Imunização Sala de Vacina
43 pág.

Imunização Sala de Vacina


DisciplinaSaúde Coletiva10.132 materiais69.532 seguidores
Pré-visualização4 páginas
02/02/2016
1
Imunização
Sala de Vacina 
Conceitos Iniciais
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
2
Equipamento distante 
de fonte de calor e 
raios solares;
Afastar o refrigerador 
da parede, pelo menos 
20 cm;
Usar tomada exclusiva
para cada 
equipamento;
Temperatura interna
preferencialmente de 
+5ºC, > de +2º C e < de 
+8º C;
Verificar a temperatura 
2 vezes ao dia;
Usar os equipamentos 
exclusivamente para 
conservar 
imunobiológicos. 
Sala de Vacina
Não é recomendadoRefrigerador \u2018duplex\u2019
feita a cada 15 dias ou camada de gelo 0,5 cm.Limpeza do refrigerador
temperatura a 7º C, os imunobiológicos em 
caixa térmica
Falta de energia elétrica
Sala de Vacina
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
3
Vacinas virais: tríplice viral, tetra viral,
febre amarela, VIP e VOP, varicela,
hepatite A, hepatite B, HVP, influenza e
raiva humana.
Vacinas bacterianas: BCG, penta, DTP,
dT, dTpa, pneumo 10, pneumo 23,
meningo C.
Diluentes das vacinas.
Sala de Vacina
1. (IDECAN-2014) As vacinas requerem cuidados especiais: temperatura
adequada para sua conservação, precauções para não ocorrer contaminação e
conhecimentos para sua administração. A temperatura para sua conservação e,
em media, +2° a +8°C.
Diante dessas informações, assinale a alternativa correta sobre o
acondicionamento de vacinas.
a) Na primeira prateleira as vacinas contra vírus; na segunda, as vacinas contra 
bactérias e toxinas; e, na terceira, os soros. (2º virais, 3ª bacterianas e dilunetes)
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
4
Imunidade
Ativa
natural doença
artificial vacina
Passiva
natural
Anticorpos de 
outros organismos
artificial
Anticorpos de 
outros organismos
C
o
n
ce
it
o
s 
Im
u
n
iz
aç
ão
Vacina 
Conjugada
Combina antígeno polissacarídeo (cadeia de açúcares) +
proteína p/ aumentar sua capacidade de induzir resposta
imunológica no vacinado. Ex.: pneumocócica 10 valente
(conjugada), meningocócica C (conjugada).
Bactéria 
atenuada
Bactéria sem atividade, perdeu a capacidade de reprodução, 
mas mantém a capacidade imunogênica, ou seja, mantém a 
capacidade de induzir resposta imunológica.
Vacina 
adsorvida
Os antígenos estão fixados à superfície de um adjuvante, o 
qual reforça o poder imunogênico da vacina.
Vírus 
inativado
Vírus sem atividade, inerte.
Vacina 
Combinada
são aquelas que contém no mesmo frasco várias vacinas 
diferentes (exemplo: tríplice viral).
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
5
2. (HU-UFPI/IADES/2013) O objetivo da imunização é a prevenção de doenças
imunopreveníveis e pode ser ativa, através de vacinas e passiva através da
administração de anticorpos. Sobre o tema, assinale a alternativa correta.
a) As vacinas combinadas são aquelas em que um produto imunologicamente
menos potente é juntado a outro produto imunologicamente mais potente.
b) As vacinas conjugadas são aquelas que contém no mesmo frasco várias
vacinas diferentes (exemplo: tríplice viral).
2 ou mais agentes. Ex.: DTP \u2260 conjugadas
combinadas
2. (HU-UFPI/IADES/2013)
c) As vacinas virais vivas promovem proteção mais completa e duradoura
com menor número de doses.
d) As vacinas vivas atenuadas são mais estáveis e não tem imunidade
celular.
e) A proteção após a aplicação de vacinas pode ser imediata.
Imunidade humoral e celular
Imunidade ativa
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
6
Determinação e 
Foco!!
Vacinas BCG, Hepatite 
B e Pentavalente
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
7
Vacina BCG
Ao nascer
até 5 anos
0,1 ml ID > 2 Kg
ausência de cicatrização,
revacinação 6 meses
contra formas graves da 
TB (miliar e meníngea)
bactéria atenuada 
do M. bovis
BCG contatos 
HAS
< 1 ano
Não vacinados 1 dose
Vacinados Não faz 
Vacinados sem 
cicatriz
1 dose 6 meses 
após
> 1 ano
Sem cicatriz 1 dose
Vacinados
1 dose 6 meses 
após
Vacinados com 2 
doses
Não faz
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
8
B
C
G
 e
m
 In
d
iv
íd
u
o
s 
Ex
p
o
st
o
s 
ao
 H
IV
Até os 18 m, se assintomáticas e 
sem sinais de imunodeficiência
podem receber a 
vacina
Entre 18 meses até 5 anos, não 
vacinadas
BCG após sorologia de 
HIV -
> 5 a, HIV +
Em regra, não devem 
ser vacinados. 
3. (HU-UFS) Sobre a vacina BCG, assinale a alternativa correta.
a) A vacina BCG é administrada com a finalidade principal de prevenir as
formas graves da meningite.
b) A idade de vacinação recomendada é a partir de 02 meses de vida, ou peso
superior a 3,0 kg.
c) A vacina BCG é preparada com vírus vivos, a partir de cepas atenuadas do
Mycobacterium bovis.
______
TB, principalmente a miliar e meníngea
Ao nascimento, com peso > 2 kg
Bactéria atenuada
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
9
3. (HU-UFS)
d) Na ausência da cicatriz vacinal é indicada a revacinação seis
meses após a primeira dose.
e) A realização do teste tuberculínico é indispensável, antes da
administração da vacina BCG.
Indicada em casos específicos
4. (HU-UFPI/IADES/2012) A vacina BCG (Bacilo Calmette \u2013 Guérim) é usada na
prevenção contra tuberculose, e está recomendada no calendário básico da
criança da rede do Sistema Único de Saúde - SUS. Sobre o tema, assinale a
alternativa correta.
a) Uma dose de vacina BCG deve ser repetida na ausência de cicatriz em
crianças menores de 5 (cinco) anos.
b) Os contatos de portadores intra domiciliares de hanseníase maiores de 1 
(um) ano necessitam de uma segunda dose de BCG.
Vacinados com 2 doses \u2192 não faz 
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
10
4. (HU-UFPI/IADES/2014)
c) Pode-se administrar a terceira dose de BCG em pessoa em contato intra
domiciliar com portadores de hanseníase, porém, somente quando não
apresentar cicatriz.
d) A vacina é contraindicada para crianças portadoras de HIV no
nascimento.
e) Podem ser vacinados com BCG os menores de 36 semanas.
Até 2 doses
Não se assintomáticas e sem sinais de imunodeficiências
Após > 2 Kg
Vacina hepatite B
Ao nascer
até 30 dias
0,5 ml 
< 19 anos
IM
1 ml > 20 
anos
3 doses na 
pentavalente
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
11
V
ac
in
a 
H
ep
at
it
e 
B Crianças > 1 m, < 5 a
3 doses na 
pentavalente
\u2265 5 a 49 anos
3 doses (0, 1, 6 
meses)
Gestantes qualquer faixa 
etária
3 doses (0, 1, 6 
meses)
Grupos vulneráveis, 
independente da idade
3 doses (0, 1, 6 
meses)
5. (HU-UFMG) Portadora da hepatite B, com idade gestacional de 34 semanas,
acaba de dar a luz a recém-nascido do sexo masculino. De acordo com a
Portaria n°. 3.318/2010, é correto afirmar que:
a) a vacina hepatite B (recombinante) deve ser administrada no recém-nascido
preferencialmente após 12 horas do nascimento.
b) o recém-nascido deve seguir esquema de vacina hepatite B (recombinante)
de três doses: 0, 1 e 6 meses de vida.
c) o recém-nascido deve seguir esquema de vacina hepatite B (recombinante)
de quatro doses: 0, 1, 2 e 6 meses de vida.
Até
0, 2, 4 e 6 m
0, 2, 4 e 6 m
Portaria nº 1.498/2013
Glaucio Giscard Ribeiro Coutinho - 055.032.437-22
02/02/2016
12
5. (HU-UFMG)
d) o recém-nascido deve receber imunoglobulina humana anti-
hepatite B nas primeiras 12 horas ou no máximo até 1 mês de
vida.
e) a mãe deve receber vacina hepatite B (recombinante) e
imunoglobulina humana anti-hepatite B nas primeiras 12 horas
ou no máximo até sete dias após o nascimento.
Nula