Repartição das Receitas Tributárias - Resumo
2 pág.

Repartição das Receitas Tributárias - Resumo

Pré-visualização2 páginas
1
Repartição das Receitas Tributárias
A repartição de receitas tributárias se refere às relações jurídicas entre os entes de direito
público. Ela ocorre após o ingresso das receitas nos cofres públicos, logo ela ocorre após o
término da relação tributária.
O ente, para manter sua autonomia, precisa de recursos materiais.
A repartição sempre se dá na participação dos entes menores na arrecadação dos entes
maiores, mas nunca o contrário.
Os únicos tributos que tem receitas sujeitas à repartição são:
Impostos.
CIDE-combustível.
Apesar de os impostos serem os tributos mais adequados, alguns não possuem sua receita
repartidas. São eles: todos os impostos arrecadados pelos Municípios e DF, e os estaduais,
quando arrecadados pelo DF; o ITCMD; os impostos federais sobre importação, exporta-
ção, grandes fortunas e os extraordinários de guerra.
Em resumo, temos que:
O imposto de renda dos artigos 157 e 158 são referentes à arrecadação na fonte
do pagamento de renda e provento feitos pelos Estados e pelo DF, e também pelos
Municípios. Então, eles cam com 100% dessa arrecadação, embora o IR seja um
imposto federal.
O IOF sobre o ouro reparte sua arrecadação em 30% com o Estado ou DF, conforme
a origem, e os outros 70% vão para o Município de origem.
Os impostos de competência residual têm 20% da sua arrecadação destinados aos
estados e ao DF.
A CIDE-combustível tem a repartição assim: 29% do repasse da União para os Esta-
dos e DF, e do valor recebido pelo Estado, o repasse é de 25% aos Municípios.
Direito Constitucional Tributário
Direito Tributário
2
O ITR muda um pouco. Se sua scalização e cobrança for feita pela própria União,
50% da sua arrecadação vai para o Município onde o imóvel se situa. Mas se a
scalização e a cobrança forem feitas diretamente pelo próprio Município onde o
im ó ve l r ur al se localiza, a arrecadação vai ser de 100% para ele.
O IPI vai ter sua arrecadação repassada em 10% aos Estados e DF, proporcionalmente
ao valor das respectivas exportações de produtos industrializados. Desses 10%, os es-
tados vão entregar 25% aos municípios respectivos.
O IPVA reparte 50% da sua arrecadação com o Município onde o veículo foi licenciado.
O ICMS vai repartir 25% da sua arrecadação com os Municípios do respectivo Estado.
Por m, o IR, que não se confunde com o que vimos em cima, e o IPI vão repartir
suas receitas da seguinte forma: 21,5% vão para o Fundo de Participação dos Estados
e do DF; 22,5% vão para o Fundo de Participação dos Municípios e 3% vão para aplica-
ção em programas de nanciamento ao setor produtivo das regiões Norte, Nordeste
e Centro-Oeste.