A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
QUESTOES DE ENEM E VESTIBULARES

Pré-visualização | Página 2 de 24

indivíduo - o soberano - a autoridade, isto é, o trabalho de tutelar os direitos e os deveres de todos. 
(C) Para Rousseau, contrato social expressa a condição mediante a qual os indivíduos - que em estado natural gozam de plena liberdade e, entretanto, comportam-se como lobos uns dos outros - renunciam a seus direitos pessoais em benefício de sua segurança. 
(D) Para Locke, contrato social expressa o pacto pelo qual constitui-se uma comunidade que, por sua vez, é baseada na noção de que a maioria tem o direito de resolver e agir por todos. 
(E) Para Rousseau, o contrato social produz, como efeito, o retorno do homem ao seu estado original e natural de liberdade e bondade, o que o possibilita a superar os males produzidos pela comunidade e pelas instituições sociais, como as leis e o direito. 
32. Assinale a alternativa correta. 
(A) Para Hobbes, há a necessidade de serem postos limites ao estado para que se possa viver em liberdade. 
(B) Locke sublinha, ao discutir o governo, o primado da lei natural sobre a lei positiva. 
(C) Para Hobbes, há a necessidade de serem postos limites ao soberano para que se possa viver em liberdade. 
(D) Locke sublinha, ao discutir o governo, o primado da lei positiva sobre a lei natural. 
(E) Rousseau sublinha, ao discutir os fundamentos da sociedade, o primado da vontade individual (expressão da lei natural) sobre a vontade geral (expressão do estado). 
33. Assinale, a seguir, a alternativa que apresenta aspectos fundamentais do empirismo segundo Francis Bacon. 
(A) O conhecimento não tem valor em si, tem de estar fundamentado em fatos e deve seguir uma via epistemológica experimental. 
(B) O conhecimento consiste em expressar conceitos a priori, deve estar fundamentado na razão e deve seguir uma via epistemológica dedutiva. 
(C) O conhecimento é valioso por si mesmo, independentemente de seus resultados práticos, deve estar baseado em antecipações, ou teorias, sobre a natureza e deve seguir uma via epistemológica indutiva. 
(D) O conhecimento deve respeitar e conservar a natureza das coisas, deve desvelar a essência dos fenômenos de modo a permitir ao ser humano controlá-los, seguindo-se portanto uma via epistemológica positivista. 
(E) O conhecimento deve produzir utilidades para o ser humano, sendo fundamentado em teorias e modelos matemáticos e deve seguir uma via epistemológica racionalista. 
34. Qual é o princípio fundamental característico do positivismo lógico do chamado Círculo de Viena? 
(A) Princípio de falseabilidade. 
(B) Princípio de refutação ou refutabilidade. 
(C) Princípio nomológico-dedutivo. 
(D) Princípio de indução ou de indução estatística. 
(E) Princípio de verificação ou de verificabilidade. 
35. Quanto à noção de revolução científica, para Thomas Kuhn, assinale a alternativa INCORRETA. 
(A) Uma revolução científica é uma mudança de paradigma, envolvendo não apenas a substituição de uma teoria por outra e sim uma completa mudança de uma rede de compromissos, crenças e valores científicos por outra. 
(B) As revoluções científicas, necessariamente, têm um caráter não racional, isto é, a decisão de mudança de um paradigma para outro não pode ser decidido com base apenas em valores e métodos da ciência normal. 
(C) As revoluções científicas são objetivamente progressivas, ou seja, elas decorrem de uma sequência cumulativa de eventos. 
(D) Uma revolução científica fará emergir uma nova tradição científica normal que será, a seu tempo, não somente incompatível como também - muitas vezes - incomensurável com a tradição precedente. 
(E) Revoluções científicas são repentinas e não estruturadas, sendo comparadas por Kuhn às experiências de conversão. 
36. Assinale a alternativa que apresenta o critério de demarcação científica considerado, por Karl Popper, aquele que melhor identifica a ciência, distinguindo-a das demais formas de conhecimento e da pseudociência. 
(A) Irrefutabilidade, isto é, a propriedade que um sistema científico possui quando ele se mostra como sendo verdadeiro. 
(B) Consentimento da comunidade, isto é, a propriedade que um sistema científico adquire após ter sido aceito por uma comunidade de pesquisadores relevantes. 
(C) Progressividade, isto é, a condição que um programa científico adquire por ser o resultado do acúmulo de descobertas e desenvolvimentos ao longo de um tempo. 
(D) Falseabilidade, isto é, a enunciação de proibições que, se forem observadas por meio de testes genuínos, refutam o sistema científico. 
(E) Integridade, isto é, a elaboração das premissas científicas e dos testes dentro de padrões técnica e eticamente rigorosos. 
37. De acordo com Larry Laudan, o progresso científico ocorre quando 
(A) novas teorias desenvolvidas resolvem mais problemas importantes que as teorias precedentes. 
(B) novas teorias desenvolvidas são mais verdadeiras que as teorias precedentes. 
(C) um paradigma científico é substituído por outro paradigma. 
(D) novas teorias desenvolvidas são mais realistas que as teorias precedentes. 
(E) as novas explanações científicas em um determinado campo do conhecimento são mais formalizadas matematicamente que as explanações precedentes. 
38. É conceito de primeira importância para a análise do ser e da existência, no Existencialismo,
(A) a veracidade. 
(B) a objetividade. 
(C) o determinismo. 
(D) o sistema. 
(E) a possibilidade. 
39. A respeito da liberdade humana, na filosofia de Jean-Paul Sartre, é correto afirmar que 
(A) ela é sempre parcial, porquanto o ser humano é limitado pelos imperativos da natureza. 
(B) ela é definida pela essência humana, que estabelece em quais setores da existência o ser humano é livre e em quais ele não o é. 
(C) ela é absoluta, sendo o ser humano condenado a inventar, a cada instante, a si mesmo. 
(D) ela é liberdade de razão, isto é, a possibilidade de se submeter à necessidade. 
(E) ela é a possibilidade de agir em conformidade com as próprias regras, uma autonomia, limitada apenas pelas leis que devem governar uma população. 
40. É a característica fundamental da consciência, segundo a fenomenologia de Edmund Husserl, indicando que toda consciência é consciência de algo, de um objeto. O enunciado refere-se à 
(A) recursividade. 
(B) relatividade. 
(C) atualidade. 
(D) dialeticidade. 
(E) intencionalidade. 
41. Quem se volta para o plano dos entes em sua factualidade, ou seja, ao cuidado pelo ser-no-mundo, o cuidado com as coisas, utilizando-as e delas se servindo, vive uma forma de existência considerada por Heidegger como sendo 
(A) existência real. 
(B) existência autêntica. 
(C) existência ideal. 
(D) existência inautêntica. 
(E) existência mortal. 
42. Quanto ao estádio religioso, em Kierkegaard, é correto afirmar que 
(A) consiste no relacionamento pessoal com um conjunto de doutrinas da fé, o que é expresso pela teologia. 
(B) consiste em uma forma de vida de apego ao dever e que se expressa, dentre outros aspectos, pelo casamento. 
(C) se divide em dois, sendo um deles o da religiosidade geral e o outro o da religiosidade paradoxal, cujo ponto central - o paradoxo absoluto - é a existência do Deus-homem. 
(D) se divide em três, sendo eles a religiosidade objetiva, a religiosidade subjetiva e a religiosidade intersubjetiva. 
(E) se divide em dois, sendo um a religiosidade estética e o outro a religiosidade ética, cuja expressão central é a obediência aos mandamentos divinos. 
43. Para Adorno e Horkheimer, a racionalização instrumental típica do ocidente conduziu as sociedades a um estado de massificação dos indivíduos, com consequente perda de sua autonomia, sua identidade, em benefício de objetivos fixados não pelas pessoas e sim pelo sistema. Para eles, tal situação é produzida, dentre outros elementos, principalmente pela 
(A) política moderna. 
(B) indústria cultural. 
(C) filosofia liberal. 
(D) ciência experimental. 
(E) teoria econômica clássica. 
44. O poder que se exerce sobre os corpos, visando a torná-los dóceis e produtivos, e o poder sobre

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.