A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
relatorio 3

Pré-visualização | Página 1 de 1

� PAGE \* MERGEFORMAT �3�
1. INTRODUÇÃO
Corrosão é um processo de deterioração de materiais que pode ser facilmente encontrada em materiais metálicos. Isso ocorre principalmente quando a um contato com gases nocivos ou umidade.
A corrosão pode ser classificada como Corrosão Química e Corrosão Eletroquímica. A corrosão eletroquímica, conhecida também como corrosão em meio aquoso, ela é um processo que ocorre espontaneamente, ou seja, que ocorre naturalmente, sem a necessidade de fornecer uma energia, variável do tempo. 
A corrosão eletroquímica é dada pela a posição da fila das tensões eletrolíticas, os metais menos nobres tem um potencial de oxidação mais alto e são mais reativos, ou seja, menos protegidos e mais fácil de ser corroídos. Os metais mais nobres tem um potencial de oxidação menor, com isso é mais difícil de corroídos.
A água é uma ótima meio para que se possa ocorre uma corrosão, já que ela contém impurezas, como sais, ácidos, bases e gases dissolvidos, material em suspensão e microrganismos. Mais a outra solução que pode acelerar a corrosão, como uma solução que contém cloreto de sódio, na corrosão o sal é um eletrólito forte, aumentando a condutividade, que é fundamental no mecanismo eletroquímico.
A corrosão por pites é um tipo de ataque aonde ocorre destruição é confinada a pequenas áreas, causando pequenos furos que penetram no metal. Os surgimentos do pite está relacionado á presença de certos ânions agressivos no meio. O metal pode demostrar diferentes potenciais de pite em diferentes ânions, sendo que os íons cloreto é um dos mais agressivos de todos. 
Metal de sacrifício é utilizado para evitar este tipo de problema, o metal de sacrifício ou eletrodo de sacrifício é colocado em contato com o objeto que pode ser de ferro ou aço, esse metal ter um potencial de oxidação maois que o material que vai ser protegido, para que assim ele passa oxidar no lugar dele. Exemplo demos o Magnésio que possui um potencial menor que o do Ferro, com isso ele se oxida e protege o Ferro. 
Fe2+ + 2 e- → Fe(s)   E0 = - 0,44 V
Mg2+ + 2 e- → Mg(s) E0 = - 2,37 V
Este tipo de material é muito utilizado para protege casco de Navios, como a água do mar tem uma concentração alta de cloreto, o processo de corrosão eletroquímica ocorre não rápido, danificado o seu casco. 
2. OBJETIVO
Avaliar qualitativamente a capacidade de eletrodo de sacrifício em peça de aço.
3. MATERIAIS E REAGENTES
8 Becker de 50 mL;
8 Pregos;
Tira de Zinco;
Tira de Alumínio;
Tira de Cobre;
Água da torneira; 
Solução de NaCl 3%.
4. PROCEDIMENTO
Pegaram-se oito Becker de 50 mL, sendo que quatro foram colocado água da torneira, identificados M1A a M4A, e quatro com solução de NaCl 3%, identificados M1B a M4B. Pesou-se os oito pregos em uma balança analítica.
Nos dois primeiros Becker de cada solução, colocou-se um prego sem tira, sendo utilizado como padrão, em mais dois Becker de cada solução colocou-se um prego com um tira de zinco e repetiu-se o mesmo procedimento com a tira de alumínio e cobre. Deixou-se coberto com a solução por quinze dias.
5. RESULTADOS E DISCUSSÕES
Experimento com água de torneira
Figura 1- Sistemas em ataque
Autora: Brenda Monara
A água da torneira possuem impurezas, das quais são responsáveis pela corrosão de materiais metálicos. A utilização de um metal de sacrifício é indicado para proteção de metais com o Ferro, no experimento foi utilizados tiras de zinco, alumínio e cobre para revestir o prego de ferro, com o objetivo de encontrar qual é o melhor metal de sacrifício. 
Os materiais foram deixados em descanso por volta de 15 dias, e foram obtendo os seguintes resultados:
Tabela 1 - Resultados água de torneira
	Resultados (Água de torneira)
	Peça metálica (prego)
	Eletrodo de Sacrifício
	Massa Inicial do Prego
	Massa final (após 15 dias)
	Diferença de massa
	1 (padrão)
	-
	3,2262g
	3,2096g
	+0,0166g
	2
	Zinco
	3,2121g
	3,2150g
	-0,0029g
	3
	Alumínio
	3,1429g
	3,1316g
	+0,0113g
	4
	Cobre
	3,2160g
	3,2017g
	+0,0143g
Analisando os potenciais de oxidação de cada material podemos concluir:
Al(Al3+ + 3e- E°oxi = +1,66
Zn(Zn2+ + 2e- E°oxi = +0,763
Fe(Fe2+ + 2e- E°oxi = +0,440
Cu(Cu2+ + 2e- E°oxi = -0,337
O Alumínio tem um potencial de oxidação maior que o do ferro, com isso seria o melhor metal de sacrifício, porque quando ele se oxida, o alumínio produz uma camada passiva de proteção que é chamada oxido de alumínio, essa camada protege o metal do contato do oxigênio, tornando-o extremamente resistente ao processo de corrosão. O óxido de alumínio é uma substância resistente à ação da água e do oxigênio.
O zinco apresenta uma condição mais favorável, como foi observado no experimento, as peças de ferro não sofreu alteração na sua estrutura. Sua diferença de massa foi de -0,0029g, o valor negativo provavelmente pela a falta de lavagem do zinco depositado no prego. 
O cobre possui potencial de oxidação bem menor, com isso não é um bom metal de sacrifício.
 
Figura 2 - Sistemas após 14 dias de repouso
Autora: Brenda Monara
Solução de NaCl 3%
A solução de NaCl a 3%, aumentou a condutividade com isso aumentando a corrosão, os ions de Cl- é ótimo mecanismo eletroquímico para corrosão, porque tem a capacidade de penetrar a camada passiva do óxidos. Com isso a solução salina vai apresentar maior corrosão e a da água da torneira. 
Figura 3 - Sistemas em ataques
Autora: Brenda Monara
Após 15 dias foram observado os seguintes resultados:
Tabela 2 - Resultados solução NaCl 3%
	Resultados (Solução Salina)
	Peça de metal
(Pregos)
	Eletrodo de Sacrificio
	Massa Inicial do Prego
	Massa final
(após 15 dias)
	Diferença de massa
	1 (Padrão)
	-
	3,2186g
	3,2079g
	+0,0107g
	2
	Zinco
	3,2253g
	3,2253g
	0,0g
	3
	Aluminio
	3,2273g
	3,2190g
	+0,0083g
	4
	Cobre
	3,2239g
	3,2022g
	+0,0217g
Foi observado que apenas o prego com cobre perdeu a maior massa sendo comparado com a solução de água de torneira, provavelmente isto ocorreu por causa da concentração de oxigênio na água da torneira e temperatura, aumentando o processo de corrosão.
O zinco mostrou-se um ótimo metal de sacrifício oxidando e protegendo o prego da corrosão.
Já o cobre por ele tem um potencial menor, com isso ele se deixa o prego sofre corrosão em seu lugar, como foi observado na figura abaixo.
Figura 4 - Sistemas após 15 dias de repouso
Autora: Brenda Monara
6. CONCLUSÃO
Através do experimento podemos observar que os metais de sacrifício são de grande importância, e que dependendo do meio aonde ele se encontra, o processo de corrosão pode ser mais rápido ou mais lento. Lembrando que para obter este resultado devemos observar qual será o metal protegido e qual será o metal de sacrifício, porque dever de proteger, o metal de sacrifício pode provocar uma corrosão. 
7. BIBLIOGRAFIA
http://www.cesec.ufpr.br/metalica/patologias/corrosao/corrosao-texto.htm
Acessado no dia 08/06/2015 ás 15:30hs
http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc19/a04.pdf
Acessado no dia 08/06/2015 ás 15:45hs