A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Morfo I

Pré-visualização | Página 3 de 5

de um neurônio que não está transmitindo impulsos nervosos. O valor do potencial de repouso é da ordem de -70mV (miliVolts). O sinal negativo indica que o interior da célula é negativo em relação ao exterior. 
A existência do potencial de repouso deve-se principalmente a diferença de concentração de íons de sódio (Na+) e de potássio (K+) dentro e fora da célula. Essa diferença é mantida por meio de um mecanismo de bombeamento ativo de íons pelas membranas celulares, em que o sódio é forçado a sair da célula e o potássio a entrar.
Apesar do nome a manutenção do potencial de repouso demanda gasto de energia pela célula, uma vez que o bombeamento de íons é um processo ativo de transporte que consome ATP.
B)	Descreva o potencial de ação de membrana (despolarização de membrana, repolarização e hiperpolarização).
DESPOLARIZAÇÃO DA MEMBRANA, A membrana celular possui inúmeras estruturas protéicas que funcionam como “portas” de passagem de íons de sódio e potássio. Essas portas ficam normalmente fechadas em um neurônio em repouso, abrindo-se quando ele é estimulado.
 
Quando um estímulo apropriado atinge o neurônio, as portas de passagem de sódio abrem-se imediatamente na área da membrana que foi estimulada: o íon sódio, por estar em maior concentração no meio celular externo, penetra rapidamente através dessas aberturas na membrana. O brusco influxo de cargas positivas faz com que potencial da membrana, que era da ordem de -70mV (potencial de repouso), passe a aproximadamente +35mV. Essa mudança de potencial denomina-se despolarização.
 2) REPOLARIZAÇÃO: dentro de décimos milésimos de segundo a permeabilidade ao Na+ começa a diminuir (canais rápidos se fecham e o sódio para de entrar) e a célula fica mais permeável ao K+ (pois o canal lento se abre e o potássio pode sair da célula por difusão simples) o que permite a rápida difusão desse íon para o exterior, recuperando o potencial negativo de repouso (REPOLARIZAÇÃO)
Como é possível que a membrana celular torne-se subitamente permeável aos íons sódio e em seguida permeável aos íons potássio, Na verdade o que ocorre é o início do funcionamento de canais proteicos de membrana que se encontravam inativos durante o potencial de repouso da célula. Tais canais encontravam-se inativos, pois são do tipo “canais regulados por comportas” e as comportas permanecem fechadas até que um estímulo externo provoque sua abertura e o desencadeamento do potencial de ação.
3) HIPERPOLARIZAÇÃO:
Após ter ocorrido o potencial de ação,  os canais de Na+ passam para um estado inativo no qual não são capazes de responder a um novo estímulo, ou seja, ficam fechados a novos influxos de sódio. Enquanto isso, os canais de K+, que ainda estão se abrindo, devido à sua lentidão caracteristica, permanecem ativos e  permitem uma grande saída de íons K+. Isso leva à repolarização da membrana, de qua falamos acima. Ela chega a ser "exagerada" na sua fase final, provocando inclusive uma pequena e transitória hiperpolarização. 
Os canais de Na+ somente voltam a poder ser estimulados apenas depois que a membrana estiver totalmente repolarizada. Enquando não houver um número suficiente de canais de Na+ nessa condição, é possível estimular o neurônio, mas ele responderá somente se a intensidade for bem maior. É o que denominamos de período refratário relativo. Quando os canais estão totalmente fechados e é impossível estimular o neurônio, por maior que seja a intensidade do estímulo, dizemos que o período refratário é absoluto. 
C)	O que são neurotransmissores? Cite dois exemplos e suas respectivas ações.
Neurotransmissores são substâncias químicas produzidas pelos neurônios, as células nervosas. Por meio delas, podem enviar informações à outras células. Podem também estimular a continuidade de um impulso ou efetuar a reação final no órgão ou músculo alvo.
Essas substâncias atuam no encéfalo, na medula espinhal e nos nervos periféricos e na junção neuromuscular ou placa motora.
Quimicamente, os neurotransmissores são moléculas relativamente pequenas e simples. Diferentes tipos de células secretam diferentes neurotransmissores. Cada substância química cerebral funciona em áreas bastante espalhadas, mas muito específicas do cérebro e podem ter efeitos diferentes dependendo do local de ativação. Cerca de 60 neurotransmissores foram identificados e podem ser classificados, em geral em uma das quatro categorias.
O objetivo deste trabalho é mostrar a importância dos neurotransmissores e sua larga utilização pelo organismo, possibilitando assim a realização de um sem número de reações no organismo, bem como apresentar alguns neurotransmissores e sua área de atuação.
Exemplos :
A) Noradrenalina
 
   a. Sintetizada a partir da tirosina.
   b. Receptores: alfa (1 e 2) e beta (1,2 e 3).
   c. Ativação: lócus ceruleus – atuação em ponte e sistema reticular ativador ascendente (SRAA) com múltiplas ramificações.
   d. Funções: 
       i. Via da Recompensa (reforço positivo e reforço negativo);
      ii. Humor (euforia – aumento da noradrenalina e depressão – falta da noradrenalina);
      iii. Estado de vigília: atento (muita NA na fenda sináptica e letárgico (diminuição da noradrenalina – sono causado pela ausência da NA);
      iv. Pressão Sangüínea: hipotensão (causada pelo excesso da noradrenalina cerebral) e hipertensão (causada pela falta da noradrenalina central) – efeitos opostos da noradrenalina na periferia. 
 B) Serotonina – 5-Hidroxitriptamina (5-HT)
   a. Síntese: a partir do triptofano, seguindo a formação do 5-hidroxitriptofano e 5-hidroxitriptamina = serotonina;
   b. Possuem receptores específicos, chamados serotoninérgicos, abundantes no sistema nervoso central. 
   c. Tipos de receptores (principais): 5-HT1(a,b,c,d) , 5-HT2 , 5-HT3
   d. Principais Funções:
      i. Alucinações – em vigência de Serotonina, efeitos de sugestão por terceiros podem desencadear alucinações no paciente. Um exemplo disso é o uso de drogas alucinógenas;
      ii. Sono: qualidade do sono = sono REM e não o sono por ondas lentas (induzido por noradrenalina). O sono REM é capaz de consolidar a memória, fato envolvido com o aprendizado;
      iii. Humor: a serotonina está diretamente envolvida com o estado de humor, isto é, quando há falta da serotonina, os sintomas da depressão são acentuados. Prova disso é que os fármacos antidepressivos modernos são inativadores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS), citando-se como exemplos a fluoxetina , a Sertralina e a Paroxetina ;
      iv. Transmissão sensorial;
      v. Envolvimento com distúrbios alimentares: bulemia nervosa (episódios de voracidade alimentar seguida de vômitos forçados) e anorexia nervosa (manutenção voluntária do peso corporal em níveis anormal e perigosamente baixos).
D)	Descreva as etapas da transmissão sináptica. 
O tecido nervoso caracteriza-se pela capacidade de suas células comunicarem-se entre si, pro- cessando e transmitindo informação a longa distância. Essa propriedade é possível graças à existência de dois mecanismos de sinalização: a condução axônica e a transmissão sináptica.
A transmissão sináptica é o processo pelo qual informação gerada ou processada por um neurônio é transmitida a outro neurônio ou célula efetora. Dois processos são utilizados com esse objetivo: a) Eletrônico (Transmissão Eletrônica); b) Químico (Transmissão Neuro-Química).
A transmissão eletrônica é encontrada no sistema nervoso central dos mamíferos, no coração, no músculo liso e em células epiteliais. Tem como principal vantagem sua velocidade e como principal desvantagem não poder ser modulada ou ter sua eficácia alterada. Já as sinapses neuro-químicas, embora mais lentas, podem ter suas propriedades funcionais e plásticas alteradas, variando sua eficiência ao longo do tempo.
Na sinapse eletrônica a corrente elétrica (iônica) flui diretamente do terminal pré-sináptico para o elemento pós-sináptico através de canais de baixa resistência que unem as duas células na região de contato sináptico .