A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Assessoria de Imprensa - Produtos e Serviços - Rosildo Brito

Pré-visualização | Página 1 de 2

*
ASSESSORIA DE IMPRENSA EM EDUCOMUNICAÇÃO
OS PRODUTOS E SERVIÇOS DE
UMA ASSESSORIA DE IMPRENSA
*
 CONCEITO
	OS PRODUTOS E SERVIÇOS OFERECIDOS POR UMA ASSESSORIA DE IMPRENSA SÃO UM CONJUNTO DE RECURSOS VOLTADOS À ADMINISTRAÇÃO DO FLUXO DE INFORMAÇÕES DE CARÁTER JORNALÍSTICO, COLOCADO À SERVIÇO DO ASSESSORADO NO RELACIONAMENTO COM OS SEUS PÚBLICOS DIVERSOS E, EM PARTICULAR, COM A IMPRENSA.
*
 FINALIDADE
MUITO MAIS QUE A SIMPLES EXPOSIÇÃO NA MÍDIA, TAIS RECURSOS INCORPORAM A NOÇÃO DE POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO DA ORGANIZAÇÃO JUNTO AO PÚBLICO INTERNO E À SOCIEDADE, VISANDO A CONSOLIDAÇÃO DA BOA IMAGEM ORGANIZACIONAL, GOVERNAMENTAL E/OU PESSOAL. (DUARTE, 2006. p.236)
*
 PRODUTOS (por ordem alfabética)
1 – ACOMPANHAMENTO DE ENTREVISTAS 
2 – ADMINISTRAÇÃO DA AI
3 – APOIO A EVENTOS
4 - APOIO A OUTRAS ÁREAS
5 - ARQUIVO DE MATERIAL JORNALÍSTICO
6 - ARTIGO
7 - ATENDIMENTO À IMPRENSA
8 - AVALIAÇÃO DE RESULTADOS
9 - BANCO DE DADOS
10- BRINDES
11 - CAPACITAÇÃO DE JORNALISTAS
*
12 - CLIPPING E ANÁLISE DO NOTICIÁRIO
13 – CONCURSOS DE REPORTAGEM
14 – CONTATOS ESTRATÉGICOS
15 – ENTREVISTAS
16 – JORNAL MURAL
17 – LEVANTAMENTO DE PAUTAS
18 – MAILLING OU CADASTRO DE JORNALISTA
19 - MEDIA TRAINING 
20 – PLANEJAMENTO
21 – PUBLIEDITORIAL OU INFORME PUBLICITÁRIO
22 – RELEASE
234- SITE
*
1 – ACOMPANHAMENTO DE ENTREVISTAS 
	
UM PERFIL DO PROGRAMA E ENTREVISTADORES;
TEMPO DISPONÍVEL E TEMAS A SEREM ABORDADOS;
MANTER UMA ROTINA DE AVALIAÇÃO POSTERIOR À ENTREVISTA POR MEIO DA QUAL O ASSESSOR IDENTIFIQUE E DISCUTA COM O ASSESSORADO VÍCIOS (DE FALA, POSTURA FÍSICA, DE ABORDAGEM DOS ASSUNTOS, ETC).
*
2 – ADMINISTRAÇÃO DA AI
DOMÍNIO DE HABILIDADES ESPECÍFICAS DOS INTEGRANTES DA AI;
ESTURUTURAÇÃO ADEQUADA AOS SERVIÇOS E PRODUTOS OFERECIDOS;
CUMPRIMENTO DE PRAZOS;
MANUTENÇÃO DO BOM RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA DE MODO GERAL;
QUALIDADE NA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS E ORÇAMENTOS
*
3 – APOIO A EVENTOS
SUGESTÃO DE TEMAS DE INTERESSE JORNALÍSTICO;
DEFINIÇÃO DE PROGRAMAÇÃO E HORÁRIO EM CONFORMIDADE COM O HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DOS MEDIA;
ORGANIZAR COLETIVAS;
PREPARAR SALA DE IMPRENSA PARA ENTREVISTAS DIVERSAS;
DISTRIBUIÇÃO DE CONVITES, PRESS KIT´S, E OUTROS MATERIAIS INFORMATIVOS;
*
___4 - APOIO A OUTRAS ÁREAS
ELABORAÇÃO DE ROTEIRO AUDIO-VISUAL;
PRODUÇÃO DE FOLDERS;
SUGESTÃO DE LOCAL ADEQUADO PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS COM ESPAÇO PARA IMPRENSA;
*
5 - ARQUIVO DE MATERIAL JORNALÍSTICO
Fotos;
Folders;
Material publicitário;
Vídeos;
Publicações empresariais;
Relatórios, etc..
 
*
6 - ARTIGO;
7 - ATENDIMENTO À IMPRENSA;
8 - BANCO DE DADOS;
9 - CONCURSOS DE REPORTAGEM;
10 - JORNAL MURAL
11 - SITE
*
__12 - AVALIAÇÃO DE RESULTADOS
Mecanismos de auto-avaliação perante o relacionamento com a imprensa;
Mecanismos de auto-avaliação perante o assessorado;
Uso de métodos de pesquisa qualitativos de avaliação sobre a AI e a organização
*
__13 - BRINDES
Material promocional da própria empresa;
Brindes personalizados para jornalistas, tais como: canetas, agendas,blocos, etc...
*
 14 - CAPACITAÇÃO DE JORNALISTAS
	Treinamentos;
	Painéis;
	Seminários;
	Workshops;
	Produção de: manuais, cartilhas, glossário sobre temas específicos
*
 15 - CLIPPING E ANÁLISE DO NOTICIÁRIO
ATIVIDADE DE ACOMPANHAMENTO ROTINEIRO JUNTO AOS VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO COM FINALIDADE DE IDENTIFICAR, ARQUIVAR E ENCAMINHAR AO ASSESSORADO, TODAS AS CITAÇÕES SOBRE O ASSESSORADO BEM COMO SOBRE ASSUNTOS DE SEU INTERESSE.
O MATERIAL RECORTADO DEVE SER ARQUIVADO DE MANEIRA ORGANIZADA E PADRONIZADA COM DADOS A EXEMPLO DE: NOVE DO VEÍCULO; DATA DE VEICULAÇÃO, PÁGINA DE PUBLICAÇÃO E NOME DE EDITORIA.
*
 15.1 - CLIPPING ELETRÔNICO
	Trabalho de acompanhamento feito junto às emissoras de rádio, TV e Internet. Trata-se de um serviço de custo mais alto, sobretudo, se terceirizado. O padrão utilizado em geral para os dois primeiros tipos de veículos, além da gravação dos programas de áudio e audiovisuais é o do uso de súmula ou sinopses.
*
 16 – CONTATOS ESTRATÉGICOS
16.1	CONTATO ADMINISTRATIVO
FINALIDADE: MANTER-SE ATUALIZADO SOBRE QUADRO JORNALÍSTICOS DAS REDAÇÕES E DEMAIS DADOS QUE COMPÕEM O MAILLING-LIST DOS JORNALISTAS
16.2 	CONTATO OPERACIONAL
FINALIDADE: ATUALIZAR-SE SOBRE A ESTRUTURA INTERNA, HORÁRIO DE FECHAMENTO, INTERESSE EDITORIAL, AUTO- AVALIAÇÃO DO APROVEITAMENTO DE RELISES E OUTROS RECURSOS INFORMATIVOS 
*
16.3 CONTATO JORNALÍSTICO (A PAUTA)
	FINALIDADE: FORNECER PAUTAS E INFORMAÇÕES INTERESSANTES E PERSONALIZADAS, FACILITANDO, DESTA MANEIRA, O FECHAMENTO DAS EDIÇÕES E PUBLICAÇÕES DIÁRIAS DOS VEÍCULOS.
16.4 CONTATO DE PROSPECÇÃO
FINALIDADE: ATUALIZAR-SE DE MANEIRA INFORMAL, ACERCA DA REPERCUSSÃO DO ASSESSORADO JUNTO A AMBIENTES E PÚBLICOS DE INTERESSE DESTE COM VISTAS A UMA REFLEXÃO MAIS APROFUNDADA SOBRE A IMAGEM DO ASSESSORADO.
*
16.5	CONTATO DE MANUTENÇÃO
	FINALIDADE: DIZ RESPEITO AOS ESFORÇOS VOLTADOS À MANUTENÇÃO DE UM BOM RELACIONAMENTO NAS REDAÇÕES COM TODO O CORPO PROFISSIONAL QUE ATUA NESTE ESPAÇO. TRATA-SE DE UMA DAS AÇÕES MAIS IMPORTANTE DO AI POR MEIO DA QUAL ESTE ADQUIRI CREDIBILIDADE E AFEIÇÃO POR PARTE DOS JORNALISTAS E VEÍCULOS.
*
 17 - ENTREVISTA 
ENTREVISTAS COLETIVAS
A entrevista coletiva, segundo Rabaça e Barbosa, é aquela em que “a personalidade atende à imprensa em conjunto, respondendo às perguntas de repórteres de diversos veículos de comunicação”. (RABAÇA E BARBOSA, 2002. P. 23)
A entrevista coletiva é um recurso importante para AI, porque possibilita a divulgação de fatos e ou opiniões relacionadas ao seu cliente de uma forma dinâmica e com resultados abrangentes
*
__18 - CLASSIFICAÇÃO DAS COLETIVAS
ESPONTÂNEA
	São as que ocorrem sem a intervenção direta do AI. Ele pode e deve, no entanto, facilitar a realização da entrevista, o que garante, muitas vezes, espaços importantes nas emissoras de rádio e televisão.
PROVOCADAS
	São aquelas organizadas pelo AI, dependendo das necessidades do cliente e considerando os critérios jornalísticos. No entanto o AI deve conhecer amplamente a realidade do cliente, sem esquecer dos critérios que tornem o fato notícia.
*
ESTRUTURA DA COLETIVA
SIMPLES
AMERICANA
*
SIMPLES: é aquela que ocorre em pequenos ambientes com número reduzido de repórteres, os quais fazem as perguntas que quiserem, em ordem aleatória. O entrevistado pode ou não resumir brevemente o assunto.
*
AMERICANA: é quando o entrevistado é mantido a uma certa distância dos jornalistas, podendo ser realizada em um auditório. Em alguns casos, exigi-se que as perguntas sejam previamente submetida a AI, não causando problemas de relacionamento com a imprensa.
*
 19 - MAILLING OU CADASTRO DE JORNALISTAS 
Listagem de jornalistas e veículos de interesse da AI. Esta listagem pode ser subdividida de acordo com critérios particulares, tais como: jornalistas locais, de interesse nacional, especializado; veículos eletrônicos (Rádio, TV e Sites), veículos impressos, etc.
Um bom maillig-list é aquele que é mantido atualizado e bem organizado com nomes, endereço, telefones, telefax e e-mails de contato. 
*
 20 - LEVANTAMENTO DE PAUTAS
Trabalho sistemático de suma importância para o Ai e que consiste na formação da sua rede de contatos, incluindo aqui não apenas os contatos com as diretorias, presidência e técnicos mas empregados de maneira geral da organização, criando assim, uma rede de informantes diversificada e eficiente.
*
21 – PLANEJAMENTO
Trata-se da ação planejada, realizada de maneira estratégica por parte de uma AI e que deve levar em consideração os seguintes itens:
Identificação dos públicos de interesse (interno, externo e misto);
Definição de metas a serem atingidas em curto, médio e longo prazo;
*
PLANEJAMENTO

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.