Aula 2 - Modelo Administrativo.
5 pág.

Aula 2 - Modelo Administrativo.


DisciplinaAdministração das Organizações7 materiais128 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Aula II
Modelo Administrativo
Modelos Administrativos
Os Modelos Administrativos fornecem informações de diretiva sobre os itens exibidos na pasta Modelos Administrativos na árvore de console do Editor de Objeto de Diretiva de Grupo.
Arquivos .adm de modelo administrativo
O arquivo .adm consiste em uma hierarquia de categorias e subcategorias que, juntas, definem como as configurações da diretiva são exibidas. Ele também contém as seguintes informações:
- Os locais do Registro que correspondem a cada configuração. 
- As opções ou restrições em valores que são associadas a cada configuração. 
- Em muitas configurações, um valor padrão. 
- As explicações sobre o que cada configuração faz. 
- A versão do Windows que dá suporte a cada configuração. 
Os modelos administrativos da Diretiva de Grupo contêm todas as informações de diretiva baseadas no Registro. As configurações do usuário são salvas em HKEY_CURRENT_USER (HKCU) e as configurações do computador, em HKEY_LOCAL_MACHINE (HKLM). HKCU e HKLM colocam as informações do Registro específicas à Diretiva de Grupo em \Software\Policies ou em \Software\Microsoft\Windows\CurrentVersion\Policies. Portanto, há cinco áreas do Registro que contêm as configurações de Diretiva de Grupo do Registro.
Os modelos administrativos oferecem estes novos recursos: 
Uma descrição de cada configuração de diretiva em Modelos Administrativos é exibida na Ajuda online. 
	Modelo administrativo 
	Descrição 
	System.adm
	 Configurações do sistema
	Inetres.adm
	 Configurações do Internet Explorer
	Wmplayer.adm
	 Configurações do Windows Media Player. 
 Essa ferramenta não está disponível em versões baseadas em Itanium dos sistemas operacionais Windows. 
 Essa ferramenta não está disponível em versões baseadas em x64 dos sistemas operacionais Windows. Configurações do NetMeeting.
	Conf.adm
	 Essa ferramenta não está disponível em versões baseadas em Itanium dos sistemas operacionais Windows. 
 Essa ferramenta não está disponível em versões baseadas em x64 dos sistemas operacionais Windows. 
	Wuau.adm
	 Configurações do Windows Update.
A palavra-chave supported nos arquivos .adm que informa quais versões do Windows têm suporte como clientes na configuração. Para obter informações sobre essa palavra-chave, consulte "Para implementar diretivas baseadas no Registro" no site da Microsoft. 
Um modo de exibição da Web que mostra as explicações de cada configuração e as novas informações com suporte. Para obter informações sobre como usar o modo de exibição da Web, consulte Usar o modo de exibição fornecido pelos modelos administrativos.
A capacidade de filtrar configurações do modo de exibição para simplificar a tela quando você estiver usando os modelos administrativos. Para obter informações sobre como usar este novo recurso, consulte Filtrar o modo de exibição fornecido pelos modelos administrativos.
Se você pretende criar entradas nos modelos administrativos, preencha o espaço para nome com a seguinte convenção de nomenclatura, que também será usada no Registro: \Nome_da_Empresa\produto\versão (ou \Nome_da_Empresa\produto&versão). Por exemplo, as configurações de sistema operacional do Windows estão no \Microsoft\Windows.
Para obter informações sobre como adicionar um arquivo .adm, consulte Adicionar ou remover um Modelo Administrativo (arquivo .adm). Para obter mais informações sobre modelos administrativos, consulte Modelos administrativos incluídos nesta versão do Windows e O papel dos Modelos administrativos.
Planejamento
O Planejamento estratégico é um processo gerencial que diz respeito à formulação de objetivos para a seleção de programas de ação e para sua execução, levando em conta as condições internas e externas à empresa e sua evolução esperada. Também considera premissas básicas que a empresa deve respeitar para que todo o processo tenha coerência e sustentação.
Para Bateman e Snell (1998), a administração estratégica é um processo envolvendo administradores de todos os níveis da organização, que formulam e implementam objetivos estratégicos. Já o Planejamento Estratégico seria o processo de elaboração da estratégia, na qual se definiria a relação entre a organização e o ambiente interno e externo, bem como os objetivos organizacionais, com a definição de estratégias alternativas (MAXIMIANO, 2006).
O planejamento estratégico prevê o futuro da empresa, em relação ao longo prazo. De uma forma genérica, consiste em saber o que deve ser executado e de que maneira deve ser executado. Este é crucial para o sucesso da organização, e a responsabilidade deste planejamento assenta sobretudo nos gestores de topo, dado o nível de decisões que é necessário tomar1 .
Na generalidade o planejamento pode ser dividido em três níveis:
Planejamento estratégico;
Planejamento táctico;
Planejamento operacional.
Segundo Públio (2008) em seu livro: Como Planejar e Executar uma Campanha de Propaganda. O estabelecimento de um planejamento estratégico de marketing envolve cinco atividades:
Definição da missão corporativa.
Análise da situação.
Formulação de objetivos.
Formulação de estratégias.
Implementação, Feedback e controle.
De acordo com CARVALHO et. al. (2008), em estratégia empresarial, existe uma relação entre visão, missão, objectivos, estratégia e valores. Estes autores defendem um esquema, em que a visão funciona como uma "umbrella" à missão, aos objectivos e à estratégia e os valores são o balastro, a fundação de todo o movimento. Segundo os autores a visão, missão, objectivos e valores permitem conhecer o "para onde se quer ir" enquanto a restante estratégia permite resposta ao "por onde se pretende ir".
Liderança
É muito comum no nosso dia-a-dia encontrarmos pessoas que tem facilidade de manipular ou provocar reações negativas. São pessoas que utilizam recursos de \u201cchantagens emocionais\u201d, sendo especialistas na arte de deixar os outros com um sentimento de culpa e em situação desconfortável.
Normalmente, os manipuladores ou \u201cchantagistas emocionais\u201d utilizam de críticas destrutivas e frases negativas recheadas da palavra \u201cnão\u201d.
 \u201cVocê não tem jeito. Quantas vezes eu já disse para você não agir assim. Você não é legal comigo!\u201d
Fazendo um papel de vítima frágil, o manipulador quase sempre conquista seus objetivos.
Ele escolhe o momento certo, quando estamos despreparados e em ambientes desfavoráveis.
Como podemos \u201cquebrar\u201d esta manipulação? A resposta está na assertividade.
Ser assertivo é saber expor suas opiniões com sinceridade, sem nenhuma passividade ou agressão, respeitando profundamente seus sentimentos, sem constrangimentos. É importante entender que saber transmitir sua opinião não significa abafar a opinião do outro. Existem algumas técnicas para você adquirir mais assertividade e agir de forma equilibrada nas situações de manipulação ou agressividade. Afinal, um líder precisa ser acima de tudo, confiante e assertivo.
Um dos recursos básicos para exercitar assertividade é a \u201ctécnica da neblina\u201d.
Imagine-se diante de uma densa neblina. A primeira impressão chega a ser assustadora.
Parece que estamos diante de uma parede branca e intransponível. Felizmente, é só a aparência que assusta, pois quando atravessamos a neblina percebemos que ela não nos oferece a mínima resistência.
Ou seja, a neblina não se opõe à nossa passagem, simplesmente se deixa atravessar.
Desse modo age o líder assertivo. Ele sabe que, ao receber uma crítica ou perceber que está sendo manipulado, o melhor a fazer é simplesmente não resistir, pois uma reação contrária levará ao \u201cbate-boca\u201d desnecessário, deixando as emoções à flor da pele. O objetivo é justamente não negar a crítica, não se defender, nem tampouco querer se justificar.
O objetivo é compreender a crítica e isso não significa concordar ou aceitá-la.
Como você está agindo com a \u201ctécnica da