A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
antropologia cultura unidade 3

Pré-visualização | Página 1 de 7

Daisy Libório e 
Ana Paula Henrique Salvan
Antropologia e cultura
Sumário
03
CAPÍTULO 3 - Identidades sociais e o mercado de trabalho ................................................05
Introdução ....................................................................................................................05
3.1 Identidades sociais e culturais ....................................................................................05
3.1.1 A identidade social ..........................................................................................06
3.1.2 A perspectiva cultural e o viés linguístico ............................................................10
3.2 Construção das identidades sociais e culturais .................................................................. 11
3.2.1 Como se constroem as identidades sociais e culturais? ............................................ 11
3.2.2 O mercado de trabalho ........................................................................................ 13
3.3 Identidade cultural brasileira ........................................................................................... 14
3.3.1 Os desdobramentos da colonizaçãos ................................................................... 14
3.3.2 A construção de uma identidade nacional............................................................... 15
3.4 Patrimônio cultural, memória social e identidade ........................................................... 17
3.4.1 Patrimônio cultural material e imaterial ................................................................. 17
3.4.2 Memória social e identidade ................................................................................ 19
Síntese ..........................................................................................................................21
Referências Bibliográficas ................................................................................................22
Capítulo 3
05
Introdução
Neste capítulo, trabalharemos com vários e importantes conceitos, tentando relacioná-los para 
compreender as particularidades do assunto em território brasileiro. Você já pensou a respeito 
do que o diferencia das outras pessoas com as quais convive? E nas semelhanças? Já sentiu-se 
“em casa” ao constatar um conhecimento ou detalhe em comum com seus colegas de trabalho? 
Saiba que estas questões estão intimamente ligadas aos conceitos que estudaremos ao longo 
das próximas páginas.
Primeiramente, investigaremos o conceito de identidade e o que ele denota no âmbito social e 
sua ligação com a dimensão cultural. Além disso, veremos como essas questões passaram a ser 
objeto de estudo da Antropologia e como a disciplina define tais elementos. Outro ponto abor-
dado será a construção da identidade cultural e social e qual sua relação com o mercado de 
trabalho, tendo impacto no cotidiano de milhares de brasileiros. 
Buscaremos, em seguida, compreender a formação da identidade cultural brasileira, apresentan-
do os seus temas clássicos e contemporâneos, também com foco nas conquistas trabalhistas do 
início do século XX. Será que há algo que nos une como nação? Ou será que devemos reconhe-
cer o caráter fragmentado e plural de nossa cultura?
Você sabe o que é patrimônio cultural material? E patrimônio cultural imaterial? Será que o car-
naval se encaixa em uma dessas duas definições? Ao final deste capítulo, iremos conceituar o 
patrimônio cultural e ligá-lo à memória social, para tentarmos compreender como esses elemen-
tos impactam na identidade social. Focaremos nosso estudo também nas relações do mercado 
de trabalho globalizado, sempre, é claro, sob a perspectiva da Antropologia.
Tenha um bom estudo!
3.1 Identidades sociais e culturais
Neste tópico, buscaremos definir os conceitos de identidade social e cultural. Será que eles apre-
sentam alguma relação? Será que eles influenciam na identidade do indivíduo, em como uma 
pessoa se enxerga perante a coletividade que a cerca? Veremos, a seguir, a resposta para tais 
questionamentos.
Ainda nesta seção, estudaremos como a Antropologia passou a discutir tais questões e contextu-
alizaremos seu surgimento. Acompanhe!
Identidades sociais e o 
mercado de trabalho
06 Laureate- International Universities
Antropologia e cultura
3.1.1 A identidade social
Para entendermos o significado da expressão “identidade social” e sua relevância para o estudo 
antropológico, precisamos primeiramente definir o conceito e sua origem como objeto de estudo. 
Entenda que, para a Antropologia, o interesse em discutir o conceito e transformá-lo em uma 
problemática, através da qual se pudesse questionar as influências entre o indivíduo e a socieda-
de com a qual ele convive, surgiu na segunda metade do século XX. 
Embora cientistas sociais como Marcel Mauss tenham lançado questionamentos a respeito da 
ideia de “pessoa” no início do século XX, a discussão acerca da identidade foi impulsionada 
pelos numerosos movimentos migratórios que ocorreram após a Segunda Guerra Mundial, espe-
cialmente em direção à Europa e aos Estados Unidos. A razão para tal foi o crescente atrito entre 
os grupos que procuravam refúgio nos países economicamente desenvolvidos e a população 
nativa desses países, na maioria das vezes influenciada pelo nacionalismo, ideologia segundo 
a qual “[...] fronteiras culturais deveriam coincidir com fronteiras políticas” (ERIKSEN, 2001, p. 
275). Tenha em mente que, por fronteiras políticas, Eriksen se refere às delimitações territoriais 
que dividem os Estados; sua colocação, portanto, denota que os defensores do nacionalismo 
acreditam que cada cultura deve permanecer dentro de seu território de origem. 
O que é a ideologia? O nacionalismo é um movimento político? Ideologia, nas pala-
vras de Marilena Chauí (2008, p. 8), corresponde a um “[...] ocultamento da realidade 
social”, ou seja, são ideias e representações produzidas pelos homens para explicar 
sua realidade individual e social, mas que tendem a esconder deles como suas relações 
sociais foram produzidas e “[...] a origem das formas sociais de exploração econômica 
e de dominação política”. 
Já o nacionalismo corresponde a uma ideologia que, segundo Eriksen (2001), está pre-
sente em todos os lugares do mundo. Pela perspectiva antropológica, o nacionalismo 
defende que cada Estado deve conter um povo do mesmo tipo, sendo, portanto, contra 
movimentos migratórios e a miscigenação cultural que eles possibilitam. Entenda que 
o nacionalismo como ideologia surgiu com a Revolução Francesa, entre o final do 
século XVIII e o início do XIX, e que o termo não se confunde com a ideia de “nação”. 
Nação diz respeito a um conjunto de indivíduos unidos por características em comum, 
como o território, a língua, a história etc. Pense aqui no Estado da Palestina, na faixa 
de Gaza, que é uma nação com uma cultura que a distingue, um povo unido por uma 
língua comum, mas que luta pela demarcação e manutenção de suas fronteiras com o 
Estado de Israel. 
NÓS QUEREMOS SABER!
Neste cenário, o fator “identidade” foi tomado como objeto de estudo pelos antropólogos. Pode-
mos entender o conceito como a combinação única de características que distingue um indivíduo 
ou um grupo, que o diferencia perante o outro. Mas quem seria o outro? Segundo Brandão 
(1986):
[...] o diferente é o outro, e o reconhecimento da diferença é a consciência da alteridade [...] 
O outro sugere ser decifrado, para que os lados mais difíceis de meu eu, do meu mundo, de 
minha cultura sejam traduzidos também através dele, de seu mundo e de sua cultura. Através 
do que há de meu nele, quando, então, o outro reflete a minha imagem espelhada e é às vezes 
ali onde eu melhor me vejo.
07
As palavras de Brandão trazem um entendimento bastante relevante sobre identidade: a de que 
o

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.