A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
aula_2_estrutura_nomenclatura_flores

Pré-visualização | Página 1 de 1

Marcelo Francisco Pompelli
Foto capa livro Plant Physiology (Taiz & Zeiger) – 4th edition
Estrutura e 
Nomenclatura de flores
Fitomorfologia L.
A FLOR
Importância
reprodução sexuada
classificação das plantas “taxonomia”
industrial, medicinal, ornamental, alimentícea
Características gerais
constituída de folhas modificadas
(metamorfose foliar) com diferentes
especializações 
Funções
reprodução sexuada
Origem
metamorfose foliar progressiva
Partes de uma flor
brácteas e bractéolas = folhas modificadas, localizadas próximo aos 
verticilos florais; geralmente duas bractéolas nas Dicotyledoneae e uma 
nas Monocotyledoneae
pedúnculo = eixo de sustentação da flor
receptáculo = porção dilatada do extremo do pedúnculo,
onde se inserem os verticilos florais
verticilos florais
externos = cálice – conjunto de sépalas
corola – conjunto de carpelos
internos = androceu – conjunto de estames
gineceu – conjunto de carpelos
Partes de uma flor Partes de uma flor Partes de uma flor
pedicelo = eixo de sustentação da flor na inflorescência pluriflora
perigônio = existe a tendência de se chamar assim o perianto 
homoclamídeo, típico em Monocotyledoneae
carpelo
ovário
estilete
estigma
pétala
antera
filete
estame
sépala
receptáculo
óvulo
Nomenclatura
Quanto ao pedúnculo
pedunculada e pecicelada = com pedúnculo e pedicelo
séssil = sem pedúnculo e sem pedicelo (e.g. cordão de frade)
Quanto a disposição das peças florais
cíclica = peças florais dispostas em círculos concêntricos (e.g. lírio, 
quaresma, flor de couve)
acíclica = peças florais dispostas em espiral (e.g. magnólia)
Quanto ao número de peças no perianto
aperiantada, aclamídea ou nua = ausência dos dois verticilos 
protetores (e.g. pimenta-do-reino)
monoperiantada = ausência de um dos verticilos florais (e.g.
mamona)
diperiantada, diclamídea ou diploclamídea = presença de cálice e 
corola (e.g. lírio, brinco-de-princesa)
Nomenclatura Nomenclatura
flor nua de Piper nigrum flor monoperiantada de mamona flor diperianta de brinco-de-princesa
Nomenclatura
Quanto a homogeneidade do perianto
homoclamídea = sépalas e pétalas semelhantes em número, cor e 
forma, sendo chamadas de tépalas (e.g. lirio)
heteroclamídea = sépalas e pétalas diferentes entre si (e.g. brinco-
de-princesa)
Quanto ao sexo
unissexual = ausência de um dos dois sexos (flores díclinas)
hermafrodita = órgãos reprodutores masculinos e femininos na 
mesma flor (flores monóclinas)
estéril ou neutra = androceu e gineceu não-funcionais ou ausentes
Nomenclatura Nomenclatura
Quanto ao número de estames
oligostêmone = número de estames menor que o de pétalas (e.g. 
cardeal)
isostêmone = número de estames igual ao de pétalas (e.g. café, 
fumo)
diplostêmone = número de estames em dobro ao de pétalas 
(e.g. quaresma, lírio, feijão)
polistêmone = número de estames superior (exceto dobro) ao de 
pétalas (e.g. goiaba)
Quanto a posição do gineceu
hipógina = receptáculo plano a convexo, demais verticilos abaixo do 
gineceu
epígina = receptáculo escavado concrescente com todo o ovário, 
demais verticilos acima do gineceu
perígina = receptáculo escavado livre ou às vezes concrescente até
a metade do ovário, demais verticilos em torno do gineceu
Nomenclatura Nomenclatura Nomenclatura
Quanto a soldadura das peças florais
gamopétala = quando as pétalas estão soldadas entre si
dialipétala = quando as pétalas são livres entre si
Quanto ao número de peças florais
trímera = pétalas em número de 3 ou múltiplos (Monocotyledoneae)
tetrâmera ou pentâmera = quando as pétalas são em número de 
quatro, cinco ou seus múltiplos (Dicotyledoneae)
Quanto a simetria
actinomorfa ou radial = rosa
zigomorfa ou bilateral = ervilha
assimétrica
Nomenclatura
flor gamopétala zigomorfa
de Salvia
flor dialipétala de Cattleya sp.
flor gamopétala actinomorfa de vinca
flor gamopétala actinomorfa de 
Campanula sp.
Inflorescência
Definição
é a disposição dos ramos florais e das flores sobre eles
Classificação quanto a posição
axilares = inflorescência na axila de folhas
terminais = inflorescência no fim do ramo
Classificação quanto ao número
unifloras = uma flor na extremidade do pedúnculo ou eixo
(e.g. brinco-de-princesa)
plurifloras = várias flores no mesmo pedúnculo ou eixo (e.g. uva)
simples = eixo primário produz pedicelos com uma flor
compostas = eixo primário produz pedicelos que se ramificam
Inflorescência
Quanto aos tipos
indefinida, racimosa, centrípeta ou monopodial = quando as 
flores se abrem, de baixo para cima (Asclepias, Chrysanthemum, 
Monstera, Asclepias) ou da periferia para o centro
definida, cimosa, centrífuga ou simpodial = quando o extremo do 
eixo primário, cessando o seu crescimento, termina numa flor que é a 
primeira a abrir-se (escorpióide, helicóide, dicásio), ou quando as 
flores se abrem do centro para a periferia (pleiocásio, glomérulo, átio, 
sicônio)
Inflorescência
Glomérulo (Leonotis)
Sicônio (Ficus)
Inflorescência
Escorpióide (Heliotropium)
Helicóide (Hemerocalis)
Inflorescência
Inflorescência do tipo umbela 
(Asclepias syriaca)
Inflorescência do tripo
amento (Acalypha hispida)
Inflorescência
I
n
f
l
o
r
e
s
c
ê
n
c
i
a
 
d
o
 
t
i
p
o
 
e
s
p
á
d
i
c
e
 
(
M
o
n
s
t
e
r
a
d
e
l
i
c
i
o
s
a
)
Inflorescência do tipo capítulo
(Chrysanthemum leucanthemum)
Inflorescência
Tipos de inflorescências racimosas simples
cacho ou racimo = flores situadas em pedicelos, saindo de diversos 
níveis no eixo primário e atingindo diferentes alturas (e.g. couve)
corimbo = flores situadas em pedicelos saindo de vários niveis do 
eixo primário e atingindo todas a mesma altura (e.g. espatódia)
espiga = flores sésseis ou subsésseis, situadas em diversas alturas 
sobre um eixo primário (e.g. língua-de-vaca)
espádice = variação da espiga em que o eixo primário é carnoso, as 
flores são geralmente unissexuais e o conjunto é envolvido por uma 
grande bráctea chamada espata (e.g. araceae, banana-de-macaco)
amento = variação da espiga em que o eixo primário geralmente é
flexível e pendente e em geral apresenta flores unissexuais
(e.g. castanheira)
umbela = flores situadas em pedicelos que saem do mesmo ponto 
do eixo primário, atingindo a altura semelhante (e.g. falsa-erva-de-rato)
capítulo = quando o eixo se alarga na extremidade superior, 
formando um receptáculo côncavo, plano ou convexo, onde se 
inserem um conjunto de flores, rodeado por brácteas (e.g. margaridas)
Inflorescência
Tipos de inflorescências cimosas simples
cima unípara monocásio = quando, abaixo do eixo primário 
terminado por flor, forma-se um só eixo secundário lateral, também 
terminado por flor (e.g. Heliotropium, Hemerocallis)
cima bípara ou dicácio = sob a flor terminal do eixo primário, 
partem dois secundários opostos, também terminados por flor, os 
quais podem igualmente originar dois outro (e.g. begônia)
cima multípara ou pleiocácio = eixo primário termina por uma flor, 
do qual partem vários secundários, também terminados por flor 
(e.g. ixora, jardineira)
glomérulo = flores sésseis ou subsésseis, muito próximas entre si, 
aglomeradas, de configuração mais ou menos globosa (e.g. cordão-
de-frade)
ciátio = formado por uma flor feminina, nua, pedicelada, rodeada por 
várias masculinas, constituídas por um estame e todo o conjunto 
envolvido por um invólucro caliciforme de brácteas, alternando-se com 
glândulas (e.g. coroa-de-cristo)
sicônio = o receptáculo é escavado, formando uma cavidade quase 
fechada, onde se inserem flores unissexuais (e.g. figo)