Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Trabalho fissura Labiopalatina Tratamento Fono

Pré-visualização | Página 1 de 2

Disciplina: Sistema Estomatognático 
Prof.ª: Darlene Gerzson 
Acadêmicos: Daiane, Danielle, Cristiane, Gilberto, 
Simone, Thallita. 
FISSURA LÁBIOPALATINA 
 
 
 
TRATAMENTO 
FONOAUDIOLÓGICO 
 
TRATAMENTO FONOAUDIOLÓGICO 
 
O trabalho fonoaudiológico voltado para as fissuras labiopalatinas, 
envolve várias etapas, desde o recém-nato até a idade adulta, 
entre eles encontra-se primeiramente a avaliação. 
 
O principal do tratamento das fissuras 
palatinas é facilitar a recuperação da fala 
normal deste paciente. 
 
Fatores que influenciam no tratamento terapêutico: 
• Presença de outros comprometimentos associados a 
fissura; 
 • Idade do paciente ao iniciar o tratamento fonoaudiológico; 
• Déficit auditivo que altera o desenvolvimento da 
linguagem; 
• Nível (grau) de inteligência do paciente; 
• Características do meio em que vive; 
• Desenvolvimento afetivo; 
• Resultado anatomofuncional da cirurgia, 
principalmente no que diz respeito a 
mobilidade dos lábios e do palato mole, além do 
desenvolvimento e da mobilidade dos músculos 
da faringe; 
•Grau de desenvolvimento neuromuscular e a 
capacidade do paciente em inibir os padrões 
incorretos e adquirir uma articulação correta 
(normal) durante o ato de falar; 
 
Objetivos do tratamento 
• Adequar a comunicação oral, da qual depende a 
socialização do indivíduo, já que é na e pela linguagem 
que o homem se constitui como sujeito; 
• Proporcionar um eficiente desenvolvimento do sistema 
estomatognático; 
• Possibilitar uma satisfatória integração biopsicossocial 
do indivíduo portador de anomalia craniofacial, entre 
as quais estão incluídas as fissuras lábiopalatinas. 
TRATAMENTO DA ARTICULAÇÃO 
 
Os indivíduos portadores de fissura 
labiopalatina podem apresentar classes de 
alterações que abrangem: 
Mobilidade de órgãos fonoarticulatórios; 
Audição; 
Linguagem; 
Fala; 
Voz; 
Leitura/escrita; 
Funcionalidade dos órgãos articulatórios; 
(mastigação inadequada, sucção prejudicada, 
deglutição atípica, produção oral 
prejudicada). 
 
 Forma; 
 Posição; 
 Tamanho; 
 
 
... AINDA ALTERAÇÕES QUE 
ABRANGEM... 
 
 Na avaliação funcional, a ação dos 
órgãos fonoarticulatórios são essenciais 
pra obter dados sobre: Postura, 
sensibilidade, tônus, movimentação e 
habilidade motora. 
 
 
 
 
 
 
 
 É necessário que se faça treino 
através de exercícios orofaciais específicos 
para: sucção, mastigação, deglutição, 
tonicidade, flexibilidade, mobilidade e 
capacidade de controle. 
 
 As alterações apresentadas pelos 
fissurados labiopalatinos são típicas de sua 
patologia, os distúrbios articulatórios 
frequentes sao: 
 
 golpe de glote; é o toque brusco das pregas vocais em substituição à emissão de algum 
fonema. 
 
 fricativa faríngica; é conseqüência da constrição da faringe quase sempre em 
substituição à emissão de fonemas fricativos, com tensão de base de língua e direcionamento 
inadequado do fluxo aéreo. 
 
 ronco nasal; resultante do atrito de ar entre o palato mole e as paredes da faringe devido 
a um não fechamento velofaríngeo, deixando um espaço pequeno para o ar passar para a 
rinofaringe. 
 
 sigmatismo nasal; caracteriza-se por uma elevação de língua e direcionamento de 
todo o fluxo aéreo pelo nariz durante a tentativa de emissão dos fonemas fricativos. 
 
 compensação mandibular; é o movimento brusco de abertura e fechamento 
mandibular efetuado sobretudo em substituição aos fonemas línguo-alveolares (/l/ e /r/). 
 
 e compensação dorso-médio-palatina; Acontece como movimentos 
compensatórios na tentativa de impedir que passagem de ar seja direcionada para o nariz. 
 
 A terapia articulatória é direcionada à 
eliminação dos movimentos compensatórios 
característicos da fala dos fissurados labiopalatinos. 
É o fator principal para se alcançar um melhor 
fechamento do esfíncter velofaríngeo. 
 
 Vários autores observaram sua importância e estabeleceram 
linhas de trabalho como a “Terapia Articulatória de Kawano, ou 
Terapia Sussurada, onde a voz sussurrada é utilizada apenas como 
estratégia inicial e a Terapia “Articulatória de Fluxo aéreo Bucal”, 
idealizada pela Fonoaudióloga Elisa Altmann, onde tem como objetivo 
a eliminação das tensões provocadas no trato vocal pelos 
movimentos compensatórios e o direcionamento do fluxo aéreo 
para a cavidade oral. 
 
 
 
Após a adequação da articulação passa-se ao 
tratamento da voz. 
 
 
 
 
 
 Para reeducação de alguns casos há técnicas 
passivas através de instrumental simples e específico, 
exemplos: 
 
*Alteres labial e lingual: Servem para dar tônus ao lábio e língua. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*Canudos: Utilizados para realizar o treino da sucção, esses movimentos pré-
fonatórios devem ser trabalhados para que o paciente tenha um bom controle da 
musculatura orofacial, assim como as mastigação e deglutição. 
 
*Seringas e conta-gotas: Utilizados para facilitar o treino da deglutição. 
 
*Espelho metálico: Utilizado para controlar e observar o escape de ar nasal. 
 
*Guias de língua: Auxiliam para estimular as sensibilidades exteroceptivas e 
proprioceptivas. 
 
*Abaixador lingual: Utilizado para fazer baixar a língua a base lingual, mantendo-a 
nesta posição. 
 
*Ligas Ortodônticas: Servem para trabalhar a potura lingual. 
 
*Alimentos em pó, gelatinosos, pastosos, sólidos e líquidos: servem para trabalhar 
pontos articulatórios, mobilidade de órgãos deglutição. 
 
* Escova dental: Utilizada para massagem nos alvéolos, palato e bochechas. 
 
*Rolhas: Utilizadas para trabalhar a musculatura labial. 
 
*Material de sopro: Utilizado para trabalhar a respiração. 
 
 A terapia miofuncional nos casos de Fissura 
Labiopalatina não difere, do ponto de vista 
metodológico, daquela aplicada em pacientes 
exclusivamente miofuncionais. 
 Porém em alguns casos, onde as alterações 
anatômicas são mais graves, deve-se contar com 
auxílio de cirurgia plástica, prótese ou ortodontia. 
 
 
 
 O tratamento fonoaudiológico visa a 
adequação da comunicação oral tendo como objetivo 
estabelecer um bom convívio social ao paciente. 
TRATAMENTO DO BEBÊ 
Esta etapa do tratamento baseia-se na estimulação dos 
órgãos fonoarticulatórios , com o objetivo de 
proporcionar o desenvolvimento das estruturas faciais, a 
propriocepção , mobilidade e tonicidade. 
 
Isto pode ser obtido através de massagens realizadas com 
os dedos ou com a parte de trás da escova de dentes ou , 
ainda, com a dedeira Dedemass. 
 
Além dessa massagem pode-se fazer massagem facial. 
A massagem do lábio superior deve ser feita em 
direção centro-lateral ;de dentro para fora; de cima 
para baixo ; tracionando para baixo e para os lados, e 
em pequenos círculos. 
 
A sucção deve ser estimulada através da sucção 
voluntária do dedo indicador do terapeuta , seio 
materno, bico ortodôntico, sendo que o bebe deve estar 
utilizando a placa obturadora para tornar possível a 
pressão da área intra-oral suficiente para a realização 
da sucção. 
 
A deglutição destes bebês deve ser feita na posição 
verticalizada, com o objetivo de ser facilitada. Pode-se 
massagear o véu palatino para dar mobilidade e tônus, 
auxiliando assim a deglutição. 
A audição deve ser estimulada e explorada ao máximo 
pelos pais destes bebês com o objetivo de proporcionar o 
desenvolvimento auditivo mínimo e com isso facilitar o 
posterior desenvolvimento da linguagem. Isto pode ser 
feito com a utilização
Página12