A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
73 pág.
Apostila Fisiologia do Sistema Nervoso 2100663

Pré-visualização | Página 1 de 20

V e t e r i n a r i a n D o c s 
www.veterinariandocs.com.br 
 
 
 
 
1 
www.veterinariandocs.com.br 
Fisiologia 
 
 
Fisiologia do Sistema Nervoso 
Sistema Nervoso: forma uma rede de comunicação através de circuitos neurais 
constituídos por neurônios interconectados por sinapses. 
Neurônios: unidade funcional do SN. É composto por uma superfície receptora 
(corpo celular) e ramificações (dendritos – são extensões do corpo celular, dendritos de 
muitos neurônios apresentam condutâncias dependentes de voltagem e recebem as 
sinapses ou conexões neurônio-neurônio). Axônios originam-se do somo em uma região 
especializada (cone de emergência) e fazem contatos sinápticos com outros neurônios 
ou com células efetoras, e também conduzem substâncias químicas na direção das 
terminações sinápticas (transporte axonal). O complexo biossintético do neurônio é 
composto pelos corpos de Nissl, que são grupamentos de retículo endoplasmático 
rugoso e pelo complexo de Golgi. 
-Os potenciais de ação que atingem o terminal pós-sináptico, geralmente liberam uma 
substância neurotransmissora. O neurotransmissor pode excitar a célula pós-sináptica, 
provocando a gênese de um ou mais potenciais de ação, ou inibi-la. 
 Neuróglia: também chamadas de células de sustentação. Não participa 
diretamente da comunicação de informação de curta duração, mas auxilia nesta função. 
Células neurogliais suprem muitos axônios com bainhas de mielina, que aumentam a 
velocidade de condução dos potenciais de ação. 
 
2 
www.veterinariandocs.com.br 
 -No sistema nervoso periférico: dão suporte às atividades dos neurônios 
(células de Schwann e células-satélites) 
 -No sistema nervoso central: astrócitos, oligodendrócitos, micróglia e 
células ependimais. 
 *Astrócitos: auxiliam na regulação do microambiente dos neurônios no SNC. 
Apresentam os ‘pés-astrocitários’ que fazem contato com os capilares e com o 
t.conjuntivo na superfície do SNC (pia-máter). Estes pés auxiliam, limitando a livre 
difusão de substâncias para o SNC. Funcionam tamponando o meio extracelular dos 
neurônios com relação aos íons e neurotransmissores. Após uma agressão, os processos 
astrocitários que contêm estes filamentos gliais hipertrofiam e formam uma cicatriz 
‘glial’. 
*No SNC, os axônios mielinizados são envolvidos por membranas da oligodendroglia, 
enquanto os amielínicos são desprovidos de revestimento. 
 *A mielina aumenta a velocidade por permitir que o fluxo de corrente iônica 
durante os potenciais de ação, ocorra apenas nos nós de Ranvier. Esta ação resulta em 
uma ‘condução saltatória’, que é o ‘salto’ dos impulsos nervosos de um nodo ao outro. 
 *Células-satélites: regulam seu microambiente, semelhante aos astrócitos. 
 *Micróglia: são fagócitos em potencial. Auxiliam na remoção dos resíduos 
celulares da agressão. 
 *Células do epêndima: formam o epitélio que separa o SNC do líquido 
cefalorraquidiano (LRC) nos ventrículos. O LCR é secretado por células ependimais 
especializadas dos plexos coróides. 
Transporte Axonal: organelas ligadas à membrana e à mitocôndria são 
transportadas de modo relativamente rápido através de um transporte axonal rápido. 
Substâncias que estão dissolvidas no citoplasma, como proteínas, são movidas pelo 
transporte axonal. Requer energia metabólica e envolve os íons de cálcio. Propõe-se que 
o transporte axonal seja dependente do movimento dos filamentos de transporte. O 
cálcio desencadeia o movimento das organelas ao longo dos microtúbulos. Proteínas 
motoras especiais, ligadas aos microtúbulos, denominadas ‘cinesina’ e ‘dineína’, são 
necessárias para o transporte axonal, que ocorre em ambas as direções. O transporte 
 
3 
www.veterinariandocs.com.br 
axonal para o axônio terminal, é denominado de ‘transporte axonal anterógrado’, e 
envolve a Cinesina. O transporte no sentido oposto, que é dirigido pela Dineína é 
denominado de ‘transporte axonal retrógrado’. 
Reações do tecido nervoso à uma lesão: 
1-Degeneração: Quando um axônio é seccionado, o soma do neurônio apresenta 
uma ‘reação axonal’ ou cromatólise. Durante a reação axonal as cisternas do retículo 
endoplasmático rugoso ficam distendidas com os produtos da síntese protéica. Devido 
ao fato de o axônio não poder sintetizar novas proteínas, o axônio distal à ‘ferimento’ 
morre. Ao término de alguns dias, o axônio e todas as terminações sinápticas associadas 
se desintegram. Se o axônio for mielinizado, a bainha de mielina fragmenta-se e é, 
eventualmente, fagocitada e removida. No SNP, as células de Schwann que formam a 
bainha de mielina permanecem viáveis, e sofrerão divisão celular. (Degeneração 
Walleriana). 
Se os axônios que fornecem a única aferência sináptica para uma célula efetora 
são interrompidos, a célula pós-sináptica pode sofrer uma ‘Degeneração Transneural’ 
ou mesmo morrer. Ex.: atrofia das fibras musculares esqueléticas. 
 2-Regeneração: Após um axônio ser perdido por uma lesão, muitos 
neurônios são capazes de regenerar um novo axônio. O coto proximal do axônio lesado 
desenvolve ‘brotamentos’. No SNP, estes brotamentos prolongam-se e crescem ao 
longo do trajeto do nervo original, se esta rota estiver disponível. As células de 
Schwann do coto distal do nervo não só sobrevivem à degeneração Walleriana, mas 
também proliferam e formam uma fileira ao longo do trajeto previamente adotado pelos 
axônios. ‘Cones de crescimento’ dos axônios em brotamento acham seu caminho ao 
longo das fileiras de células de Schwann e podem reinervar o trajeto original das 
estruturas periféricas. As células de Schwann, então, remielinizam os axônios. A 
velocidade de regeneração é limitada pela velocidade do transporte axonal lento. No 
SNC o direcionamento está ausente, pois a oligodendróglia não forma uma via ao longo 
da qual eles possam crescer. 
 *Oligodendróglia: mieliniza muitos axônios centrais. 
 *Células de Schawann: fornece mielina para um único axônio periférico. 
 
4 
www.veterinariandocs.com.br 
Fatores Tróficos: fator de crescimento neural (NGF) 
 1-Fator de crescimento derivado do cérebro (BDGF) 
 2-Neurotrofinas 3,4,5 
 3-Fator neutrófico ciliar 
 *Alguns desses fatores afetam o crescimento das células ganglionares. 
O NGF é secretado por célula-alvo e liga-se a receptores especiais localizados 
nos neurônios com os quais as células-alvo fazem sinapse. O conjunto de NGF e o 
receptor é internalizado e o NGF transportado, retrogradamente, para o soma, podendo 
atuar diretamente no núcleo, afetando a produção de enzimas responsáveis pela síntese 
de neutransmissores e pelo crescimento axonal. 
Funções gerais do Sistema Nervoso 
 - percepção sensorial, processamento de informações e comportamento. 
*Excitabilidade: é uma propriedade celular dos neurônios, envolvendo sinais elétricos 
que permitam receber e transmitir informações. 
*Detecção sensorial: é o processo pelo qual os neurônios traduzem a energia ambiental 
em sinais neurais. A detecção sensorial é realizada por neurônios especiais, 
denominados ‘receptores sensoriais’. Ex.: forças mecânicas, luz, som, químicos e 
temperatura. 
 Processamento de informação: 
1- Transmissão da informação nas redes neurais 
2- Transformação dos sinais (cominando-os com outros sinais – 
integração neural) 
3- Armazenamento e recuperação de informações de memória 
4- Uso da informação sensorial para a percepção 
5- Processos de pensamento 
6- Aprendizado 
 
5 
www.veterinariandocs.com.br 
7- Planejamento e execução de comandos motores 
8- Emoções 
*O comportamento consiste da totalidade das respostas de um organismo ao seu 
ambiente. 
Sistema Nervoso Periférico 
Estabelece uma interface entre o ambiente