CASO FORENSE JACK O ESTRIPADOR MG
17 pág.

CASO FORENSE JACK O ESTRIPADOR MG


DisciplinaPsicopatologia Forense13 materiais477 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
PSICOLOGIA CRIMINAL E PSICOPATOLOGIA FORENSE
O PERFIL PSICOLÓGICO DE UM CRIMINOSO:
JACK O ESTRIPADOR.
AUTORAS:
Mariana Ferreira Garcia \u2013 Matrícula: 2015.03.84651-2
Cecília Lima Teixeira \u2013 Matrícula: 2011.01.30956-3
Regina Célia Mesquita Alves \u2013 Matrícula 2015.04.75639-8
Simone Gonçalves de Carvalho \u2013 Matrícula 2015.02.60982-7
PROFESSOR: Adelmo Senra Gomes.
RIO DE JANEIRO, 2017.
MARIANA FERREIRA GARCIA
CECÍLIA LIMA TEIXEIRA
REGINA CÉLIA MESQUITA ALVES
SIMONE GONÇALVES DE CARVALHO
O PERFIL PSICOLÓGICO DE UM CRIMINOSO:
JACK O ESTRIPADOR.
Projeto de Pesquisa apresentado para a disciplina Psicologia criminal e psicopatologia forense, como requisito para a avaliação AV1 do curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá .
RIO DE JANEIRO, 2017.
O perfil psicológico de um criminoso: Caso Jack o estripador.
INTRODUÇÃO:
		Este trabalho tem por objetivo pesquisar o perfil psicológico de um criminoso. Basearemos nossos estudos nos artigos científicos, webgrafias, documentários e bibliografias relacionadas ao caso Jack o estripador, onde levaremos em consideração o perfil do asssassino em série provável James Kelly.
		Seguiremos com os dados biográficos dos envolvidos no caso, histórico do caso, perfil psicológico do agressor e conclusão, onde em grupo buscaremos articular os elementos do caso trazendo os conteúdos mais relevantes para o levantamento do perfil psicológico e hipótese diagnóstica do assassino em série Jack o estripador.
Palavra-chave: Psicologia forense - perfil criminal - jack the ripper \u2013 psicopatologia forense. 
INTRODUCTION:
 This work aims to investigate the psychological profile of a criminal. We will base our studies on the scientific articles, webs, documentaries and bibliographies related to the Jack the Ripper case, where we will take into account the profile of the probable serial killer James Kelly.
 We will continue with the biographical data of those involved in the case, case history, psychological profile of the aggressor and conclusion, where in a group we will seek to articulate the elements of the case bringing the most relevant contents to the survey of the psychological profile and diagnostic hypothesis of the serial killer Jack o ripper.
Keyword: Forensic psychology - criminal profile - jack the ripper - forensic psychopathology.
Dados Biográficos:
	 No ano de 1888, em Londres do distrito de Whitechapel, acontecia uma onda de homicídios tendo como vítimas prostitutas. As vítimas eram atacadas com um corte na garganta e depois mutiladas em suas partes genitais, abdomem, seus órgãos eram retirados e em algumas delas o rosto era desfigurado.
 É sabido que as condições para que o criminoso atacasse suas vítimas eram perfeitas, pois o local onde ocorreram os crimes no distrito de Whitechapel além de muito escuro, cercado de becos e muitas mulheres que devido as condições de pobreza se prostituíam neste lugar insalubre e perigoso.
	 Todos esses crimes chocantes aconteciam seguidamente sem que o assassino fosse descoberto ou preso, em uma ocasião a Scotland Yard recebeu em seu departamento criminal uma carta que continha um o rim de uma das vítimas, e ele se intitulava Jack o estripador .
O investigador mais próximo ao caso foi Frederick Abberline, que apesar dos seus esforços nunca teve certeza da autoria dos crimes.
Dentre todas as especulações falava-se de conspiração envolvendo a família real, agentes do governo e a maçonaria, porém nenhuma prova foi encontrada que comprovasse nenhuma dessas teorias.
James Kelly 
Principal suspeito, paciente psiquiátrico, assassino condenado, fugitivo, passado violento em 1883 menos de um mês de ter se casado, acusa a mulher de traição e crava uma faca em seu pescoço.
Ficha Psiquiátrica ficou lacrada 120 anos / informações dos arquivos
Segundo documentos foi condenado à forca com reviravolta;
Estado mental perturbado e reclamava de fortes dores de cabeça
Falava sozinho;
Mente vagante;
Parecia perder suas faculdades mentais;
Parecia não se entender o que era dito;
Médico conclui que James é insano;
Tinha surtos explosivos de áreas;
Lembra assassino em série que se encaixavam na sociedade, mas faziam coisas terríveis quando matavam pessoas;
Planejou sua fuga;
No hospício era um paciente modelo, tocava violino e trabalhava na carpintaria, mas em particular era obcecado por um plano secreto;
Escapou construindo uma chave a partir de um pedaço de metal que permitiu fugir. Planejou sua fuga por muito tempo com bastante inteligência;
Desapareceu por 40 anos;
Nas descrições era visto como um homem profundamente isolado da sociedade, 
Em relatos do próprio James Kelly não se dava bem com a maior parte das pessoas do mundo exterior, tinha que lidar todos os dias com inveja, ciúmes e malícia e era ainda difícil por causa das vadias. 
James ao se fixar nos EUA deixou escrito mostrando sua forte desaprovação à imoralidade das prostitutas e que durante seus tempos de fugitivo ir contra tal imoralidade tinha sido sua principal luta.
Desde que saiu do hospital esteve engajado em combate;
Ele era paranoico e tinha delírios já tinha matado alguém;
Para o detetive era um exemplo clássico de assassino em série;
A profissão de tapeceiro o dava habilidades ao lidar com facas.
Em 1927, quase 40 anos após sua fuga, ele voltou para o Hospício Broadmoor voluntariamente e morreu 2 anos depois de causas naturais.
As vítimas
Pesquisas sobre as vítimas apontam que o assassino em série Jack o estripador pode ter sido responsável por mais de onze mortes, inclusive na cidade de Nova York.
A seguir conheceremos um pouco da biografia das vítimas do distrito de Whitechapel, totalizando cinco mulheres todas prostitutas, dentre as quais quatro possuíam idades parecidas os dados apresentados foram retirados do estudo de casos apontado em nossa webgrafia.
Mary Ann \u201cPolly\u201d Nichols
A primeira vítima do Estripador, tinha 44 anos quando foi morta. Era uma mulher pobre e conhecida por apreciar a bebida. Foi vista viva pela última vez por volta de 2h38 da manhã em 31 de agosto de 1888 e foi encontrada por volta das 3h45, jogada na estreita viela pouco iluminada Rua Buck\u2019s Row em Whitechapel. Ela ainda estava viva quando foi encontrada, porém morreu minutos depois. Polly Nichols sofreu uma laceração de cerca de 20 centímetros na garganta, o que rasgou as artérias principais em cada lado do pescoço. Sofreu incisões adicionais no pescoço, bem como lacerações violentas no abdome.
Annie Chapman
Era uma viúva e foi a segunda vítima. Alcoólatra de 47 anos que se sustentava com a prostituição após o falecimento do marido. Ela foi vista com vida pela última vez no dia 8 de setembro de 1888, às 5h30 na Hanbury St., com um homem descrito como \u201cum cavalheiro desarrumado\u201d. Alguns minutos depois, outra testemunha ouviu uma mulher soltar um grito abafado de \u201cNão!\u201d por trás da cerca entre seu jardim e a 29 Hanbury St., seguido de um baque contra a cerca. Menos de meia hora depois, um morador do local encontrou o cadáver de Chapman. Chapman foi encontrada com os pés empurrados em direção ao seu corpo, com os joelhos no ar e separados. Sua garganta foi cortada profundamente da esquerda para a direita e sua língua inchada sugeria que a causa da morte havia sido estrangulamento. O abdome de Chapman foi cortado e deixado aberto \u2013 seus intestinos foram removidos e colocados no seu ombro. Uma parte da genitália, bem como seu útero e sua bexiga foram retirados. A exatidão das incisões sugere que o assassino tivesse algum conhecimento sobre anatomia
Elizabeth Stride 
Na noite fatídica em que se deparou com o assassino Jack, o Estripador, Stride tinha 45 anos e havia bebido um pouco antes. Stride ocasionalmente se envolvia em prostituição, mas pouco antes de morrer havia sido vista recusando