A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Unidade 1a  Mercado de trabalho Prática Profissional ll

Pré-visualização | Página 1 de 1

Aula 1 Mercado de trabalho
https://pt.wikipedia.org/wiki/Mercado_de_trabalho
Mercado de trabalho associa aqueles que oferecem força de trabalho àqueles que a procuram, num sistema típico de mercado onde se negocia a fim de determinar os preços e as quantidades a transacionar. O seu estudo procura perceber e prever os fenômenos de interação entre estes dois grupos tendo em conta a situação econômica e social do país, região ou cidade. Nesse contexto, podem-se incluir as ofertas de trabalho relacionadas às empresas públicas, de economia mista, privadas, pessoas físicas, entre outras, com suas normas para remuneração, benefícios, carreira, condutas e a aptidão dos profissionais que desejam ingressar nestas.
A grande procura por empregos que ofereçam melhores salários e reconhecimento faz com que esse mercado se torne altamente competitivo, uma vez que para cada vaga de emprego oferecida, muitos candidatos apresentarão não só os pré-requisitos mínimos exigidos como também os seus diferenciais para a candidatura à mesma.
Talvez a característica mais marcante das relações econômicas seja a lei da oferta e da procura. Via de regra, quanto maior for a oferta de um produto ou de um serviço, se a procura se mantiver a mesma, menor será o valor cobrado por ele, pois a concorrência de mercado obriga a redução dos preços para tornar viável a vendas. Por outro lado, se a procura é maior do que a oferta, a tendência é que o valor cobrado pelo produto seja maior.
Em termos de profissões pode-se dizer que quando existe a formação de excesso de profissionais e falta de procura desses profissionais não há um equilíbrio entre a oferta e a procura e ocorre o que se chama uma saturação de mercado, em que não existem suficientes postos de trabalho para absorver os profissionais. Por outro lado, pode acontecer que não exista oferta em excesso, mas sim procura em falta. Este é um dos casos que acontece quando, por exemplo, a indústria progride e inova rapidamente. Deixa de haver procura de uma dada profissão ou qualificação que está sendo substituída pela procura de outra profissão ou qualificação em que ainda não há oferta suficiente, gerando desemprego, que também está ligado com o aumento no número de máquinas que podem substituir a mão de obra.