A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
atividade   2 N1   2,0   Dir. Civil III

Pré-visualização | Página 1 de 3

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS
PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO 
ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS
CURSO DE DIREITO
DISCIPLINA: DIREITO CIVIL III 				
PROFESSORA: GODAMEYR ALVES
ATIVIDADE: 2ª N1 DATA: 25/09/2015	 NOTA_______________
ALUNO (A)__________________________________________________________________
Informações acerca da avaliação: 
Avaliação individual;
Será considerado na aferição da pontuação a total correspondência da assinalação NO QUADRO RESPOSTA com o gabarito e a indicação da fundamentação legal e/ou doutrinária.
Valor máximo 2,0 (dois) pontos para 1ª N1.
Data IMPRORROGÁVEL de entrega, sob pena de não compor nota de N1: 29/09/2015
QUADRO DE RESPOSTA 
Cada item deverá ser assinalado claramente com apenas uma letra. Havendo confusão a questão será considerada não assinalada.
	1
	2
	3
	4
	5
	6
	7
	8
	9
	10
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	11
	12
	13
	14
	15
	16
	17
	18
	19
	20
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
	
Maurício, pretendendo vender um violino que recebera em doação feita por sua avó, quando ainda estava viva, publicou anúncio em um site de vendas, apresentando a marca do instrumento e as especificações, inclusive o ano de fabricação, o modelo e o estado de conservação. Anexou a fotografia do instrumento e fez constar do anúncio o preço no valor de dois mil reais. Vários contatos foram feitos, sendo que, no mesmo dia em que foi divulgada a publicidade, Vanildo, músico profissional, se dirigiu à residência de Maurício, com os dois mil reais em dinheiro, para aquisição do bem. 
Acontece que Maurício, impressionado com o grande número de contatos feitos em decorrência da publicação do anúncio, declarou para Vanildo que não realizaria a venda naquele momento, pois gostaria de aguardar uma oferta mais vantajosa. 
Nesse caso, pode-se afirmar que:
 a) é direito potestativo de Maurício manifestar arrependimento pela oferta, sem qualquer consequência jurídica, já que o contrato não chegou a ser formalizado;
 b) houve celebração do contrato, já que a oferta ao público equivale à proposta, havendo, contudo, direito ao arrependimento, desde que Vanildo seja indenizado pelas perdas e danos;
 c) é direito potestativo de Maurício manifestar arrependimento pela oferta, já que o contrato não chegou a ser formalizado, ficando, contudo, obrigado a indenizar Vanildo pelas perdas e danos sofridos;
 d) é direito subjetivo de Maurício manifestar arrependimento pela oferta, já que o contrato não chegou a ser formalizado, ficando, contudo, obrigado a indenizar Vanildo pelas perdas e danos sofridos;
 e) houve celebração do contrato, já que a oferta ao público equivale à proposta, sendo, portanto, obrigatória, não havendo direito ao arrependimento.
Fabrício ofereceu verbalmente uma mesa usada a Eduardo, pelo preço de trezentos reais, pagamento à vista, em dinheiro. Eduardo respondeu positivamente. É correto afirmar que o contrato.
 a) não foi celebrado, porque não houve formalidade essencial à venda.
 b) não foi celebrado, porque não houve a entrega do bem. 
 c) foi celebrado, pois houve proposta e aceitação. 
 d) foi celebrado, mas é ineficaz até a entrega da mesa. 
 e) foi celebrado, mas é rescindível até a entrega da mesa.
João e José celebram um contrato e ajustam que o adimplemento será feito sempre em dinheiro e pessoalmente, no dia 10 (dez) do mês vencido. Ocorre que o contrato, que é de trato sucessivo, há mais de 12 (doze) anos é executado por João, por meio de depósito em conta corrente, em cheque e na data acordada, sem questionamento de qualquer natureza por José. Essa situação passa a ser fonte criadora de direitos subjetivos para João. O instituto que fundamenta a afirmação feita é:
 a) surrectio;
 b) venire contra factum proprium;
 c) supressio;
 d) teoria do adimplemento substancial;
 e) tu quoque.
Cícero enviou proposta de celebração de contrato de prestação de serviços para Célio, estabelecendo um prazo de cinco dias para a resposta. Fez constar da proposta que o contrato estará celebrado na hipótese de Célio deixar de emitir resposta no prazo assinalado. Caso Célio realmente não responda à proposta, pode- se afirmar que:
 a) não houve formação do contrato.
 b) houve formação do contrato em decorrência da manifestação presumida da vontade de Célio.
 c) houve formação do contrato em decorrência da manifestação tácita da vontade de Célio.
 d) houve formação do contrato em decorrência da manifestação expressa da vontade de Célio.
 e) apesar da formação do contrato em virtude da manifestação tácita da vontade, o negócio é relativamente ineficaz perante Célio.
Assinale a opção correta a respeito do contrato preliminar.
 a) De acordo com entendimento do STF, o compromisso de compra e venda de imóveis não enseja a execução compulsória.
 b) Nos termos do Código Civil, o contrato provisório constitui avença na qual os contratantes prometem complementar o ajuste futuramente, no contrato definitivo, não se exigindo a outorga uxória de contraentes casados, pois, no contrato provisório, não se perquire a aptidão para validamente alienar.
 c) Não se exige que o pactum de contrahendo seja instrumentalizado com os mesmos requisitos formais do contrato definitivo a ser celebrado, ainda que se exija, para este último, a celebração por escritura pública.
 d) De acordo com a jurisprudência pretoriana, para se exigir, perante o outro contraente, pré-contrato irretratável e irrevogável, é imprescindível que este seja levado ao registro competente.
 e) Tratando-se de compra e venda de imóvel, o adquirente só poderá propor ação de adjudicação compulsória do bem registrado em nome do promitente vendedor se ocorrer o prévio registro do pacto preliminar.
Um famoso escritório de advocacia pediu a Heitor, artista plástico conhecido, que fizesse uma escultura a ser colocada no hall de entrada do prédio onde está instalado. 
Com referência a essa situação hipotética, assinale a opção correta.
 a) Ainda que não tenha sido formalizado contrato por escrito, é possível presumir o consentimento implícito de Heitor.
 b) Considerando a natureza do serviço a ser prestado, se não tiver sido estipulada remuneração, presume-se a gratuidade.
 c) Se a escultura entregue não corresponder à pretensão esperada, o recebedor poderá obstar o pagamento do serviço, ainda que a simples prestação enseje o pagamento.
 d) Constando do contrato que a remuneração será paga na entrega da obra, mas não tendo sido estipulado o valor, presume-se aceito o preço a ser cobrado pelo artista.
 e) Caso Heitor não saiba ler nem escrever, o contrato firmado será válido se tiver sido assinado por representante ou procurador.
Assinale a alternativa correta acerca do instituto do contrato preliminar no direito brasileiro.
 a) O contrato preliminar, em razão de sua natureza, não pode ser registrado em cartório.
 b) Para formação do contrato preliminar exige-se que haja obrigação por ambos os contratantes, sendo vedada a promessa unilateral.
 c) O compromisso de compra e venda de bem imóvel não tem natureza de contrato preliminar.
 d) É vedada estipulação de cláusula de arrependimento em contrato preliminar.
 e) Regularmente concluído o contrato preliminar, qualquer das partes pode exigir a celebração do contrato definitivo.
Em relação ao contrato preliminar, segundo o Código Civil/2002, é correto afirmar que 
 a) o contrato preliminar, inclusive quanto à forma, deve conter todos os requisitos essenciais ao contrato a ser celebrado.
 b) se o estipulante não der execução ao contrato preliminar, não poderá a outra parte considerá-lo desfeito, e pedir perdas e danos.
 c) se a promessa de contrato for unilateral, o credor, sob pena de ficar a mesma sem efeito, deverá manifestar-se no prazo nela previsto,