ines da silva moreira
167 pág.

ines da silva moreira


DisciplinaServiço Social e Terceiro Setor76 materiais1.327 seguidores
Pré-visualização44 páginas
localmente, que ajude a refletir sobre a amplitude das repercussões de 
nosso modo de vida para além do âmbito local em que nos relacionamos 
(GÓMEZ; AGUADO; PEREZ, 2005, p.34). 
 
Sua reflexão é de uma educação que leva as pessoas a tomar 
consciência enquanto pessoa humana e a necessidade de assumir a 
responsabilidade e o compromisso com a preservação do meio ambiente. 
Cabe ao profissional de Serviço Social, juntamente com o poder público 
e a população, potencializar uma articulação com os governos locais para o 
desenvolvimento de práticas educativas e na preservação do meio ambiente. 
Segundo Bourguinon, (2007, p. 52): 
 
O Serviço Social tem uma rica experiência e um conhecimento acumulado 
sobre as formas de aproximação ao sujeito, além de ser academicamente 
preparado para isso. A questão que se coloca hoje é que os procedimentos 
metodológicos de pesquisa preservem a centralidade do sujeito, bem como 
63 
 
que o Assistente Social trabalhe com o conjunto das informações colhidas 
na realidade, de forma a potencializar em sua intervenção as alternativas 
que garantam a consolidação dos direitos fundamentais do cidadão. 
 
A relação que o Assistente Social estabelece com o sujeito participante 
de sua investigação deve sustentar-se no diálogo crítico, para propiciar 
conhecimentos novos e elevar o nível de consciência desse sujeito. 
Educar para a cidadania responsável vai exigir do profissional de Serviço 
Social uma consciência crítica, reflexiva e criar estratégias para habilitar grupos para 
uma ação social comprometida em preparar cidadãos para a participação social, 
contribuição e formulação de políticas voltadas para o bem estar, ou mesmo, para a 
saúde de nosso planeta e porque não em uma cultura democrática. 
Nota-se que a população menos favorecida tem sofrido muito mais os 
impactos ambientais pela falta de água, energia, alimentação. Assim, a sociedade 
civil juntamente com os órgãos públicos devem ser fortalecidos e incentivados para 
legitimar esse processo de descentralização na gerência dos recursos e ações do 
governo. 
Marcatto, (2002, p. 14) enfatiza sobre o assunto, trazendo a seguinte 
proposta: 
 
[...] que a Educação Ambiental seja um processo de formação dinâmico, 
permanente e participativo, no qual as pessoas envolvidas passem a ser 
agentes transformadores, participando ativamente da busca de alternativas 
para a redução de impactos ambientais e para o controle social do uso dos 
recursos naturais. 
 
Os inúmeros desafios relativos ao Desenvolvimento Sustentável se 
apresentam como novas expressões da questão social5; e, desta forma, constituem 
também objeto da profissão do Serviço Social, uma vez que, como novas 
expressões, um dos caminhos de enfrentamento é a introdução do 
desenvolvimento sustentável na vida da sociedade contemporânea, promovida por 
novos hábitos e também novas relações sociais. 
Iamamoto (1992, p. 14), define o objeto do Serviço Social nos seguintes 
termos: 
 
 
5
 Questão social, as expressões do processo de formação e desenvolvimento da classe operária e de 
seu ingresso no cenário político da sociedade, exigindo seu reconhecimento como classe por parte 
do empresariado e do Estado. É a manifestação, no cotidiano da vida social, da contradição entre o 
proletariado e a burguesia, a qual passa a exigir outros tipos de intervenção mais além da caridade 
e repressão. (CARVALHO; IAMAMOTO, 1983, p.77). 
64 
 
Os assistentes sociais trabalham com a questão social nas suas mais 
variadas expressões quotidianas, tais como os indivíduos as experimentam 
no trabalho, na família, na área habitacional, na saúde, na assistência social 
pública, etc. Questão social que sendo desigualdade é também rebeldia, por 
envolver sujeitos que vivenciam as desigualdades e a ela resistem, se 
opõem. É nesta tensão entre produção da desigualdade e produção da 
rebeldia e da resistência, que trabalham os assistentes sociais, situados 
nesse terreno movido por interesses sociais distintos, aos quais não é 
possível abstrair ou deles fugir porque tecem a vida em sociedade. [...] a 
questão social, cujas múltiplas expressões são o objeto do trabalho 
cotidiano do assistente social. 
 
O Serviço Social também está presente no arcabouço dessa 
transformação e na construção de uma consciência nova, a partir da educação 
social. Como educador ambiental, trabalha com comprometimento na comunidade, 
podendo fazer da área ambiental um espaço de controle, fiscalização e até de 
criação de ações que auxiliem no incentivo à preservação do meio ambiente. 
A política social analisada à luz das imposições da política econômica 
reduz os gastos públicos, e com isto o atendimento aos programas sociais fica 
focado e fragmentado, não atendendo de forma equitativa a milhões de pessoas 
que vivem em condições subumanas. 
A realização do projeto social é fundamental para o desenvolvimento de 
ações de educação ambiental nestas regiões degradadas, propiciando a 
valorização do meio ambiente, possibilitando que indivíduos e grupos se preparem 
para a compreensão e posicionamento sobre a realidade socioambiental, com o 
objetivo de serem cidadãos atuantes na transformação desta realidade em 
benefício de todos. 
A participação da sociedade, como afirma Zapata (2007, p. 29): 
 
[...] é entendida como o processo de tomar parte nas decisões e de 
responsabilizar-se por elas. A efetiva participação eleva o ator social à 
condição de sujeito histórico de mudanças e a comunidade organizada à de 
protagonista proativa do processo de gestão social. 
 
Ainda a educação com o meio ambiente é uma área relativamente nova 
para a profissão de Serviço Social, necessitando estudar e aprofundar seus 
conhecimentos em pesquisas para atuar de forma efetiva no ambiental. 
O assistente social poderá intervir utilizando sua função de integrar e 
coordenar ações na forma de conscientização da população, usando indicadores 
ambientais como subsídios para tomada de decisões enquanto sociedade 
65 
 
sustentável. Qualquer mudança somente é possível desde que se conheça a 
realidade que se pretende mudar 
Por esta razão a necessidade de uma atuação multidisciplinar focando o 
problema, buscando conhecer e entender a realidade para, posteriormente, agir na 
busca por conscientização da comunidade. 
Os Projetos de Aceleração do Crescimento respondem, em parte, às 
possibilidades de estancamento e recuperação de áreas degradadas. Ao mesmo 
tempo, podem estimular e ser estimuladas outras ações que certamente acontecem 
atualmente, permitindo vislumbrar um futuro melhor para todos. 
As razões expostas oferecem subsídios que permitem acreditar na 
importância do projeto, que visa demonstrar a efetiva contribuição do Assistente 
Social do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em geral e, no Projeto de 
Trabalho Técnico Social em Abastecimento de Água na cidade de Sumaré, em 
particular. O próximo capítulo auxiliará na compreensão e nos desdobramentos dos 
aspectos metodológicos que a pesquisa apresenta. 
66 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CAPÍTULO 2 DESCRIÇÃO METODOLÓGICA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
67 
 
A ciência tem como objetivo chegar à veracidade dos fatos. Neste 
sentido não se distingue de outras formas de conhecimento. O que 
torna, porém, o conhecimento científico distinto dos demais é que tem 
como característica fundamental a sua verificabilidade. (GIL, 1994, 
p.27). 
 
A pesquisa foi realizada sobre o Projeto de Trabalho Técnico Social de 
Abastecimentos de Água na cidade de Sumaré, executada pela Sociedade