A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
Resumo das Aulas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Resumo – Aulas 
Fundamentos da Análise Sociológica 
Questões fundamentais 
• Reflexão sobre a origem e a natureza da vida 
social – dos fenômenos sociais; 
– Racionalismo / secularização 
– Individualização 
– Iluminismo 
– Empirismo 
– Produção industrial 
• Desnaturalização da realidade. 
Produção industrial 
• predomínio da produção industrial que, 
através do uso de novas tecnologias e da 
racionalização, expande a produtividade, 
promove o desenvolvimento de outros setores 
econômicos e estimula a concentração de 
pessoas em centros urbanos. 
I - A perspectiva sociológica 
• Sociologia definida como uma ciência voltada ao 
estudo sistemático do comportamento social, dos 
grupos e das interações humanas. Numa 
perspectiva mais ampla, a sociologia procura 
explicar qual é a dinâmica social que mantém as 
sociedades estáveis ou provoca mudança social. 
• Precisa mostrar que o entendimento de certos 
fenômenos requer a formação de conceitos que 
não se aplicam ao uso cotidiano. 
Ciência versus senso comum 
• Método de abordagem da sociologia 
– Necessidade de se afirmar como ciência, busca pela 
“verdade” 
• Senso comum: abordagem sem fundamento de 
determinado problema, baseado em impressão, 
na crença, na tradição, algumas vezes no bom 
senso. 
• Conhecimento científico: fundamentado na 
razão, no rigor metodológico, na experimentação. 
Senso crítico que busca compreender uma 
realidade através do método e da organização. 
II - O surgimento da Sociologia: teoria, 
pesquisa e valores 
• Principais tópicos abordados: 
– A revolução industrial e mudanças na sociedade; 
– As novas formas de organização social; 
– A questão social; 
– O desenvolvimento da sociologia; 
– O positivismo; 
– Bases de constituição da sociologia moderna. 
Ciclo da expansão industrial 
1. Revolução 
Industrial 
2. 
Expansão 
da 
Produção 
3. Expansão 
do Mercado 
consumidor 
4. Busca 
por novos 
mercados 
(mercantilismo) 
Revolução industrial e suas 
consequências 
Mudanças sociais e organizacionais no século 
XVIII e XIX: 
a. Substituição do “homem” pela máquina; 
b. Divisão do trabalho 
c. Mudanças culturais no trabalho; 
d. Produção de bens e larga escala; 
e. Novos papéis sociais 
 
 
2.3 – A questão social 
• Concentração urbana; 
• Alteração na forma de exploração agrícola 
– Êxodo rural 
• Em 1841, Londres ultrapassava os 2,5 milhões de 
habitantes. (+ de 8 milhões); 
• Crescimento desordenado e degradação do 
espaço urbano => Problemas sociais (doenças, 
prostituição, alcoolismo, suicídio, criminalidade, 
etc.) 
• Desigualdade social => diferença de classes 
Resumindo..... 
Cercamento 
Rural 
Migração Urbanização 
Degradação do 
espaço urbano, 
do meio 
ambiente e dos 
valores 
tradicionais 
A sociedade se torno o objeto de análise e, por sua 
vez, o componente essencial para o aparecimento 
da sociologia 
Principais diferenças entre os tipos de 
sociedades 
Teorias da Mudança Social 
• Origens do pensamento sociológico 
• Busca por analogias heurísticas e modelos 
metafóricos de outras áreas de conhecimento; 
• Biologia => mudança, evolução, etc... 
• Metáfora: organismo e do crescimento 
orgânico 
• Ferramenta intelectual útil e necessário para 
tratar dos problemas relativos à mudança 
social 
Analogia orgânica 
• Organismos e sociedades são constituídos de 
elementos discerníveis (células e indivíduos) 
agrupados em unidades mais complexas (órgãos, 
instituições) e unidos e integrados por certas 
redes de relações (anatomia orgânica, vínculos 
sociais) 
• Em ambos (organismo e sociedade) há uma 
visível interação entre continuidade e mudança 
(células e tecidos nos organismos, pessoas e 
grupos em sociedades). 
A teoria de Comte 
3. Positivo: indivíduos invocam leis com base na 
evidência empírica, observação, comparação e 
experiência. 
 
• Os fenômenos sociais poderiam ser estudados com o 
emprego do método positivo. 
• Método positivo: “ciência, daí previdência, previdência, 
daí ação” (Comte); 
• Tratava-se de conhecer as leis sociais para poder prever 
racionalmente os fenômenos e agir com eficácia; 
• “Saber para prever, prever para poder” 
Spencer e a concepção naturalista 
• Concebe a evolução com o princípio comum 
subjacente a toda realidade, natural e social; 
• Para ele, a evolução se dá por meio da 
diferenciação estrutural e funcional 
Tönnies e a evolução sem progresso 
• Segundo sua visão bipolar da sociedade 
(Comunidade e Sociedade), os vínculos sociais, 
pessoais, íntimos, primários característicos da 
comunidade transformam-se, na sociedade 
moderna, em contatos impessoais, mediatos, 
secundários, e instrumentais. 
• Atitude crítica em relação à sociedade moderna e 
não considerava a evolução com sinônimo de 
progresso. 
Principais obras - Durkheim 
• Da Divisão do Trabalho Social 
• As regras do método sociológico 
• O suicídio 
• As formas elementares de vida religiosa 
Epistemologia 
• A sociedade (objeto) é superior ao indivíduo 
(sujeito); 
• A sociedade é composta por estruturas sociais 
(sistema de justiça, igreja, escolas, sindicatos) que 
funcionam de modo independente dos indivíduos 
e, ao mesmo tempo, condiciona suas ações; 
• Assim, “o TODO é maior que a soma das PARTES”. 
A vida coletiva não era apenas uma imagem 
ampliada da individual, mas um ser distinto, 
complexo, irredutível às partes que o formam. 
A especificidade do objeto 
• A sociologia é definida como a ciência “das 
instituições, da sua gênese e do seu 
funcionamento”, ou seja, de “toda crença, 
todo comportamento instituído pela 
coletividade”. 
• Como qualquer campo de conhecimento, a 
sociologia deveria delimitar seu objeto 
próprio: os fatos sociais. 
Fato Social 
• “É um fato social toda maneira de fazer, fixada ou 
não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma 
coerção exterior; ou ainda, que é geral na 
extensão de uma sociedade dada e, ao mesmo 
tempo, possui uma existência própria, 
independente de suas manifestações individuais”. 
– Maneiras de fazer = maneiras de agir, de pensar e de sentir, que 
existem fora das consciências individuais e capazes de exercer uma 
influência coercitiva nas consciências individuais. 
– Correntes sociais = fatos que não apresentam formas cristalizadas 
(institucionalizadas) mas que têm a mesma objetividade e 
ascendência sobre o indivíduo. 
Correntes sociais 
• Alguns fatos sociais podem ser menos 
consolidados, mais fluidos, são as maneiras de 
agir. É o caso das correntes sociais, dos 
movimentos coletivos, das correntes de 
opinião “que nos impelem com intensidade 
desigual, segundo as épocas e os países, ao 
casamento, por exemplo, ao suicídio, a uma 
natalidade mais ou menos forte etc.” 
Fato social 
Fato 
social 
Coerção 
Geral Exterior 
Fato social 
• Para Durkheim, “existe um termo que exprime 
razoavelmente essa maneira de ser muito 
especial [os fatos sociais], uma vez ampliado um 
pouco seu significado habitual: é o termo 
instituição. Com efeito, pode-se chamar 
instituição toda a crença, todo o comportamento 
pela coletividade, sem desnaturar o sentimento 
da expressão; a Sociologia seria então definida 
como a ciência das instituições, de sua gênese e 
de seu funcionamento”. 
O papel das instituições sociais 
• Lembrando: A sociologia é definida como a 
ciência “das instituições, da sua gênese e do seu 
funcionamento”, ou seja, de “toda crença, todo 
comportamento instituído pela coletividade”. 
• As instituições sociais tidas como “o lugar para 
formas alternativas de inovação”, pois são 
passíveis de mudança desde que indivíduos