Vício do produto e do serviço - Resumo
2 pág.

Vício do produto e do serviço - Resumo

Pré-visualização2 páginas
1
Vício do produto e do serviço
Vício do serviço
Vício do produto
Esse instituto busca tutelar o dinheiro que o consumidor efetivamente gastou na compra
de um produto ou serviço em decorrência de uma impropriedade ou inadequação do bem.
Vício: inadequação, impropriedade do bem ao m a que se destina.
Objetivo: tutela do valor pecuniário utilizado pelo consumidor.
Arts. 18 a 25 do CDC.
Ação cabível diante de um vício: ação de responsabilidade pelo vício do produto ou
do serviço.
Polo ativo da demanda: consumidor propriamente dito (contratante ou o usuário).
Polo passivo da demanda: toda cadeia de fornecedores.
Prazo para reclamar: 30 dias para serviços/produtos não duráveis e 90 para duráveis
(art. 26 do CDC).
Aplicação dos arts. 20 + 26 do CDC.
Alternativas para o consumidor: art. 20 do CDC.
Não incidência do prazo de 30 dias para sanar o vício (art. 18, § 1°).
Prazo decadencial: 30 dias (serviços não duráveis) e 90 dias (serviços duráveis).
2 tipos: de qualidade por inadequação e de quantidade.
Vício de qualidade por inadequação
Vício que torna o produto impróprio ao uso (como produtos deteriorados e prazo
de vencimento vencido) diminui o valor do produto ou que decorre da disparidade
entre as características do produto com as veiculadas na oferta e publicidade.
Vício do produdo e do serviço
Direito do Consumidor
2
Procedimento que deve ser observado:
(i) analisar se o produto comporta conserto (se não, o consumidor poderá ime-
diatamente ingressar com ação de responsabilização do fornecedor. Em caso po-
sitivo, a análise deverá prosseguir).
(ii) deverá ser oportunizado o conserto do produto pelo prazo de 30 dias (que
poderá ser alterado pelas partes – mínimo de 7 e máximo de 180 dias).
(iii) não sendo sanado o vício no prazo máximo de 30 dias (a princípio) o consu-
midor poderá se valer das possibilidades do art. 18, parágrafo primeiro do CDC,
observado o prazo decadencial do art. 26 do CDC.
2 tipos de vícios: oculto e aparente.
Vício oculto ( ou vício redibitório) – prazo decadencial se inicia a partir da evidência
do vício, que ocorre com a emissão do laudo técnico. O critério para a constatação
de tal vício é a vida útil do bem.
Vício aparente o prazo decadencial se inicia a partir da identicação do vício
(após oportunizado o conserto por 30 dias).
Vício de quantidade: não incidência do prazo de 30 dias para sanar o vício (art. 18, §
1°) e responsabilidade exclusiva do fornecedor imediato (art. 19, § 2º).