,
modificação ou extinção de direitos; em suma, um conjunto de obrigações a serem cumpridas pelas
partes.

b) Nem toda relação jurídica contratual possui, além das partes e do consensualismo, um objeto.

c) O objeto da relação jurídica patrimonial pode ser imediato ou mediato, sendo o primeiro o contrato
propriamente dito e o último, o bem da visa suscetível de apreciação econômica.

d) O objeto mediato se limita ao seu aspecto econômico e ao fato de ser corpóreo.

e) Vale, em regra, o contrato que implique transmissão de direitos autorais.

 Gabarito: C.

 Questão objetiva 2

(MPRS - 2001) A superação do paradigma voluntarista do contrato encontra-se justificada pela:

I. Utilidade social do contrato.
II. Objetivação do vínculo contratual.
III. Concepção da causa como função econômico-social do contrato.
IV. Justiça da relação contratual no caso concreto.
V. Expansão das hipóteses de vícios do consentimento.

Assinale a alternativa correta:

a) Somente as alternativas I e III estão corretas.

b) Somente as alternativas II e III estão corretas.

c) Somente as alternativas I, II, III e IV estão corretas.

d) Somente as alternativas I, II, IV e V estão corretas.

e) Somente as alternativas I e IV estão corretas.

 Gabarito: C - assertivas I a IV estão corretas.

 Caso Concreto 1

Jovenal, prestador de serviços em Curitiba, após troca de e-mails com informações sobre o serviço (via

Internet) com Maria (residente em Colombo, região metropolitana de Curitiba) apresenta-lhe on-line

(também via Internet/Messenger) proposta para realizar pintura de sua residência, indicando o preço que

cobraria pela empreitada e o material necessário. Responda as questões abaixo:

 i. Pode-se afirmar que houve negociação preliminar? Se afirmativa a
resposta, de que forma?

 ii. A proposta feita on-line por Jovenal vincula? Justifique sua resposta e
destaque, em caso afirmativo, o que significaria a obrigatoriedade da oferta.

 iii. Qual o prazo de validade da oferta feita por Jovenal?
 iv. Em que momento poderia ser considerada aceita a proposta e formado

finalmente o contrato?
 v. Identifique o lugar da celebração do contrato.

 Gabarito:

 i. Pode-se afirmar que houve negociação preliminar? Se afirmativa a
resposta, de que forma? Sim, por meio do prévio contado pela Internet.

 ii. A proposta feita on-line por Jovenal vincula? Justifique sua
resposta e destaque, em caso afirmativo, o que significaria a
obrigatoriedade da oferta. A oferta vincula o proponente Jovenal se
contiver todos os elementos essenciais do negócio proposto e se do
contrário não resultar dos termos dela (art. 428, CC, ).

 iii. Qual o prazo de validade da oferta feita por Jovenal? Não há prazo.
A aceitação deve ser imediata porque considerada proposta feita a
pessoa presente.

 iv. Identifique o lugar da celebração do contrato. Colombo, art. 435,
CC.

Questão objetiva 1

(TJSC - Juiz Substituto - 2010) Assinale a alternativa correta:

I. A liberdade de contratar é exercida em razão e nos limites da função social do contrato. No
sistema do Código Civil, quando há no contrato de adesão cláusulas ambíguas ou

contraditórias, nem sempre adota-se a interpretação mais favorável ao aderente. Contudo,
nos contratos de adesão, são nulas as cláusulas que estipulem a renúncia antecipada do
aderente a direito resultante da natureza do negócio.

II. É nulo o negócio jurídico quando: celebrado por pessoa absolutamente incapaz; for ilícito,
impossível ou indeterminável o seu objeto; o motivo determinante, comum a ambas as
partes, for ilícito; tiver por objetivo fraudar lei imperativa; derivar de erro, dolo, coação,
estado de perigo, lesão ou fraude contra credores. O negócio jurídico nulo não é suscetível
de confirmação, nem convalesce pelo decurso de tempo.

III. É lícito aos interessados prevenir ou terminar o litígio mediante concessões mútuas. A
transação, se recair sobre direitos contestados em juízo, será feita por escritura pública ou
por temo nos autos, assinado pelos transigentes e homologado pelo juiz.

IV. O texto do Código Civil contempla, sempre que necessário, cláusulas gerais. As cláusulas
gerai conferem ao sistema jurídico flexibilidade e capacidade de adaptação à evolução do
pensamento e do comportamento social e importam em avançada técnica legislativa de
enunciar, através de expressões semânticas relativamente vagas, princípios e máximas que
compreendem e recepcionam a mais variada sorte de hipóteses concretas de condutas
tipificáveis, já ocorrentes no presente ou ainda por realizarem no futuro.

a) Somente as proposições
Thais Nascimento fez um comentário
  • ótimo material
    2 aprovações
    Zaelma Ribeiro fez um comentário
  • está questão caiu na prova
    1 aprovações
    Sara Pontes fez um comentário
  • Recomendo este material. Foi utilizado em sala de aula.
    0 aprovações
    Carregar mais