A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Exp_03_1S_Micrometro_Cronometro_2013

Pré-visualização | Página 1 de 1

Universidade São Judas Tadeu 
Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas 
Cursos de Engenharia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Laboratório de Física 
Micrômetro e Cronômetro 
Autor: Prof. Luiz de Oliveira Xavier 
 
 
 
 
 
 
GRUPO: TURMA: Data: 
 
 
Aluno R.A 
 
 
 
 
 
 
 
 
- 2013 - 
 
 
 
GRUPO: NOTA: 
 
LABORATÓRIO DE FÍSICA 1 - TEORIA DE ERROS E MEDIDAS – Uso do MICRÔMETRO. 
 
1. Partes de um micrômetro: 
 
 
2. Leitura de um micrômetro: 
 
Partes e Escalas: 
1. Ponta fixa. 
2. Ponta móvel. 
3. Trava. 
4. Escala principal (Bainha) (Precisão: 1 mm) 
5. Escala secundária (Precisão: 0,01 mm) 
6. Tambor. 
7. Catraca. 
8. Escala de auxílio (Bainha) (Precisão: 0,5 mm) 
 
Cada divisão da escala secundária (girante) equivale ao 
avanço ou retrocesso de 0,01 mm. Com uma volta 
completa, o parafuso micrométrico avança ou retrocede 
0,5 mm. 
 
Como ler o Instrumento? 
1º Ler os milímetros na escala da bainha. 
2º Ler o meio milímetro na bainha (se houver). 
3º Ler os centésimos de milímetro no tambor. 
4º Somar tudo. 
 
3. Exemplos de Leituras: 
 
 
4. (1) Qual é a precisão do micrômetro que você está utilizando? Resp.: p = _____________ mm. 
 
5. (1) Qual é a incerteza do micrômetro que você está utilizando? Resp.: ____________ mm. 
 
6. (1) Meça a espessura da folha de papel do relatório e anote o resultado da medida e sua incerteza no formato 
padrão. Não esqueça a unidade da medida. 
 
e = ( _________________ __________________ ) __________ 
 
7. (1) Este micrômetro permite ler quantas casas decimais (após a virgula) na unidade mm, incluindo a casa estimada 
a qual coincide com a casa da incerteza? 
 
Resp.: ___________casas decimais. 
 
8. (3) Meça 6 vezes o diâmetro de uma bolinha de gude e preencha a tabela abaixo. Anote as três casas decimais 
(após a vírgula) incluindo a casa estimada para todas as medidas. Expresse o desvio quadrático com três algarismos 
significativos. 
 
i Diâmetro: 
iD
 (mm) Desvio quadrático: 
2
id
(mm2) 
1 
2 
 3 
4 
5 
6 
Média Soma: 
 
 
22 )( ii DDd
 
 
)1(
2
N
dSoma
dp i
 
 
)1(
2
NN
dSoma
dpm i
 
9. (1) Calcule o valor médio e expresse com três casas decimais. Não esqueça a unidade da medida. 
 
Resp.: 
D
______________________________________ 
10. (1) Calcule o desvio padrão: 
)1(
2
N
dSoma
dp i
 . Escreva o resultado com apenas dois algarismos significativos. 
Os zeros à esquerda nunca são tratados como significativos. 
Não esqueça a unidade da medida. 
 
Resp.: dp =_____________________________ 
11. (1) Calcule o desvio padrão da média: 
)1(
2
NN
dSoma
dpm i
. Escreva o resultado com apenas dois algarismos 
significativos. Os zeros à esquerda nunca são tratados como significativos. 
Não esqueça a unidade da medida. 
 
Resp.: dpm =______________________________ 
 
12. (3) Escreva o resultado final para a medida média do diâmetro da bolinha no formato padronizado: 
unidadedpmDD )(
. Utilize os valores de 
D
e dpm na mesma unidade e iguale as casas decimais (casas 
depois da vírgula). Não esqueça a unidade da medida no final. 
 
D = ( _________________ _______________ )_________ 
 
13. (1) Para que serve a catraca do micrômetro? 
 
Resp.: ______________________________________________________________________________________ 
 
14. (1) Quanto vale um mícron ( 1 ) em metro? Expresse em notação científica. Resp.:__________________ 
 
Referência: Coleção de Exercícios de Física – Prof. Luiz de Oliveira Xavier – Editora Universidade São Judas. 
 
 
GRUPO: NOTA: 
 
LABORATÓRIO DE FÍSICA 1 - TEORIA DE ERROS E MEDIDAS – Uso do CRONÔMETRO. 
1 - MEDIDA DO TEMPO. 
Da mesma forma que uma régua permite medir distâncias marcando intervalos iguais de comprimento, um 
relógio é qualquer instrumento que permita medir o tempo, marcando intervalos iguais de tempo. 
Qualquer fenômeno periódico, ou seja, que se repete sem alteração cada vez que transcorre um determinado 
intervalo de tempo pode ser utilizado como um relógio. 
Um dos "relógios" mais antigos foi provavelmente o relógio de Sol associado com o nascer do sol, definindo 
o intervalo de um dia. Galileu Galilei (1564-1642) utilizou como relógio as suas próprias 
pulsações (batimentos cardíacos) para quantificar a medida do tempo em suas experiências. Foi 
Galileu quem desenvolveu os primeiros estudos sistemáticos do movimento uniformemente 
acelerado e do movimento do pêndulo, que foi o precursor de relógios mais precisos, os relógios 
de pêndulo. Galileu foi personalidade fundamental na revolução científica e a sua principal 
contribuição foi para o método científico, pois a ciência assentava numa metodologia aristotélica. 
Galileu fortaleceu o empirismo e modificou a metodologia científica introduzindo instrumentos e 
medições em seus experimentos. Por esta contribuição Galileu Galilei é considerado o “Pai da Ciência Moderna”. 
 
2 - O CRONÔMETRO. 
 Você recebeu um cronômetro digital para realizar a medida do tempo. Este instrumento é bem mais preciso 
do que os instrumentos de Galileu, porém, semelhante a Galileu você contará os seus batimentos cardíacos. 
 Você sabia? Os batimentos cardíacos de uma pessoa em boa forma física podem chegar a 60 bpm 
(batimentos por minuto). Um pessoa fora de forma pode apresentar 80 bpm ou mais. Já alguém que apresente um 
excelente perfil cardiovascular como um atleta de maratona por exemplo, pode chegar a somente 40 pbm! Curioso? 
O coração é um músculo e quanto melhor estiver o sistema cardiovascular, menos batimentos é necessário 
para que o fluxo sanguíneo percorra todo o corpo. Um coração “treinado” é mais eficiente e realiza menos 
batimentos por minuto. Por isso, FAÇA EXERCÍCIOS FÍSICOS REGULARMENTE! Isto poderá lhe proporcionar uma 
melhor qualidade de vida no futuro! 
 
 Meça os batimentos de seu coração posicionando o dedo indicador e anular na base 
do pulso conforme a figura à direita. Meça o número de batimentos em 10 segundos. Repita 
a medida mais duas vezes. Anote na Tabela 1 e passe o cronômetro para os seus colegas de 
grupo para que todos meças os batimentos como você fez. 
 Preencham a tabela calculando o nº de bmp multiplicando cada medida por seis. 
 Expressem a média da medida de batimentos cardíacos para cada componente do 
grupo na unidade bpm. Calcule os desvios dp e dpm para cada componente do grupo. 
3 - FÓRMULAS NECESSÁRIAS: 
22 )( ii bpmbpmd
 , 
)1(
2
N
dSoma
dp i
, 
)1(
2
NN
dSoma
dpm i
 
(9) TABELA 1: Medida dos batimentos cardíacos dos componentes do grupo. 
Alunos 
do 
Grupo 
1ºBat 
(t=10s) 
2ºBat 
(t=10s) 
3º Bat 
(t=10s) 
bpm1 
(1ºBatX6) 
bpm2 
(2ºBatX6) 
bpm3 
(3ºBatX6) 
Média 
bpm
 
Desvio 
Padrão 
(dp) 
Desvio 
Padrão da 
Média 
(dpm) 
1º 
2º 
3º 
4º 
(2) Escreva o batimento cardíaco apenas do 1º aluno no formato padronizado e na unidade bpm. 
Bat_1ºAluno = (______________±______________) bpm 
(2) Qual é a precisão (P) e a incerteza (ơ) do cronômetro digital: P = __________s ; ơ = __________s. 
Você mediu os batimentos. Parabéns! 
(2) Qual é a sua precisão (P) e a sua incerteza (ơ) sobre o nº de batimentos que você consegue medir? 
P = _____________ batimento ; ơ = ______________ batimento.