intertextualidade
4 pág.

intertextualidade


DisciplinaPortuguês62.914 materiais1.377.631 seguidores
Pré-visualização1 página
Bianca de Sousa Canalli 
 
Intertextualidade 
 
1. O que é intertextualidade? 
 
A intertextualidade pode ser entendida como um diálogo entre textos. 
Segundo Julia Kristeva, \u201ctodo texto se constrói como mosaico de citações, todo 
texto é absorção e transformação de um outro texto\u201d¹. 
Filmes que retomam outros filmes, quadros que dialogam com outros ou 
com literatura escrita ou história, romances que se apropriam de formas 
musicais, propagandas que retomam elementos de conhecimento do público 
(músicas, paródias, discurso artístico), tudo isso são textos em diálogo com 
outros textos: intertextualidade. 
 
Observação: como exemplo claro, este próprio trabalho explicativo é um 
modelo intertextual, de forma que, reúne um conjunto de saberes, de fontes 
variadas, formando uma colcha de retalhos, completado e arrematado por 
nosso próprio conhecimento e forma de interpretação e exposição do tema 
abordado. 
 
1.1 Tipos de intertextualidade 
. 
\u2022 Epígrafe: é um fragmento de texto que serve de lema ou divisa de uma 
obra, capítulo, ou poema. Geralmente existe um vínculo entre a epígrafe 
e o texto que vem abaixo dela; nesses casos, a epígrafe dá apoio 
temático ao texto - ou resume o sentido, a motivação dele. (Ex: 
Livro "Esteiros" (1941), de Soeiro Pereira Gomes, abre com esta 
epígrafe: "Esteiros. Minúsculos canais, como dedos da mão espalmada, 
abertos na margem do Tejo. Dedos das mãos avaras dos telhais que 
roubam nateiro às águas e vigores à malta. Mãos de l mas infelizmente 
não podemos comparar com pornograma.") 
\u2022 Citação: é a frase ou passagem de certa obra que um autor reproduz 
(com indicação do autor original) como complementação, exemplo, 
ilustração, reforço ou abonação daquilo que ele pretende dizer ou 
demonstrar. 
\u2022 Referência ou Alusão: é toda referência, direta ou indireta, propositada 
ou casual, a certa obra, personagem, situação etc., pertencente ao 
mundo literário, artístico, mitológico etc. (Exemplo: O título de uma 
reportagem: \u201cInfinito, mas enquanto durou\u201d se referindo ao verso de 
Vinícius de Moraes \u201cque seja infinito enquanto dure\u201d que, por sua vez, 
faz alusão ao pensamento de Sofocleto: \u201cO amor é eterno enquanto 
dura\u201d. 
\u2022 Paráfrase: é a interpretação, explicação ou nova apresentação de um 
texto (ou parte dele) com o objetivo de ou torná-lo mais inteligível ou 
sugerir um novo enfoque para o seu sentido. 
\u2022 Paródia: trata-se de uma composição literária que imita, cômica ou 
satiricamente, o tema ou/e a forma de uma obra séria. O intuito da 
paródia consiste em ridicularizar uma tendência ou um estilo que, por 
qualquer motivo, se torna conhecido ou dominante. 
 
\u2022 Tradução: traduzir consiste em passar um texto (ou parte dele) escrito 
numa determinada língua para o equivalente em outra língua. Na opinião 
de alguns estudiosos, a tradução pode ser estudada no âmbito da 
intertextualidade, pois é uma forma de recriação a partir de um texto-
fonte. 
\u2022 Pastiche: é definido como obra literária ou artística em que se imita 
grosseiramente o estilo de outros escritores, pintores, músicos, etc. O 
pastiche pode ser plágio, por isso tem sentido pejorativo, ou é uma 
recorrência a um gênero. Modernamente, o pastiche pode ser visto 
como uma espécie de colagem ou montagem, tornando-se uma paródia 
em série ou colcha de retalhos de vários textos. Como a paródia, o 
pastiche consiste na imitação de uma obra, surgindo os dois termos 
frequentemente associados e sendo equívoca a sua distinção. Para G. 
Genette, "enquanto a paródia procede por transformação, (...) mínima, 
de um texto, o pastiche procede por imitação de um estilo sem qualquer 
função crítica ou satírica". ² 
 
2. Por que estudar? 
 
Em nossa vida utilizamos sempre a intertextualidade, mesmo sem 
percebermos. Ela faz parte de nossa natureza. Estudá-la nos ajuda a 
compreender melhor como constituímos nossos discursos. Nos dá a 
capacidade de estabelecer relações entre o que já sabemos e o que 
desejamos saber e expressar. 
Podendo se revelar tanto no âmbito do conteúdo quanto da forma, 
permite desenvolver capacidades tanto linguísticas quanto semióticas e 
semânticas, sendo que ela não acontece por acaso, é fruto das relações que 
estabelecemos com o que conhecemos em nossa vivência diária. 
A intertextualidade acontece através da revitalização da memória e da 
compreensão da ampliação do dizer, podendo se manifestar de várias formas. 
 
3. Como ensinar? 
 
Levando, os alunos a ler, analisar e produzir obras intertextuais (não 
necessariamente textos), fazendo-os refletir sobre a influência da 
intertextualidade no dia-a-dia e não somente em âmbito acadêmico. Pode ser 
trabalhada com letras de músicas, textos, poemas, charges, imagens, 
propagandas publicitárias, filmes, etc. 
 
4. Sugestão de exercícios 
 
1- Num jornal sobre esportes foi criada uma 
charge com o enunciado: \u201cPor trás de todo 
grande time há um grande treinador\u201d (imagem ao 
lado)³. O enunciado do jornal, na época, 
pretendia elogiar a conduta do treinador pelo fato 
do time Vasco ter ganhado o campeonato. Tal enunciado remete a outro 
pertencente ao patrimônio social. Qual e esse enunciado? 
 
Resposta: \u201cPor trás de todo grande homem há uma grande mulher\u201d. 
 
 
2- As imagens abaixo são parte de uma campanha publicitária desenvolvida 
por um famoso hortifruti4. Analise-as e explique a relação de intertextualidade 
ocorrente entre elas. 
 
 
Resposta: A campanha publicitária utiliza-se de referencia a filmes num sentido 
cômico para promover os seus produtos. As imagens e frases utilizadas são 
parodias dos cartazes de divulgação dos filmes mencionados, são eles: \u201cO 
diabo veste Prada\u201d, \u201cE o vento levou\u201d, \u201cO incrível Hulk\u201d e \u201cA noviça rebelde\u201d. 
 
3- A parodia de Oswalde de Andrade, feita a partir do poema e Gonçalves Dias 
tem uma função crítica. Explique em que consiste a crítica feita no texto 2, e 
qual palavra evidencia essa crítica. 
 
Texto 1 
\u201cMinha terra tem palmeiras 
Onde canta o sabiá, 
As aves que aqui gorjeiam 
Não gorjeiam como lá\u201d. 
(Gonçalves Dias, \u201cCanção do exílio\u201d). 
 
Texto 2 
Minha terra tem palmares 
onde gorjeia o mar 
os passarinhos daqui 
não cantam como os de lá. 
(Oswald de Andrade, \u201cCanto de regresso à pátria\u201d). 
 
Resposta: O nome Palmares, escrito com letra minúscula, substitui a palavra 
palmeiras. Há um contexto histórico, social e racial neste texto, Palmares é o 
quilombo liderado por Zumbi, e foi dizimado em 1695, há uma inversão do 
sentido do texto primitivo que foi substituído pela crítica à escravidão existente 
no Brasil. 
 
Referências: 
 
1- http://www.edtl.com.pt/index.php?option=com_mtree&task=viewlink&link_id=442&Itemid=2 
2- http://www.infopedia.pt/$pastiche 
3- http://www.filologia.org.br/viiicnlf/anais/caderno09-02.html 
4- http://alquimiadaspalavrassm.blogspot.com.br/2010/03/intertextualidade-exemplos-para.html 
 
 
 
Outras: 
https://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:9H5pvgfD97MJ:crv.educacao.mg.gov.br/sistema
_crv/documentos/op/ef/linguaportuguesa/2010-08/op-ef-lp-
08.pdf+por+que+estudar+intertextualidade&hl=pt-
BR&gl=br&pid=bl&srcid=ADGEEShZc3_EbrYZn6vp3BIuVkpLrPi_-HoSSZEiVK5uE-
MV6JAZUITL31wYPl4vI0RNS70xyaY8Qa0jWhO6Yi4wN28NlQdbYWUrfHOsWOG8CYjrtlpgtsgq
T_JIg0FzcbDfOjTql8uY&sig=AHIEtbQgLyaa6oAfY-stt3s7P8dUN2sDng 
 
http://eulinamundodasletras.wordpress.com/2011/03/21/intertextualidade-2/ 
 
http://www.infoescola.com/portugues/intertextualidade-parafrase-e-parodia/ 
 
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=19919 
 
http://vestibular.uol.com.br/revisao-de-disciplinas/portugues/intertextualidade.jhtm